História Score TaeSeok - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Lemon, Taeseok, Vhope
Exibições 49
Palavras 1.132
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olarr armys, e todos os fandoms de kpop do mundo. Bom eu fiz att dupla hoje porque ontem eu não fiz, desculpa. Ah, esse na foto é o Nam na fanfic. Espero que gostem. Boa leitura.

Capítulo 4 - .97.


Fanfic / Fanfiction Score TaeSeok - Capítulo 4 - .97.

Escuridão. Frio. Calor. 

Sangue, suor e lágrimas.

Tudo jazia no corpo de Taehyung. Todos os sentimentos confusos brigando dentro de si. Normal. Nada fazia o menor sentido, tudo rodando, Kim Taehyung ria, gargalhava alto, algumas pessoas até lhe olhavam torto, crianças riam de sua gargalhada estrondosa sendo contagiadas pela felicidade do ruivo. Ah pequenos inocentes, queria Taehyung estar rindo por felicidade, por ter conseguido algo que queria, algo que o fizesse feliz. Mas não. Ria porque a bebida já lhe fazia efeito, havia tomado quase duas garrafas de vodka. A bebida corria em seu sangue, rápido, muito rápido. Mas internamente chorava, chorava alto, soluçava. Seu estômago implorava por algo para preenche-lo, a vodka já lhe dava enjoos, mas porque isso importa? A quem importa? Nem mesmo ele se importa consigo mesmo. Porque alguém haveria de se importar? 

Sua sanidade já não era das melhores. Na verdade estava pior do que o pior, se é possível. 

Levantou-se cambaleando, a dorga que havia cheirado a pouco tempo estava começando a fazer efeito também. Fazia caretas e continuava rindo. A risada da tristeza. Nada podia ser feito por ele. Já estava entregue, entregue a esse mundo. As pessoas já haviam desistido dele, e esse mundo, o mundo das gargalhadas tristes. O mundo da falsa felicidade.  

É nesse que ele está, esse foi o mundo que lhe quis. Que lhe aceitou, porque lá fora ninguém o entende, nem tentam. 

Os demônios estão a se divertir tanto em sua mente, em seus pensamentos. Falavam-lhe coisas engraçadas, nossa como era engraçado. Como Kim está triste.

Não iria para casa, pois Jimin estava a dormir ou a fazer qualquer coisa. Jimin está em casa. E ele não pode ir para lá. 

Andou por horas a fio na cidade, passou em lugares que alguém jamis sonharia em passar um dia, mas que para Kim já era conhecido, normal, pois passava por ali sempre. Não tinha medo. Na verdade as pessoas tinham medo dele, pois se fosse uma criança ou uma pacata pessoa como todas as outras naquela cidade teria medo de si agora. Teria muito medo. E por isso não há pessoas na parte mais habitada, e muito menos ali.

A verdade é que ele precisa de alguém que o entenda. Essa pessoa não existe. Não em sua percepção.

Vagou por horas e horas, até estar em uma parte muito excluída da cidade, escura e sem civilização, a não ser por um cara moreno de porte grande, seus cabelos rosas chamavam a atenção de Kim. E também um cachorro ao lado do moreno chocolate. Caminhou na direção dos dois. O cachorro latiu para ele.


- Lin! Cale a boca. - O garoto grande repreendeu a agora cadela.


Kim riu. Riu. E riu. 

Lin. Ah Lin. 

- Sente-se. - O moreno o chamou dando batidinhas no chão ao seu lado. 

O ruivo se sentou. Levantou a garrafa de bebida oferecendo ao moreno que pegou e bebeu um gole grande. 

- Namjoon. - Estendeu a mão para o ruivo. - Kim Namjoon.

Kim riu novamente. Tantas coincidências. 

- Taehyung. - Apertou a mão do outro Kim. - Kim Taehyung. - E Namjoon riu, também. 

- Lin. Lin é o nome dela? 

Ria.

- É sim. Por que? - Namjoon perguntou intrigado. Ele era igual. 

- A namorada do cara que eu gosto se chama Lin. 

- Parece que temos coisas em comum. - Namjoon também ria, e agora os dois dividiam a bebida com mais vontade. 

- Gosto dela, e acho que os dois serão muito felizes ainda, já são. Mas eles são tipo aqueles casais, uh, normais?! - Não sabia exatamente como formular.  

- Eu sei do que está falando. Entendo.

- Eu sei. Sei que me entende.  

E sim, os dois se entendiam bem, eles tinham os mesmos problemas. Aqueles julgados pelos outros como idiotas, sem noção e todo tipo de coisa assim.

Um entendia o outro. E como a vida é né, a poucas horas Taehyung tinha a certeza de que essa pessoa não existia. Cômico. Parece que o menor estava enganado. 


Andaram um tempo, Namjoon, Taehyung e Lin. Taehyung começou a chorar. Chorava alto, como sua gargalhada a umas horas atrás. Namjoon o abraçou e lhe beijou, o beijou. Um beijo calmo. Consolo. Se sentiu bem nos braços do maior. Não sentia nada relacionado ao amor por ele. Gosta dele, gosta de Namjoon. O beijo se aprofundou quando Namjoon pediu passagem com a língua e Taehyung cedeu.

Um beijo de consolo. Como um abraço. Eles se beijaram por um tempo, até o maior parar com a testa colada a sua.


- Espero realmente que tenha entendido esse beijo. O porque dele. - Kim maior fala a Taehyung. 

- Pode ter certeza que eu entendi. Eu entendi sim. Obrigado. - E ali, no escuro, os dois se abraçaram, um abraço sincero de igual pra igual. 


Agora Taehyung se sentia zen, por mais que tivesse bebido e cheirado muito, sua lucidez parecia se fazer presente. 

Bonito e calmo. Estava sentindo-se bem. 

Faria qualquer coisa para sentir-se sempre assim. 



Já se passava das seis da manhã. 

- Vamos pra minha casa? - O ruivo pergunta a Kim, que está com muito sono.

- Vamos sim. - Sorri de lado para o menor. Namjoon queria desmaiar, cair em qualquer lugar e dormir até a próxima vida.

Mas a presença do menor o fazia querer ficar acordado, saber que existe alguém que saiba como é se sentir como ele se sente é bom. 

 Já estavam na casa de Taehyung. Namjoon dormindo atirado em um dos sofás. E Kim jogado no outro desleixado. 

Deveria tomar um banho. Pensava em tudo. Sua situação. A situação daqueles que gostavam de si. E agora havia Namjoon. O cara que lhe entendia, um amigo.

Tem Jimin, o irmão que o ama, e que se Tae se for, será melhor para ele, alguém a menos para se preocupar e poder viver sua vida. 

Lin, alguém que gosta dele, porém não acha que isso tenha muita relevância. 


E também Jung Hoseok. Ah Hosoek. Esse que com toda a certeza ficaria melhor sem Kim. Afinal, se não tivesse esbarrado na porta do ruivo a uns anos atrás não precisaria se preocupar com um depressivo de merda que precisa se drogar. 

Taehyung se pergunta se o mais velho se arrepende de ter saido de casa naquele dia fazendo-o o conhecer. E se pensa que se pudesse voltar no tempo e tirar Kim de sua vida o faria. 


Tanto a se pensar. 


O ruivo deitou sua cabeça no encosto do sofá encarando o forro branco de sua casa. 


- 97. - Sussurrou baixinho.  

E fechou os olhos devagar. Calmo e bonito. 


Porém...


- Mas que porra é essa? - Kim abre os olhos e direciona seu olhar para a escada estreita, velha, e vê um Jimin com uma expressão confusa e as mãos na cintura. Chega a ser fofo.





 





Notas Finais


Bom eu quero pedir desculpas se tiver erros pq antes de postar aqui, eu corrijo lá no app em que eu escrevo q é bem melhor, e dai quando eu passo pra ca tem o negócio dos parágrafos tbm, ai as vezes, sempre, vai ter umas coisa meio bugada mas perdoa os erro e não desiste da fic. Obg por lerem. Comentem se gostaram e se não tbm (sério da mó medão de pdir pra vcs comentarem pq aqui diz pra "não exigirmos que os leitores comentem" por isso eu só peço com educação ajajsndshshs. Bom, obg. Bjbj <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...