História Se eu Fosse Você (Ezarel) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Eldarya
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Charlotte, Ezarel, Iris, Jamon, Kentin, Keroshane, Leiftan, Li, Lysandre, Melody, Miiko, Nathaniel, Nevra, Peggy, Rosalya, Valkyon
Tags Diana, Eldarya, Ezarel, Magia, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 84
Palavras 1.252
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem! 💗

Capítulo 11 - Vingança Por Feitos do Passado


Fanfic / Fanfiction Se eu Fosse Você (Ezarel) - Capítulo 11 - Vingança Por Feitos do Passado

 

Pov. Ezarel

Após vários minutos, que pareciam intermináveis, diante daquele guarda-roupa, finalmente fui para a sala do Crystal. Diana já estava lá, e, pela cara, parecia impaciente.

-- Poxa, até que enfim! Estava cogitando ir lá naquele quarto de novo pra te buscar! -- resmungou ela.

-- No estado que estão agora, Diana, você precisa ter paciência com o Ezarel. Ele agora é uma "mulher" e necessita de mais tempo para se aprontar... Hihihi... -- falou Miiko, segurando-se para não soltar mais do que esse pequeno risinho.

-- Me erra, tá Miiko! -- respondi, indignado.

-- Bem... De qualquer forma, temos uns assuntos a tratar e... -- começou a kitsune.

-- Tá, tá! Só vai mais rápido! Ainda preciso ficar o dia todo dentro do laboratório! -- disse Diana, com uma cara de impaciência e tédio.

-- CALADA, HUMANA!!! -- retrucou Miiko, irritada, mas também satisfeita por finalmente conseguir diferenciar-nos, mesmo em corpos diferentes.

Ela acendeu uma daquelas bolas de fogo azuis e bateu o enorme cetro que levava consigo nas mãos no chão, fazendo um barulhão. Essa realmente foi uma pancada. Ficamos quietos e apuramos os ouvidos para escutar. Não que eu achasse que fosse algo interessante, porém a kitsune furiosa não era um bom presságio.

-- Bom, voltando ao assunto... Já devem estar sabendo do baile que vai ocorrer aqui no Quartel General. -- ela ergueu uma sobrancelha na direção de Diana, como se esperasse ela confirmar que deixou-me a par do assunto. Ela assentiu. -- Certo. Agora... Acho que tenho uma notícia boa para dar aos dois, e tenho certeza que irão me agradecer por isso. Kero...

O Keroshane saiu de detrás do grande crystal, localizado no centro da sala, e veio com dois recipientes cheios de um líquido âmbar, que borbulhava e espumava (parecia cerveja kkkkk). Logo nos entregou, um para cada um, e portou-se ao lado da kitsune.

-- Ahn... E o que é isso...? -- indaguei, um pouco receoso com tudo. Não tinha mais tanta confiança em Miiko depois do que fizera.

-- No momento... A salvação e a melhor coisa que já aconteceu na vida de vocês... Poção reversa. -- declarou a líder da guarda Reluzente.

-- OUTRA POÇÃO?!!! AH, SUA IMPRESTÁVEL!!! NOVAMENTE VOCÊ ATIVOU ESSA NOIA DE PUNIR OS OUTROS COM MAGIA OU POÇÕES??? E O QUE FIZEMOS AGORA? ARROMBAMENTO DE CASAS??? SUPRIMENTOS ROUBADOS TALVEZ??? -- berrei furioso e continuei: -- POIS MIIKO, EU QUERO QUE SAIBA QUE NÓS NÃO IREMOS BEBER ESSA POÇÃO E PIORAR A SITUA... Pera aí, você disse... Poção reversa?

-- Ai, ai... É o que estou tentando dizer, elfo barulhento! É uma poção para o benefício de vocês. -- respondeu ela.

-- En-Então quer dizer que saímos do castigo ou punição... Ah, sei lá, não importa! Mas enfim... Está nos liberando? -- perguntou Diana.

Miiko riu com vontade, o que não era comum de vê-la fazendo, levando em conta que uma líder da guarda reluzente deveria ser séria. Kero contentou-se apenas em formar um sorriso singelo em seu rosto.

-- Claro que não! Humana tola e ingênua! Todos aqui, exceto você, bem sabem que uma punição determinada por mim não passa tão veloz! -- sorriu simplesmente e com um ar superior. -- Essas pequenas doses do antídoto servirão para os dois retornarem aos seus corpos por apenas algumas horas. E, aliás, esqueçam o que falei agora pouco. Agradeçam por isso ao Kero, a ideia foi dele. -- Miiko suspirou. -- Nunca a palavra "liberar" sairia tão rápido assim da minha boca.

-- KERO??? -- falamos eu e Diana em coro. 

-- Pois é. O Keroshane teve a "brilhante" ideia de deixar seus espíritos retornarem para seus devidos corpos... Temporariamente. -- enfatizou a última palavra.

-- COMO??? -- e de novo falamos ao mesmo tempo. 

-- Hahahaha... Tiraram o dia para ficarem surpresos com coisas óbvias? Você nem tanto, Diana. Agora... Ezarel? Eu achei que, após anos vivendo no QG, minha casa também, conheceria-me mais. Entretanto... Vejo que me enganei bastante com você! -- falou a kitsune. -- Obviamente eu nunca concordaria com uma coisa dessas sem fazer exigências também. E, visto que, durante esses três looongos dias de silêncio e calmaria da parte dos dois, ficaram quietos e sem brigarem... Acabei aceitando soltar as rédeas um pouquinho, para variar.

Depois que concluiu a fala, Miiko fez sinal para que ingeríssemos o líquido. Eu olhei para Diana, e ela para mim. Era tudo o que mais queríamos no mundo: voltar ao normal, nem que fosse apenas por pouquíssimo tempo. Assim, bebemos o parcial antídoto âmbar e, num piscar de olhos, apagamos.

[...]

Despertei, ainda no chão da sala do Crystal, ao lado de Diana. Pisquei algumas vezes e olhei para minhas mãos, como se tentasse me certificar de que não estava sonhando. Levei as duas mãos a cabeça e sacudi o cabelo. Senti uma finíssima dor quando arranquei um fio de cabelo de cor... Azul... SIM!!! Voltara ao normal! 

-- Até que enfim! Finalmente...! Por algumas horas, poderei voltar ao que era... Antes. -- dei uma pausa na fala e olhei para o lado direito, onde a garoto ainda não despertara. Dei um simples sorriso e prossegui: --... E você... Voltou a ser aquela garota... Eh... Chatinha. -- não resisti e acabei acariciando sua bochecha rosada. Ela era tão delicada. E tão melhor sendo ela em seu corpo (hahaha...).

JURA??? VOCÊ IA MESMO DIZER "GAROTA LINDA"??? AH, VAMOS... VOLTE AO NORMAL, EZ!!! SE VOLTOU AO SEU CORPO, TAMBÉM DEVE TRAZER DE VOLTA SEUS PRESSENTIMENTOS SOBRE ESSA HUMANA IMBECIL!!!

Levantei e deixei o local. Tinha uma coisa que estava martelando na minha cabeça desde de manhã cedo. Eu precisava parar de querer ver essa mera humana como outros olhos, ou seja, precisava acertar no eixo, no centro de controle que me fazia ter pensamentos não recomendados para mim -- um elfo extremamente poderoso, por ser líder de uma guarda, e, também, por ter uma namorada. --, acerca dessa garota.

Andei pelo QG à procura da pessoa que eu mais "precisava" ver naquela hora. O achei, atrás da enorme árvore do jardim do Quartel General, aos beijos -- poderia descrever esse momento como... Quente. -- com uma menina da sua própria guarda (Guada Sombra). Rumei até ele determinado. Chegando perto, o empurrei violentamente no chão.

-- Vaza daqui garota! -- falei para a menina, que parecia assustada e confusa com o recente acontecimento. Ela deixou a área rapidamente.

-- Ei... O que é isso Ez? -- Nevra se levantou, confuso com minha ação.

Peguei um pouco de pó da árvore Vídiã que guardava na pochete, que sempre estava comigo (Autoura: ou seja, bolsa de todas as horas kkkkk), e atirei, de uma vez, em seu rosto. Ele se contorceu bastante e caiu no chão, e, devo admitir, adorei ver isso.

-- VINGANÇA!!! -- falei.

-- Pelo quê??? -- inquiriu ele, totalmente desnorteado. Ignorei a pergunta. 

-- Pronto! Agora sim isso paga pelo que você fez!!! -- disse, irritado por recordar o que aquele vampirinho fizera a Diana, mas extremamente satisfeito pelo cara de dor e desconforto que se via em sua face.

--... Ai... Ez, seu idiota! Quando? -- sério? Ele ainda tinha a cara de pau de perguntar "quando"?

- No passado! -- falei e depois o deixei ali, no chão, tentando se recompor e revidar.

Saí dali e fui direto para o meu lugar de trabalho. Assim que atravessei as portas do laboratório de química e as fechei, declarei:

-- Ufa... Agora sim eu vinguei a humana! Posso finalmente esquecê-la.

 

 

 

 

 


Notas Finais


Até a próxima! 👋😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...