História Se Battre Pour l'Amour - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Ahri, Sona
Tags Ahri, Drama, Homofobia, League Of Legends, Romance, Sona, Sona + Ahri, Superação, Yuri
Exibições 48
Palavras 2.939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - Confusão


 

Já não era a primeira vez que a morena se via numa encruzilhada, parecia que o seu mundo estava caindo por água a baixo, seu coração batia forte todas as vezes que seu olhar ia de encontro com aquele alguém especial e ela não sabia o que fazer, não tinha apoio de ninguém, não conseguia confiar em ninguém além de si mesma – se bem que, naquela altura do campeonato, confiar em si mesma também estava sendo uma tarefa difícil para a jovem, visto que seu coração trairia sua razão se por algum acaso se deixasse levar pelo sentimento errôneo que sentia. Um deslize seu, já poderia se considerar “morta”.

 

Estava sentada em sua carteira, esperando o professor adentrar a sala com mais de suas desculpas pra lá de idiotas para justificar seu típico atraso, odiava quando o professor de história, Zilean, se atrasava, isso só fazia a morena ficar ainda mais impaciente.

 

— Pela sua cara, parece que está prestes a matar alguém. — Ouviu a voz de sua colega de grupo, LeBlanc, que sentava-se ao seu lado naquela aula. — E duvido que essa cara seja só por causa do atraso.

 

— Dessa vez eu não fiz nada. — Katarina que estava no outro lado comentou também, soltando um riso.

 

— Eu só acordei com o pé errado, nada demais. — A morena se ajeitou na cadeira. — Não estou com muita paciência hoje, queria estar em casa nesse momento dormindo ou fazendo algo mais produtivo em vez de ouvir as possíveis desculpas ridículas do Zilean.

 

— É, parece que ela tá de mau humor mesmo. — LeBlanc riu, logo fez uma carícia suave no topo da cabeça da morena. — Calma, Ahri, não é o fim do mundo, tenta se acalmar e distrair sua mente com alguma coisa.

 

— Vamos organizar a festa do pijama. — Katarina sugeriu, ajeitando seus cabelos avermelhados num rabo de cavalo. — Eu realmente não queria ir, mas estou sendo obrigada pela Zyra, e vocês sabem como ela é.

 

— Eu vou por não ter nada de interessante pra fazer mesmo. — Suspirou Ahri, inflando as bochechas que logo foram apertadas por LB. — Ei, pare com isso! — Massageou suas maças do rosto após a outra as soltar.

 

— Tente se divertir esse final de semana, ok? — O olhar de LB deixava nítida uma sinceridade que a morena jamais havia visto, o que era raro, vindo da outra de cabelos curtos que normalmente sempre fora muito fria e até mesmo arrogante. Katarina concordou com a outra, assentindo positivamente.

 

— Vou tentar. — Sorriu tímida, o que não era normal para si.

 

A aula de história acabou por se tornar aula vaga após o anúncio da falta do professor, Ahri já desconfiava que ele não viria e por isso não tardou em sair da sala após a inspetora Illaoi permitir com que a sala ficasse no extenso pátio da escola. Porém, o que ela achou que seria um ótimo tempo para colocar seus pensamentos em ordem, foi totalmente o contrário ao ver a pessoa a qual bagunçava sua mente, seu corpo e seus sentimentos.

 

Mais ao longe, os olhos amarelados da jovem conseguiram captar com nitidez e clareza a dona do sorriso mais angelical que já vira em sua vida, aquela que com apenas um simples olhar já a fazia perder o chão, a dona dos cabelos azulados presos em maria chiquinhas que a faziam ter ainda mais o ar angelical e inocente.

 

Sona, o nome da criatura a qual Ahri estava apaixonada. Sona, o nome da pessoa que atiçava os instintos mais íntimos, a pessoa que mexia completamente com a heterossexualidade que Ahri julgava possuir até pouco tempo atrás.

 

— Você poderia ser mais discreta. — Saiu de seu transe ao ouvir a voz de Vi ao seu lado, outra garota de sua sala. — Sona é esperta o suficiente para perceber que está sendo praticamente comida pelos olhos. — Riu.

 

— Ora… — Deixou-se corar com o comentário da maior de cabelos rosados, que ao ver a reação inesperada da morena, permitiu-se a rir ainda mais, com um tom de deboche.

 

— Quem diria, uh? Você apaixonada por outra garota, essa é nova. — Vi parecia disposta a tirar a morena do sério, o que na verdade não estava dando certo, visto que só a deixava mais constrangida. — Eu fico surpresa com isso, agora falando sério.

 

— Como assim? — Questionou-a, virando-se lentamente para fitar a rosada. 

 

— Ahri, você era uma das primeiras a me zoar quando me assumi lésbica. — O olhar pesado da outra fez com que um sentimento de culpa tomasse conta da garota. — Quando eu e Cait começamos a namorar, você e sua trupe foram as primeiras a mexer com a gente, não se lembra?

 

— N-Não… — Mentiu, na verdade ela se lembrava sim, daqueles tempos onde sempre que podia, estava no pé do casal, irritando-as com comentários homofóbicos e pesados demais. Se estava arrependida de seus atos passados? Com certeza, mas seu orgulho não permitia que se desculpasse, não mesmo.

 

— Não vale a pena relembrar o passado, ainda mais com você. — As últimas palavras foram pesadas para Ahri. — Eu só quero te dizer uma coisa: amar é uma coisa maravilhosa, quando você ama, independente do que está acontecendo, não pode deixar com que nada interfira nesse amor. Eu e Cait passamos por muitas situações constrangedoras quando nos assumimos, tivemos que lutar muito para sermos respeitadas hoje nesse colégio, tivemos que ultrapassar a "autoridade" de muita gente, inclusive a sua, para ficarmos juntas. E eu não sou de guardar roncor de ninguém, além da Jinx, eu sei que no fundo você não é uma pessoa ruim, Ahri, sei que você só quer ser aceita, de alguma forma, pelas pessoas mesmo fazendo coisas erradas. Enfim, não deixe de correr atrás disso que você tá sentindo, as vezes você pode quebrar a cara, mas outras pode valer a pena o tempo perdido e o esforço. Não tenha medo de ser você mesma.

 

Vi saiu do lado de Ahri, deixando-a pensativa diante das palavras sábias que a rosada proferiu consigo e concordava com todas. Ela era uma tremenda babaca, agindo de forma esnobe e usando as pessoas para conseguir um status alto no colégio, se juntava com Katarina e LeBlanc para azucrinar a vida de Vi e Cait após o começo do namoro de ambas, arrependia-se bastante disso.

 

Antes, Ahri era uma jovem decidida, esperta, gentil e simpática, todavia, quando começou a andar com Kat, LB e seus outros amigos do Clube Noxus, tornou-se uma pessoa ruim, preconceituosa e que fazia tudo por status e popularidade, mexia com todos e agia de forma ridícula – ao seu ver hoje – apenas para parecer legal para os amigos. Nunca foi de se intimidar, usava seu charme para atrair as pessoas e seus dons de sedução para que as pessoas permanecessem ao seu lado, o que funcionava, pena que nem todos caiam aos seus pés.

 

Com a popularidade, novos “amigos” e status dentro do colégio, ela também acabou conseguindo alguns inimigos. O Clube de Ionia e alguns do Clube de Demacia acabaram por não simpatizar com a morena e se colocarem contra ela logo no começo. Por seu temperamento esnobe e arrogante; Irelia, Shen, Akali, Lulu, Tristana e principalmente Yasuo foram os que mais se colocaram contra ela, pois a conheciam antes de se tornar alguém tão desprezível e hoje, querendo ou não, ela sente falta de seus antigos amigos.

 

Todavia, sair do Clube Noxus era uma tarefa extremamente difícil, a prova viva disso era Riven, uma ex aluna do colégio Summoner's Rift School que fazia parte deste Clube e só conseguiu sair do mesmo após sumir da cidade e ir para a cidade vizinha, já que houve uma perseguição extrema da parte dos integrantes do Clube. Hoje, ela vive tranquilamente na cidade vizinha, tendo sua vida e apesar de tudo, frequentemente visitando League – nome da cidade – devido ao seu relacionamento com Yasuo.

 

Saindo de seus devaneios sobre o passado e como ela mesma havia mudado por fundamentos tão fúteis, Ahri se colocou a andar até o banco mais próximo, sentou-se em um a qual poderia ter uma visão privilegiada da pessoa amada, um sorriso discreto se fez presente em sua face, mas não durou muito notar a presença de algumas pessoas que ela conhecia bem se aproximando de si.

 

— Ahri, o que faz sentada sozinha aí? — A voz grossa de Draven chamou a atenção não só da morena, mas também de algumas outras pessoas. Draven era escandaloso, o típico cara que fazia de tudo para ser o centro das atenções, mesmo que para isso precisasse humilhar alguém. — Tá um sol desgraçado aqui.

 

— A brisa está refrescante, apesar do sol. — Respondeu, encarando-o.

 

— Eu estou cansado. — Murmurou Darius, este era mais silencioso, irmão de Draven, mas tinha quase o mesmo gênio do mais novo. Competitivo e esnobe. — Treinei demais essa semana, só espero que esse jogo que chegará não seja tão fácil assim, gosto de um desafio.

 

— Você adora é estraçalhar as pessoas no basquete, Darius. — Corrigiu Katarina. — Ainda me pergunto se aqueles caras estão bem hoje, depois do último jogo que você quase mandou um deles pro hospital.

 

— Ah, sabe como é, quando você é bom, acaba fazendo isso sem querer. — Um sorriso maldoso se fez presente nos lábios do outro.

 

— Aham, sem querer, sei. — LB revirou os olhos, sentando-se ao lado de Ahri que observava tudo, cruzou as pernas e disse.

 

— Está melhor, Ahri? — Perguntou baixo, para que os outros três que estavam conversando entre si não ouvissem.

 

— Estou sim, obrigada. — Sorriu. — Eu realmente queria estar em casa agora.

 

— Perdi as contas das vezes que você falou isso hoje. — Arqueou o cenho. — Mas tá um saco mesmo. Acho que vou na biblioteca encher o saco do Swain.

 

— Você parece gostar mesmo dele. — A fitou de soslaio. — Vive com ele quando não está com a gente.

 

— É, podemos dizer que nós temos um pequeno caso, mas não saia por aí espalhando. — O olhar que a de cabelos curtos lançou para Ahri já foi o suficiente para que ela entendesse que aquilo era de longe um pedido, mas sim uma ordem.

 

— Não esquenta, minha boca é um túmulo. — Brincou.

 

— Mas e você? Está distante, está gostando de alguém? — Aquela pergunta pegou a garota de surpresa e bem desprevenida. — Não precisa ter vergonha de dizer, quem é o sortudo da vez? — Riu a outra.

 

— Não! Quer dizer, não estou gostando de ninguém, pra falar a verdade. — Mentiu na cara dura. Nunca que iria revelar seus sentimentos para alguém como LeBlanc, ainda mais conhecendo-a do jeito que conhece e sabendo que seria mil vezes pior caso ela descobrisse sobre o amor que a morena sentia por Sona.

 

— Faz tempo que você não fica com ninguém, Ahri. Deveria providenciar uma companhia, sabia? Posso te ajudar nisso. — LB deu uma ombrada em Ahri, já denunciando suas segundas intenções. — Talon parece alguém legal, é bonito, tem o seu charme.

 

— Não! Nunca nos falamos e ele parece ser frio demais. — Fitou-a com os olhos arregalados, vendo a outra rir divertida.

 

— Não seja tão exigente. Que tal… o Jhin? Nunca falei com ele, mas deve ser uma pessoa boa pra você. — Ahri negou. — Zed?

 

— Zed já namora. — Franziu o cenho.

 

— Hnnn… Viktor? — Apontou discretamente para o rapaz encapuzado no banco do outro lado do pátio, parecia concentrado em mexer com as peças de metal sobre a mesa.

 

— Não, definitivamente não. — Agora foi a vez de Ahri revirar os olhos. — Acho que eu descobrirei alguém na hora certa, não estou no momento de namorar ou ter companhias, talvez ficar, mas deixo pra fazer isso nas baladinhas.

 

— Você é, de fato, muito exigente. — LB bocejou. — Nunca vou entender o seu gosto para namorados, parece que nenhum é o suficiente. — Fez um bico.

 

— É difícil achar alguém que me interesse. — Nesse momento, seu olhar fora diretamente para a azulada no outro lado do pátio, que fazia alguns exercícios de educação física junto de seus colegas, Lux e Lee Sin.

 

Suspirou, cansada psicologicamente. Deu a desculpa de que iria ao banheiro e saiu de perto dos colegas de clube, indo em direção ao toalete, adentrando em qualquer cabine e sentando-se sobre o vaso tampado, precisava de um tempo sozinha para pensar, precisava colocar tudo em ordem, mas quem disse que conseguia?

 

Um dos defeitos da morena era sua péssima falta de controle emocional. Desde muito pequena fora sempre muito emotiva, era facilmente influenciada por sentimentos que tentava esconder, mas nunca conseguia. Desde jovem, era usada por muitos e devido a isso, hoje era ela que usava as pessoas.

 

Porém, o seu antigo eu estava começando a voltar, seus sentimentos estavam começando a se manifestarem da maneira errada e pela pessoa errada e ela não sabia o que fazer. Amar uma garota que quase nunca falou na vida, depois de momentos onde ela mesma crucificava pessoas que tinham relações com outras do mesmo sexo, que irônico, não? O mundo da volta, agora ela sabia que muitas vezes as voltas poderiam ser cruéis.

 

Estava divagando ali, quando ouviu vozes adentrarem ao banheiro. Conhecia essas vozes, quer dizer, aquela voz, era Lux. Irmã do líder do Clube de Demacia, não a conhecia muito, mas sabia que ela era a melhor amiga de Sona e se ela estava ali, significava que Sona também estaria.

 

Pela fresta da porta da cabine, pode observar as duas ali, e estava certa, Lux e Sona estavam ali conversando entre si, enquanto limpavam o suor de seus rostos. Ahri permitiu-se suspirar baixo ao ver o jeito pecaminosamente inocente a qual a azulada limpava as gotículas de suor que escorriam pelo seu rosto até seu pescoço descoberto, mordeu o lábio inferior e deu um sorriso nada casto ao continuar a observar a outra.

 

— É muito chato fazer esses exercícios, mas até que vale a pena. — Comentou Lux, que fez uma careta descontente. — Mas sério, é nojento ter que ficar suada, eca.

 

— “É divertido, ainda mais quando o Lee nos ajuda.” — A azulada gesticulou com as mãos, devido a um acontecimento passado, quando criança, acabou por perder a voz e comunicar-se através de libras, o que era complicado, pois nem todo mundo sabia o significado dos sinais e gestos que a mesma fazia. Lux era uma das poucas na escola que sabia libras, pois desde pequena é envolvida em serviços voluntários e ensinava história para crianças com deficiência, então entendia o que Sona “dizia”. — “Eu queria poder ser tão boa em esportes quanto ele.”

 

— Ah, verdade. — Lux jogou os papéis que usara para limpar o suor no lixo, logo, lavou o rosto. — Ele é ótimo em qualquer esporte, mas vamos ser francas, não esperava menos do Lee Sin, o cara pratica tudo que é esporte mesmo sendo cego e ainda é bom em grande maioria! Eu fico muito honrada em ser amiga dele.

 

— “Lee é um ótimo exemplo de superação.” — Sorriu gentil. — “E é uma ótima pessoa, fico feliz em poder ser amiga dele também.”

 

— As pessoas deveriam levar mais em consideração o caráter dos outros invés da aparência. — Bufou a loira em descontentamento, pegando outros papéis e enxugando o rosto novamente. — Deveriam ser mais bondosas também, não como aqueles estrupícios do Noxus, cara, como eles são insuportáveis!

 

— “Ah, eu queria poder negar, mas… É complicado rebater algo que é verdade.” — Assentiu a jovem azulada, enquanto Ahri tentava usar sua memória para entender o que cada sinal de libras significava. Ela havia feito questão de aprender alguns sinais por causa da outra, todavia, era difícil, então só sabia poucas coisas e olhe lá. — “Fico triste em saber que Yasuo ainda está triste por causa da Ahri."

 

— Yasuo deveria parar de ser idiota, Ahri fez a escolha dela em entrar pro Noxus, ele deveria esquecer isso e viver a vida dele. — Suspirou a loira. — Eu não a conheço, mas todos diziam que ela era uma boa pessoa, gentil e simpática, mas depois que começou a andar com aquele povinho, se tornou um nojo igual a Katarina e LeBlanc.

 

— “Yasuo me contou muitas coisas sobre ela, desde quando ela era criança, já que são amigos desde pequenos, até um pouco antes dela ir pro Noxus. Eu queria poder ter tido a oportunidade de conhecê-la.” — O rosto dela ficou corado e Lux sorriu divertida.

 

— Você queria conhecer a Ahri ou pegar ela? — Lux riu da maneira como Sona arregalou os olhos e ficou ainda mais corada com a frase da amiga. — Sona, você não me engana, sei que por trás dessa carinha de anjo, há uma garota bem sem vergonha!

 

Sona ficou tão envergonhada que acabou rindo de desespero, Lux acabou tendo um ataque de risos quando viu a amiga começar a tossir ao engasgar-se com a própria saliva. Enquanto isso, Ahri sentia seu coração bater tão forte que se ficassem em silêncio, provavelmente poderia ser facilmente escutado. Ora! A garota pela qual ela era apaixonada havia dito algo sobre si, afinal! E mesmo sem saber o que a mesma havia dito, só pela frase da loira, podia jurar que era algo romântico sobre si.

 

Assim que as duas saíram do banheiro, Ahri sentou-se novamente no vaso e ficou refletindo sobre o ocorrido ali. Porra! Seu sorriso estava tão grande que ela julgou nunca ter sorriso daquela maneira antes, seu coração batia forte, e tudo isso apenas por uma frase notavelmente pervertida de Lux a seu respeito, mas que no fim não significava nada disso para a morena que já criava expectativas sobre tudo ali.

 

Mas logo sua mente fora nublada por pensamentos ruins.

 

O que Sona havia dito para Lux? Mesmo que tal coisa fizesse a loira soltar aquilo, que alegrou o dia da morena, ainda sim a fez ficar curiosa pelo que foi dito.

 

Sona era lésbica? Ou então bissexual?

 

Ela mesma era lésbica ou bissexual?

 

Que merda estava acontecendo?!

 


Notas Finais


HEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEY.
Oi, gente. q Minha fic de League, faz tempo que queria fazer uma fanfic do jogo, mas não tive coragem, só agora consegui algo pra me inspirar e fazer uma fanfic do meu shipp preferido, Sona e Ahri. <3
Como elas são minhas duas mains, isso torna o amor ainda mais forte pelo shipp. USAHUASAHSU
A fic pode parecer meio repentina, mas eu irei explicar mais sobre os personagens, colocar alguns flashbacks ao longo dos outros capítulos. <3 E se bem que eu também não pretendo deixar a fic muuuito longa.

Obs: Eu fiquei com preguiça de colocar todos os champs ali nas informações da história, então vou ir colocando quando der. UHSAUHUAS q

Espero que tenham gostado, invocadores. <3
Nos vemos depois. <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...