História Scream - INTERATIVA - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Until Dawn
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Interativa, Medo, Morte, Terror, Until Dawn, Wendigo
Exibições 12
Palavras 971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi, oi

Capítulo 12 - Metum


Letícia estava finalmente tomando seu banho relaxante, alheia á tudo que ocorria fora do cômodo, cantarolava uma música que escutava pelos fones de ouvido.

Mas não imaginava que estava sendo observada.

Em um outro cômodo, ele á observava pelas câmeras.

– Letícia, ah Letícia, Leh. Você nem imagina o que te espera não é mesmo, Cielo? - Deu um riso abafado pela máscara de palhaço.

 

Tae

Taehyung não pôde evitar o grito de susto que saiu pela sua boca, sentia-se assustado – pelo susto que levou, óbvio – zangado, preocupado e aliviado, tinha a certeza de que pelo menos uma parte do bonde estava bem.

– Filho da mãe! Você some e quando aparece ainda é me dando sustos? - Perguntou, ainda com a mão no peito, se recuperando.

– Nossa cara, é bom te ver também! - Disse Luka, com um sorrisinho de canto muito irritante.

– Ally e Max sumiram e você ainda faz piadinha, vá se ferrar - Esbravejou.

– Eu não tenho culpa se você está parecendo uma batata doce, não desconte em mim - Continuou provocando, como sempre fazia, nos melhores e piores momentos.

Amaya revirou os olhos, olhando diretamente para Luka enquanto se perguntava como ele conseguia ser assim sempre.

– Por mais que eu ame barraco e boy brigando, não é momento pra isso, deixem para quando estivermos todos bem, juntos e seguros, delícias. - Theo falou e percebeu que Tae deu uma estremecida de leve assim como Luka continuou com um sorriso – agora mínimo – no rosto.

– Que fazemos agora? - TaeTae desistiu de discutir com o outro, estava mais preocupado com encontrar Ally e Max do que com trocar insultos com Luka.

– Já não é óbvio? - Indagou Theo, revirando os olhos, levemente irritado – Vamos seguir o rastro de sangue, oras - Pegou a lanterna na mão do rapaz e tomou a frente, sendo logo seguido por esse, ficando para trás apenas Amaya e Luka.

– Ok, tinha mesmo que ser sangue? Não podia ser pão que nem em João e Maria? Nem tem pomba aqui - Apesar de não admitir em voz alta nem torturado, Luka tinha um probleminha com sangue, não gostava nem um pouco.

– Você vem? Anda, medroso - Amaya não costumava demonstrar muito emoções, mas pareceu entender o que havia de errado – Ei, eu seguro a sua mão - Falou segurando sua mão, fazendo com que ele corasse um pouco.

Ele virou-se para ela e seus olhares se encontraram mesmo no escuro, ficaram assim por um tempo, tentando entender um ao outro.

– Vocês vem? - Ouviram Mark Taehyung perguntar, um pouco de longe e logo desviaram os olhares, mas não soltaram as mãos.

Então seguiram.

 

Mark

Mark seguiu o cara estranho até um lugar que era mais estranho ainda, era um hospital, um sanatório abandonado, com um ar sombrio que lhe lembrava Outlast.

"Maldito lugar pra montar um covil" Pensou, observando de longe o estranho entrar, e quando teve certeza de que ele já não estava mais lá, entrou, iria vingar Anna de qualquer forma, nem que fosse preso depois disso.

Foi complicado entrar naquela porcaria de sanatório, principalmente porque ele estava morrendo de medo, tentando não pensar em Chris Walker e em gêmeos canibais.

Pra piorar, o cara ainda tinha dois lobisomens como cães de caça, ok, estava exagerando um pouco, eram apenas lobos grandes.

Vou me vingar de você, vou me vingar de você, vou me vingar de você, vou me vingar de você... - Definitivamente, tinha que dar um jeito naquilo logo, aquele lugar estava deixando-o louco.

 

Max

Abriu os olhos, sentindo seus músculos doerem e sua cabeça latejar. Estava de pé, algemado na parede e Ally estava do seu lado, ainda desacordada.

Virou e a sua direita viu Pietro, que estava se sacudindo e murmurando coisas como: "Que tá acontecendo?"

Virou-se novamente para Ally, quando escutou-a choramingar, ela com certeza estava pior que ele.

– Vai ficar tudo bem - Disse, procurando acalmá-la, e ela negou.

– Você não deve ter olhado para frente - Ele franziu a testa, fazendo-o.

Realmente não ia ficar bem, não quando tinha uma serra e três caminhos.

 

Oliver

Ele e Bea ainda não haviam chegado no chalé, por vontade própria, claro que não evitaram parar e dar uns pegas, ele até mesmo sugeriu que gravassem um filme pornô ao ar livre, e sinceramente, ela só pareceu negar por estar muito frio.

Caminhavam devagar para demorarem mais ainda, conversando banalidades no caminho, não queriam dar de cara logo com os "amigos" e não queria o climão estranho e pesado no ar, e não queria ficar perto de Theo, ele estava esquisito.

Na verdade, Oliver já havia percebido que Theo estava estranho á muito tempo, os olhares que ele lhe lançavam e a mudança de humor – para pior – toda vez que dava de cara com Bea, ele tinha fortes suspeitas de que Theo gostava dele mas não falava nada e nem pretendia, iria ignorar, ele era macho (Bea quem o diga).

– Olha lá Oliver, o telescópio - Foi tirado de seus pensamentos quando escutou a voz animada da namorada.

– É, sim, muito interessante mesmo - Falou, aproximando-se distraidamente dela.

– Vamos ver o que eu posso achar aqui, por sorte posso captar algo interessante - Riu.

– E o que seria esse algo interessante? - Perguntou parado, ao lado dela.

– Sei lá, ursos acasalando talvez? - Brincou, arrancando uma gargalhada baixa dele.

– Quem sabe... - Logo depois ficaram em silêncio, ele ficou aéreo, observando a paisagem, mas logo percebeu que Bea ficou estranha, de repente – O que aconteceu, você está pálida! - Tocou levemente o rosto dela, preocupado.

– E-eu - Ela gaguejou – Eu vi uma coisa Oliver.

– Sim, e o que foi pra te deixar tão assustada? - Indagou, segurando-a.

– Temos que voltar para o chalé rápido! - Exclamou a garota, desesperada – Eu vi algo Oliver! Tem mais alguém aqui e não é humano!


Notas Finais


O capítulo foi meio bosta (muito) eu sei, mas vou tentar postar coisas mais interessantes, juro.
Próximo capítulo é de escolha.
Vocês já sabem o que a Bea viu, eu sei ok?
Espero que tenham gostado, e me desculpem por estar horrível e não muito detalhado, e por estar literalmente uma piada.
Perdão por qualquer erro.

Referências á Outlast


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...