História Scared Of Happy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Norminah
Exibições 743
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Não a merecia


Pov.Lauren

Março de 2016.

- Lauren dá pra socializar?

Normani me perguntou e eu revirei os olhos.

- Não.

Respondi cruzando os braços e bebendo um pouco da vodka.

- Nem pareçe que tem 27 anos de idade.- Resmungou Dinah e eu bufei.

- Vão se divertir, me deixem quieta.

- Cavala...

Cantarolou Ally que já estava tonta ao lado de Troye.

- Vamos dançar miga!

Chamou Troye puxando Ally e eu fiquei sozinha na mesa do pub.

Aquele pub me deixava terrívelmente nóstalgica, mas eu não poderia ser tão ignorante de não vir para o aniversário de Troye, meu braço direito depois de Ally e um grande amigo.

*Flashback On*

Março de 2015.

- Onde elas estão?

Perguntou Ally a Troye que mexia no celular na frente do estabelecimento.

- Elas estão na área vip, vamos indo.

Caminhamos até a portaria e demos nossos nomes até liberarem a entrada.

O lugar estava vázio mas tinham três mulheres que riam enquanto bebiam em um dos sofás vermelhos espalhados pelo local.

- Olá vagabundas.

Troye cumprimentou as meninas que riram e abraçaram o amigo com uma intimidade visível.

- Não apresenta as amigas Troye?

Perguntou uma morena e meus olhos quase salvaram da face.

Uma latina, linda latina.

Ela aparentava ser nova mas ainda sim eu não pude deixar de olhar para ela durante toda a noite.

Camila o nome dela, ela tinha acabado de completar dezessete anos e já havia terminado o ensino médio.

- Eu trabalho na cafeteria de meus pais e bom, pretendo ingressar em Havard ou Yale.

- Tem carta de recomendação?

- Sim, estou esperando eles me retornarem mas até agora nada.

- Oh sim, acredito que eles ligarão em breve, não costumam demorar.

Falei bebendo um pouco do vinho.

- Como sabe?

- Bom, eu me formei em Yale.

Falei e ela me olhou supresa.

- Que legal Lauren, qual sua área? Pera, qual sua idade?

- Vamos com calma.- Falei e ela riu.- Eu sou formada em engenharia mecânica mas também sou apaixonada por Games, então criei uma empresa voltada para desenvolver jogos e etc.

- Que legal!

- Sim, posso te levar para conheçer meu apartamento e te mostrar alguns protóticos.

Falei e ela arqueou a sombracelha.

- Qual sua idade?

Perguntou e eu me inclinei na mesa.

- Vinte e seis, vou completar vinte e sete em Junho.

- Entendi...

Analisou ela sorrindo e eu me arrastei até sentar do seu lado.

- Gostaria de marcar um café para conversarmos longe dessa barulheira?

Perguntei e ela assentiu.

- Que tal irmos agora?

- São onze da noite, menina.- Respondi rindo e ela deu de ombros se levantando.

- Tem uma que fica aberta até meia-noite.- Prendeu os cabelos em um coque frouxo e eu não pude deixar de secar ela, e aquele pescoço moreno onde eu por um momento imaginei meus dentes cravados ali.

Neguei com a cabeça rindo e saímos sem falar com nossos amigos já que eles estavam na pista de dança.

Quando chegamos ao lado de fora do pub fui procurar meu carro mas Camila me surpreendeu apontando para um estabelecimento na mesma rua do pub.

Dava pra ir andando.

Tinham algumas pessoas que assim como nós conversava e ria, Camila e eu nos sentamos no fundo.

Naquela noite ficamos conversando durante um bom tempo até as portas da cafeteria se fecharem, e durante boas horas sentadas na frente do café falando um pouco mais sobre diversos assunto.

Não sei como, quer dizer, foi literalmente automático a forma em que em um piscar de olhos estavámos aos beijos.

Depois daquele dia, eu e Camila fomos nos encontrando cada vez mais.

Durante meses.

Ficando cada vez mais íntimas, até chegarmos ao ponto de estarmos completamente suadas, sonolentas e satisfeitas no quarto dela.

*Flashback Off*

Respirei fundo me levantando da mesa já sentindo um bolo em minha garganta, coloquei o rosto entre mãos e sem aguentar mais me levantei.

Saí recebendo o olhar de Dinah, mas pouco me importei.

Peguei as chaves do carro em meu bolso e caminhei o mais rápido que eu consegui pra longe dalí.

- Jauregui, espere!

Ouvi a voz de Dinah e em seguida ela segurar meu braço em um aperto leve.

- O que foi?

Perguntei e me xingando mentalmente por ter falhado a voz.

- Eu te levo pra casa.

Falou e eu ri sarcásticamente.

- Eu não preciso, mal bebi.

- Mas não está em condições de dirigir. - Disse ela eu revirei os olhos desativando o alarme.

- Dinah, me poupa.

Falei e ela revirou os olhos tomando a chave de minha mão.

- Me entrega a porra da chave!

Rosnei e ela me empurrou.

- Para Lauren! Pra mim você não precisa fingir que tá bem, porquê eu sei que você não tá.

- Dinah me deix...

- Ela ligou pra mim. - Falou e eu me encostei no carro olhando atentamente pra Dinah. - Ela perguntou por você.

- O que ela perguntou? - Disparei.

- Se você estava bem, se estava trocando comida por bebida...- Falou ela e eu mordi o lábio inferior. - Eu falei que você estava bem, e estou me sentindo mal por ter mentido.

- Não fala nada pra ela. - Pedi entrando no carona do carro e Dinah no banco do motorista.

- Porquê você não vai vê-la Laur? - Perguntou e eu revirei os olhos.

- Eu não preciso ver ninguém, isso tudo é estresse.- Coloquei o cinto.- Não preciso largar meu trabalho pra ver uma garota.

- Garota que você é comple...

- Cala a porra da boca Dinah.

Dinah olhou pra mim, e se eu não fosse tão dura, eu com certeza ficaria com medo.

- Se você está sofrendo hoje, foram pelas merdas que você fez com ela, se não estão juntas é tudo culpa sua! Qual a porra do problema em dizer, que ama ela Lauren?

Arregalei os olhos e rosnei pra ela.

- Eu não amo ela! Foi era só sexo porra.- Falei e ela riu acelerando o carro.

- Me poupa!- Disse ela e eu me encostei no banco.- Sabe, eu esperava muito que vocês ficassem juntas.

- Nunca iria aconteçer.

Falei baixo.

- Eu estou agradecendo aos céus por isso.

Falou ela seca e eu engoli em seco a encarando.

- Porquê fala isso? - Tentei falsamente não soar como ofendida, mas falhei.

- Porquê Camila, apesar de tão novinha, ela sempre foi muito mulher pra você, eu imaginava que não aguentaria. - Falou e eu cerrei o punho.

Eu iria socar a cara dela por ela ter dito uma baboseira daquelas, mas não era esse tipo de pessoa. Não para mulheres.

- Sabe Lauren? Camila era o tipo de garota que deveria ser acordada sempre com um beijo, um abraço, café da manhã na cama. E não com um bom dia seco, ou grosseria.

- Você não sab...

- Ela é o tipo de garota que merecia todo amor do mundo, e não ligações pela noite de uma pessoa que só queria trepar, só queria sexo não é mesmo?

- Dinah...

Rosnei.

- Ela mereçe sabe o quê? Uma mulher de verdade, que seja a melhor pessoa do mundo pra ela. Uma pessoa que diga " Caramba como você está linda hoje". E essa pessoa, nunca será você.

Aquelas palavras pesaram em mim de uma forma que tinha ficado fraca até para revidar.

Fiquei calada durante todo o caminho, eu precisava dormir.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...