História Se reencontrando no amor | Yoonmin (BTS) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Kim Nam-joon / Rap Monster
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Namjin, Romance, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 58
Palavras 712
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Música recomendada para esse capítulo "Never Mind - Bangtan Boys_Min Yoongi (Suga) feat Jung Hoseok (J-Hope) and Kim Namjoon (Rap Monster).
Boa leitura...

Capítulo 7 - Never Mind


Fanfic / Fanfiction Se reencontrando no amor 	| Yoonmin (BTS) - Capítulo 7 - Never Mind

O trem fazia seu caminho de Daegu para Seul, olhava pela janela a paisagem correr deixando para trás tudo aquilo que tinha me acontecido.

Na área que me encontro não havia muitas pessoas, mas possuia o bastante para formar um pequeno barulho ao fundo onde se concentrava um número elevado de jovem adolescentes.

Levanto-me e ando para um banco um pouco mais a frente, sento e logo coloco meus fones de ouvido começando a ouvir alguns rapper que eu aprecio.

...

Never Mind Never Mind

세상엔 니가 어썰 수 없는 일도 많아

You better

Never Mind Never Mind

부딪힐 것 같으면 더 세게 밟아 임마

Never Mind Never Mind

- Licença - escuto ao fundo uma voz fina.

Olho para o lado me deparando com uma garota no seu máximo quinze anos parada ali ao meu lado e com a cabeça abaixada, provavelmente envergonhada ou algo assim. Retiro meus fones e presto atenção nela.

- Eu... U... Vocêébonito - fala rapidamente e baixo, quase impossível de ser ouvido.

- Você também é - tompo minha cabeça para o lado - sente-se aqui - assim é feito, logo ela está sentada ao meu lado - não deveria fazer isso - sussurro no seu ouvido com uma de minhas mãos em seu rosto.

Quem olhasse iria ter uma impressão que eu estava mordendo seu pescoço.

- Isso o que?

Afasto-me um pouco dela e a faço olhar para mim ainda com o rosto quase colados a fazendo olhar para qualquer canto menos para mim, para meu rosto.

- Eles não são seus amigos - sussurro - se fossem de verdade, eles não a mandava vir até aqui para ver se conseguia algo comigo - olho para o grupinho de adolescentes que ria e sussurrava entre si - coloque suas mãos na minha perna.

- Co... Como?

- Coloque suas mãos na minha perna, se você quer fazer isso - pauso chegando mais perto - vamos fazer direito.

Receosa ela deposita uma de suas mãos na minha perna, quase em meu membro o que me fez abrir levemente minha boca pronto para repreende-lá, mas não foi preciso, logo ela dessa sua mão como se estivesse alisando minha perna.

- Bom trabalho - sorrio - agora só faz me segue - e que Deus me ajude.

Suspiro e com um inclinar eu encosto nossos lábios levemente a pegando de surpresa, movimento levemente meus lábios contra o seu a obrigando me seguir.

Durante o beijo todo eu sentia que ela não queria assim como eu, sentia também que ela estava com um certo nojo, mas em nenhum momento me afastou, pelo contrário sinto suas mãos sobirem para meus fios de cabelos os puxando levemente.

- Desculpe - falo quando nós nos separamos.

- Eu... Isso...

- Você é lesbica.

- Como sabe disso? - me pergunta surpresa.

- Oras um gay sabe identificar essas coisas - rio levemente - e você aparentava nojo enquanto me beijava.

A garota a minha frente abaixa novamente sua cabeça rindo pelo nervosismo, mas logo me olha novamente com um semblante sério e preocupado.

- Eles não sabem, mas vivem me zuando por não ficar com nenhum menino - suspira - eles falaram que se eu não ficasse com você, bem que for um selinho eles não iriam mais falar comigo.

- Não importa o que eles dizem, o que todos iram de pensar de você - acarecio suas bochechas - você tem que se amar mandar um foda-se para o que os outros pensam ou deixam de pensar.

- Não é tão simples assim.

- Nunca é. Você acha que quando eu me revelei ao mundo eu fui bem aceito? Não, obviamente que não, mas eu não abaixei minha cabeça em nenhum momento - a puxo para um abraço - e você não irá descistir, certo?

- Não irei...

- Suga, me chame de Suga.

- Não irei Suga - me olha e logo um sorriso iluminado aparece no seu rosto e em movimento rapido ela me dá um selinho casto - eu sou Rahna.

- Prazer Rahna.

Não sei o que havia me dado, mas naquele momento eu sentia que precisava dela e ela de mim.

Durante o restante da viajem nos ficamos juntos, trocávamos palavras e ate mesmo carícias e alguns beijos extremamente quente.

Naquele dia eu me descobri novamente, eu não era somente gay, mas sim bissexual.

Naquele dia Rahna foi minha alegria, alegria até a hora de nos despedimos e ter certeza que nunca mais iremos nos ver.


Notas Finais


Beijinhos de biscoito...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...