História Second Chance - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Dinally, Drama, Girlxgirl, Romance
Visualizações 233
Palavras 2.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de iniciarem o capítulo, peço que escutem duas músicas nele. No começo e no final.

Primeiro é Unclear, do Kodaline.

E o segundo é Lights Down Low, do Max com o gnash.

Enfim, espero que gostem dele.

Boa leitura.

Capítulo 5 - 4


Dinah me olhava receosa sentada no sofá, eu continuava observando-a atentamente. Parecia que as duas estavam encontrando palavras para falar algo.

- Pequeña - Maria apareceu novamente na sala e me olhou se aproximando e pegando o meu jaleco. - O que eu te disse sobre isso, Michelle? - Apontou para a roupa no meu braço e eu sorri fraco.

- Eu acabei ficando curiosa de quem estaria aqui e acabei esquecendo de deixar no carro, mamá - Ela bufou e me puxou em direção as escadas.

- Com licença, Dinah. Lauren vai tomar um banho e vocês poderão conversar, ok? - A loira virou e sorriu para nós duas enquanto assentia.

- Não se preocupe, pode ir, eu vou esperar - Foi impossível não sorrir ao vê-la tão leve.

Dinah nem demonstrava que queria me matar ou que estava magoada comigo, mas uma parte dentro de mim sabia que ela estava sim. Minha amiga sempre soube esconder os seus sentimentos muito bem. Por ter uma família grande e ela ser a mais velha dos irmãos, os pais davam mais atenção as crianças do que a ela e por causa disso ela nunca dizia o que estava sentindo.

Subi as escadas correndo mas parei ao escutar o grito de Maria e a risada de Dinah, caminhei normalmente até o meu quarto. Entrei nele quase correndo passando direto para o banheiro. Eu estava bastante curiosa no que a conversa com a Dinah iria resultar.


(...)


Desci as escadas mais nervosa do que o normal e bastante ansiosa. Observei Dinah e Maria conversarem alegremente enquanto a minha mamá contava algumas coisas que eu havia feito de constrangedor nessa semana.

- Então, Lauren não parava de falar de uma menina que se chama Camila, era o tempo todo tocando no nome dela e o quanto queria ajudá-la. - Eu me aproximei mais e eu torcia muito para que Dinah não zoasse com a minha cara sobre isso.

- Lauren está apaixonadinha por essa Camila? - Me olhou sorrindo maliciosa e toda a minha torcida e esperança se esvaiu.

Estava para nascer uma Dinah mais implicante do que essa.

Ignorei os comentários da minha amiga e fui para cozinha, abri a geladeira procurando por alguma fruta ou algo para beber, eu estava nervosa com a conversa e achei melhor fugir um pouco para me preparar para encarar Dinah.

Maria veio pra cozinha e me olhou enquanto se encostava na parede com os braços cruzados.

- Vá conversar com ela - Olhei-a e suspirei. - Depois você come, vou te liberar hoje - Assenti e me aproximei dela, sem me conter, abracei a mulher à minha frente que correspondeu me apertando levemente.

- Obrigada, mamá - Beijei a sua bochecha e ela sorriu enquanto acariciava o meu rosto.

Me afastei dela e caminhei respirando fundo até a sala.

Dinah continuava quieta, sentada no sofá com os seus olhos perdidos em algum ponto. Me sentei no sofá a sua frente e ela me olhou, suspirou e fechou os olhos.

Eu sentia meu corpo tremer, não sabia o motivo. Só sei que Dinah aparentava estar mais nervosa do que eu.

- Eu... - Ela começou e voltei a encará-la. - Olha, Lauren, eu não vou negar que o que você fez não foi ruim, mas eu também tenho culpa, te apoiei e fui até o fim... não me arrependo - Suspirou e desviou o olhar - Você é a minha melhor amiga, não posso te deixar na mão quando você sempre esteve ao meu lado. Não pense que eu estou chateada, eu apenas tinha medo de que você estivesse com raiva da gente, eu...

- Dinah, eu não tinha o porquê de ter raiva de vocês... Eu que, praticamente, intimei vocês, fazendo chantagens... estava cega naquele momento, mas agora percebo que eu sou a única culpada disso tudo - Sorrio triste - Vocês apenas quiseram me acompanhar nessa loucura - Ela assentiu e voltou a me encarar.

- Posso te abraçar? - Eu ri abrindo os meus braços e logo senti ela se jogar em mim.

A sensação por mais sufocante que fosse, me deixava feliz e aliviada, Dinah era a pessoa que sempre me entendia apenas com o olhar, ter ela ao meu lado novamente era muito bom.

- Como está sendo lá no hospital? - Ela perguntou com a voz abafada já que seu rosto estava em meu pescoço.

- Ótimo, estou adorando cuidar das crianças - Disse sorrindo e sinto ela se levantar um pouco para me observar.

- E essa tal Camila? - Ela riu maliciosa e eu neguei sorrindo leve.

- Camila é uma amiga que eu fiz lá, apesar de estarmos nos conhecendo, eu posso sentir que estou quebrando as barreiras que ela impôs - Suspiro e Dinah ri.

- É uma voluntária bem difícil pelo o que pude perceber - Desviei o olhar e ela me olhou confusa.

- Camila não é uma voluntária, Dih, ela é uma das pacientes do hospital... - A loira arregalou os olhos e saiu de cima de mim.

- Desculpa... Eu...

- Está tudo bem, Dinah, você não tinha como saber, não se desculpe - Sorrio fraco.

- O que ela tem?

- Leucemia Mieloide Aguda - Ela desviou o olhar e suspirou enquanto juntava as suas mãos.

Dinah tinha perdido a avó pela mesma doença, a única diferença é que ela estava no estágio terminal. As duas eram muito grudadas, lembro da minha amiga recusar diversas viagens comigo para ficar com a avó. Eu a vi chorar quando ela faleceu, ela apenas descobriu o que a avó tinha uma semana antes da sua morte e era tão doloroso ver ela em estado bem desolado.

Senti as suas mãos se entrelaçar com as minhas e ela sorriu. Continuei esperando ela falar algo, mas parecia que Dinah encontrava palavras para se expressar, eu não me importei, tê-la ao meu lado novamente e poder conviver com a sua áurea leve e brincalhona me fazia querer aproveitar até os momentos silenciosos.

- Não deixe-a sozinha por nada, está me escutando Michelle? - Sua voz saiu inesperada me assustando e logo assentindo com rapidez.

- Eu não a deixarei, Dih, Camila é um ser humano que precisa ser protegido, ainda mais quando a própria família não aparece para visitá-la - Dinah suspirou e me olhou.

- Mesma situação?

- Mais ou menos, os pais dela acham que ela é um fardo na vida deles, quando eles descobriram a doença, apenas deixaram no hospital alegando que todas as despesas seriam pagas e se algo acontecesse, eles não existiam - Suspirei e notei Maria aparecer na sala sentando-se ao nosso lado.

- Que pais mais estranhos, justamente quando ela mais precisa deles eles largam a menina no primeiro hospital que vêem e saem como se fosse a coisa mais simples - Maria parecia com raiva, mas não a culpo, eu também estou desde o momento que Camila havia me contado sobre isso.

- Quando vamos pegá-la? - Dinah diz e eu e Maria olhamos para ela. - O que foi? Os pais dela não ligam pra ela, podemos fazer isso, não podemos? - Neguei e Maria riu.

- Não é tão simples como parece, Dinah, como é um hospital de renome muito alto, eles não podem liberar o paciente que já foi deixado lá, ainda mais assinando e deixando claro que todas as responsabilidades que teriam com ela seriam totalmente do hospital e só quem pode tirá-la de lá é apenas os pais ou a irmã mais velha dela - Minha amiga cruzou os braços enquanto bufava chateada. - Eu sinto muito Dinah, mas não há nada para se fazer - Sorrio e ela me olha curiosa.

- Você poderia dizer que é a namorada dela! - Respiro fundo enquanto negava. - Ah, vai dar certo, Lauren!

- Dinah, eu teria que falar com a Ariana para liberá-la e assim, ela é a minha chefe lá e sabe que eu não sou nada para a Camila - Ela revirou os olhos ainda de braços cruzados.

- Você também não ajuda em nada, Lauren!

- Dinah, são regras e protocolos do hospital, não podemos fazer nada mesmo se tivéssemos muito dinheiro - Maria diz e ela concordo com a cabeça.

- Mas a Lauren tem...

- Mas não vou usar isso para beneficiar alguém sendo que todos de lá sabem a verdade, não sou os meus pais, Dih, quero me livrar das sombras deles - Ela assentiu enquanto suspirava.

- Desculpa, mas você sabe como eu sou em relação a esse tipo de coisas - Confirmo com a cabeça sorrindo fraco.

- Se te deixa melhor, eu posso te levar para conhecê-la, digo que é uma visitante e amiga dela - Seu rosto pareceu se iluminar e eu apenas ri. - É o que posso fazer.

- Eu te amo, branquela! - Sinto os seus braços alcançarem meu pescoço e me puxar contra seu corpo me abraçando com força.

- Eu também te amo, Dinah - Escuto a risada de Maria e fecho os olhos apertando a minha amiga.


(...)


8 de Janeiro de 2017


- O plano é o seguinte...

- Que plano o quê Dinah? É só dizer que é amiga dela, você não estará fazendo nada de errado lá - Ela bufou enquanto saía do carro.

Tranquei o carro e acionei o alarme enquanto segurava o meu casaco, Dinah parecia radiante e que a qualquer momento ela poderia dar pulinhos.

- Dinah, se controla! É um hospital não podemos fazer isso - Digo enquanto a puxo pelo braço.

- Eu vou ver minha amiga, ela está bem então é motivo de eu comemorar - Ela sorriu convencida e acenou para uma enfermeira.

Entramos e ela foi direto na recepção, notei Ariana e ela sorriu alegre em me ver, me aproximei e logo escutei meu nome ser chamado.

- Lauren, você poderia levar a Srta. Hansen ao quarto da Camila? - Dinah sorriu contida e eu assenti enquanto sorria.

- Aproveite e leve a refeição dela para mim, Lauren? - Ariana perguntou e assenti, ela pediu para que eu esperasse pelo enfermeiro que não demorou muito. Peguei a refeição de Camila e caminhei com Dinah ao meu lado em direção ao elevador.

- Aqui é tão leve e colorido - Minha amiga diz enquanto observava as paredes da Ala em que eu era voluntária.

- Eles fazem isso para deixar as crianças e os adolescentes mais confortáveis aqui - Ela assentiu e pedi para que ela abrisse a porta.

Notei Camila me olhar sorrindo largo mas logo seu sorriso foi sumindo quando viu Dinah.

- Oi, Camila, que saudades! - Dinah corre até ela e abraça apertado, deixo a bandeja na mesinha ao lado da sua cama e volto a fechar a porta.

- Dinah, pode soltar ela - Minha amiga bufou e se afastou devagar.

- Você é muito chata, Lauren... E você é muito fofa, Camila - Sorriu e a morena me olhou confusa antes de encarar Dinah.

- Obrigada, eu acho...

- Antes de tudo, Dinah essa é a Camila, Camz essa é a Dinah, minha melhor amiga - A loira sorriu largo enquanto acenava.

- Eu perturbei muito ela para que eu pudesse te ver, então eu assumo toda a culpa - Ela falou e Camila sorriu um pouco tímida.

- Eu não costumo receber visitas então é estranho saber que alguém quer me ver, a única pessoa que eu vejo sempre é a Lauren - Sorri com a sua sinceridade.

- Não se preocupe mais com isso, Camila, faço questão de te visitar todos os dias agora - Dinah diz e Camila sorriu agradecida.

- Obrigada, Dinah, de verdade - Ela sorriu e eu me sentei ao seu lado apenas observando minha amiga conversar animadamente com Camila.


(...)


[2:30 p.m]


Carreguei uma Hannah adormecida até o seu quarto novamente, hoje ela estava bem falante, mas hora ou outra ela parava e ficava em silêncio por longos minutos, o enfermeiro disse que era normal isso acontecer, devido o cansaço e a medicação, acabava deixando o organismo e mente da minha pequena uma completa confusão.

Deixei-a confortável em sua cama e cobri com o edredom para que não tivesse nenhum problema com o frio de seu quarto, fechei a porta e fui verificar algumas crianças em seus quartos para saber se estavam bem.


(...)


Bati duas vezes na porta e escutei uma voz baixa confirmar a entrada, entrei devagar e sentei ao lado de sua cama. Camila depositou o seu livro no colo e me analisou por alguns minutos.

- Por que falou de mim para a Dinah? - Seu olhar era firme em mim e eu apenas dei de ombros.

- Dinah sempre foi uma amiga muito boa pra mim, posso conversar sobre tudo com ela... Mas passamos algum tempo sem nos falar, ontem quando cheguei do hospital, ela estava me esperando em minha casa, conversamos sobre algumas coisas e ela me perguntou como estava sendo o trabalho voluntário, eu contei tudo a ela, desde as crianças, Hannah e você, achei que seria normal e que ela não fosse doida o suficiente para querer te conhecer... Mas eu estava enganada e peço desculpas por isso - Suspirei e escutei o seu riso.

- Está tudo bem, Lolo - Sorrio com o apelido e levei uma das minhas mãos até a sua apertando-a levemente. - Eu gostei bastante dela, Dinah é bem divertida, fazia tempo que eu não ria tanto quanto eu ri com ela - Sorrio novamente e ela me encara.

- Eu fico feliz em saber disso, Camz, é bom te ver sorrindo e bem leve. E eu confio plenamente em Dinah, sei que no começo o seu jeito alegre pode assustar, mas você se acostuma e passar a gostar muito de tê-la sempre ao seu lado - Ela sorriu e continuou me olhando.

- O que foi?

- Seus olhos estão mais claros... lindos - Ela se aproximou mais de mim e me tocou em meu rosto ainda encarando os meus olhos.

Meu coração estava acelerado e eu sentia um arrepio no lugar onde Camila me tocava, minha respiração começou a ficar descompassada e eu apenas estava estática. O castanho dos seus olhos parecia me consumir por inteiro, a intensidade do seu olhar me deixava mais assustada por não poder fazer nada apenas continuar deixando Camila me encarar.

- Eu... - Seu indicador parou em meus lábios me impedindo de falar e eu fechei meus olhos respirando fundo antes de olhar para ela novamente.

Senti os seus lábios em minha bochecha, pressionando com uma certa delicadeza e me deixando ainda mais nervosa, mas ao mesmo tempo decepcionada.

Mas por que eu estava decepcionada?

Ela se afastou e voltou a me encarar, mas dessa vez sorrindo, suas mãos foram para o meu pescoço e me puxaram para si, me fazendo a abraçar. Não perdi tempo ao rodear meus braços pela sua cintura apertando carinhosamente.

Soltei o ar que eu nem sabia que tinha prendido e Camila começou a fazer um breve carinho em minha nuca, eu sorri com o meu queixo em cima de sua cabeça, depositei um leve beijo no local e senti ela sorrir enquanto ainda estava com o seu rosto em meu peito.

- Eu nunca pensei que encontraria uma pessoa que se importasse tanto comigo quanto você se importa, Lauren... Obrigada por ser essa amiga - E mais uma vez eu senti um desconforto ao escutar ela dizer aquilo, eu não sabia o porquê disso, de toda essa decepção.

Conheci Camila há dois dias atrás e seu jeito adorável me fez querer protegê-la e cuidar dela, eu realmente posso ser essa amiga que ela precisa do seu lado.

E mesmo não tendo o amor e o apoio da família, eu irei ser tudo o que ela precisa, eu darei esse amor e o apoio, não só eu mas como Dinah irá me ajudar nisso.

- Eu sempre estarei aqui por você Camila, eu serei o seu suporte, eu serei a sua amiga em todos os momentos e por favor, não se afaste quando algo lhe incomodar, eu irei fazer o impossível para te ajudar, Camz - Sorri e beijei a sua testa quando ela me encarou, continuei com ela agarrada em mim e senti ela me apertar e agradecer mais uma vez.

Eu só espero não decepcionar ela.


Notas Finais


Eu estou amando escrever essa Lauren e essa Camila e, estou amando ainda mais escrever essa fic.

Como eu disse antes, as coisas vão ser devagar, porque temos uma coisa que impede Camren ter mais momentos fofos, a doença e a insegurança da Camila.

Mas peço que tenham paciência, porque espero dar o meu melhor no desenvolvimento de Camren.

A playlist da fic está aqui embaixo, pra quem quiser escutar as músicas e acompanhar melhor.

Espero que tenham gostado e até a próxima!

See Ya!

Link da playlist: https://open.spotify.com/user/annyzinha122010-br/playlist/6rMTK1gEPhKqDSyO2zRRQE


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...