História Search - Capítulo 6


Escrita por: ~

Exibições 91
Palavras 2.022
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Heyyyyy!!!!!! Estou aqui quase no prazo certo, me deem um desconto, por favor. Enfim, acho que esse é o melhor capitulo que já escrevi até agora, estou muito animada com ele. Beijos e boa leitura 🌸

Capítulo 6 - Capitulo 5


Eu saí daquele escritório antes do Sr. Stark, meu pai, tanto faz!

Quando cheguei na sala estavam todos ali. 

-E então? Como foi? -Wanda perguntou. 

-Melhor do que eu esperava. -Dei de ombros. 

-Isso quer dizer que...? 

-Eu estou bem, sério. -Sorri. -Mas eu preciso tomar ar. 

Fui até a cobertura da torre, de lá eu podia ver quase Nova York inteira. 

Fiquei um bom tempo sentada no chão, respirando fundo, meditando, um pouco perdida na verdade, mas eu iria me acostumar. 

Meus pensamentos foram interrompidos pelo Sr... meu pai (isso é muito estranho) senti ele se aproximar. 

-Já está com as malas prontas, docinho? 

-Malas? Pra que? 

-Quero você na Mansão Stark, é claro! 

-Como assim? 

-Não achou que eu iria deixar minha filha aqui enquanto ela poderia estar lá comigo né? 

-Ahn...

-Me senti ofendido, apesar de tudo, eu sou seu pai. 

-Mas... 

-Tá esperando o que docinho? Vai fazer suas malas! 

-Obrigada Sr. Stark! 

-Se me chamar de Sr. Stark de novo vou te deixar aqui. 

-Pai. -Acabei abrindo um sorriso. 

Fui até meu quarto para arrumar minhas coisas. Eu estava quase terminando quando ouvi alguém entrando, pensei ser Nath, mas não era. 

-Olá, Rogers. 

-Olá, Stark. 

-Vou ter que me acostumar com isso né? 

-Vai sim. -Ele sorriu e acabei dando um sorriso também. -Você conhece o Peter a muito tempo, não é? 

-Desde quando éramos crianças, por quê? 

-Gosto dele, é um garoto bom. 

-Ele é uma pessoa ótima. -Sorri ao me lembrar dele. -É uma pena que as pessoas não vejam isso. 

-Eu também era do Queens. 

-Isso cem anos atrás? 

-Você por acaso está me chamando de velho? 

-É complicado. -Sorri. 

-Docinho, anda logo, não quero deixar a imprensa esperando! -Ouvi o Sr... meu pai, falar. 

-Imprensa?

-Anda, Stark, não quer deixar seu pai esperando né? 

-Não, definitivamente não quero. 

-Vejo você em breve, Cassandra Stark. 

-Eu sempre serei uma Price, Rogers. -Peguei minhas malas e sai do quarto. 

Consegui dar tchau para todos, eu estava animada e hesitante ao mesmo tempo com essa história de ser uma Stark, eu trabalhava na CIA, não era exposta a mídia.

Depois de algum tempo chegamos na Mansão Stark, era maior do que eu imaginava. 

-O seu quarto é o último do corredor da direita e o banheiro, tem vários. -Ele deu de ombros. 

No fim, acabei encontrando meu quarto com facilidade. A Mansão Stark era mais arejada do que a torre, eu me sentia mais confortável ali. 

Ouvi meu celular tocar, era uma mensagem de Peter. 

~Mensagens on~

Peter: Como vai a nova Stark? 

Cassie: Como você sabe? 

Peter: O Sr. Stark me contou.

Cassie: Desde quando você tem intimidade com ele?

Peter: Longa história.

Cassie: Sabe que vai ter que me contar isso, não é?

Peter: Não agora, Cassie, não agora.

~Mensagens off~ 

Achei aquilo estranho, mas resolvi deixar pra lá.

Depois de arrumar todas as minhas coisas e deixar aquele quarto meio sem graça com um toque mais ~Cassie~, fui até o andar de baixo da Mansão Stark, mas o que eu vi lá quase me fez cair para trás. 

O Sr. Stark, meu pai, vou demorar a me acostumar, estava dando um entrevista para a TV, decidi espiar escondida, algo me dizia que o motivo daquela entrevista era eu. 

-Bem, depois de 20 anos sem notícia alguma de uma namorada minha de quando eu era mais jovem, nesses últimos dias acabou aparecendo em minha vida uma incógnita -Uma incógnita? Era assim que ele se referia a própria filha? Uma incógnita? -O nome dela era Meredith. Tivemos um relacionamento rápido mas nesses últimos dias, descobri a existência de uma garota, filha de Meredith, minha filha. 

A imprensa toda pareceu chocada com a revelação, e no mesmo momento pensei em meu trabalho, aquilo arruinaria a minha carreira como agente na CIA. 

A regra básica de quando você começa a trabalhar lá é: mantenha segredo. 

As únicas pessoas que poderiam saber que eu trabalhava lá eram meu pais, uma coisa que eu não tinha até agora. Você poderia contar que trabalhava na CIA, mas nunca, em hipótese alguma, qual sua área, e você também não poderia se expor demais em redes sociais e essas coisas. Eu não tinha nenhuma delas, apenas um Twitter anônimo para saber o que acontecia ao redor do mundo, era até bom. 

Se o S...meu pai revelasse quem eu era, eu poderia dar adeus ao meu emprego, apesar de tudo aquilo resolvi voltar a prestar atenção. 

-Não vou revelar sua identidade, tudo o que ela quer nesse instante é privacidade, ela quer pensar um pouco sobre tudo, vamos dar tempo a ela e as suas necessidades. 

Ele fez um sinal para que a entrevista terminasse. Então ele começou a falar com os jornalistas com tudo desligado, apenas como se fossem grandes amigos. Decidi que o que eles conversavam não era importante para mim e decidi voltar para o andar de cima. 

Aquela casa era tão grande que eu poderia me perder ali dentro, quando cheguei na porta do meu quarto decidi dar mais uma explorada, eu teria bastante tempo para aquilo mas eu estava tão animada! 

Subi uma outra escada ao que parecia ser uma espécie de terceiro andar. Na verdade, esse terceiro andar era apenas um corredor, e no final dele, tinha uma porta, a única ali. 

Cheguei mais perto da porta e descobri que estava trancada, não era nada que eu não pudesse abrir, mas hesitei. Alguma coisa me dizia que não era para eu entrar ali, pelo contrário, era para eu ficar o mais longe que pudesse.

Desci dali o mais rápido que eu pude. Quando terminei de descer as escadas eu estava ofegante, tive que parar para recuperar um pouco o fôlego, sentia a adrenalina dentro de mim, um sentimento que despertava quando eu estava em situações de perigo. 

Quando olhei para a frente me assustei, o meu pai estava me encarando. Endireitei meu corpo de modo que fiquei frente a frente com ele. 

-Huum...oi? -Falei. 

Eu estremeci, eu acabara de chegar lá e já estava arrumando confusão? 

-O que você viu lá em cima? 

-Uma porta, está trancada, eu não quis abrir. 

-E é bom nem tentar, aquela porta é proibida. Não quero você lá, pode ir aonde quiser nessa casa, menos lá. E o verdadeiro terceiro andar é em outra escada. -Ele apertou um botão na escada que estava ali e ela sumiu, como se tivesse sido engolida pelas paredes, então apareceu outra escada, no outro canto da sala. 

-Prometo não voltar lá de novo. 

-Ótimo. 

Me virei e fui para o meu quarto. Tudo o que havia acontecido era muito estranho, a porta, o comportamento do...meu pai, era como um quebra cabeça, mas esse tinha as peças faltando. 

Fiquei lá até a hora do jantar quando um dos tantos empregados daquela casa foram me chamar. 

Nós não jantamos na sala de jantar, jantamos na cozinha. Lá tinha um balcão de mármore na frente do fogão, ele pediu uma pizza, acho que ele realmente estava querendo retomar os 20 anos que tinha perdido. Um pouco impossível.

-E então, gostou da casa? 

-Eu adorei! -Acabei sorrindo. -É uma casa incrível, aqui não me sinto presa do jeito que eu me sentia na torre. 

-Fico mais tranquilo com você aqui do que lá. 

-Por que? 

Ele deu de ombros. 

-As únicas duas garotas daquela torre são Wanda e Nath, acha mesmo que eu iria deixar você lá? 

Senti vontade de rir, me segurei muito pra abafar a vontade de soltar uma risada. 

-Eu não acredito que estava com ciúmes de mim. 

-Claro que eu estava com ciúmes, é a minha única herdeira, e eu não confio naqueles caras quando se trata de uma garota, Ainda mais uma como você! 

-Incrivelmente perdida nos assuntos que eles falavam lá? 

-Incrivelmente bonita e inteligente, logo notei que era minha filha. 

Aquela conversa estava me fazendo não conseguir mais conter minha vontade de rir. 

-São todos meus amigos lá, apenas isso -Sorri. -Não quero um namorado agora. 

-Se fosse para escolher um, eu gosto do garoto.

-Que garoto? 

-Quem mais seria?

-Peter? -Perguntei meio incrédula. 

-Claro! Acho que talvez ele goste de você.

-Isso é impossível! Conheço ele desde quando éramos crianças! 

-Tanto faz! Mas eu gosto dele. 

Aquelas palavras pairaram no ar, fiquei pensando naquilo. Peter gostava de mim? Mais do que como apenas grandes amigos? Tudo aquilo me fez repensar em tudo. Eu amava Peter, mas não do jeito que meu pai pensava que ele gostava. 

(...) 

Acordei cedo no outro dia, queria fazer uma visita a torre, depois de tudo que aconteceu, não tive tempo de conversar com Wanda e com Nath. 

Tomei café rápido, não vi o Sr. Meu Pai naquela manhã, decidi sair sem avisar ninguém, já sou maior de idade. 

Consegui driblar a imprensa que estava acampada na frente da Mansão. 

Quando me acusaram de ser a garota Stark disse que na verdade eu era apenas a nova secretária do Sr. Stark. 

Eles me liberaram rápido e eu pude seguir meu caminho até a torre 

Quando cheguei lá, quem me recebeu foi o Rogers, fiquei meio surpresa, eu não esperava que ele estaria lá nessa hora da manhã. Pensei que talvez ele estaria em algum outro lugar, fazendo qualquer outra coisa. 

-Stark? O que está fazendo aqui? -Ele parecia tão surpreso quanto eu. 

-É Cassie. -Falei em um tom um pouco mais rude do que eu queria 

Ele deu um sorriso meio irônico, típico dele, mas depois deu um sorriso sincero ao ver que eu usava a pulseira que ele havia me dado. 

-Parece que gostou mesmo do presente. 

Logo me peguei sorrindo. 

-Claro que eu gostei, eu sou completamente apaixonada por lobos! 

-Quero que seja mais útil do que as proteções. 

-Eu de coração espero que seja. -Senti um sorriso meio bobo no meu rosto, e então voltei a mim. -Tem mais alguém aí? 

-Desculpe arruinar sua visita mas só eu e Sam estamos aqui. 

-E só porque agora sou uma Stark eu não posso mais entrar? 

-Claro que pode.

Entrei na torre e vi Sam sentado no sofá. 

-Sam! -Chamei. Ele se levantou e olhou para mim. 

-Cassie? O que você está fazendo aqui? 

-Apenas vim fazer uma visita.

-Fazem tipo, 24 horas que você foi embora e já está com saudade de nós? 

-Durante esses últimos dias vocês foram muito gentis, então, sim, eu estava com saudade. -Sorri. -Onde estão os outros? 

-Fazendo alguma coisa entediante. -Ele deu de ombros. -Fica pra almoçar com a gente hoje, acho que até lá eles já chegaram. 

Decidi aceitar e ficar para o almoço. 

Me sentei em uma poltrona que tinha lá e senti alguém sentar do meu lado. 

-Você treinou ontem? 

-Acha que eu tive tempo de treinar, Rogers? -Falei com uma pontada de ironia. 

-Se fosse uma boa agente teria treinado. -Ele deu de ombros. 

-Está louquinho para apanhar de novo, não é? 

-Desta vez eu não vou apanhar, Stark. -Notei que no seu olhar, ali, silenciosamente ele estava me desafiando. 

-Ok, vamos lá. 

Quando me dei conta do que estava fazendo eu já estava na sala de treinamento, fiz um rabo de cavalo no meu cabelo para não me atrapalhar. 

-Vou pegar leve com você.

-É uma pena, porque eu não posso dizer o mesmo. -Eu avancei, era a coisa mais idiota que eu já havia feito na minha vida, mas eu sabia que estávamos apenas brincando. 

Tentei dar um chute na região de seu rosto mas ele pegou a minha perna e me jogou no chão. 

Ele ofereceu ajuda para me levantar mas eu pensei rápido, dei uma rasteira e fiz ele dar uma desequilibrada, assim consegui jogá-lo no chão. Me levantei e me aproximei dele.

-Quem vai apanhar agora? -Zombei. 

Em um movimento rápido ele me colocou no chão e ficou em cima de mim, com as mãos ele segurava meus pulsos, e suas pernas imobilizavam as minhas, eu estava sem escapatória. 

-Você tem que repensar seu conceitos. -Ele sorriu. 

Ficamos um tempo ali encarando um ao outro em silêncio, de repente uma voz feminina o quebrou.

-O que está acontecendo aqui? 

 


Notas Finais


Então, por hoje foi isso, espero que tenham gostado (espero mesmo pq esse cap é o meu fav, guardem ele com muito amor) e até o próximo cap 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...