História Score TaeSeok - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Lemon, Taeseok, Vhope
Exibições 53
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteeee, cada cap vai ter uma foto relacionada ao acontecimento do mesmo, mesmo que algo mínimo, a foto vai fazer sentido. Só pra avisar mesmo. (eu realmente não consigo pagar muito de autora jsjajahajs) Boa Leitura!

Capítulo 2 - .99.


O cigarro queimava fortemente o braço do ruivo, ele apertava a ponta do cigarro em seu próprio braço fazendo a si próprio gemer com a dor provocada. As lágrimas corriam soltas pelas suas bochechas já coradas de tanto chorar, o rosto todo na verdade. 


O azulejo gelado já nem era mais sentido pela sua pele anestesiada pelo frio, não sentia. A dor em seu peito era tão grande que se comparada a uma grande faca enterrada no mesmo doía até mais, mais do que uma faca, um machado ou qualquer coisa violenta dessas. Se sentia horrível, tão triste, era a pior coisa a pior dor que já sentiu, e olha que já sentiu muitas. Mas não era como se quisesse realmente estar morto, ele queria viver, mas é como se a vida não o quisesse, a vida parecia ter desistido dele e não o contrário. É. É isso mesmo, isso que sentia, isso que está acontecendo consigo. 


O cigarro já estava no fim, apenas um toquinho, quando ouve sua campainha gritando, odiava esse som infernal, que talvez odiasse por ser infernal e isso lembrar o inferno, que é para onde provavelmente ele irá. Abandonou esses pensamentos limpando o rosto, colocando seu moletom e logo estava na porta respirando fundo antes de abri-la. Não fazia ideia de quem era, pois não tinha muitos amigos, alguns que não lhe fazim visitas, mas estava sim curioso sobre quem haveria de estar atrás da porta. 


Girou a maçaneta e a abriu lentamente como se estivesse com medo, mas ao mesmo tempo curioso. 


- Taaaaaae, MEU DEUS, você está tão lindo - Aham, claro, pensou o ruivo. - então, irei passar uma semana, ou mais aqui com você. - diz o menino baixinho com um sorriso divertido em seu rosto. Taehyung não acreditava que seu irmão estava ali, aquele garoto extremamente divertido. Bem diferente dele, ele era tão... animado, amado por todos, não há uma pessoa que não goste de Jimin, ele só não é perfeito por que ama Taehyung, o ama mesmo depois do que fez. Depois de matar a sua irmã, Taehyung se afastou de todos, e todos se afastaram dele, porque sua existência não fazia diferença na vida de todos, no mundo. E somente por isso Jimin não era perfeito, mas esse era só o pensamento de seu irmão, um dos que não eram suicidas, mas que fazim os suicidas surgirem com força. 


Mas Jimin, Jimin não, ele o deixou sim, mas não por vontade, ele simplesmente o amou e em nenhum momento odiou o irmão pelo que fez. Mas Taehyung não deu valor a isso naquela época, ele se isolou de uma forma violenta e ficou escondido do mundo por meses, e ai então Hoseok um dia acabou por bater na porta errada e fazer Tae ter um pequeno motivo para querer viver, ele.


E Taehyung é grato a Hoseok, porque não saberia se estaria vivo ainda se não fosse pelo esbarrão de Hope em sua porta. Mas mesmo assim, agora Taehyung não vai morrer tão cedo, mas sofre, muito.


- Jimin, você precisa entender que não pode chegar assim na casa dos outros. - É, ele é um cuzão, mesmo amando o irmão, ele é ignorante e não se deixa ser influenciado pela felicidade dos outros, embora essa seja uma influência boa. 


- Você tem que parar de ser assim. 

- E você de ser ASSIM. - Jimin o abraçou forte e lágrimas involuntárias rolaram pelo seu rosto. - Sabe que eu te amo e que eu sei que precisa de ajuda. Você precisa meu bem, você precisa. - Jimin já chorava descontroladamente no ombro do irmão que tentava não se abalar, mas nem mesmo ele foi capaz de segurar as lágrimas de sofrimento diante do seu próprio problema. Problemas. Porque tem que ser tão difícil?



E então mais uma ação inesperada em sua vida. 99. É, esse acontecimento deve contar como algo bastante relevante em sua vida, por isso fez-se presente a contagem mental da vida de Taehyung.

A contagem da qual sabiam somente Taehyung e os demônios no parque de diversões vulgo sua mente.  


- Você deveria procurar um psicólogo, sair mais, procurar pessoas, fazer tudo que uma pessoa normal faz V. - Jimin falava deitado com a cabeça no colo do mais novo e o resto de seu corpo no sofá. 

Como se fosse fácil assim "conhecer pessoas". Para Jimin que é um conversador, super extrovertido e simpático é fácil até demais. Mas para Taehyung que é calado, introvertido e chato é difícil até demais. 


- Jimin, nós já falamos disso, então chega. - Tae sempre fora curto e grosso. E de fato já haviam conversado sobre tal ponto, mas Jimin não se deu por convencido com o que o mais novo dissera. Tentaria de novo mais tarde.  


- E aquele seu amigo? O Hoseok. 

- E o que tem ele? - Tae olha para o irmão com cara de poucos amigos. 

- Vocês não saem? Ele não vem aqui? - O mais velho gesticula movimentos no ar, incompreensíveis para o mais novo.

- Vem, mas ele namora, e saimos também, mas eu não gosto muito. Acredita que a namorada dele convidou-me a morar com eles? - O ruivo pergunta em um tom risonho. 

- Uau, isso é que é coragem, chamar o melhor amigo gay do seu namorado para morar com vocês é muita coragem, gostei dessa garota, quero conhecer. - Jimin praticamente faz um monólogo. É, parece que Lin também é uma pessoa amada por todos, Jimin nem mesmo a conhece e já gosta dela, eles realmente se dariam super bem, é uma pena Jimin ser gay, (N/A: pena só pro Taehyung mesmo, pq né <3.)  Mas com toda a certeza, se Jimin fosse hétero, Lin e ele formariam um casal lindo e combinativo, se é que essa palavra existe não é mesmo.


Jimin e Taehyung passaram o resto da tarde e durante a madrugada a conversar, assistindo alguns filmes e programas que lhes chamavam atenção durante a programação na televisão, mas nada que realmente os fizesse parar a conversa, somente observar o que se passa no novo episódio de alguma série que gostam ou algo a tipo.


Hoje Taehyung tem companhia, amanhã também terá, depois e depois e depois, mas isso se estenderá por apenas uma semana ou um pouco mais, e logo estará sozinho novamente. Ao menos, quando alguém que o ama de verdade está consigo o fazendo companhia, o distrai, e o mesmo acaba por não se auto machucar fisicamente e pensar em "bobagens" durante o dia. 


Taehyung gostou da visita de Jimin, foi algo bom que aconteceu para o ruivo. E Jimin fez com que o segundo número de sua contagem de vida fosse por algo bom, porque qualquer coisa vindo de Jimin é bom, bonito e delicado.


E agora faltam somente 98.


Notas Finais


Bom, obrigado por lerem, não sei o que dizer, se quiserem comentar e favoritar a história eu ficarei feliz. Espero que estejam gostando. Se houver erros desculpa, eu revisei, mas pode haver né. Muito obrigado mexxxxxmo por estarem lendo e esperando att pq eu mesma odeio esperar atualização, affo. Mas enfim, obrigado. bj bj.

<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...