História Screwed up! - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Amor, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane Hansen, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Norminah, Nudez, Romance, Sexo, Shawn Mendes, Shipper, Vercy
Exibições 961
Palavras 1.302
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Josei, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 44 - Parte II - Capítulo 7


 “Camz, você permite que eu ao menos tente ser sua amiga?”

Eu fitei aqueles malditos olhos verdes suplicantes. Deus, por que as coisas tinham que ser tão difíceis? Eu queria tanto aceitar o pedido dela, mas eu ainda a amava. Ela não fazia ideia de eu só conseguia dormir sob efeito de calmantes porque eu não tinha seu corpo junto ao meu. Que eu chorei todas as noites durante meses com saudades dela. Que, apesar de usar todas as minhas forças, eu ainda não havia recomeçado totalmente porque eu ainda a amava.

Não, ela não sabia o quanto era difícil tê-la apenas como amiga. Eu não podia desistir de tudo novamente por causa dela, eu não podia me esquecer da dor que ela me causou, mas porra, eu também não conseguia esquecer as alegrias que ela havia me proporcionado.

- Camz...? –Sua voz rouca e embargada me despertou dos meus devaneios e eu fitei seu rosto vermelho. Eu inspirei todo o ar possível antes de respondê-la.

- Lauren, preste atenção no que você está dizendo. Mesmo depois de tudo o que eu falei você acha justo me fazer um pedido como esse? –Senti suas mãos apertarem as minhas enquanto ela abaixava a cabeça. Seus cabelos, um pouco mais curtos, caíram sobre seu rosto impedindo-me que eu visse sua expressão. Eu quase disse ‘sim’ quando vi seus ombros sacudirem e um fungar denunciarem seu choro. Durante anos eu a vi chorar por pessoas que lhe quebraram o coração e agora eu havia me tornado essa pessoa.

- Eu sinto a sua falta... –Aquela declaração envolta por lágrimas fizeram meu coração querer saltar do peito. “Eu também sinto sua falta amor”. Eu soltei as suas mãos e circundei a mesa, me aproximando daquela mulher tão importante para mim. Seus braços, agora magros demais, envolveram minha cintura enquanto seu rosto choroso pousava em minha barriga. Eu abracei sua cabeça e deixei que minha mão livre acariciasse seus cabelos macios.

- Desculpe-me por não poder atender seu pedido Lauren. –Ela nada respondeu, continuou ali, abraçada a mim enquanto deixava suas lágrimas ensoparem minha camisa. Um odor diferente adentrou em minhas narinas e eu franzi o nariz – Que cheiro é esse? –Lauren se levantou rapidamente e foi em direção ao fogão.

- Cacete! –Ela xingou enquanto pegava uma das panelas e levava até a pia, enchendo-a com água. – Pode, por favor, abrir as janelas? – Ela pediu enquanto continuava a mexer nas panelas. Eu quase sorri em agradecimento por nosso momento ter sido interrompido.

Depois de solucionar o quase incêndio e dar prosseguimento ao almoço sob um silêncio sepulcral, nós nos sentamos à mesa novamente e eu pude sentir o olhar de Lauren sobre mim e aquilo estava me incomodando.

- O que foi? –Eu perguntei finalmente levantei a cabeça e fitei seu rosto, mas não deveria ter feito isso, pois seu olhar emanava desejo e meu corpo começou a esquentar.

- Você é bonita, eu gosto de te olhar. –Ela respondeu sem desviar os olhos de mim. Eu me mexi desconfortavelmente na cadeira.

- Quando você vai embora? –Ela desviou o olhar e começou a brincar com os dedos.

- Posso ficar aqui até encontrar um lugar para ficar? – Eu franzi as sobrancelhas e resolvi reformular a pergunta.

- Quando você vai embora para Miami? –Eu percebi que iria ouvir merda quando ela começou a tirar pelos imaginários da camisa, ela estava nervosa.

- Eu não vou para Miami. –Sua voz não passou de um sussurro.

- Como é que é? –Ela tinha que ir embora, merda!

- Eu não vou para Miami. –O tom dela subiu duas oitavas. Eu não podia acreditar naquilo.

- Mas eu pensei que já havíamos resolvido isso.

- Eu entendo que você não quer ser nem mesmo minha amiga, mas até chegar aqui, eu não tinha a noção de que eu morria de saudades dessa cidade. Eu não tenho nada, além das meninas, que me prenda em Miami, por isso resolvi ficar aqui por tempo indefinido. – Aquilo iria dar merda, eu sentia isso. Eu não conseguiria ficar em paz com ela por perto, mas também não podia expulsá-la da cidade. Caralho! Eu respirei fundo buscando uma paciência que eu não tinha e me levantei.

- Pode ficar aqui até encontrar um lugar para ficar - Ela começou a abrir um sorriso e eu apontei o dedo em sua direção – mas não quero que demore. Ash e eu gostamos de privacidade. –Ela fez uma carranca.

- Por falar nessa dai - eu a interrompi.

- O nome dela é Ashlee – Ela revirou os olhos.

- Que seja! Há quanto tempo estão juntas? –Cacete, eu ainda não havia combinado nada com a Ashlee, eu não poderia dizer um período muito longo e nem muito curto. Eu precisava pensar rápido numa resposta convincente.

- Chegamos nessa porra! –O grito de Veronica podia ser ouvido a quilômetros e eu suspirei aliviada ao vê-la entrar na cozinha segurando alguns sacos de papel. –Já um pé na bunda de alguém que está nessa cozinha e não sou eu?

- Você é muito madura Veronica. –Lauren retrucou ao receber a indireta.

- Cala a merda da boca porque eu não estou falando com você Jauregui.

- Se você não está falando comigo, o que você está fazendo agora? –Ela retrucou com um sorrisinho.

- Eu estou me contendo para não dar nessa sua cara de traidora.

- Quando você vai me perdoar? – Vi a mulher de cabelos pretos perguntar com um ar cansado.

- Quando a Ally crescer.

- Eu quero minha amiga de volta.

- Pensasse nisso antes de colocar o dedo onde não devia. –Vi Lauren se aproximar de Vero e a mesma se afastar – Não chega perto Jauregui!

- Caramba Vero, me deixa tentar me redimir.

- A não ser que você destranse a transa que teve com a Lucia, não há perdão.

- A Lucia falou alguma coisa para você sobre o que aconteceu? – “Por que ainda estavam falando sobre aquela doutorazinha? Essa merda havia acontecido há meses”

- Por que não pergunta a ela, vocês têm intimidade o suficiente para isso.

- Que merda! Se eu falei com aquela mulher cinco vezes desde que a conheci, foi muita coisa.

- Vá se foder Lauren! Eu já falei o quanto você está ridícula magra desse jeito?

- Eu não pedi sua opinião.

- Quarta-feira é dia do sopão para os moradores de rua, caso você esteja interessada. –“Elas estão discutindo como antes e não estão percebendo isso”.

- Vocês parecem duas velhas e já estão me irritando. Cadê os outros dois? –Veronica, que ainda fitava Lauren com ódio, me respondeu.

- Eles devem estar namorando... –Eu a interrompi, sentindo meu sangue ferver.

- Namorando?

- Namorando a picape da Ashlee, parecem que eles tem uma paixão em comum por carros. –Eu deixei Vero e Lauren se matando enquanto ia em direção à picape de Ashlee. Ela e o carinha bocudo estavam dentro da picape sorrindo iguais idiotas, eu iria matar a Ashlee. O sorriso de ambos se desmancharam quando me viram apoiada na janela do carro.

- Amor, vamos almoçar! – Eu tinha certeza que o meu sorriso parecia uma careta. Ashlee arregalou os olhos e engoliu a seco.

- Ah... hum... eu já estava entrando.

- Que tal entrar agora? –Minha voz era falsamente simpática.

- Aham, vamos Chris! –Eu ainda não havia olhado para a cara do homem de boca enorme, apenas me virei e voltei para casa. Lauren e Veronica ainda se encaravam e Veronica olhou para mim.

- Cabello, em qual quarto eu vou ficar? –Eu olhei as duas mulheres a minha frente e uma lâmpada imaginaria se acendeu na minha cabeça. Eu senti um sorriso muito sincero se formar em meus lábios quando eu respondi.

- Você dormirá com Lauren. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...