História Seazuri Island High School - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Felipe "Febatista" Batista, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Ricardo Lisita (AmbuPlay), TazerCraft
Personagens Felipe "Febatista" Batista, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Mike, Pac, Personagens Originais, Ricardo Lisita
Tags Angel, Cellps, Jvtista, Mitw, Sobrenatural, Terror
Visualizações 18
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção Científica, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Self Inserction, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai, que saudades dessa carvalha!

Serão em média 21 ou 22 capítulos. E sim, vai demorar pra caramba.

Dizem que segundas temporadas só servem pra arruinar histórias. Vamos descobrir se isso é verdade?

Boa leitura.
Até lá embaixo.

Capítulo 1 - Prólogo - Reabrindo as portas


P.o.V. Angel

Acho que, antes de tudo, devo atualizá-los. Estamos em 2018 e não, não estamos andando em carros voadores. Mas falando sério agora... as coisas mudaram um pouco.

Nós 3 tivemos que parar de gravar vídeos para o Youtube, pois era evidênte que os inscritos logo começariam a suspeitar da ausência de Pac e Batista nos vídeos, fora o fato de que nenhum de nós estava no clima para gravar. Jv até tentou depois de alguns meses, mas como as perguntas sobre nós eram muito frequentes ele não aguentou muito tempo.

Mike está vivendo bem graças ao Cellbit, que está lucrando bem mais com sua nova fase no Youtube e melhor, está feliz com isso. Jv está trabalhando de atendente de telemarketing, afinal tem que ter muita paciência para falar com pessoas meio sem noção. E eu? Bem, eu sempre disse que se ser youtuber não desse certo, eu viraria jornalista, se o jornalismo também não desse certo... eu viraria funcionária do McDonald's. Quer saber onde estou agora? Exatamente.

- Bom dia senhor, o que vai querer? - Pergunto ao homem na minha frente. É, estou nesse momento atrás do balcão de uma filial do McDonald's.

(Quebra de tempo...)

Acabo de chegar no apartamento, que por curiosidade ainda é o mesmo que divido com Jv e que fica um andar acima do de Mike e Cellbit.

Vou caminhando até meu quarto, que fica no final do corredor. Nesse caminho, passo pelo antigo quarto de Batista. Como não resisto à lembranças, acabei por entrar no cômodo. Eu e Jv tentamos deixar o quarto em bom estado para quando trouxéssemos Batista de volta, mas digamos que manter as coisas limpas não é especialidade nossa.

"Geralmente era o Batista que limpava a casa.", penso tristemente.

Acendo a luz e começo a observar os detalhes do quarto. A cama ainda arrumada... Batista a deixou assim no dia em que saiu; a mesa e o computador, que acumulavam um pouco de poeira; os fones de ouvido em cima da mesa, que foram deixados ali por pura preguiça do loiro; o microfone; as janelas fechadas, deixando o ambiente escuro; as cortinas levemente encardidas e o guarda-roupas de madeira levemente lascada devido ao tempo. Havia um ursinho de pelúcia que tinha uma frase escrita na barriga, esta frase era: "Fuck you"; o urso, assim como tudo naquele quarto, possuia uma pequena camada de poeira. Peguei esse urso e o abracei, Felipe sempre abraçava aquele urso quando estrava triste.

- Alô? Angel, é você? - Ouvi Jv chegando. - Acho que você esqueceu a porta aber... - Ele para ao ver onde eu me encontrava.

Jv entrou no quarto com uma expressão séria. Ele sabia que eu sofria com aquelas lembranças, sabia que Batista fazia falta, tanto pra mim quanto pra ele, mas o mais importante, ele sabia que ainda doía. Como se não bastasse tudo isso, agora as lágrimas escorriam por vontade própria, o volume delas aumentava cada vez mais, assim como o nó que se formou em minha garganta. Jv soube o que devia fazer. Andou até mim e me abraçou calorosamente. Um abraço amigo, reconfortante.

- Ele devia estar aqui Jv! Aqui! - Eu disse em meio a soluços.

- Eu sei, ele faz falta. Mas ele vai voltar. - Falou Jv, confortando-me.

- A cada dia que passa eu tenho cada vez menos certeza disso.

Passados alguns minutos eu finalmente parei se chorar, fazendo Jv me soltar.

- Cellbit e Mike convidaram a gente para um almoço, o que acha? - Pergunta o nordestino.

- Esses Zé preguiças querem é que eu cozinhe para eles! - Digo rindo sem graça. - O Felps vem?

- Não, ele anda meio ocupado com os vídeos, então vai ficar um tempo afastado. - Diz ele, saindo do quarto e indo até o banheiro.

- Pelo menos o Cellbit tem um ombro pra chorar. - Digo rindo.

Vou ao meu quarto, troco minha roupa e desço até o apartamento de Mike e Rafael, já que Jv já tinha ido. Bato à porta e logo sou atendida por um loiro sorridente.

- Olha só, chegou a mis McDonald's! - Falou Cellbit, dando passagem para que eu entrasse no apartamento.

- Me respeita que essa mão aqui faz seu lanche, em! - Digo entrando.

Lá dentro, Mike e Jv conversavam animadamente sobre o filme favorito de Mike: Matrix.

- E... ah, oi Angel! - Mike cumprimentou-me.

- Oi Mikito! Tudo bom? - Pergunto, acenando em cumprimento.

- Ah, pra ele você dá "oi", pra mim você joga uma ameaça e já tá bom, né? - Dramatiza Rafael.

- Pobre Cellbinho, ele tá carente de carinho. - Falo. Ih, rimou essa merda!

- É que o Felps não tá aqui pra dar um trato nele. - Diz Jv, fazendo eu e Mike rirmos.

- Haha, muito engraçado, Jv! - O loiro fala, sem nem um pingo de humor. - Aliás, a lasanha tá pronta. Já estão com fome?

- Vocês cozinharam? Essa é nova! - Exclamo. Eles sempre me fazem cozinhar.

- As coisas mudam de figura quando compramos lasanha congelada no mercado. - Diz Mike, denunciando Cellbit.

- Não era pra contar, idiota! - Protesta Rafael.

- Era bom demais pra ser verdade. - Falou Jv, ligando a Tv da sala.

Cellbit respondeu com um sinal obsceno e foi pegar os pratos.

A Tv ligada mostrava uma reportagem sobre os malefícios e benefícios da internet. Não é a primeira vez que falam sobre isso, mas talvez as pessoas só estejam interessadas nisso.

Depois que a mesa da sala foi arrumada e a lasanha servida, nós 4 nos sentamos a mesa e começamos a conversar enquanto a Tv exibia as notícias. Em meio as conversas, uma reportagem me chamou a atenção.

"- O governo do estado do Rio de Janeiro conseguiu uma vitória esta semana. Em meio a crise política no Rio, o governador encontrou aqui, em Brasília, recursos para reformar um antigo patrimônio do estado. O governo do estado do Rio de Janeiro vai reabrir a antiga Seazuri Island High School...", falou a repórter. O que ela disse a seguir eu não prestei atenção.

Jv arregalou os olhos, Mike parecia a ponto de ter um ataque, Cellbit ficou impressionado e eu simplesmente fiquei sem reação.

- Não... - Foi tudo que consegui dizer.

- DESLIGUE ESSA MERDA, JV! - Esbravejou Mike.

Jv obedeceu sem dizer nada. Ainda estavamos digerindo aquela... notícia.

Adeus noites de paz.

(Quebra de tempo...)

Infelizmente o clima não é dos melhores. Depois do que vimos na Tv ficamos completamente sem apetite. Agora estamos sentados na sala, o silêncio predomina entre nós quatro, até Jv quebrá-lo.

- E agora? O que faremos? - Pergunta o nordestino.

- Se aquilo encher de alunos, os acidentes podem voltar a acontecer. Sem falar que não vão deixar a gente entrar na ilha com um monte de estudantes lá.

- Jv tem razão, não vai ser fácil voltar lá, mas se quisermos Pac e Batista de volta, não temos escolha. - Digo, levantando-me e começo a andar de um lado para o outro; isso me ajuda a pensar.

- Se for por eles, topamos qualquer coisa. - Fala Mike.

- Qualquer coisa mesmo? - Pergunto. 

- Qualquer coisa. - Jv confirma.

Eu apenas assenti e peguei meu celular. Hora de rever velhos amigos.

- Alô, Iguinho? - Pergunto.

- Ele está ocupado. Quem é? - Pergunta a voz do outro lado da linha. Parecia um homem.

- Diga que é a Angel. Preciso falar com ele o quanto antes.

- Tá, espera... - Ouço sussurros do outro lado da linha e em seguida outra voz fala no telefone.

- Hey Angel! Faz tempo que não nos falamos. - Igor fala.

- Sim, eu sei, desde a época da escola, eu acho. Falando em escola, preciso de um favor.

- Que tipo de favor? 

- Três identidades falsas com idades entre 16 e 17 anos. As fotos eu te envio amanhã. Pode ser? - Combino.

- Angel, você sabe que não faço mais esse tipo de coisa...

- Eu pago quanto você quiser, só preciso das três prontas antes do início do ano letivo. Por favor Igor, você é minha última esperança! - Imploro.

- Ah, ok! Ok! Eu faço, mas esta é a última vez, ok? - Ele pergunta.

- Ok, o pagamento acertamos amanhã junto com as fotos. - Digo. - Até amanhã, colega. - Falo, desligando.

- O que você fez Angel? - Perguntou Cellbit.

- Consegui nossos bilhetes de entrada para Seazuri Island High School. Preciso comprar algumas coisinhas e estará quase tudo pronto. - Falo.

- Você não está pensando em... - Jv começa, mas eu o interrompo.

- Sim, vamos nos passar por estudantes e entrar na escola. Será tudo mais fácil se nos instalarmos lá dentro.

- E mais perigoso também. Se os acidentes recomeçarem vamos ter o dobro de trabalho para encontrar os tais "objetos". - Fala Mike.

- Mas temos que tentar, se não além dos estudantes correrem perigo, nunca conseguiremos trazer nossos amigos de volta. Vocês mesmos acabaram de dizer que fariam qualquer coisa por Pac e Batista, vão voltar atrás agora? - Pergunto indignada. Eles abrem a boca para responder, mas desistem. - Foi o que eu pensei. Vou sair, tenho que passar em umas lojas, mas volto daqui a pouco. - Completo e viro-me, indo em direção à saída do apartamento.

Eu não sei se foi a melhor decisão a se tomar, mas foi necessária.

Melhor eu andar rápido, tem muito a ser feito antes de embarcarmos de volta à ilha.


Notas Finais


Tá aí, demorou, mas saiu.

Não vou me prolongar, pois estou com sono.

Um beijo da Angel <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...