História Seconds to know him - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Jin, Namjin, Namjoon, Nekoslover, Rap Monster, Segundos, Vhope
Exibições 52
Palavras 3.550
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Lemon, Lírica, Mistério, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Suspense, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


QUEM É VIVO SEMPRE APARECE NÉ NÃO?

E AÍÍÍÍÍÍÍ PESSOINHAS LINDAS E MARAVILHOSAS
TUDO BOM COM VOCÊS?

Eu to animada desculpa
Assustei alguém com a notificação? ashuashuashuashu
Enfim
Eu finalmente estou de ferias (não oficialmente, por que ainda tem a feira de ciências, MAS EU NÃO TENHO MAIS AULA NESSE ANO)
Eu acabei de terminar o capitulo, ta saindo no forno e tem bastante coisa interessante nas entrelinhas de cada paragrafo (ou será que não?)
O que vocês tão fazendo aqui ainda? Vão ler logo esse capitulo lindo
Nos vemos nas notas finais!

Capítulo 6 - Seconds to break the rules


Segundos para quebrar as regras...

 

 

 

Era de manhã cedo quando Jin sentiu a claridade do sol tocar seu rosto branco e seus olhos, o acordando de sua noite perturbadora.

Abriu os olhos levemente e então os fechou novamente com força, sentindo a claridade lhe incomodar, sabia que não passavam das seis da matina, mas se quisesse sair de casa sem estar atrasado e com menos chances de bater de cara com o pai no corredor dos quartos, teria que se levantar logo.

Ainda sonolento e com os olhos semicerrados, Jin tentou se levantar, mas se movimento de se sentar na cama fez com que ele quase caísse pra trás, tendo que apoiar sua mão atrás de suas costas, gemeu baixinho de dor e arfou.

Por alguns segundos ele conseguiu escutar sua própria mente lhe dizer uma frase que lhe era bastante repetitiva, mas que nunca se lembrava depois.

“Uma dor absurda no outro dia”.

Delicadamente, ele apoiou a outra mão na cama e passou sua mão esquerda pelo quadril, prendendo o lábio inferior entre os dentes e tentando segurar seus gemidos de dor, aquela área estava drasticamente danificada, suspirou ao tirar a mão daquela área, ele sabia que não podia fazer nada para melhorar aquilo, pior ainda, teria que fingir que não tinha nada, mesmo que sentisse aquela dor em quase todo movimento do corpo.

Respirou fundo, não sabia que o outro chute que o pai lhe deu pioraria a situação, mesmo sabendo que podia acontecer. Levantou-se devagar e mancou até a janela, fechando-a, estava quase desistindo de ir à escola naquele dia, mas se seu pai lhe visse ali no horário de aula, ainda mais bêbado novamente, e ele sabia que o pai estaria bêbado, ele provavelmente iria parar no hospital. Com esse pensamento ele pegou uma pequena cartela de remédios contra a dor, ela já estava quase no fim, e infelizmente Jin não tinha dinheiro para comprar outra tão cedo.

Foi em diretamente até o banheiro, engolindo o comprimido a seco e se olhando no espelho, estava acabado como sempre, mas Jin jurava que tinham algo novo ali, como um novo brilho em seu olhar, sua pele pareceu corar mais, as olheiras de inúmeros pesadelos pareceram diminuir, e ele se permitiu sorrir, talvez o remédio estivesse lhe deixando maluco, mas se sentia melhor assim.

Abriu a porta de espelho que tinha no banheiro e viu ali alguns outros remédios, e um pouco de maquiagem, que quase nunca tinha vontade de usar, mas hoje ele tinha.

Foi passando devagar, produto por produto, não que soubesse perfeitamente como usar e fosse um expert, longe disso, mas ao menos, ele sabia cobrir os poucos defeitos que tinha, mesmo não sabendo que era tão belo.

Havia ainda um lápis de olhos, que ele, como um bom perfeccionista, passou delicadamente acima dos olhos, admirando seu próprio reflexo com o belo resultado.

Voltou rapidamente ao quarto e pegou seu uniforme, o vestindo com o maior cuidado para não tocar nos machucados, pegando sua mochila e saindo delicadamente do quarto para não acordar o pai e acontecer outro problema. Sua irmã havia dormido na casa de Min, então Jin não precisava se preocupar em acordar a menor e lhe preparar café da manhã.

Apesar disso, quando passou pela cozinha, o moreno parou perto da abertura que levava até a mesma, sorrindo levemente ao se lembrar de seu expediente do dia anterior.

“Acho que não faz mal...”.

Caminhou em passos lentos até a geladeira e abriu, vendo que no meio das verduras e carnes que usava para preparar as refeições tinha uma vasilha de morango, já que a irmã tinha o mesmo vicio dele. Pegou três de uma vez e fechou a porta da geladeira, seguindo seu caminho até a porta e então fechando a casa e caminhando até o típico prédio branco para onde obrigatoriamente tinha que ir todos os dias, levando os morangos na mão e os comendo aos poucos, apenas por que ainda não estava acostumado a comer, mas decidiu, depois de quase quatro anos passando mal diariamente, ao menos tentar.

Ele já estava sendo salvo, mas sequer sabia disso.

 

 

 

 

 

Assim que atravessou o portão da escola, Jin escutou chamarem seu nome em um grito. Desviou o olhar do chão e olhou para frente, onde encontrou o dono das cabeleiras morenas com as pontas da franja antes descoloridas e agora tingidas de verde escuro, riu baixinho negando a cabeça com a loucura de Taehyung, que pulava no meio do pátio com os braços balançando freneticamente, para chamar a atenção do mais velho, não só ele como Jimin e Hoseok, o que tornava a cena muito cômica.

—Certo, meninos, certo. — Jin pronunciou com a voz levemente risonha ao chegar ao grupo —O que foi, hm? Por que estão tão animados?

—Porque você esta conosco, Hyung! — Jungkook pronunciou prontamente, fazendo o mais velho corar levemente e apertar os lábios em uma linha, ainda se perguntando se era uma boa ideia permitir aquilo.

—Isso me lembra! —Taehyung puxou sua mochila de lado, desapoiando uma das alças de seus ombros e a abrindo, puxando prontamente a pelúcia que Jin havia se encantado quando foi na sua casa, mostrando seu típico sorriso quadrado ao ver o brilho nos olhos de Jin —Mon Hyung disse que você aceitou...

—Aceitei mesmo. — o moreno disse, pegando o boneco das mãos do outro e o apertando contra o corpo, como uma criança que acaba de receber o brinquedo favorito, cheirou levemente o pano em seus braços e sorriu de maneira fofa, causando um sorriso em todos os outros presentes — Como você e o Namjoon se encontram todos os dias?

—Ah... Namjoon Hyung sempre foi muito bom em todas as matérias, mesmo sem estudar quase nada, como eu sou meio avoado, apesar de só ter pulado um ano, e Jungkook é dois anos adiantado, ele nos ajuda.

Principalmente matemática num geral. — Jungkook pronunciou, fazendo com que seus Hyungs rissem — Sério, Jin Hyung, não sei como você, Jimin Hyung e Namjoon Hyung coseguem. — Jin sorriu da afirmação do seu dongsaeng, logo se lembrando de algo que Taehyung disse.

—Você é dois anos adiantados? — perguntou ao mais novo, vendo ele assentir —Estranho, dizem pelos corredores que foi só um ano.

O de cabelos negros bufou baixinho.

—Eu não acredito que continuam com isso. — o mais velho franziu levemente o cenho —Eu disse aqui no primeiro dia que era dois anos adiantados, mas ninguém pareceu acreditar em mim!

—Não fique assim, Jungkook Ah, sabe que fazem isso para te incomodar. — Jimin disse com sua voz aguda e doce, logo se virando para Jin —Eu e Taehyung somos um ano adiantados, eu sempre fui colega de Jungkook, e ele sempre foi muito incomodado com isso...

—Não deixe que te incomodem, Jungkook. — o mais velho se virou para o outro, esboçando um sorriso leve e gentil, apesar de ninguém ter lido a leve tristeza por trás de seus olhos —Só você sabe a verdade afinal...

—De qualquer forma... — Taehyung continuou, mesmo que meio desanimado —Nós costumamos ensaiar juntos nas quintas!

—Ensaiar? — perguntou o mais velho confuso.

—Sim, Hyung, temos uma espécie de grupo de música. — Taehyung mostrou seu sorriso quadrado novamente ao responder —Então todas as quintas nós revemos musicas e ensaiamos.

—E Namjoon não parava de dizer o quanto seu sorriso é perfeito e que você tem a voz perfeita de um vocal. —Yoongi completou, aparentemente sem notar, já que mexia no celular, Jin olhou-o com os olhos arregalados e as bochechas vermelhas —Ai,desgraça! — reclamou o de cabelos verdes, tirando os olhos do celular —Porque me bateu, projeto de anão de jardim? — alisou o local atingido, olhando de canto de olho para o ruivo ao seu lado.

—Não era você que devia dizer isso, hyung idiota! — Jimin o respondeu, olhando-o com raiva fingida.

—Primeiro, olha aqui, me respeita que eu sou mais velho. — Suga deu um peteleco na orelha do mais novo, que soltou um resmungo baixo —Segundo, eu estou só preparando Seokjin para quando o Namjoon deixar de ser trouxa, ou seja, nunca, então alguém tem que dizer. — voltou o olhar para o celular —Terceiro, mentira não é, então eu tenho todo direito de falar também.

Jin corou mais um tanto com o elogio, escondendo um pouco do rosto com o boneco e sussurrando um “Obrigado”, fazendo todos rirem com a fofura de seu Hyung.

— Falando no Mon Hyung... — Jungkook olhou para todos, abraçando os ombros de Jimin —Onde ele está?

—Ele acabou de chegar. — apontou Hoseok, fazendo todos olharem para o portão.

Do lado de fora, uma moto foi estacionada, era quase toda preta, com poucos detalhes em prateado, na parte da frente, perto do vidro, estava escrito em Hangul, e logo abaixo em letras romanizadas, o título “Rap Monster”. Namjoon tirou o capacete e arrumou o cabelo descolorido, logo abaixado-se para prender a moto. Diversas garotas suspiraram e Jin fez uma careta, achando idiotisse aquela ação das garotas por alguém tão normal quanto Namjoon. Logo fez sua típica cara impassível, como se nada pudesse lhe atingir.

O que, bem, já sabemos que é uma tremenda mentira.

—Bom dia! — Namjoon falou alto, demonstrando uma falsa animação, mas a parte falsa não passou despercebida dos olhos de Seokjin, depois de guardar o capacete dentro da moto —Jin? — sorriu para o mais velho, mostrando suas covinhas e o deixando meio sem ar, mesmo sem ter entendido por que — Você veio mesmo! — o sorriso do platinado aumentou à medida que ele chegava mais perto do moreno, assim que parou ao seu lado, levantou a mão e bagunçou os cabelos incrivelmente macios do outro —Bem vindo ao grupo, pirralho!

—Ei! —Jin desviou da mão que lhe fazia o “carinho” —Já não basta o apelido de ontem? — fez uma cara emburrada, claramente indignado —Eu sou mais velho que você!

—Mas é mais baixo.

—E isso importa?!

—Não querendo atrapalhar essa paquera, mas já atrapalhando... — disse Yooongi, já sem o celular nas mão, fazendo todos se virarem para ele —... Que apelido ele criou pra você?

—Verdade. — Jimin olhou o mais velho com o cenho franzido —Mon Hyung pode ser um incrível “Amigo de todos”, mas não costuma dar um apelido a quem pouco conhece...

Jin corou forte e esconde completamente o rosto no boneco, ao passo que Namjoon riu, abriu a boca para responder, mas no mesmo segundo o sinal tocou, o mais velho destampou os olhos, ainda corado, e pronunciou um “Vamos” baixinho, caminhando para dentro do prédio e sendo seguindo por todos, sobrando apenas Suga e Namjoon do lado de fora. O de cabelos verdes olhou para o mais novo, claramente esperando uma resposta.

—Princesa... — respondeu a pergunta não feita pelo outro, sorrindo de lado.

—Sabe que não está me convencendo de que é hetero agindo desse jeito com Seokjin, não sabe?

—Que droga, Suga! — bagunçou os cabelos platinados —E quem disse que eu sei como estou agindo? — bufou— Esse garoto vai me deixar louco...

—Eu já te expliquei o por que de se sentir assim, mas você não me escuta...

—Encerre esse assunto, por favor.

—Quanto mais você nega, mas eu tenho certeza do quanto gosta desse garoto, Namjoon.

—Não estou negando! — desviou do portão de entrada.

—Mas está fugindo!

—Só não estou com saco pra isso, vou ficar lá em cima, talvez assim consiga compor alguma coisa. — o mais novo já fazia o caminho para contornar a escola.

Yoongi suspirou.

—Eles brigaram com você de novo, não foi?

—Eles sempre brigam... — Namjoon se virou para o mais velho —Eu não entendo, Hyung, por que eles não podem me apoiar?

—Também queria saber, criança. — foi até o outro e puxou seu pulso, caminhando para dentro do prédio —E deixe para matar aula depois do intervalo, temos um trabalho para apresentar.

—Não precisa me puxar, Hyung! — balançou a mão, fazendo o outro soltá-lo,

—Aposto que se fosse Seokjin segurando seu pulso, você não falaria nada.

—Cale a boca.

 

 

 

 

—A gente vai tirar nota máxima nessa porra! — Jungkook saltou nas costas do ruivo, gritando para todo corredor a sua alegria.

—Você disse o que, Jeon Jungkook? — Jin olhou bravo para o mais novo, apesar de parecer mais uma pessoa sem expressão alguma.

Todos os outros cinco riram baixo, sabiam bem o quanto Jungkook podia ser provocante e cabeça dura, e sentiam pena de Jin por tentar calar a boca do maknae.

O que eles não esperavam era que, depois de sussurrar um “Nada não, Hyung”, ele realmente descesse das costas de Jimin e se calasse. Todos olharam assustados para o moreno mais velho. Namjoon mais que isso, o olhou com uma admiração ainda maior que os outros sem que soubesse. Naquele momento todos os seis pensaram a mesma coisa de Seokjin, mesmo que com outras palavras.

“Jin tem uma incrível aura de mãe, e parece sequer notar isso”.

Jin se encolheu levemente, sorrindo de leve, parecia se divertir com as caras de assustados de todos ali, parecia que fazia aquilo tão habitualmente que não notava que o fazia.

—O que foi? — pronunciou calmo, ainda meio encolhido —Não precisam ficar com essas caras, eu apenas di-

E sua fala foi interrompida por um soco cheio de anéis em sua bochecha, o fazendo bater a cabeça fortemente no chão.

Quase não sentiu a dor pelo susto. Quase.

Sem que ele notasse, o grito saiu de sua garganta.

Por estarem um pouco a frente, e pelo susto tremendo, os garotos que agora o nomeavam como amigo demoraram a reagir.

Hoseok segurou Rap Monster, já sabendo do ataque de raiva que logo lhe aconteceria, o platinado trincou os dentes, começando a gritar para que o outro o soltasse, Jimin o segurou junto ao moreno, Jungkook e Taehyung entraram para mais dentro da escola, para chamar o diretor e Suga tentava tirar o garoto de cabelos vermelho de cima de Seokjin. O mesmo não parava de o socar, claramente chorando e com raiva, pouco se importando com o quase inconsciente abaixo de si.

—É sua culpa! É tudo sua culpa! — gritava sem piedade o garoto choroso —Acabou com meu relacionamento! Acabou com a minha vida!

Os olhos de Jin estava, semicerrados, ele teimava em tentar se manter ali, acordado, sua cabeça estava molhada de sangue e sua visão turva, a ponto de não saber se era mesmo ele ali.

Tudo que conseguiu ver foi Namjoon se soltando de Hoseok para então tirar Jooheon de cima de si e lhe acertar um soco, depois disso tudo para si se tornou um borrão e então preto.

 

 

 

 

—Isso está errado... — e mais uma vez a primeira linha do caderno foi apagada.

Namjoon olhou de novo para a cama hospitalar ao seu lado, não gostava de hospitais, nunca ia em um quando fuçava doente e seu psicólogo o atendia em casa. Mas ele abrirá um exceção daquela vez, era Jin deitado naquela maca, seu olhos estavam fechados com leveza, como se apenas dormisse e sonhasse algo belo. Os garotos haviam pedido que ele ficasse ali até o mais velho acordar – O que não demoraria muito – já que todos precisavam ir pra casa e alguém tinha que estar lá quando Jin acordasse, Namjoon não costumava fazer nada em casa mesmo, então não se importou muito.

Secretamente, ele pensava que ficaria ali, mesmo que não fosse escolhido para ficar.

Virou-se para o caderno e então para Jin de novo, algo em seu interior despertou, ver o mais velho daquela maneira, tão calmo, mesmo agora Namjoon tendo uma ideia que aquela vida não era tão perfeita como invejava.

Seus olhos voltaram para o caderno e seu lápis deslizou sobre a folha, tão naturalmente que nem parecia que estivera com dificuldade de escrever antes.

 

Andal nasseo na andal nasseo

(Estou ficando nervoso, eu estou ficando nervoso)


Niga mwonde? Neoman jallasseo?

(Quem você pensa que é? Você é tão bom assim?)


Wae nareul jakku nollyeo nollyeo

(Porque você esta me testando, testando?)


Neo ije geuman hol’ up hol’ up

(Só pare com isso, espere, espere)

Depois de ler aquelas linhas, que escrevera sem pensar, o platinado franziu o cenho, estranhando uma letra como aquela, já que geralmente suas letras apenas representavam a revolta de viver numa sociedade padrão, aquilo não parecia uma letra sua, demonstrava algo como amor puro e juvenil.

Antes que pudesse pensar em algo mais, Jin acordou num susto ao seu lado, fazendo ele mesmo se assustar também e então repousar o caderno no colo, sorrindo para o mais velho.

Jin olhou para Namjoon, não sabia bem onde estava ou porque o mais novo estava consigo.

 Namjoon sorriu mais ainda, mostrando suas covinhas

—Você nos deu um baita susto, Jin. — fechou o caderno e o colocou do lado da cadeira que sentava, virando para o outro —Como está?

Onde estou? — o outro o respondeu com outra pergunta.

—Onde pensa que está?

—Num hospital... — Jin olhou a sua volta, observando o quarto onde estava, e desviando do olhar do outro, olhar esse que estava o assustando um pouco.

—Descobriu sozinho? — a voz em tom de sarcasmo fez o mais velho o olhar ofendido, encontrando-o com uma das sobrancelhas arqueada e um sorriso divertido no rosto, o olhou com raiva e este deu uma gargalhada —Desculpe... — se endireitou na cadeira — Como está?

—Já pode me chamar de Hyung também...

—Não dificulte as coisas, Jin.

—Estou bem, eu acho... — Jin relaxou um pouco a guarda, mesmo meio sem querer —Só meio tonto... — colocou a mão na testa e a moveu pela sua cabeça, franzindo o cenho —E o que é isso na minha cabeça?

—Gaze. — respondeu o outro, chegando mais perto dele e assumindo uma expressão mais séria —Você bateu a cabeça no chão com força várias vezes, poderia ter morrido se eu não tivesse me soltado de J-hope.

Um arrepio passou pelo corpo de Seokjin, um medo de que chegasse perto da morte, mas que isso, ele estava se sentindo mal com aquela gaze na cabeça.

—E-eles podem tirar essa gaze da minha cabeça? — perguntou constrangido, Namjoon o olhou confuso —Eu não sei por que, mas me sinto mal com isso na cabeça.

—Ainda não. — Namjoon pronunciou, delicado —Vai ter que ficar com isso por um ou dois dias, até os machucados cicatrizarem.

O moreno gemeu incomodado, bagunçando os cabelos que se colocavam acima da gaze, não sabia por que estava tão agoniado, só queria se livrar logo daquilo e daquele lugar, que parecia estar atiçando sua claustrofobia.

—Que horas são? — olhou de novo para o platinado, lembrando-se subitamente de uma coisa.

—Quase seis da noite... — disse após olhar o relógio, vendo o mais velho arregalar os olhos —O que houve?

—Meu trabalho... — sussurrou e Namjoon sorriu.

—Não se preocupe. — balançou o celular travado do ar —Eu avisei a seu chefe que você não pode ir, inventei outra coisa, preferi não espalhar que estava no hospital.

—A Mel...

—Taehyung avisou a Min que você ficaria conosco, sua irmã está na casa dela.

Jin o olhou curioso e um tanto confuso.

—Onde estão os outros?

—Na minha casa, esperando por nós.

—Como é?! — fez uma cara meio indignada.

—Isso mesmo — Namjoon riu da reação do outro —Temos que terminar um trabalho, e eu não acho que vai querer chegar em casa machucado assim — Pegou a bolsa do outro e apoiou em seu ombro —Meus pais estão fora e os meninos já ia ficar na minha casa mesmo... — guardou o caderno e jogou a própria mochila no próprio ombro —Você vai ficar na minha casa comigo e com os garotos.

—Mas... — e então o médico entrou na sala, trazendo o papel para liberar a alta, Namjoon prontamente a assinou.

—Kim Seokjin — o medico disse —Você, além de ter chegado aqui quase morto, tinha um corte muito fundo no ombro direito e um músculo distendido no canto esquerdo do quadril, eu sinceramente não sei como conseguiu andar e carregar uma mochila por esse tempo — Jin encolheu os ombros ao se lembrar de como ganhará os machucados, descendo da maca —Tenha mais cuidado — o outro lhe sussurrou um “Sim, doutor” antes de Namjoon lhe puxar pela mão, rindo e o obrigando a correr pelo hospital.

—Namjoon, devagar! — Jin gritou enquanto desciam as escadas, enquanto o outro continuava rindo —Namjoon, eu vou cair dessa-

Antes que pudesse terminar a frase, sentiu o chão faltar abaixo de seus pés, fechou os olhos, pensando o tempo todo que bateria a cabeça de novo e pioraria seu estado.

Mas qual foi a surpresa de, tão rápido quanto a sensação de que ia cair, lhe veio a sensação de que estava estável, quando abriu os olhos encontrou Namjoon bem na sua frente, segurando firmemente sua cintura e o erguendo do chão, o fazendo ficar exatamente da altura de seu rosto, o que fez Jin perceber que estavam perto demais.

—Eu não ia te deixar cair — firmou o mais velho no degrau, o puxando até que saíssem do hospital —E se caísse, eu ia te salvar, quantas vezes for necessário eu vou te salvar.

Jin ruborizou com a fala, o olhando meio pasmo e envergonhado, o mais alto sorriu.

“Adorável”

—Vem! — Namjoon voltou a puxá-lo —Vamos correr!

Jin apressou o passo, vendo o outro sorrir, sentindo a brisa contra seu rosto, vendo a ultima e brilhante luz do dia lhe dar adeus no horizonte.

Tudo fazia seu peito explodir em alegria, e ele não controlou a alta gargalhada que soltou no ar.


Notas Finais


Ufa!
e aí gente, alguém vivo depois da notícia do Tuor?
Mintira, tu tá aí chorando até agora que eu sei.

Gente, eu queria dizer uma coisa.
Por mais que eu demore MESES pra postar EU NÃO VOU DESISTIR OK? Isso aqui é meu amorzinho e eu tenho certeza que vou chorar PAKAS quando isso acabar (NÃo, não ta perto, tem acho que uns vinte capitulos pra frente).

Enfim, eu espero que vocês tenham gostado e vejo vocês na prova
Annyeong~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...