História Score TaeSeok - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Lemon, Taeseok, Vhope
Exibições 41
Palavras 1.024
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E como prometido, aqui estou eu, purpurinada, eu particularmente gostei desse cap. A escrita pq né. E PORRA, QUERO AGRADECER OS FAVORITOS E AS VISUALIZAÇÕES, QUE EU NÃO SEI QUANTOS SÃO, MAS OBG, AAAH E OS COMENTS TBM <3. Fiquem com essa fotinha do nosso Hope cuzao. enfim espero que gostem. Boa leitura.

Capítulo 7 - .94.


Fanfic / Fanfiction Score TaeSeok - Capítulo 7 - .94.

Kim parou na porta da cozinha, observando as pessoas que ali jaziam. Lin e Hosoek estavam abraçados um no outro no sofá ao lado do de Namjoon e Jin.

Mas que porra mesmo, ah vai tomar no cu. Não irá ficar naquele ambiente com Hoseok nem a pau. 

- Olá Tae. Tudo bem? - Lin levanta do sofá e o abraça. 

Não, me solta. 

Taehyung não sabia porque estava com tanta raiva de Lin, sempre gostou dela, mas de uns tempos para cá ele vem pegando um certo nojo. 

- Tudo sim. Fiquem a vontade, eu vou conversar com o Jimin lá em cima, por favor não incomodem. - Ele termina o abraço e vai subindo as escadas. 

Sua vontade era de gritar com todo mundo, mandar todos se foderem e sairem de sua casa. Mas isso são só seus pensamentos meio loucos e nada importa mesmo.


Jimin estava sentado na cama, chorava baixinho com as mãos no rosto. 

Sentou-se ao lado do irmão e fez carinho em suas costas. Queria muito saber da história. 


- Eu conheci dois caras, já faz mais de um mês. Eu vinha pra cá quase todas as semanas. E dai então resolvi vir aqui pra sua casa passar um tempo com eles e obviamente com você. - O choro havia cessado, e Jimin já conseguia falar normalmente. - Só que, um dos caras tem só 17 anos, e o outro, bom, o outro tem um filho. Só que nós não sabíamos disso. E a gente meio que já estava se pegando a tempos, nós três, e então o Yoongi acabou por ver a identidade do Jungkook e descobriu que ele não tem 19 anos.


Mas que loucura, caralho. Onde Jimin foi se meter.


- Ai a gente estava discutindo, e o Yoongi resolveu contar o segredo dele também. Eu estou me sentindo bem mal sabe. Eu fui o único totalmente sincero nesse relacionamento. Eles me enganaram, me fizeram de trouxa e agora os dois estão lá felizinhos sem mim. Eu deveria denunciar Yoongi por pedofilia. Mas que droga mesmo. - Socava o travesseiro.


A mente de Taehyung estava totalmente e literalmente bugada. Como Jimin se meteu nessa história louca? Não sabia o que fazer para ajudar o irmão. 


- Se você os ama mesmo, procura eles e conversa. Mas se você não quer mais, esquece e não se deixa abalar pela felicidade deles. 


Taehyung sabe que muitas pessoas entram em depressão por causa de relacionamentos mal resolvidos. E não queria isso para o seu irmão, sabe como a depressão é terrivelmente matadora. 

Somente queria não ser irmão de Jimin, amigo de Hoseok e nem ter conhecido Lin e Namjoon. 

A sua vontade de ser sozinho no mundo é tão grande.  


Os dois deitaram-se na cama e acabaram por adormecerem abraçados. Eles realmente se amavam muito. Jimin queria te-lo ali consigo para sempre. Sempre. Sempre. Sempre.



O ruivo abriu os olhos lentamente, tonto, não sabia direito o que estava fazendo. Jimin não estava mais no quarto, o silêncio reinava naquela residência, e isso assustava Taehyung. 

Olhou para a janela e viu que já era noite. Mas o que? Que horas são? Ele estava confuso. Dormir em uma tarde de domingo não é muito normal e isso meio que o tirava fora do ar. Ele parecia estar drogado ou bêbado.


- Mas que porra 'tá acontecendo?! - A confusão era a expressão de seu rosto naquele momento. 


Levantou-se com preguiça e desceu as escadas, não havia ninguém na sala, ou em qualquer outro cômodo da casa. Procurou por alguém, nem mesmo Jimin havia ficado com ele. 

Parece que ele está sozinho novamente, parece que as pessoas o deixaram novamente, parece que a vontade de morrer estava ali novamente, na verdade, ela nunca foi embora, só ficava um pouco menor de vez em quando, quando estava com as pessoas que amava, mesmo que brigando. 


- Eles gostam de mim, mas quando estão se divertindo lá entre eles, eu não existo. - Sussurrava caminhando pela casa escura. Todas as luzes apagadas, gostava assim. Essa é sua vida real. Sozinho na escuridão. 


Desceu as escadas correndo igual louco, colocou uma música no volume máximo e começou a dançar, na verdade só pulava e ria. Ria muito.

Mas o sorriso se transformou em choro, seu corpo caiu ao chão como um grande nada, um grande vazio. 

Encolheu as pernas para cima fazendo seu corpo virar uma bolotinha. As lágrimas pendiam de sua bochecha e logo caiam ao chão frio.


Chorou por horas. A música já havia acabado a tempos, seu corpo estava muito frio por conta do chão gelado, as lágrimas já estavam secas em seu rosto, suas mãos seguravam os joelhos e ele se balançava freneticamente, o dentes semicerrados, e gemidos fracos saiam de sua garganta.


"A faca está ao seu alcance, a corda, a avenida. É tão simples morrer cara." Os demônios lhe falavam. "Veja, todos foram ser felizes, sem você. Eles querem o seu bem, eles ficam com você para te fazer feliz, mas eles ficam felizes mesmo, longe de você."


O ruivo apenas levanta-se do chão frio.

A avenida a duas quadras da sua casa estava super movimentada, como sempre. Ainda há muita confusão em sua cabeça. Tudo gira meio rápido. 

Foi andando até o meio da avenida.  

É, parece que a vida de Kim irá acabar em apenas sete números, pelo jeito cem era demais, muito para a vida do ruivo. 


"Você acha que vale a pena fazer Jimin chorar por você? Ou Hoseok? Você quer que eles sofram? Porque se você fizer isso irá os trazer infelicidade. Pense nas pessoas que você ama Taehyung. "

E não eram os demônios, alguém fala em sua mente, que loucura. 

Taehyung sentiu vontade de rir, parecia como se fosse em desenhos animados, quando o diabinho está em um ombro, mandando-o fazer o mal, e o anjinho no outro tentando convence-lo de não o fazer. 


Já estava no meio da avenida, bem ao meio. Os veículos que ali passavam, e todos os meios de transporte, buzinavam, as luzes lhe cegavam o barulho o deixava surdo. É agora, é o fim.


- TAEHYUNG?! - Uma voz não conhecida grita.

Logo o ruivo sente um baque em seu corpo...94





Notas Finais


Tenso né? eu sei, até eu que sei oq vai acontecer to nevouser aqui, imagina quem ta lendo. Desculpa qualquer erro. Comentem. obg por lerem. Bjbj <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...