História Second chance to restart - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 19
Palavras 2.640
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Voltei!!! Gente vcs n sabem o quanto estou ansiosa para postar o capítulo 7 kkkkkk chorei escrevendo!!
Mas esse aqui tbm foi bem emocionante escrever!!
Espero que gostem e me perdoem qualquer erro pq escrevo pelo celular!!

Capítulo 6 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Second chance to restart - Capítulo 6 - Capítulo 5

Os dias se passaram muito rápido e já era sexta-feira, o dia da apresentação no auditório e da festa da chatabella ( sim, eu dei um apelido para ela e sei que é bobo).

Escutei meu despertador me acordar e levantei rapidamente para escolher a minha roupa de hoje. 

Diferente de todos os dias eu vesti uma saia de cintura alta e rodada preta , uma blusa com estampa de coração e uma jaqueta jeans, não deixando de calçar minhas amadas botas pretas.

Depois de pronta desço correndo para tomar o café da manhã bem rápido e vejo que meu irmão ja esta acordado.

- Bom dia garanhão! - digo dando um beijo na bochecha dele o fazendo gargalhar.

- Bom dia irmã do garanhão.- ele diz rindo


Eu ri pelo nariz e neguei com a cabeça, indo direto para a geladeira aonde eu peguei uma caixinha de suco de abacaxi. Não estava com muita fome. - Conseguiu terminar a sua redação? - ele me perguntou, enfiando um pedaço gigante de panqueca em sua boca.

- Sim. - dei de ombros e tomei um pouco do meu suco. - ficou legal até, acho que o Cameron vai gostar. - ergui as sobrancelhas enquanto via meu irmão quase cuspir o pulmão para fora depois de ter se engasgado com a comida.

-  Você... - ele respirou fundo e tomou um pouco do café para ajudar na descida da comida. - não está querendo ficar com o irmão da Camila, está? - ele perguntou vermelho, porém eu não sabia se ed de raiva ou se era por ele ter ficado alguns instantes sem respirar enquanto quase morria engasgado.

Eu gargalhei alto e neguei com a cabeça. Caminhei até aonde tinha deixado minha mochila e a coloquei no ombro, pegando as chaves do carro do papai e indo em direção a porta. Escutei Shawn me chamando e se levantando correndo. Ele pegou a sua bolsa de qualquer jeito e correu mais um pouco para me alcançar, já que eu JÁ estava no carro, o ligando.

- Não vai me responder? - ele perguntou assim que comecei a direito e em direção a escola.

- Não. - falei rindo. Ele bufou.

- Então isso quer dizer que sim. Por qual outro motivo você estaria indo vestida completamente diferente do seu costume? E desde de quando você tem uma blusa com estampa de coração? - ele realmente estava ficando irritado e eu estava amando.

- Shawn, cala a boquinha, vai. - eu ri novamente e acelerei mais um pouco ao ver que estávamos quase em cima do horário. - eu não vou te contar, vai ficar na curiosidade.

Ele revirou os olhos e cruzou os braços, fechando a cara e olhando para o outro lado, feito uma criança que não consegui a o que queria dos pais. Eu ri mais uma vez e neguei com a cabeça.

A verdade era que não, eu não queria ficar com o Cameron. Tudo bem, tudo bem. Podem dizer que eu estou mentindo, mas eu não ligo. Obviamente que eu acho ele um gostoso e mega bonito, afinal eu tenho olhos e vi o que todos viram, mas não sei se é porque Camila é irmã dele ou se eu simplesmente não estou afim de ficar com ele, mas não quero.

Porém meu irmao não precisa saber disso. 

Estacionei em uma das vagas do estacionamento do Colégio e Shawn nem esperou eu tirar o cinto para descer do carro e bater a porta com força. Eu ergui as sobrancelhas e gargalhei, achando ele um fofo por ter ciúmes de mim apesar de eu ser mais velha.

Sai do carro também e logo a atenção das pessoas estavam na gente. JÁ disse que meu irmao arrancava vários olhares, mas me supreendi por, dessa vez, ter mais gente olhando para mim do que para ele.

Eu heim. Me senti como se estivesse pelada com os olhares que estavam me mandando. Que gente indiscreta.

Shawn aparentemente notou isso também, porém antes que ele pudesse montar guarda em cima de mim ou resmungasse comigo, duas pessoas pularam em cima de mim e como eu não era nem um pouci atlética, caímos no chao, arrancando risadas de quem nos assistiam.

- Porra, que isso agora? - eu perguntei com a voz falhada, me virando para cima com dificuldade pela dor que eu sentia e via Camila e Nash me olhando divertidos. - ata, tinham que ser vocês dois. - eu ri, revirando os olhos.

- Garota! Que visual é esse? Gostei, ta gostosa pra caralho! - Camila disse me olhando e fazendo o joia com o polegar direito, o que me fez rir e empurrar eles de cima de mim.

- Não acredito que você escondia essas pernas dentro daquelas calças! - Nash disse, surpreso também é se levantou, nos ajudando a se levantar também. - ta parecendo uma RBD. - eu ri.

- Se ela veio assim para a escola, imagina como vai pra festa. - Camila riu e isso fve ter irritado Shawn, porque ouvimos ele bufar.

- Por que você tinha que crescer? - ele choramingou, esfregando a testa em claro sinal de arrependimento.

- Ué, meu filho. Eu sou mais velha que você. - eu ri e lhe dei um tapa no braço.

O sinal bateu, impedindo que Shawn respondesse alguma coisa e acordando minha amiga do transe que ela sempre entrava quando olhava para o meu irmão.

Como avisado no dia anterior, teríamos que seguir direto para o auditório, aonde os textos seriam lidos e Cameron daria o resto do nosso trabalho.

Camila engatou o braço direito em Nash e o esquerdo em mim, começando a nós puxar dizendo que estava animada e ansiosa para isso.

Nós sentamos em nenhum lugar específico. Não era longe, nem perto do palco e também não era no meio do auditório. A única coisa que pensamos foi ter sentado nas cadeiras da ponta da passarela DO meio para que na hora que nossos nomes fossem chamados, não teríamos que ficar naquele "lincensa. Desculpa. Encolhe o pé pra eu passar. Licensa. Desculpa. Tô passando".

Aos poucos aquele lugar gigante foi enchendo. Não sei se for por vingança, mas Shawn se sentou atrás da gente, trazendo Jack e o filha da puta do Aaron junto com ele.

Revirie meus olhos e peguei minha Folha aonde tinha a redação para ficar preparada para quando meu nome fosse chamado.

Cameron, juntamente do diretor e de mais alguns professores subiram no palco e caminharam para perto do microfone estrategicamente posicionado no meio dele.

- Bom dia, alunos. - ele sorriu e alguns poucos deram bom dia de volta para ele. - Então hoje começaremos a mais nova tradição anual desse Colégio. "A leitura de textos sobre o mundo.". - ele sorriu novamente e Aaron fingiu um bocejo alto para que eu escutasse, mas baixo para que o diretor não.

Tranquei o maxilar e me preparei para me virar e começar a bater boca com ele, porém Camila segurou meu braço e me olhou como se dissesse que não valia a pena, o que me fez bufar e assentir.

Para a minha surpresa, ou não, eu fui a primeira a ser chamada, por conta do meu nome começar com a letra A. Me levantei, ajeitando a minha saia e foi eu SÓ ter andando dois passos que escutei o babaca do Aaron falar:

- Então você não é um completo desperdício. Tem um corpinho gostoso eim, Mendes. 

Eu me virei incrédula para ele, enquanto alguns outros pias riam do comentarios ridículo que ele tinha dito ao meu respeito.

- Qual é, cara? - Jack falou incrédulo com ele também. - respeita a irmã do teu amigo! 

- Ata. Por que se eu não fosse irmã do Shawn, eu não iria merecer o respeito dele não é? - eu falei irritada, olhando do capeta para Jack, que me olhou meio atorduada pelo o que eu havia faladom neguei com a cabeça e seguintes em frente, subindo as escadinhas e parando quando ia passar por de trás das cortinas  e Cameron segurou o meu braço.

- O que ele disse? Não deu para escutar direito daqui. - ele falpu sério, mas parecia preocupado, provavelmente ppr a minha cara estar fechada.

- Ele disse o que costuma dizer: merda. - bufei, jogando meu cabelo para tras e ele assentiu, negando com a cabeça e olhando para baixo, parecendo pensar.

- Amanda? Se perdeu ai? - o diretor me chamou novamente, tentando me enxergar, mas aonde estávamos era meio escuro.

- Espero que isso de certo, Cameron. As coisas estão precisando mudar por aqui. - falei seria, dando a volta nele e aparecendo para todos após sair de trás das cortinas.

- Ah! Ai está ela. - ele sorriu para mim e eu sorrio de volta. - vai la. - ele me indicou o microfone e eu respirei fundo antes de começar.

Então a manhã se seguiu. Achei que era somente a nossa turma que tinha esse trabalho para fazer, mas Cameron pareceu ter envolvido a escola inteira.

As aulas ja estavam acabando. Os últimos alunos já estavam chegando para lerem também.

Aquilo estava um saco. Os textos, na maioria das vezes, eram sempre a mesma coisa. Pareciam que nem ao menos haviam se importado em escrever algo decente. Apenas jogaram algumas ideias ou copiaram da internet.

- Nash Grier. - o diretor chamou e Nash ficou tenso de repente.

- Vai la e arrasa, amigo! - Camila disse com a sua animação de sempre e o incentivando

Nash sorri não escondendo o quão nervoso está  e caminha até o palco arrancando o olhar de muitos e a risada do Aaron. Ai como eu odeio esse Aaron!


- Cada dia está mais em ênfase o tema. Até a mídia está tentando chamar a atenção para a questão. Mas os homossexuais continuam a sofrer terríveis preconceitos, discriminações, atrocidades em uma sociedade que se diz moderna.Pôxa! Ninguém nunca parou para pensar que os gays são pessoas normais como qualquer outra?! Ou não mesmo. Eles são muito melhor que os que se dizem normais.Dizer que eles matam um leão por dia é pouco. Eles acordam matando um leão. Desde a hora que eles saem às ruas todo dia, eles são vítimas de preconceito, de gracinhas de qualquer tipo. Se um heterossexual já se sente incomodado com um simples olhar estranho de uma pessoa… às vezes acaba querendo sair para briga, tirar satisfação por se sentir incomodado, imaginem um homossexual que passa o dia inteiro tendo que aguentar essas coisas, simplesmente porque ele não ama quem os outros gostariam quem ele amasse.- ele da uma pausa e respira.- E olha que estou falando de amor!!! Ele não está fazendo nada mais que amar uma pessoa diferente das que os outros ACHAM que ele deveria amar. Ele não está fazendo mal para ninguém. Apenas amando, respeitando a SUA própria escolha sexual, sentimental. Como ele respeita a de todos os demais, já é mais do que hora de “os normais” respeitarem a dele, não?! E principalmente, respeitarem eles como indivíduos, cidadãos de DIREITOS como qualquer outro.Os homossexuais passam por tantas coisas, e ter ainda que aguentar mais essa de serem chamados de doentes?! Por favor! Cada um faz suas escolhas! Não somos iguais e ponto final. Não gostamos das mesmas coisas. Ninguém é obrigado a nada. Porque eles tem que gostar do que decidiram que devem gostar ou… cortem-lhes a cabeça?!Muitas pessoas que já ouvi conversarem sobre o assunto, a primeira coisa que falam sobre homossexual é: “nada contra! Mas longe de mim! Imagina um filho homossexual?! Deus me livre!”Qual o problema em um filho, filha homossexual? É apenas uma questão de preferência sexual. Essas pessoas que pensam isso, que Deus as livre sim, de um (a) filho (a) metido com drogas, ladrão, assassino, homofóbico…- sinto uma lagrima cair de meus olhos e vejo que a Camis chora de soluçar.- Em alguns países, homossexualismo ainda é crime.No Egito, é condenado à prisão.No Iraque, é açoitado em praça pública.No Irã, é enforcado.No Afeganistão, é apedrejado até a morte.E depois dizem que homossexual que é doente.- Nash diz chorando.- Um homossexual é uma pessoa igual a qualquer outra. Carinhosa, amorosa por demais. Valoriza sua família, amigos, companheiro, trabalho. É uma pessoa responsável, competente.Muitos estão discutindo a depressão juvenil, mas para pais e mães fica aqui uma reflexão:

- Seus filhos sabem que são amados e aceitos independente de qualquer coisa? Eles sabem que podem ser gays, ou fazer uma tatuagem, independente se irão se arrepender no futuro... ou não prestar vestibular para medicina e ainda assim serão amados?O suicídio já matou milhares de jovens ao redor do mundo, mas o medo de não ser aceito e amado pela família ja matou milhões !Já está mais do que na hora dessa palhaçada de homofobia ter fim. Para mim, HOMOFÓBICO É QUEM TEM MEDO DE SE ASSUMIR! - ele diz em um sopro, e vejo que meu amigo disse tudo o que ja estava entalado em sua garganta a muito tempo.

Nash então para e respira fundo para que possa terminar seu texto.


- Depois do preconceito, vem a igualdade.Depois da discriminação, vem a aceitação.Depois da condenação, vem a liberdade.Assim como depois da chuva, vem o sol.Entendeu por que o símbolo gay é o arco-íris? -ele finaliza e espera que Cam o libere.

 

 


Depois que Nash termina de ler, eu e Camila levantamos chorando , aplaudindo e berrando e podemos ver também que uma grande parte do colégio se comoveu com o texto dele.

- Era isso que eu estava querendo pessoal, que vocês pudessem se entregar aos textos. Espero que na próxima apresentação no próximo mês vocês se dediquem mais , ja que a partir de hoje a minha matéria é essencial para que vocês passem de ano. - Cameron diz com olhar de vitoria para os alunos que resmungam na plateia. - Ou seja, se não passarem na minha matéria, independente de ter passado em todas, irá reprovar.

Assim que ele termina de falar o sinal toca e todos vão embora do auditório direto para a cantina para passar o tempo de hora vaga antes de ir para casa.

Quando o intervalo acabou todos estavam seguindo para o estacionamento direto para os carros e antes que a Camila possa subir na moto do Cameron eu a puxo:

- Amiga, se arruma lá em casa hoje para a festa!! E-eu meio que preciso de ajuda- digo gargalhando

- Claro amiga!! Vou só passar em casa para buscar as minhas coisas, tomar um banho e dar uma descansada ta?

- Ta bom... você vai que horas mais ou menos? Só para eu saber até quando posso dormir.- pergunto a ela.

- Umas 18 ta bom? Porque já são 13 e a festa começa as 21 ... / ela diz

- Ta ótimo!! Até mais tarde Cams!

-  Até mais Nanda. - ela diz enquanto eu entro no carro e logo depois o Shawn da a partida.


Quando chegamos em casa eu fui direto para o banho e secar meus cabelos, para que eu pudesse dormir até a hora da minha amiga chegar.

Assim que terminei minha higiene matinal e de arrumar os cabelos, os prendi em um rabo de cavalo frouxo para que não ficasse marcado, pus um blusão, arrumei meu despertador para 17:50 e me deitei para dormir.


Acordei com um barulho estridente que percebo ser o despertador. Me levanto e pego no armário as roupas que pensei em usar hoje a noite quando a campainha toca.


Desço correndo para atender, mas quando chego no andar de baixo vejo meu irmão parado na porta com cara de bobão e quando me aproximo mais para ver quem era, vejo minha amiga toda corada.


Eu to dizendo, ainda vai rolar algo entre esses dois.


Notas Finais


Eu chorei mtttt ao escrever esse cap e espero q tenham se emocionado tanto qnt eu!!
Enfim... amanha venho com o 6 cap pq estou ansiosa p postar o 7 kkkkkk
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...