História Screwed up! - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Shawn Mendes
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Amor, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane Hansen, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Norminah, Nudez, Romance, Sexo, Shawn Mendes, Shipper, Vercy
Exibições 656
Palavras 1.844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Josei, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 44 - Parte II - Capítulo 5


- O que você está fazendo? -Eu pulei de susto e me virei para trás. Ashlee estava com as mãos na cintura e uma expressão carrancuda no rosto. Eu me senti como uma garota de cinco anos quando é pega fazendo merda.

- Eu estou preparando o quarto de hóspedes assim como a Lauren pediu. - Vi Ashlee revirar os olhos.

- Esse quarto está um lixo! -Um sorriso diabólico nasceu em meus lábios.

- Exatamente. Lauren odeia sujeira e desorganização, por isso, eu peguei roupa de cama suja para forrar as camas dos dois quartos e trouxe todo o lixo da cozinha pra cá. Esse quarto é o que o cara bocudo vai ficar, você precisa ver o da Lauren.

- Não fale assim do Chris, ele não é bocudo. -Ela me respondeu na defensiva.

- Já viu o tamanho da boca dele? Parece que tem uns cinco ovos lá dentro. -Eu respondi enquanto espalhava as cascas de banana em cima da cama como de fossem pétalas de rosas.

- Você está implicando com ele porque ele é amigo da Lauren. -Eu dei de ombros, talvez eu estivesse mesmo.

- Você está defendendo muito ele, eu já falei que não quero ver você se engraçando para cima dele. -Ela inspirou fundo.

- Eu já falei para você deixar de ser idiota Camila, essa atitude é ridícula, você não percebe? Além disso, como que o Nate fica nessa encenação toda? -Eu fechei os olhos, praguejando minha burrice. Nate era o filho de seis anos da Ashlee. Ashlee havia engravidado aos dezesseis anos e se casado com o pai do menino, com quem ficou por menos de um ano antes de se divorciar, eles então compartilhavam a guarda da criança, que estava com o pai no momento.

- Brett só o tratá em duas semanas, até lá, Lauren já terá ido embora. -Minha amiga bufou e sentou-se na parte da cama onde ainda não havia lixo.

- Milla, pelo o que você me contou, ela é insistente e tão teimosa quanto você. Diga-me, você acha que ela realmente vai desistir só porque você sujou o quarto dela? -Não, eu não acreditava, mas contava com a colaboração do destino para que sim.

- Ash, eu não quero falar sobre isso. Ande, me ajude com isso daqui! -Eu disse entregando a lixeira para ela. 

 

Lauren's Point of View

 

- Laurser, não é melhor nós voltarmos para o hotel? Você está forçando a barra. -Chris me perguntou enquanto descíamos do carro e íamos em direção à cabana.

- Por que eu vou pagar para ficar hospedada naquela espelunca, quando disponho de um lugar grátis e confortável para ficar? -Eu respondi carregando as duas malas que eu havia levado para Hendersonville.

- Nós não somos bem vindos nesse lugar grátis e confortável. -Ele respondeu carregando uma única e gigante bolsa de viagem.

- A cabana não é de Camila, é do meu pai e da tia Sinu, eu tenho tanto direito de ficar aqui quanto ela, além disso, será a oportunidade perfeita para ficar de olho naquela tal Ashlee, não gostei nenhum pouco dela, quando Camila menos perceber, o relacionamento dela terá ido para o espaço.

- Ok, eu sei que você não gosta da Ash porque - Eu o interrompi com um franzir de olhos.

- Como você a chamou? - Ele arregalou os olhos e vi sua pele adquirir uma coloração rosada.

- Ashlee, por quê? -Eu larguei as alças das malas e comecei a desferir tapas em seu braço.

- Seu mentiroso! Já está de apelidinhos com aquelazinha? O que é? Vocês viraram amiguinhos? Vão criar o clube da amizade? 

- Ai! Para com isso Laurser, ela que pediu para eu chamá-la assim, ela parece ser uma pessoa legal. - Eu tirei o chinelo de borracha que estava calçando e apontei para a cara do meu melhor amigo.

- Legal será eu enfiar isso daqui na sua garganta Christoper, eu já falei que estamos aqui com o único propósito de acabar com o relacionamento da Camila e fazer ela perceber que me ama, não se desvirtue disso, entendeu? -Ele assentiu de forma frenética e eu dei um sorriso - Ótimo! Agora vamos entrar porque eu já estou morrendo de saudades da Camz.

- Você é louca -Eu o ouvi murmurar. Ao chegarmos a porta, toquei a campainha, criando uma nota mental de que eu precisaria de uma chave. Meu coração estava acelerado e um sorriso brincava em meus lábios apenas com a perspectiva de ver Camila novamente. Nós não havíamos recomeçado muito bem, mas isso iria mudar. Camila abriu a porta com uma carranca e meu sorriso se alargou.

- Bom dia, Camz! -Eu abracei sua cintura, pegando-a desprevenida e colei meus lábios próximo a sua boca. Ela se sacudiu como um cachorro recém saído do banho e se desvencilhou do meu abraço limpando o rosto.

- Não encoste em mim! - Eu belisquei de leve a sua bochecha.

- Você ainda vai implorar pelos meus toques -Eu sorri ao ver sua bochecha enrubescer. - Então onde Chris e eu ficaremos? -Eu a vi sorrir de forma esquisita antes de responder.

- Por aqui -Ela fez uma reverência e apontou para a escada. Eu estranhei aquele gesto e varri meus olhos pela cabana a procura daquela criatura que Camila ousava chamar de namorada, antes de seguir Camila. Subi as escadas com dificuldades e segui pelo corredor principal notando as diversas fotos penduradas na parede, eu reconhecia todas elas e percebi que as que eu estivera presente, não estavam ali. Meu coração murchou um pouco, mas eu continuei seguindo em frente até pararmos em frente a uma das portas. Camila olhou de forma cínica para o Chris antes de dizer. -Você fica aqui!

- Obrigado! -Chris respondeu de forma tímida e sem graça, mas Camila fingiu não ouvir e avançou mais duas portas, que eu reconheci como sendo a do meu antigo quarto, antes de se virar para mim com um sorriso enorme. Por que ela estava sorrindo daquele jeito?

- Fique a vontade Lauren! -Ela disse saindo da frente para que eu pudesse abrir a porta. A primeira coisa que eu notei foi o cheiro desagradável, seguido por uma escuridão terrível. Eu tateei a parede ao lado do umbral da porta em busca do interruptor da lampada e acendi a mesma. Eu preferia não ter feito isso. O quarto parecia uma casa de macaco, havia casca de banana para tudo quanto é lado e restos de outros vegetais também. Eu fechei meus olhos pedindo toda calma do mundo a Deus. "Eu não acredito que ela fez isso". Meus prêmios de softball estavam espalhados em pedaços pelo quarto e minha antiga coleção do Bukowski estava amassada e coberta com uma coisa escura que eu presumi ser café. Eu olhei para o lado e senti vontade de chorar. A coleção com as minhas primeiras fotografias estava completamente destruída no canto esquerdo do quarto. Eu iria matar Camila! Eu iria apertar o pescoço com força e estrangulá-la lentamente, como uma pessoa cruel fazia com uma galinha. 

- Eu deixei seus prêmios caírem quando fui remover a poeira deles, e sem querer derramei um pouco de café nos seus livros, eu juro que suas fotos haverem queimado não foi culpa minha, eu acendi algumas velas para criar um clima especial e acabei queimando algumas fotos, você sabe que eu sou desastrada. Além disso, espero que você não se importe, mas eu comi algumas bananas aqui no quarto enquanto arrumava tudo para você, você sabe que eu adoro bananas. -A expressão dela era tão inocente... aquela mulher só podia ser filha do capeta! "Você a ama Lauren, não se esqueça, você ama essa mulher com todas as suas forças" Eu me lembrei enquanto tentava lembrar das técnicas de meditação que um colega havia me ensinado na faculdade. Inspira... Expira... Inspira...

- Suponho que esses restos de legumes também foram ideia sua. -Eu respondi prendendo meus lábio inferior entre os dentes, alargando-os em uma tentativa de sorriso, mas eu tinha certeza de que, ao invés disso, eu estava parecendo um cão raivoso. Camila assentiu freneticamente e sorriu com a língua entre os dentes.

- Sim, eu quis saber qual seria o sabor das bananas com os legumes, mas não ficou muito bom, por isso eu descartei os legumes. São apenas alguns pedacinhos, nem dá para notar, é só varrer para debaixo da cama e ficará lindo! -Ela varreu os olhos pelo quarto e apontou para a parede - Como será que aquelas peles de frango cruas foram parar nos seus posters da Lana Del Rey? -Meus olhos seguiram para o local para o qual seus dedos estavam apontando e eu engasguei. Minha coleção de posters da Lana Del Rey ainda estavam penduradas na parede do lado esquerdo com vários pedaços de pele de frango cruas esticadas sobre eles e coladas com fita adesiva transparente. "Calma Lauren, calma". Todos os meus tesouros da adolescência estavam naquele quarto e haviam sido destruídos por aquele diabo em forma de gente. Eu iria revidar, mas seria de outra forma.

- Muito obrigada por ter sido tão atenciosa Camz, eu adorei tudo! -Eu agarrei as laterais do seu rosto e plantei um beijo babado em seus lábios.

- Camila, você tem algum macaco? Porque meu quarto está... opa! Eu eu não atrapalhar vocês. - Eu ouvi a voz de Chris dizer, mas não me importei em desgrudar nossos lábios. Eu ouvi Chris se afastar e finalmente desgrudei nossos lábios. Camila estava vermelha como um tomate, eu sentia o ódio exalar de seu corpo, mas eu não me importava.

- Pode deixar que agora eu me viro amor, pode voltar para os seus afazeres, o almoço hoje será por minha conta. -Eu pisquei para ela e lancei um sorriso, lançando um beijo no ar e dando um tapa em sua bunda quando ela bufou e marchou em direção as escadas. "Eu vivi o verdadeiro inferno nos últimos meses Camz, eu não vou desistir de você".

 

Depois de tentar recuperar parte das minhas coisas que haviam sido destruídas e limpar o quarto, eu desci juntamente com o Chris para preparar o almoço, ainda não havia nenhum sinal de Camila pela casa. Será que ela havia ido para a casa da criatura? Eu precisava mandar Chris descobrir aonde ela morava.

 

- Chris, pegue dois ovos para mim por favor! - Eu pedi enquanto mexia o conteúdo dentro da panela.

- É pra já! -Ele respondeu indo até a cesta de ovos. Ouvimos o barulho da porta de entrada ser aberta e uma voz ecoar pela casa enquanto a pessoa seguia em direção a cozinha.

- Cabello, sua gostosa! Se prepara que eu vim passar um tempo no meio do mato contigo. Aprenda a esconder a chav... Isso só pode ser obra de satanás, o que faz aqui? -Eu me virei encarando a mulher séria, parada com os braços cruzados e uma expressão raivosa. Eu abri sorri com a os lábios grudados e me contive para não abraçá-la.

- Olá Veronica!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...