História Second Chance - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Baeksu, Chantao, Chenmin, Kaihun, Kaisoo, Krishan, Laysoo, Lukris, Sekai, Soolay, Subaek, Taoyeol, Xiuchen
Visualizações 43
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá serumaninhos <3
Vim cedo dessa vez, e eu gostei de escrever esse capítulo, no entanto não ficou exatamente o que eu esperava.
Mas, mesmo não estando do jeito que eu gosto ele ainda está legal e bonitinho.
Espero que gostem,
Boa leitura.

Capítulo 22 - Capítulo Vinte e Um


Depois de dois dias de silêncio da parte do outro, enquanto Chanyeol estava deitado em sua cama encarando o teto e se perguntando se tinha feito certo ao seguir o conselho de Sehun e esperar algo do outro, a mensagem chegou ao seu celular.


[ZiTao]

Eu pensei bastante sobre tudo e acho que preciso falar com você.

Gostaria muito de falar tudo por mensagem, mas acho que deveria falar isso pessoalmente.

Pode me encontrar hoje?

[Chanyeol]

Claro que sim.

Onde quer que eu te encontre?

[ZiTao]

Estou na praia.

Se puder venha para cá.

[Chanyeol]

Em 10 minutos estou aí.


Se levantou e correu para se arrumar, quase caindo ao tropeçar em um sapato perdido no meio do quarto.

Rapidamente saiu do apartamento e como morava bem perto da praia, foi a pé para lá.

Chegou silenciosamente, podendo ter a visão de Tao sentado em uma pedra, os olhos fechados e o vento soprando seus cabelos. Naquele momento quis muito tirar uma foto dele para guardar.

- Tao... - chamou enquanto se aproximava lentamente do outro.

Tao abriu os olhos rapidamente, parecendo se assustar com sua presença ali. Lhe deu um sorriso, antes de engolir em seco e desviar os olhos para o mar.

- Eu não sei exatamente como te falar o que eu quero. - falou dando uma batidinha na pedra ao seu lado, um sinal para que Chanyeol se sentasse ali. - Acho que você sabe que sou péssimo em me expressar, e isso não mudou com os anos. Mas o que eu quero te dizer é que... eu tenho tanto medo de te deixar entrar na minha vida de novo, porque você foi meu primeiro amor e me deixou cicatrizes muito profundas, e um lado meu sempre pensa que você vai fazer tudo errado de novo. - falou e Chanyeol abaixou um pouco a cabeça. - Mas sabe, eu não quero ouvir esse lado. Porque poxa, você me deu tantas provas de que mudou, você ainda ta aqui mesmo depois de toda a minha demora, você não exigiu nada de mim durante todos esses meses desde que voltamos a nos falar. - falou e baixou seu olhar para o colo, onde suas mãos se mexiam nervosamente. - São as raras as vezes em que eu me arrisquei na minha vida, raras as vezes em que quis colocar tudo a perder por algo que eu queria muito. Mas você sempre me fez querer me arriscar Chan, desde que te vi naquele primeiro dia da faculdade, algo em você me chamou a atenção, e mesmo que eu não quisesse, eu mergulhei cada vez mais fundo em você. E mesmo que pareça insano para mim, eu quero muito mesmo me afogar em você dessa vez. - terminou tudo e olhou para Chanyeol, que lhe encarava meio receoso.

- Você está dizendo que quer tentar de novo? - perguntou com medo de ter entendido tudo errado.

- Por que você é tão lento às vezes? - perguntou com um sorrisinho no rosto. - Sim Chanyeol, eu estou te dizendo que quero tentar de novo. Eu quero que você bagunçe a minha vida de novo e me faça amar essa bagunça. Eu quero poder te amar com todo o meu ser sem medo.

- Ah meu deus, eu não sei nem o que fazer. - falou tentando inutilmente conter aquele sorriso bobo que se espalhou por todo seu rosto. - Obrigado mesmo por me dar essa chance. Eu prometo que não vai precisar de mais nenhuma. - falou suspirando ao final e eles ficaram ali, se encarando sem tentar conter os sorrisos.

- Então... vai me beijar ou quer que eu tome a iniciativa de novo? - perguntou Tao corando levemente. Não entendia por que sua timidez ficava maior sempre que estava com o outro.

No entanto Tao não recebeu uma resposta. Pelo menos não uma resposta em palavras. Porque naquele momento seus lábios foram tomados calmamente pelos de Chanyeol, ambos saboreando o sabor um do outro mais uma vez, as línguas se acariciando de forma carinhosa. Não demorou para as mãos se entrelaçarem calmamente, e os dois sentiram aquele típico choquezinho de quando suas peles se encontravam.

- Eu te amo... - sussurrou Chanyeol quando se separaram, ainda próximo o suficiente para sentir a respiração do outro no seu rosto.

Ambos saborearam aquelas palavras, e elas pareciam se encaixar perfeitamente para eles, como se devessem ter sido ditas há muitos anos.

- Eu também te amo. - falou Tao baixinho, como se contasse um segredo para o outro.

Os dois sorriram bobos, como crianças depois de receberem a notícia de que teriam bolo a noite.

E naquele momento o mundo poderia acabar que os dois não se importariam; na verdade nem notariam. Estavam muito ocupados apreciando um a presença do outro e sentindo pela primeira vez na vida a sensação de estarem completos.

[...]

O tempo passou sem que nem percebessem, e depois de assistir um por do sol incrível envolvidos pelos braços um do outro, os dois decidiram ir embora.

- Você veio a pé? - perguntou Tao enquanto andava ao lado do outro, as mãos entrelaçadas.

- Sim, meu apartamento é aqui perto. E eu estava nervoso demais para vir de carro. - comentou coçando a nuca meio sem jeito, o que levou Tao a sorrir.

- Meu carro tá ali na frente. - falou apontando para onde o carro se encontrava. - Você quer... ir lá em casa? A gente podia ver um filme, ou assistir uma série. Kyungsoo me recomendou uma e disse que é otima. - perguntou meio sem jeito quando chegaram ao carro.

- Adoraria. - falou dando um sorriso e deixando um selinho nos lábios do outro, antes de ir para o lado do carona do carro.

Ambos adoravam o fato de que aquela área não fosse muito movimentada, pois podiam se beijar sem medo de alguém tentar algo contra eles.

O apartamento de Tao não era tão longe e eles fizeram todo o percurso de mãos dadas e ocasionalmente fazendo algumas perguntas do tipo "Sua cor preferida ainda é azul?" ou "Você conseguiu comprar aquele jogo que você tanto queria?". Era um jeito deles de conhecerem o outro novamente.

Logo chegaram ao prédio e foram para o apartamento, Chanyeol não ficando nem um pouco surpreso com a organização do lugar; Tao sempre fora muito organizado com suas coisas e os lugares que frequentava.

- Vamos ver aqui na sala mesmo. - falou Tao fechando as cortinas da janela e da sacada, deixando a sala bem escurinha.

Os dois se sentaram no sofá lado a lado e decidiram assistir a série que Kyungsoo recomendara.

Estavam do mesmo jeito de quando Tao fora na casa do outro dez anos atrás: os corpos perto, uma mão tímida em volta da cintura, outra entralaçada, beijos tímidos seguidos de risadinha aqui e ali. Se sentiam jovens novamente.

O amor faz isso com as pessoas. Faz elas se sentirem mais novas, felizes. Talvez seja por isso que é considerado o melhor sentimento pela maioria das pessoas.

E naquele momento nenhum dos dois pensava em outro sentimento que definisse melhor aquele momento.


Notas Finais


E então, o que acharam?
Nosso casal está finalmente junto sz
Até o próximo capítulo
Eu te amo vocês

~Beijos Sugasticos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...