História Search - Capítulo 8


Escrita por: ~

Exibições 101
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hii!!!! Então, eu nunca consigo postar os capitulos direito né?
Não me odeiem por isso.
Amo vcs 💓
Bjus e boa leitura 🌸

Capítulo 8 - Capitulo 7


Queria poder conversar com meu pai sobre aquilo, queria poder prender o Sr. Parker logo, queria acabar com tudo aquilo. 

Mas eu não podia. 

Eu ainda tentava processar tudo aquilo. Dinheiro não era uma desculpa muito boa para tudo o que ele fez, e o pior, Nath mencionou outros atentados, coisas além do que matou minha mãe. 

E esse homem sabia de todos os segredos de estado dos U.S.A. 

Aquilo era muito pior do que qualquer outro atentado que eu já vi, qualquer serial killer que existiu. 

A coisa que diferenciava era que: os serial killers eram procurados pela CIA e pelo FBI, mas o Sr. Parker era um dos braços direito do próprio presidente. 

Me joguei no sofá da sala principal da Mansão Stark, liguei a TV e fui assistir qualquer coisa que estivesse passando, precisava me distrair. No fim, acabei dormindo. 

(...)

Acordei com o Sr. Meu Pai me chamando. 

Ele soltou um suspiro aliviado quando acordei. 

-Confesso que você quase me assustou, docinho. 

-Dormi por quanto tempo? 

-Estou te chamando faz um 15 minutos. -Ele deu de ombros. Fiquei um pouco assustada.

-Eu estava com um pouco de dor de cabeça, aí decidi dormir. -Dei de ombros. 

-Está com fome? 

-Um pouco. 

-Quer pedir alguma coisa para comer? 

-Pode ser comida japonesa? 

-Sim. 

O nosso jantar chegou rápido, decidi ficar um tempo em silêncio quando o Sr. Meu Pai o quebrou. 

-A Pepper veio falar comigo. 

Eu ainda não tinha sido devidamente apresentada a famosa Pepper, mas eu ouvia falar muito dela.

-Sobre...?

-Você.

Fiquei levemente surpresa por causa daquilo. 

-Ela falou exatamente o que sobre mim? 

-Que é uma garota muito bonita. 

-Pai? 

-Sim?

-Você ainda ama ela? 

-Amo, Cassie. É complicado.

-Você quer protegê-la não é? 

-Quero, por isso nós não podemos...

-Agora entende porque eu não posso namorar ninguém nesse momento? 

-Te entendo melhor do que ninguém, por que tem que ser tão difícil? 

-É o nosso trabalho, infelizmente, estamos expostos a riscos toda hora. Um erro e a pessoa que mais amamos pode morrer. -Sorri triste. 

-De qualquer forma, o garoto não é indefeso. 

-Pai, ele nunca brigou na escola, quem brigava com os valentões que se metiam com a gente era sempre eu. 

-Sempre me orgulhando, essa é a minha garota. -Ele sorriu. -Falando no Queens, ficou sabendo que tem um herói por lá? 

-Eu devo ter escutado alguma coisa. É o Garoto-Aranha, não é? 

-Quase, é o Homem-Aranha. Já trabalhei com ele. 

-Ele pegou vários criminosos no Queens, eu saberia mais sobre o assunto, só que eu trabalho mais em missões internacionais. -Dei de ombros. 

-Sabe o que eu acho? Acho que você deveria ir para o Queens. 

Aquilo me pegou de surpresa. 

-Pai, o que eu vou fazer no Queens? 

-Visitar o garoto, é claro. Eu sei que você sente falta dele, o tempinho que ele ficou aqui não foi o suficiente para matar a saudade. 

-Sim, eu sinto falta dele.

-Então vai! 

-O senhor está falando sério? 

-Nunca falei tão sério na minha vida. -Ele sorriu, olhando bem, o sorriso dele se parecia um pouco com o meu. -Vai ser até bom para você, ficar longe da imprensa vai te fazer bem. 

-É, tem razão. -Eu sorri. -Mas eu vou precisar de um tempo para me organizar, pode ser? 

-Tanto faz. 

Eu estava radiante. 

-Vou ligar para ele. -Subi as escadas correndo. 

Quando cheguei no meu quarto peguei o meu celular e disquei o número de Peter rápido, ele logo meu atendeu. 

~Ligação on~ 

-Cassie? Aconteceu alguma coisa? -Ouvi a voz dele do outro lado da linha.

-Tem lugar para mais um aí?

-Wow, espera aí, do que você está falando? 

-Não me diga que vai estar muito ocupado daqui duas semanas para receber uma amiga. 

-Tá brincando né? 

-Foi o Sr. Stark que mandou. Eu quero fugir um pouco da imprensa. 

 -Você sabe que será sempre bem-vinda aqui, não é? Eu e a tia May adoramos você! 

-Obrigada, sério mesmo, muito obrigada. 

-Não precisa agradecer. 

~Ligação off~ 

Estava tudo certo, eu partiria dentro de duas semanas. 

(...)

Uma semana depois, eu decidi fazer uma visita na Torre. Eu havia falado para Nat que iria viajar, mas não tivera a oportunidade de conversar pessoalmente com ela. 

Dessa vez, eu a avisei antes que iria. 

Bati na porta e logo ela me atendeu. Abracei ela. 

Entrei e já fui direto me sentar em uma poltrona, Nat se sentou do meu lado. 

-Então quer dizer que daqui uma semana a minha garotinha vai viajar? 

-Você está igualzinha ao meu pai falando. -Ri. -Não sabia que você tinha instinto maternal. 

-Só as vezes. -Ela deu de ombros. 

-Sim, eu vou viajar, para o Queens, como eu te falei. 

-Você me disse que o motivo para ir para o Queens era fugir da imprensa. Esse é mesmo o único motivo? 

-Para ser sincera? Não. Eu também vou ver Peter, quero conversar com ele. Parece que ele e meu pai já se conheciam antes do meu aniversário. 

-Deve ser apenas impressão sua. -Ela deu de ombros. 

-Nat, eu sou uma agente da CIA, eu sei quando as pessoas estão escondendo alguma coisa. Temos coisas mais importantes para lidar, assim que eu voltar do Queens, eu quero esclarecer a história do Sr. Parker. 

-É, você tem razão. Com a imprensa rondando a Mansão, as suas saídas de lá estão limitadas, então eu mesma fui até a CIA para ver se encontrava alguma coisa. 

-E você encontrou? 

-Sim, eu encontrei. -Sua expressão era séria. -Os outros ataques que possivelmente o Parker estaria por trás, ou eram mães solteiras, ou possíveis membros da Máfia Japonesa.

-Com a minha mãe nós temos mais ou menos uma ligação, mas qual a ligação dele com mães solteiras? Ou com a Máfia Japonesa? 

-Isso está como um quebra-cabeça, precisamos solucionar isso rápido, ele não vai parar. 

-Você tem razão, enquanto eu estiver no Queens, por favor, tente conseguir mais coisas. 

-Vou pegar o máximo que eu conseguir. 

Fiquei mais um tempo ali e depois me despedi de Nat. Eu precisava voltar para a Mansão.

(...)

-Vejo você em dois dias, docinho. 

-Eu preciso ir, pai. -Sorri. -São só dois dias.

-Descanse e mande um "Oi" para o garoto por mim. 

-Tá. -Acabei soltando uma risada. 

Dei um último abraço no Sr. Meu Pai antes de entrar no trem. 

Me sentei em um banco onde apenas eu fiquei sentada a viagem inteira. 

Mais ou menos no meio do caminho, acabei adormecendo. 


Notas Finais


Por hj foi tudo, espero que tenham gostado e até o próximo cap 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...