História Scared Of Happy - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Beta, Lemon, Namjin, Ômega, Scared Of Happy, Yaoi, Yoonniee
Visualizações 90
Palavras 4.774
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Lemon, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


[AVISO]

ESTE CAPITULO CONTÉM LEMON, SE VOCÊ NÃO GOSTA DE RELAÇÕES HOMO AFETIVAS, PULE ESTE CAPITULO, ELE NÃO IRÁ INFLUENCIAR NA ESSÊNCIA DA HISTÓRIA. BEJÃO.

[HELLO~]

Bem, eu iria postar no dia 04/08 ENTRETANTO, meu moldem queimou -novamente-, o universo conspira contra mim na hora de atualizar a fanfic (bem triste).

Enfim! Boa leitura meus pudins cremosos!

Capítulo 8 - Desejos e Contratempos


Narrador POV~

 

 

-Jin, você está no cio.

 

~~

 

                        Não era exatamente o cio, mas os sintomas estavam começando, era o pré-cio. Como assim? Bem, o pré-cio, acontece alguns instantes antes do cio, indicando ao ômega, que ele precisa achar seu parceiro, ou se esconder de alfas, neste período, apenas o odor do cio fica no ar, ainda não há calor, dor ou até mesmo desejos. Mas o tempo entre o pré-cio e o cio, é tão curto, que não há tempo sequer de fazer um miojo.

                       Jin estava ali, estático, não sabia o que fazer, para onde correr ou como reagir. Não que, não houvesse passado por outro cio, mas, sua mãe sempre esteve presente, e dava a ele supressores, por ter consciência da dor que era passar esse período sozinho. Mas agora, sua mãe não estava ali. Namjoon não tinha ideia do que fazer, na verdade, sentia medo de fazer alguma besteira.

-Namjoon. Eu.... Não sei o que fazer. – Confessou Jin, um pouco manhoso, desesperado. Tinha ainda lembranças de seu primeiro cio. A dor, o calor, as sensações estranhas, o constrangimento e o mal-estar. Não queria passar por tudo aquilo de novo. E agora, também temia não conseguir resistir a seus instintos naturais, já que havia um alfa ali.

-Jin. Eu também não sei. E acho, que não vou conseguir me segurar. – Namjoon disse, segurando na quina da bancada, e apertando o local com força, arranhando o mármore. Estava lutando contra si mesmo, ele, contra o lado animal dele, o lado, que repreendia o tempo todo. O lado selvagem. O seu lado alfa.

-O que faremos? – O ômega perguntou com receio, sabia que também não iria se controlar. Amava Namjoon, mas não acreditava estar preparado para aquilo. Entretanto, tinha consciência de que não se seguraria também.

-Ligue para Jimin, ele é um ômega, saberá como te ajudar. – O alfa respondeu, se corroendo por dentro, a cada segundo olhando para o ômega, era um segundo de perdição, um segundo de abandono da razão, um segundo de loucura, uma loucura que o torturava muito.

-Ji-Jimin?? Hã, qual o número dele? – Jin questionou, enquanto, mostrava-se envergonhado, totalmente envergonhado, afinal, não tinha nenhuma relação com Jimin, só havia o visto uma vez ou duas, e nunca trocou uma palavra com o mesmo. Sentia-se em uma encruzilhada, ou ligava para Jimin com a vergonha ou não, ou tacava o foda-se e esperava para ver no que iria dar.

-M-Meu celular. – O alfa teve de respirar bem fundo, para buscar o resto de sanidade que ainda estava em si. -Na mesinha, ali na sala. Corre! – Completou, ainda lutando bravamente contra seus instintos mais primordiais. Não sabia quanto tempo conseguiria testar aquele autocontrole, mas teria de fazer isso, pelo ômega.

                              Jin correu até a mesinha, pegou o aparelho e tratou, o mais rápido possível, de ligar para Jimin, infelizmente havia demorado um pouco para achar o nome do outro ômega nos contatos. E o alfa, já não estava conseguindo conter sua fera interior.

-Jin, vá para o banheiro, e se tranque lá! – Ordenou Nanjoon usando sua voz de alfa, deixando assim Jin com medo, e fazendo-o subir as pressas, levando seu celular, para o banheiro. O ômega, esperou chamar, e no primeiro toque, a ligação foi atendida. Era sempre assim, a equipe de Namjoon estava sempre disposta a ele.

-Ji-Jimin? – Jin perguntou, tremendo, não por medo; mas sim, pelo calor, que havia acabado de lhe atingir, arrastando um arrepio por toda a espinha, trazendo o choque a tona. O cio, havia acabado de começar. E o cheiro do alfa, fazia tudo piorar.

-Quem é você? O que faz com o celular do Namjoon? – Jimin perguntou, não reconhecendo a voz do outro lado da linha. Não era a conhecida voz do alfa, estava totalmente atento, começava a caminhar rumo ao escritório de Hoseok.

-Seokjin, eu, estou no cio..... preciso de ajuda, ah. – Respondeu Jin, gemendo, sentindo a dor em seu baixo ventre começar. Estava obviamente constrangido, mas, precisava daquela ajuda. Jimin entendeu isso no mesmo instante, e mudou sua direção para a saída.

-Está na casa do Namjoon? Estou indo para ai. – Jimin disse, andando apressado para o carro, sem ao mínimo, explicar o porquê de sua correria. Antes de sair, Yoongi gritou seu nome, ele virou-se bruscamente.

-Aonde vai? - Yoongi questionou, Jimin não era de sair sem falar nada para ninguém, ou fazer coisas em segredo. Porém, sabia o quanto aquele assunto era constrangedor.

-Cio. – Respondeu simplista, virando-se novamente para o carro, deixando para trás, um Yoongi completamente confuso, afinal, Jimin tomava supressores.

                           Na maior pressa e receio, Jimin dirigiu, conhecendo o local da casa do alfa. Estava um pouco receoso, já que, Jin estava com Namjoon. E Jimin sabia, que Namjoon nunca, havia ficado perto de algum ômega no cio, ou seja, nunca havia tido problemas em se controlar. Questionava o comportamento do alfa naquele momento, será que ele estaria bem?

~~

 

                           O alfa, se contorcia, ainda tentava lutar contra si mesmo. Embora Jin tivesse se trancado no banheiro, seu cheiro, permanecia vagando pela casa toda, um aroma, muito atrativo, um convite, impossível de se recusar, mas era necessário recusar. Não sabiam, se estavam preparados. Haviam riscos, grandes riscos, em avançarem desse modo.

                          Jimin não demorou a chegar, teve de usar a sirene, para poder trafegar tão rápido, pelas ruas da cidade. Abriu a porta de maneira dramática, olhando diretamente para Namjoon, que estava encolhido entre os joelhos, buscando lá de dentro, a razão em sua mente.

-Onde está Jin? – Perguntou Jimin, fechando a porta, e preparando-se para ganhar velocidade novamente.

-N-No banheiro! – Respondeu o alfa, usando novamente, sua voz. O controle que lhe restava era tão pouco quanto o que sobrara de café em sua caneca. Jimin subiu as escadas com pressa, e empurrou a porta do banheiro, acreditando, que ela estava aberta, mas se enganou. Jin havia a trancado, para pensar e não ter surpresas enquanto pensava.

-Jin, sou eu abra a porta. – Pediu, afastando-se minimamente da mesma. Jin, olhou para a porta, estava de frente para ela, no chão, gemendo com a dor em seu baixo ventre. Seu membro, gritava por atenção, latejando e consequentemente doendo mais. Seu corpo, era coberto por um fino lençol de suor, sua respiração era descompassada e ofegante, sua garganta queimava, tudo isso, efeito do cio.

                         Com muita força de vontade e, persistência, conseguiu levantar e caminhar até a porta, já que suas pernas estavam ficando bambas. Abriu a porta, deixando Jimin vê-lo naquele estado, ajuda-lo naquele estado, embora não o conhecesse tão bem.

                           Jimin, o ajudou a chegar na cama, o deitou lá. Analisou-o, usando seus conhecimentos sobre o corpo dos híbridos.

-Jin, nenhum supressor vai poder te ajudar nesse ponto. Você tem tomado eles com tanta frequência, que agora seu cio, veio bem mais forte. Acho que o mínimo que podemos fazer e usar a água fria e alguns chás. Mas não vai ajudar tanto. – Jimin confessou, ajudando Jin a se livrar da blusa e do short que trajava, amenizando o calor que o outro sentia. -Namjoon está fazendo muito esforço para não subir aqui. Ele não vai te deixar só, mas pode ser que se descontrole, seu cheiro está muito forte. – Completou, buscando no banheiro uma toalha molhada com água gelada, para colocar no corpo quente de Jin.

-Urgh! Porque eu só faço merda? Porque eu tenho medo de me entregar para Namjoon?? – Jin se questionava alto, jogando em Jimin seus sentimentos. Culpando-se por não lembrar do próprio cio.

-Não é anormal ter medo. Todos temos, um mais que outros. Você talvez, só esteja confuso. Talvez eu possa te ajudar.... O que você sente quando está perto do Namjoon? – Jimin questionou, tentando ser amigável, não achava Jin uma má pessoa, na verdade, o via como uma boa pessoa, já que Namjoon estava com o ômega, ele obviamente, não representava nenhum risco.

-Sinto que meu coração vai sair pela boca..... Ah! – Gemeu, seu membro pedia por atenção e a cueca estava o incomodando muito, porém não queria ficar nu, frente ao outro ômega. -Sinto que estou protegido, que posso confiar nele, me sinto amado. – Completou, respirando num ritmo descompassado.

-Então ai está a resposta! Se entregue Jin, parece, que você não tem nada a perder. E vai matar dois coelhos numa cajadada só.... – Disse Jimin, passando a toalha no rosto e no abdômen de Jin, limpando todo o suor com a mesma, e diminuindo a temperatura corporal do ômega.

-Dois coelhos? – Jin questionou, confuso com parte do que Jimin havia dito a ele. Jimin havia aprendido alguns truques com Jeon sobre perfilhação, então podia ver os sintomas de amor em Namjoon, e os mesmos sintomas em Jin. Jimin riu, o outro ômega, ainda não havia notado, pois o amor é cego.

-Você vai descobrir. Meu trabalho aqui já acabou. Boa sorte! – Jimin anunciou, deixando o ômega deitado na cama com uma dúvida na cabeça, uma pergunta, que só Namjoon poderia responder. Desceu as escadas, encontrando um Namjoon desesperado, bebendo, se entupindo, de água. – Ei! Namjoon, seu ômega está te esperando lá em cima. Boa sorte. – Disse por fim, antes de deixar o casal a só, rindo da situação. Era engraçado, o fato dos dois negarem estarem prontos, quando na verdade, se encontravam tão preparados, que dava dó.

Namjoon não entendeu, continuou ali com o copo de água em mãos. Jin também não havia entendido, continuava deitado com a toalha úmida sobre si.

                  

                   Entretanto, seus lobos interiores haviam entendido isso. Lutavam para se libertar, enquanto a razão de ambos, lutavam para prende-los. Mas, o desejo carnal de um hibrido é mais forte, a dor é mais intensa quando separados.

                   Jin sentia-se incomodado com o calor, seu corpo estava em chamas, seu baixo ventre clamava por atenção era torturante, soltava gemidos finos/agudos para aliviar parcialmente aquela torturante sensação, eram baixos, mas não o suficiente, para que o alfa não captasse, e isso o tirava todo o pingo de sanidade que tinha. O ômega, tentando se livrar da última peça que lhe cobria o corpo, sem querer, tocou em seu pênis, causando instantaneamente um arrepio que lhe subiu pela espinha, e se manifestou em sons/gemidos. Agora, não tinha mais controle sobre si. Precisava se tocar, precisava que alguém lhe tocasse. Namjoon, era a única coisa que vinha em sua mente, o cheiro do alfa, ficava a cada minuto mais e mais forte, e seu libido acabou falando mais alto que a razão.

-Namjoon..... Nam.... Joon... Ah! – Chamou, meio a gemidos, não aguentando mais toda aquela sensação, já começando a ficar tonto, o cheiro do alfa, também estava presente no local, e se tornava insuportável a ideia de ficar longe do mesmo. Não aguentaria mais nenhum segundo, teve de se entregar, isso estava muito além de sua vontade, seu subconsciente o ajudava de alguma forma a reprimir o medo.

                      O alfa no mesmo instante correu para o quarto, subiu os degraus num pulo, mordeu o lábio ao sentir o cheiro do ômega cada vez mais intenso pela curta distância em que se encontravam, instintivamente se aproximou do ômega, porém ainda havia receio naquela ação. Ainda havia uma parte do alfa, mandando-o se afastar. Mas ela quem foi afastada quando Jin o segurou pelo ombro e o aproximou de si, colando as testas, num pedido mudo para que o alfa acabasse com aquela dor. Agora Namjoon também estava envolvido pelo calor, também suspirava alto e sua respiração tomou o mesmo rumo da de Jin. Queria toma-lo para si.

                     O ômega, puxou para o lado, a blusa de Namjoon, deixando seu ombro totalmente exposto, umedeceu os lábios com a língua, contemplando a visão: era lindo aos olhos de Jin, eram perfeitos. E quando fez isso, chutou para longe, qualquer respingo de sanidade do alfa, completou sua tarefa, tirou toda a sensatez presente.

         Namjoon, se aproximou do corpo de Jin, levou sua cabeça até o pescoço alheio, respirou bem fundo na dobra do mesmo, inalando o ´´perfume´´ que o outro estava emanando, era a melhor coisa do mundo, aquele cheiro, era delicioso, era uma perdição. Tracejou com o nariz uma trilha sem sentido, fazendo o ômega gemer em satisfação, buscando sentir mais e mais daquele perfume. O alfa subiu, tracejando seu caminho com o nariz, até o nariz alheio, deixou para trás um rastro quente na epiderme alheia. Um olhar intenso foi lançado para o ômega, que rebateu com a mesma intensidade. Ambos se olhavam, se desejavam, e não lutaram contra o desejo. O alfa avançou nos lábios do ômega, e um beijo intenso se iniciou, a luxuria envolveu os dois em um abraço caloroso enquanto as línguas lutavam por espaço, lutavam para alimentar o desejo ali. As roupas, começavam a incomodar, estavam atrapalhando, Jin queria sentir mais ao alfa. Namjoon -o único vestido ali- tratou de livrar-se delas, Jin o ajudou, estava mais impaciente que o alfa, tanto que quando lançaram as peças ao ar, não se importaram com o rumo que elas tomaram. Queriam mais contato, o cheiro característico do cio, gritava por atenção, e Namjoon tratava de lhe dar aquela atenção. O corpo de Jin clamava por toques. O alfa por um segundo, parou para contemplar o corpo alheio desnudo; a pele meia bronzeada, o abdome levemente definido, as coxas fartas, mínios detalhes não passavam pelo alfa, os poucos cabelos que insistiam em cair sobre a testa alheia, meio húmidos, tudo contribuía para deixar Jin mais sexy naquele momento.

                     Namjoon deslizou a mão pelo abdômen do ômega, e um gemido foi lançado ao ar. Jin estava quente, muito quente, mas de algum modo, o toque do alfa, o deixava ainda mais quente, chegava a ser difícil respirar, o calor estava o incomodando, e o alfa o torturava com aquela paciência. Namjoon, queria conhecer, tocar, dar prazer, a cada parte do ômega, e o torturava assim mesmo que sem querer, ele não estava com a mínima pressa, não queria apenas foder, queria dar atenção e carinho ao mesmo tempo em que proporcionaria prazer.

                      A mão do alfa desceu rumo a virilha de Jin, ele ergueu a mão, deixando apenas a ponta da unha tracejando formas indecifráveis e torturantes para o ômega, fazendo com que Jin erguesse as costas do colchão, em busca de mais contato. Cada contato era bom e ao mesmo tempo doloroso.

           Estavam perdidos.

           Estavam loucos.

           Mas havia sim picos de sanidade ali.

 -Jin, eu não vou conseguir me controlar mais. – Namjoon disse o óbvio. Parando bruscamente com todos os toques, antes de aprofunda-los e arrepender-se depois. Queria ter certeza, queria que o outro lhe dissesse em alto e bom tom, que pudesse prosseguir.

-Então não se controle Namjoon-ah, eu quero você! – Jin afirmou com toda a certeza que podia ter naquele momento, chutando para longe a insegurança do alfa e dando lugar para o descontrole. O alfa prosseguiu, não repreendendo mais a si mesmo.

                    Queria, e como queria, brincar e aproveitar daquele momento.

                    A destra que descia, foi acompanhada pela canhota, parando na coxa farta do ômega, e apertando o local com luxuria e libido. Um gemido arrastado da parte do ômega o encorajava a prosseguir.

 

´´É perigoso se apaixonar,

 mas eu quero queimar com você esta noite´´

 

                     O alfa, aproximou seu rosto do abdômen alheio, e desceu distribuindo beijos molhados, tracejando um caminho até um dos mamilos do ômega, dando um leve chupão no esquerdo, fazendo o outro grunhir e gemer baixinho pelo prazer que lhe foi proporcionado; Jin segurou as madeixas de Namjoon, como se aquilo fosse lhe ajudar a inibir o prazer que sentia.

                      Mas não ajudava. Apenas aumentava mais a tenção em seu membro.

                      Jin estava louco, queria cada vez mais contato, e aquela lentidão, começava a incomoda-lo, seu corpo estava em chamas, seu baixo ventre dolorido, e seu psicológico longe de estar sã. Respirando fundo e lentamente, tentando dissipar o calor que o envolvia, tentava, apenas tentava evitar gemer. Mal conseguia respirar, seu pé se contorcia a cada beijo em seu corpo; seus olhos reviravam-se perdidos na luxuria.

                        Queria o alfa dentro de si. Queria se entregar de todas as maneiras.

 

´´Me machuque

Há dois de nós

Estamos repletos de desejo´´

 

                   O alfa, só parou os beijos, quando ficou de frente com o membro de Jin, que pedia urgentemente por atenção. Era como se seu animal interior, soubesse exatamente o que fazer; deixou-se levar. Queria dar prazer ao outro, queria acabar com o cio do outro e, aproveitar daquela sensação tão boa, que estava tomando a si, queria foder e amar ao mesmo tempo. Sim era possível, mais que possível.

                   Namjoon parou por um momento para olhar o corpo do outro, observou com cuidado e calma; o peito do outro subir e descer, quando buscava encher os pulmões com ar, sorriu contente com a imagem e prosseguiu, beijou a glande de Jin, fazendo-o gemer, seu membro estava dolorido e rijo, era torturante aquilo, toques naquela região sensível, agora o levavam ao céu e o traziam de volta, seu corpo recebia espasmos cada vez mais fortes, seus gemidos estavam cada vez mais altos.

-Ah, Namjoon! – Gemeu manhoso, dando total consentimento para o próximo ato.

 

``A dor do prazer e fogo

Me queime´´

 

O alfa, levou a mão ao pênis do ômega, e o bombeou algumas vezes, eliminando toda a tenção e, deixando apenas o prazer ali. Namjoon, evolveu-lhe a glande, se acostumando aos poucos com o volume em sua boca, queria proporcionar o máximo de prazer ao parceiro, relaxou a garganta, acomodando melhor o pênis alheio, subindo e descendo em um movimento lento e confortável, e conforme se movimentava, podia sentir o corpo do outro tendo espasmos. Estava contente, agraciando-se com os murmúrios de Jin, chamando por si. O ômega deleitava-se com aquela boca quente e úmida, Namjoon chupava com uma coisa em mente: Proporcionar o máximo de prazer ao seu Jin.

 E conseguia. Como conseguia.

``Então vamos lá

Eu vou guiá-lo, guiá-lo

Eu sofro por amor, sofro por nós

Por que você não vem

Não vem um pouco mais perto?``

 

 

 Quando o ômega começou a dizer palavras desconexas, sem o mínimo de sentido, acelerou o ritmo, chupou de forma voraz, com um apetite descomunal, olhando para as reações alheias, deleitando-se com elas. Jin mordia o lábio inferior, fechava os olhos com certa brutalidade, jogava a cabeça para traz, os dedos de seus pés encolhiam-se, como uma maneira de receber o prazer e dissipa-la ao mesmo tempo, o alfa não estava facilitando para si. Era muito prazeroso, seu corpo reagia instintivamente, e Namjoon estava gostando de observar aquelas reações, era lindo, era sexy, aos seus olhos, não havia imagem melhor. O alfa queria brincar um pouco com a impaciência alheia, mas, tinha em mente que seria torturante para seu ômega, então, resolveu deixar a ideia para um outro momento.

-Jon.... – O ômega chamou num gemido arrastado, sentindo um espasmo arrastar-se por seu corpo, derramando um liquido viscoso, na boca do alfa. Namjoon retirou o sexo alheio de sua boca, limpando o canto de seus lábios. Agora Jin queria esconder-se no meio dos travesseiros, estava envergonhado por ter gozado na boca do alfa, e mais envergonhado ainda pelo fato do alfa ter engolido tudo -ou o que conseguira-; Namjoon o impediu de se esconder, puxando seu braço esquerdo em direção ao próprio corpo e capturando os lábios alheios de imediato. E lá se foi a vergonha de Jin. Antes de se separarem por completo, Namjoon colou as testas, soltando um sorriso sacana, agora, teria Jin totalmente para si.

                               Agora a cautela seria deixada de lado. Agora poderia brincar um pouco.

                               Completamente errado.

                               Uma hora do caçador, outra da caça.

                               Agora quem queria brincar era Jin, ele quem iria torturar alguém ali.

 

``Então venha agora

Risque o fósforo, risque o fósforo agora

Nós somos um par perfeito, perfeito de alguma forma

Nós fomos feitos um para o outro

Venha um pouco mais perto``

 

                O alfa segurou na cintura do ômega e o girou, para que o outro ficasse de costas para si, ergueu o quadril alheio a fim de deixa-lo empinado para si. Aquela posição era submissa de mais, constrangedora de mais, Jin não estava satisfeito com ela, seu lobo interior queria fazer algo para que aquilo não prosseguisse daquela maneira. Virou-se rapidamente, empurrando Namjoon para a cabeceira da cama, deixou o alfa sem palavras quando subiu em seu colo e o olhou como se fosse engoli-lo. Quem era aquele Jin?

                               A fera havia acordado, tornaria cada minuto, um minuto de proveito.

                               Dane-se a inocência.

                               A vergonha virá depois, mas agora o que importa, é nós. Nós dois.

 

``Chama, você veio até mim

Fogo encontra gasolina

Fogo encontra gasolina

Estou queimando vivo

Eu mal posso respirar

Quando você está aqui me amando

Queime comigo esta noite``

 

              O ômega rebolou sobre o membro alheio, fazendo-o pulsar, agora Jin estava torturando o alfa. Agora Jin estava no controle, ou melhor, seu lobo, várias vezes reprimido, estava começando a se soltar. O ômega sorriu de lado, estava satisfeito com o que estava fazendo, e agora, com o controle em suas mãos, tudo poderia acontecer. Rebolou mais uma vez, puxando a cabeça do alfa para traz, Namjoon não conseguiu conter um gemido rouco, estava começando a enlouquecer com aquela situação, mas estava adorando tudo aquilo.    
               Jin, segurou o sexo de Namjoon e o direcionou para sua entrada, seu corpo esquentou bruscamente, quando sentiu a glande roçar seu ânus, gemeu manhoso, respirou fundo e sentou-se sobre o membro, no inicio foi doloroso, esperou um tempo para acostumar-se, enquanto Namjoon procurava o distrair beijando sua testa. Quando a dor o deixou, e o prazer tomou o lugar, levantou-se lentamente. Enquanto sentia-se preencher, gemia palavras desconexas e murmúrios sussurrados. Estava se sentindo tão bem com aquilo. A situação do alfa não era diferente, mal conseguia raciocinar direito, só conseguia sentir seu pênis ser apertado pelas paredes de Jin, gemia rouco perto do ouvido alheio, apenas para senti-lo espasmar e apertar cada vez mais seu membro. O ômega começou a quicar sobre o sexo de Namjoon, e o alfa, ajudando-o, levou suas mãos a cintura de Jin, o ajudando a subir e descer.

 

´´E vamos voar

Como fumaça escurecendo o céu

Quero dizer, eu quero tentar

Morder um pedaço´´

 

                    O quarto ficou totalmente quente, gemidos preencheram o ambiente, a cama rangia com os movimentos e o barulho de pele se chocando apenas excitava mais os dois. Estavam perdidos em meio ao libido carnal. Jin, agarrou-se a Namjoon, estava sentindo muito prazer, seu corpo se contorcia, e ele já não sabia mais o que fazer, tudo que queria era mais e mais. Arranhou as costas desnudas do parceiro, em desespero, queria mais proximidade, e seu membro acabou por roçar na barriga alheia. O alfa começou a distribuir beijos por toda a extensão do pescoço do ômega, parando na ponta do ombro e mordendo-o, lambendo em seguida como um pedido de desculpas, finalizando com um selar de seus lábios molhados. 

                      Quando Jin não conseguia mais sustentar o próprio corpo, por sentir-se perdido em tanto prazer, Namjoon o ergueu deitando-o na cama, ajeitando-se e continuando a estocar. Começou lentamente. O que era torturante para o ômega.

-Namjoon-ah, por favor.... – Pediu, o fato de nunca ter sido tocado por ninguém, o deixava a deriva dos ataques do alfa, sentia-se torturado com aquela lentidão e paciência que o outro tinha consigo, mas não queria assim.

-Você vai me levar a loucura. – Concluiu, retirando todo o seu membro e o colocando novamente, estocando com força e brutalidade, fazendo o ômega gritar surpreso, porém submerso no prazer.

``Então venha agora

Risque o fósforo, risque o fósforo agora

Nós somos um par perfeito, perfeito de alguma forma

Nós fomos feitos um para o outro

Venha um pouco mais perto``

 

 

                   O quarto ficou com o cheiro do ato carnal, e este se misturou com o perfume doce que o ômega exalava. Uma leve camada de suor envolvia a ambos, e molhava minimamente os forros. Os corpos chegavam a brilhar quando a luz entrava em contato com a epiderme. Gemidos ecoavam pela casa toda, a respiração descompassada de ambos também estava presente entre os poucos sons.

                   Namjoon entrando e saindo de Jin com força e velocidade, acabou encontrando sua próstata, acertando aquele local apenas uma vez, pode sentir seu corpo ter um espasmo, seu membro ser totalmente esmagado pelas paredes do ômega com muita brutalidade. Aquela sensação, queria mais dela. Tornou a acertar lá mais vezes em um ritmo frenético, Jin se contorcia, mal conseguia fechar a boca, e um fio de baba, começou a escorrer pelo canto de seus lábios, seus olhos buscavam um ponto fixo, mas acabavam por se fechar vez ou outra, ou se prenderem ao corpo do alfa.

``Fogo encontra gasolina

Estou queimando viva

E eu mal posso respirar

Quando você está aqui me amando

Fogo encontra gasolina

Queime comigo esta noite``

 

 

                                     Jin não aguentava mais, era muito prazeroso tudo aquilo. Acabou por gozar novamente, desta vez o ápice foi estendido, e jatos de esperma sujaram seu abdome. Um grito manhoso e estendido o ajudou a liberar tudo, sua entrada se reprimiu, apertando mais o sexo alheio. O alfa não aguentou tanta pressão em seu membro e acabou se desfazendo dentro do ômega. O alfa cansado, deixou o corpo cair sobre o de Jin, ergueu o corpo, o suficiente, para joga-lo ao lado do ômega. Antes de adormecer, o alfa olhou uma última vez para o ômega, e mais uma vez permitiu-se perder no corpo do outro.

``Mas está ficando ruim

Morte certa

Mas eu quero o que quero

E eu tenho que conseguir

Quando o fogo morre

Céus escurecidos

Quente como um fósforo

Só sobra fumaça``

 

 

                                    O alfa por algum motivo, só conseguia olhar para o pescoço do ômega, sentia falta de uma marca ali, queria marca-lo, para que todos vissem que ele era seu, queria tê-lo cem por cento, queria que ele fosse apenas dele, que pudesse chama-lo de seu. Aproximou-se daquela área, seus olhos ganharam a cor vermelha, suas presas cresceram. Mordeu aquele local ao ponto de um filete de sangue sair. Marcou Jin. O ômega ao sentir a mordida, reagiu a ela. Seus olhos ganharam o tom azul, suas presas também cresceram, ficou atraído pelo pescoço alheio, mordeu ali até sangrar também. Em ambos uma marca roxa rodeada minimamente de um verde, surgiu no local da mordida.

``Queime comigo esta noite

Queime comigo esta noite

Queime comigo esta noite

Eh eh´´

-Fire Meet Gasoline (Sia)

 

 

-Meu ômega.

-Meu alfa.

 

~~

                                 

                                   Algumas horas depois do ato carnal, Jin acordou, sentindo-se sujo. Estava incomodado com a sujeira, seu corpo estava meio grudento, não conseguiria dormir novamente. Tentou levantar-se, mas, sua perna falhou por um instante, ela estava meia dormente, seu corpo estava. Era o efeito da marca. Cada ômega reagia diferente, uns tinham febre, outros não sentiam nada e outros, sentiam-se dormentes e ficavam um pouco mais manhosos.

-Namjoon-ah. – Chamou, e o alfa não tardou a levantar, acordou procurando pelo parceiro na cama, e o encontrou sentado no chão. Instintivamente, levantou-se apressado, e o pegou no colo, carregando-o para a cama. -Não. Eu quero tomar banho, estamos sujos. – Reclamou em um sussurro.

-Porque está sussurrando? – Namjoon perguntou, mudando o rumo para o banheiro. Abrindo a porta com um chute, adentrando o ambiente com cuidado para não bater a cabeça de Jin na parede da porta.

-Eu não sei. – Respondeu, escondendo o rosto na dobra do pescoço do alfa, talvez, Jin nunca deixe sua vergonha de lado, ou, apenas sinta-se assim em certas ocasiões. Namjoon riu divertido, colocando o ômega na banheira e ligando-a em seguida, manuseando para a água ficar numa temperatura ideal.

-Você é fofo. Mas se torna outra pessoa na hora do sexo. – Comentou o alfa, sem olhar para o ômega, concentrava-se no registro de água. Jin se encolheu, e ficou vermelho pelo que lhe foi dito. Queria agora, cavar um buraco e se esconder lá. Namjoon direcionou o olhar para Jin, e seus olhos caíram sobre a marca. Tão linda, tão perfeito. Pensou, aproximando-se do ômega e passando a mão ali. Deslizou com ela até o rosto alheio e acariciou as bochechas de Jin com o polegar, o mesmo deixou a cabeça cair para o lado da mão, levando a sua até a alheia acariciando ela. Estava se sentindo tão bem com aquilo, tão protegido, tão amado.

                         Namjoon pediu espaço na banheira e Jin cedeu, mas o alfa acabou encaixando-se de outra maneira, uma maneira não esperada pelo ômega. Sentou-se atrás de Jin, colocando as pernas ao lado do corpo do ômega, abraçando-o com os braços, distribuindo beijos por toda a extensão do ombro alheio.

"Eu estarei do seu lado eu nunca sairei do seu lado." 5

 

 

~~

 

5- ( EXO-K - What is Love)

Libido: Desejo.

 

 

                

              
                                         
 

 

                     

 

 

 

 


Notas Finais


HELLO~~

Dêem uma olhada nesse jornal: https://spiritfanfics.com/jornais/momento-de-reflexao-9782079

É isso aê! O que acharam? Mereço abraços ou pedras?

~Qualquer coisa nois deleta e finge que nada aconteceu~

Não sejam fantasminhas >3<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...