História Schlagen - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 47
Palavras 2.435
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Adivinha quem vai postar o capítulo do ano? A cara de pau aqui!
Mais uma vez reativando a fanfic!
Agora com um pouquinho mais de maturidade (Só um pouquinho mesmo) decidi dar continuidade a esta fanfic.
Quero começar com os pedidos de "me desculpem";
Me desculpem pela à grande demora de postagens de capítulos! À vida anda muito corrida e minhas notas andam muito embaixo, preciso melhorar-las ainda, e muito, mas vou fazer o máximo pra postar nem que seja semanalmente.
Me desculpem por essa capa! Ela foi feita pelo celular assim como todo o capítulo! Eu dei meu máximo nela mas nem eu me agradei! Acontece que estou sem computador e com isso sem condições de dar a vocês uma capa de capítulo mais organizada e bonitinha!
Me desculpem pelos erros de português que terão no capítulo! Como dito antes, o capítulo foi feito no bloco de notas do celular e o corretor gosta de nos judiar!
Me desculpem pelo o tamanho do capítulo que eu não tenho idéia de quantas palavras devem ter, mas se for pequeno, desculpem! (Deu três notas do Samsung! Jsdjdjz)

Acho que era isso, obrigada por estarem lendo e boa leitura coleguinhas! ❤

Capítulo 3 - Erinnerung


Fanfic / Fanfiction Schlagen - Capítulo 3 - Erinnerung


Carol POV's
"- Eu te amo, você não tem noção do quanto! - Ele disse me olhando com os olhos brilhando. Aqueles olhos.


- Eu também, meu anjinho! - Eu lhe dei um selinho e ele fez uma careta.


-"Inho"? Quem falando! - Ele sorriu. Aquele sorriso.
- Ah para, menino! Não estraga clima do momento! - Eu disse e lhe dei um tapinha no ombro. Ele gargalhou e me deu um beijo. "


-Mamãe? - Diego chamou baixinho com voz e sono. Havia acabado de acordar. 


- Bom dia, meu amor! - Eu falei meio em transe ainda, vagando na minha lembrança e lhe depositei um beijo na testa. 


- Boa madrugada, né? - Ele disse com uma carinha debochada. Poxa filho! Ás vezes parecer mais comigo seria uma boa.


- Mas! Olha o respeito menino! - Eu ri sendo acompanhanda por um sorriso dele.- Se quiser continuar dormindo, tudo bem! Mas vai ficar até a hora do almoço trancafiado aqui! - Eu disse e passei o dedo no narizinho dele. Igual ao do pai. É, ele realmente não era parecido comigo!


- Não! Não vou perder de brincar com meu amiguinho! - Ele se referiu ao filho de Neymar e eu sorri.


- Ok! Me prometa que vai se comportar?! - Eu perguntei mais como uma confirmação e ele balançou a cabeça exageradamente como sim ficando ainda mais fofo. - Beleza, bora se arrumar! Te quero pronto as seis e meia! - Eu disse e o vi levantar como um raio.


Peguei o celular e vi que eram seis da manhã. Minha vida estava sofrida em quesitos de horários, mas calculem a dos meninos que além de acordar essa hora tem que sair a correr em campo. Coitados. Apenas isso a declarar.


Enviei uma mensagem pelo whatsapp para Anna dizendo apenas " Seis e meia estou na porta do teu quarto, amiguinha! ", larguei o celular e fui rumo ás malas para achar uma roupa.


Anna POV'S 


"Seria talvez Satanás agindo? Seria talvez Jesus me punindo? O que eu fiz pra merecer acordar a esse horário? O que eu fiz?" Perguntas ecoavam em minha cabeça ao ouvir o som do despertador. O melhor a se fazer é levantar e parar de reclamar!
Assim o fiz, fui ao banheiro, - me arrastando - fiz minha higiêne matinal - madrugal-, tomei um banho quente, bem quentinho e fui até minha mala. A essas alturas da madrugada eu não estava disposta a fazer grandes looks, combinações e modas então peguei algo simples. Me vesti e ouvi meu celular assoviar, toque que me alertava sobre menssagens no whatsapp, fui ver e era de Carol.

Abri a porta para fazer o combinado e levei um susto ao ver um desastre acontecer no mesmo momento que abri porta e soltei um "Socorro" em tom normal automático. Se você pensou em alguém morto, errou! Bernard acidentalmente caiu na frente da minha porta ao tropeçar no tapete do corredor.


- Te machucou, guri? Pelo amor de Deus, me diz que não! - Eu ajoelhei no chão ao lado dele, de olhos arregalados tocando seu braço em diferentes lugares pra verificar.


- Sim! - Ele ri de leve - "te"? "guri"? - Ele falou/pergunto


- Gaúcha? Sim! - Me levantei e estendi à mão pra ele e ele segurou levantando.


- Que fofa! - Ele sorriu e eu sorri tímida. - Bom... - Fez uma pausa. - Não quer ir comigo? - Ele perguntou de imediato -  Digo, estou indo pro campo de treino! Imagino que vá também, não é? Afinal você é jornalista, tem que acompanhar, né? - Ele tentou se explicar e eu o olhei com uma cara confusa enquanto estava encostada no batente da porta do meu quarto. - Não que seja sua obrigação, mas é que eu pensei que você estivesse indo para o campo também, por isso o convite... - Ele gesticulava e falava, tudo junto. Eu ri e cortei sua fala.


- Eu entendi o convite! - Exclamei sorrindo e ele respirou aliviado.- Mas estou esperando a minha amiga e meu afilhado, nos encon... - Desse vez quem teve a fala cortada foi eu.


- Aqui estamos! - Carol apareceu sorrindo com Diego segurando sua mão. 


- Ah, vamos juntos então! - Eu exclamei fazendo pouco caso. - Cadê o cheirinho da dinda? - Eu me abaixei um pouco me referindo ao Di e tive como resposta um abraço apertado. Lhe depositei um beijo na bochecha, fechei a porta de meu quarto e fomos nós quatro rumo ao campo de treinamento. Eu e Carol iríamos acompanhar o treino de perto e depois iríamos entrevistar dois ou três jogadores apenas para o início. Durante o treino disponibilizaram um cantinho do campo para que às crianças brincessem, arrumaram até uma bola pra eles. 


Após o treino, eu e Carol entrevistamos o Thiago e o Oscar. Seguimos para à granja, e, consequentemente para a cozinha.

Devia ser próximo do meio dia e estávamos caindo de fome. Eu, gentilmente -?-, me dipolinizei a fazer o almoço e todos aceitaram após um "Ela cozinha muito bem" de Carol e " Ás vezes eu prefiro a comida da dinda" de Diego e os risos da cara de indignação de Carol.
Fiz o almoço que tinha o cardápio de frango, feijão, arroz, batata doce e salada, muita salada. Eu ainda não estava psicologicamente preparada pra entrevistar jogadores em campo. Eu ja havia feito isso, claro, mas poxa! No meu país? Eu estava muito feliz!

Carol POV'S 


Após a humilhação pública que passei assim que meu filho disse que preferia a comida da dinda eu comi e me senti feliz ao lembrar que realmente à culinária de Anna era ótima! Comemos e o meu filho ainda tinha energia assim como o filho Neymar, muito diferente dos pais que queriam mais era dormir. Anna disse que eu podia ir dormir que ela ficava de olho em Diego e nas brincadeiras dele, fez a mesma propósta ao Neymar que aceitou na hora. Subimos conversando e ao passarmos pelo meu quarto que vinha primeiro nos despedimos e eu entrei no cômodo. A sensação de estar sozinha era muito boa! Não que fosse ruim ser mãe, nunca, mas ás vezes uns minutos de sossego faziam bem. 


Tomei um banho relaxante, vesti um pijama e me deitei na cama. Assim que encostei a cabeça no travesseiro a imagem de Diego me venho na cabeça, junto com à do pai dele. Aquilo me frustava! O encontro dos dois me frustrava! Como Diego agiria? Como o pai dele agiria? Eles iriam me odiar? O pai dele se sentiria bravo? Aliviado? Não tinha como ele não perceber, Diego era o xerox dele grudado em outro rosto! Os olhinhos, o rosto redondinho, bochechas gordinhas, maneira de sorrir, de fazer birra, tudo! Meu Deus, onde eu vim me meter? Eu não podia ter vindo! 


- Aaaaahhhhh! - Eu abafei o que seria um grito com o travesseiro e me aconcheguei novamente dessa  vez conseguindo dormir.


Anna POV'S 


- Carol é casada? - Oscar me perguntou inocente, apenas para puxar assunto.


- Não! - Sorri - Se à duvida é quem é o pai de Di ela diz que é de um ex namorado que ela não tem mais contado - Contei-o o que não deixava de ser verdade e ele arregalou os olhos surpreso olhando Di brincar com Davi na borda da piscina.


- Seja lá quem for, é extremamente burro! Di parece ser um menino de ouro! - Oscar falou ainda o olhando.


- E é! - Eu sorri orgulhosa o olhando. - É como se fosse meu filho! Eu e Carol passamos um perrengue para cria-lo, mas valeu à pena cada segundo depositado nele! - Eu disse com o sentimento de orgulho do nosso bebezinho crescendo cada vez mais.


- Foi difícil? - Oscar me olhou curioso e engatamos numa conversa sobre como foi pra eu e Carol criarmos Di. Ficamos conversando um bom tempo até chegar David e começarmos a conversar sobre coisas altamente aleatórias. Passado um tempo, verifiquei e ja eram quatro da tarde, realmente, quando me falarem que gaúcho puxa assunto eu vou ter que concordar!

Carol POV'S 


Acordei horas depois, umas quatro da tarde, eu estava mais relaxada mas assim que abri os olhos os pensamentos voltaram. Com o calor que fazia eu decidi que mais um banho seria o melhor a se fazer, assim o fiz. Após meu banho, fui até à minha mala escolher uma roupa mais simples para descer. Assim que achei à vesti e fiz um rabo de cavalo no cabelo, sem paciência para uma maquiagem me sentei na cama e pesquisei sobre o primeiro jogo da Alemanha, sim, isso mesmo! Assim que descobri, desci para a área externa encontrando Anna e Oscar na piscina nadando com Diego e Davi enquanto David conversava com eles apenas até à parte dos joelhos na água, me sentei ao seu lado fazendo o mesmo e iniciamos uma conversa sobre o primeiro jogo da seleção brasileira.

Manuel POV'S 
- Mário? - Eu disse olhando pro lado verificando se ele estava dormindo ou acordado, tendo como resultado um rosto com boca aberta babando. Eu ri e vi que faltava menos de uma hora para o avião pousar. - Mário, falta meia hora, vamos, acorda! - Eu o cutuquei. - Ora, vamos logo! - Ele resmungou algo intraduzível.


- O que é? - Ele esfregou os olhos.


-Falta meia hora, vamos logo! - Eu disse rindo.


-Vamos aonde? Saltar do avião? Se você se ouviu, eu tenho mais meia hora de sono! - Ele disse mostrando indignação.


-Você têm que se arrumar, escovar os dentes, demorar um ano nesse seu cabelo e etc, se eu te conheço meia hora é pouco! - Eu ri e ele bufou se dando por vencido.


- Vou mandar algo para dentro antes! - Mário disse enquanto mexia na sua mochila de comida e pegava um pacote de Doritos.


- Você é poço sem fundo! - Eu ri virando para o lado.


- Sou mesmo! - Mário disse emburrado.


(...)


- Ei goleiro, não vai vir? - Thomas gritou do ônibus.


- Estou indo! - Eu larguei minhas malas no "bagageiro" do ônibus e logo após entrei no mesmo sentando ao lado de Thomas.


- Imagina se tem alguma torcedora gata? - Thomas disse me fazendo rir.


- Isso é o que mais vai ter, pode ter certeza! - Eu disse pondo o cinto.


- Deus e ouça, Manuel, Deus te ouça! - Thomas disse de modo engraçado e eu me limitei a rir.


(...)


Mário POV'S 


- Vamos Mário! Você só sabe dormir! - Eu pude decifrar uma voz longe.


- Me deixa! - Eu disse, mas realmente, acho que não saiu muito entendível.


- Nós chegamos! - Reconheci Marco falando.


- Ótimo, terei uma linda cama de hotel para dormir o resto do dia! - Eu disse me levantando. Sim, eu realmente tinha acordado com uma indisponibilidade fora do normal. Algo me dizia que eu iria me ferrar profundamente. 


- Você não tem jeito! Sabe quem postou uma foto no Instagram esses dias? - Marco perguntou descendo atrás de mim.


- A Beyoncé talvez? Qualquer um ou uma pode ter postado foto esses dias! - Eu disse pegando minhas malas, que eram apenas duas.


- Não! Jordanna Brum! - Marco falou e eu parei para refletir. Seria a jornalista que me entrevistou no último jogo antes de vir para o Brasil? 


- Seria à Jornalista? A da Fox?- Eu o olhei enquanto caminhávamos para dentro do hotel.
 
- Essa, ela e seu afilhado! - Marco falou. - Mas eu não iria tocar nesse assunto atoa! - Ele disse fazendo careta- Ela postou foto com a criança com legenda " Rumo ao Brasil! " E umas carinhas felizes. Ou seja, gata jornalista pra eu pegar! - Marco disse animado e eu me limitei a rir. 


- Todo esse contorno para chegarmos na final conclusão de que você quer pegá-la? - Eu o olhei segurando o riso.


- Talvez nosso goleirão ali queria mais, à dias ele está futricando mas redes sociais da menina! - Marco falou e nós dois rimos.


Nós conversamos com a recepcionista e ela nos deu nossas devidas chaves, peguei-as com uma animação indescritível. Não esperei o elevador, fui de escada mesmo, mas no terceiro andar eu desisti, peguei o elevador e apertei para o décimo segundo andar. Assim que cheguei no quarto me atirei na cama com imensa vontade de ficar para sempre ali e esquecer que o período de treinos não demoraria muito a chegar.

Manuel POV's
Assim que abri o quarto percebi que não tinha um pingo de sono. Pensei em coisas que poderia fazer, fui de ficar parado mechendo em meu celular até ir visitar a cidade que me encontrava. Optei por ficar ali mesmo, pois sou muito sonso e me perderia sem nenhuma dúvida, mas sou Manuel Neuer, alguém vai me achar por aí! 
Peguei meu celular e chaves do quarto e saí. Fui até à praia que era do outro lado da rua e me sentei na areia mesmo, bem próximo ao mar. Apesar de estar um clima bem bom de fim de tarde à praia se encontrava basicamente vazia, mas também, com aquele grande hotel com tudo era até pra eu estar aproveitando! Parei um pouco e comecei a pensar na última briga que tive com Nina. 


" - NINA, NÃO DA MAIS! - Eu gritei estressado.
 - CLARO QUE NÃO DÁ, VOCÊ ARRUMOU OUTRA, EU APOSTO! - Ela berrou com aquela voz enjoante


- Claro que não! Eu sou jogador de futebol não cafajeste! - Fiz uma pausa e passei ás mãos pelo rosto, depois pelo cabelo e as pousei com dedos cruzado uns com os outros na nuca. - Eu não te amo mais. - Eu falei baixo olhando para baixo.


- O QUE? - Ela berrou e por um momento pensei que meus ouvidos estivessem sangrando.


- Isso que você ouviu! - A olhei falando num tom normal e cruzei os braços no peito - Não é mais a mesma coisa, Nina! Por tudo nós brigamos, tudo tem erro! Isso já não é mais amor, pra mim chega! - Peguei meu casaco, celular, chaves do carro e saí. Fui para o meu apartamento sentindo um peso a menos nas costas com algo me dizendo que uma bomba viria por ai. "
Sim, esse foi um dos melhores dias da minha vida. Com exceção que passei o resto daquele dia pensando nela, e não me refiro a Nina, me refiro a jornalista.
 


Notas Finais


SIM! Ficou grandinho eu acho, que orgulho!
Queria avisar que por conta de estar pelo celular eu estou sem o bate-papo daqui! Desculpem.
Espero do fundo do coração que tenham gostado da leitura!
Obrigada!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...