História Secret - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 312
Palavras 1.142
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Tenham uma boa leitura, e perdoem qualquer erro ou bugue. Essa fic vai ser bem porreta c"; se não agüenta nem leia.

Capítulo 1 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction Secret - Capítulo 1 - Prólogo.


    Hoseok era um rapaz feliz. Ah, sim, ele era. Seu sorriso era analgésico, antialérgico e até mesmo anti-estresse para as pessoas. Sua feição, ao contrair o belo sorriso, era serena, os olhos viravam, literalmente, 'U's' de cabeça para baixo, as maçãs bem feitas de sua bochecha ficavam mais cheias e a pinta adorável em seu lábio superior – canto direito – se destacava com os dentes impecavelmente brancos, alvos e, sem uso de aparelhos, perfeitos. É, geralmente ele era assim. Geralmente...


    Apesar da forte atração que as pessoas tinham por seu amor, bondade e amizade, Jung sentia-se, completamente, sozinho. Chegava em casa, jogava a sua mochila no chão da sala, se jogava no sofá e relaxava, depois de almoçar, assistindo algum programa. Sua mãe, uma mulher em seus 40 anos de idade, fios grisalhos e bem aparentados em meio ao pouco negro, os olhos pequenos e bochechas rosadas. Tão pequena. Ela não agüentava mais ver o filho assim, lhe doía o coração. 


    Hoje, mais um dia – exatamente terça-feira, 1:47 PM –, lá estava Hoseok, com a veste da escola e os sapatos jogados no meio da sala junto a mochila, típico de um adolescente em seus dezoito anos. Normal, ele era homem. Mudava os canais, com uma expressão borrada, mas visivelmente tediosa. Todo o mesmo bendito programa em todo maldito dia, praguejava o rapaz de fios escuros como ébano, completamente pretos, como os da mãe – com a diferença dos fios brancos. A franja lhe caía sobre a testa, lhe dando um ar de galante e cavalheiro, mesmo com aquela mistura de rebeldia e independência da adolescência. 
 A mãe do rapaz apareceu, satisfeita após ter almoçado com o filho. Sim, são apenas os dois. O marido de Hani havia os deixado à trabalhos no exterior. Estava longe. Sem notícias à exatos sete anos. Foi meio traumático para Jung ter 'perdido' o seu pai na pré-adolescência. Isso poderia ter resultado em um garoto rebelde. Bem mais do que já é, digamos. A mãe preocupada então, tocou no topo da cabeça do rapaz, alisando os fios escuros com uma linha tênue, sorrindo ladina ao perceber que Hoseok amava aquilo. Seus olhos se fechavam para sentir as mãos macias da senhora ali. — Hoseok, meu filho... – A mulher disse em seu típico timbre preocupado. — Creio que não está nada bem contigo, hm? Não quer conversar com a omma? – Hani sentou-se ao lado do maior, colocando uma mão sob sua própria coxa. 


— Sobre o que, mãe? Já sei, tirei notas baixas de novo? – Praguejou Jung, já revirando os olhos e colocando polegar e indicador na testa. Hani riu. 


— Não, meu amor... Não foi isso. Você está ótimo com suas notas. – O mais novo a olhou confuso. 


— 7,0 e 8,0 consecutivos são algo ótimo para você, senhora Jung? –  O moreno suspirou a olhando, desviando as orbes negras para a televisão. 


— Jung Hoseok. – A mais velha chamou.


    Naquela hora, o rapaz percebeu que era algo sério, já que, por costume, sua mãe não o chamava pelo nome completo. As íris pintadas de um negrume intenso prenderam na feição da mulher, esta que, por sua vez, encaixou as pequenas mãos no maxilar do filho. Sua cabeça remexeu negativamente. — Por que não me diz o que está acontecendo, hm? – Perguntou, arrancando um bufar. 


— Mãe... Eu só... Eu não sei. Quer dizer, eu te amo muito, você é uma boa companhia... Mas, as vezes, eu me sinto complemente sozinho. Não é culpa sua, não ache que não me dá atenção ou algo assim, você é uma mãe perfeita, mas eu não sei... Apenas me sinto só. Mesmo com tantos amigos. – Hoseok havia desabafado e, consequentemente, abrindo os olhos da senhora. Era normal um adolescente sentir falta de outros tipos de companhia que não fosse a dos pais, principalmente alguém como Hoseok, que atrai muitas atenções para si com o seu jeito bobão e divertido, mas que, de fato, não tinha bons amigos. O mais próximo disso era Jeongguk; seu primo. Jeon era um rapaz bonito, posso falar que pode ser até mais másculo do que Hoseok, que prefere viver uma vida mais leve do que passar o dia todo numa academia. É, seu primo era, realmente, um chamado fitness. Os músculos pré-definidos pelo corpo, costas delineadas, coxas musculosas e um abdômen definido. Ah, sem falar em seus bíceps, eram enormes, principalmente quando os contraía. Também posso dizer, como narradora, que aquilo, também, era normal na adolescência. Queria impressionar as garotas e manter um físico 'gostoso' até que se tornasse um velho. Como se, aos 70 anos, ele pudesse estar da mesma maneira que agora, em seus 18.


    Depois da pequena conversa com sua mãe, Hani, Jung tentou ir deitar um pouco, dormir para que, amanhã no dia de prova, estivesse de cabeça boa e bem descansado.


                                   ✏︎✎✐⚬⚬⚬


    O sorriso divertido no rosto da mulher era grande. Carregava com firmeza a caixinha na mão, como se fosse uma coisa muito preciosa. E era. Suas bochechas estavam ainda mais rosadas graças ao fluxo sangüíneo acelerado, já que, por estar feliz, seu coração batia mais rápido. Se fosse para a felicidade do seu menino, ela estaria feliz também. 


    Os passos eram cuidadosos mas apressados, eram 4:53 PM, a luz gostosa do sol fraco entrava pela sala, dando uma visão bela das árvores criando sombras lá fora, com o canto dos pássaros de plumagem bela e majestosa, assim como a sua posição e vôo. Era possível vê-los do quarto do garoto, qual a mãe adentrava cautelosa, deixando a caixa que trouxe, repleta de furos, na estante ao lado da cama de Hoseok. — Filho? Acorde... – Ela o chacoalhou, com a voz fraca, soava-a de maneira divertida. O garoto praguejou manhoso, apertando o travesseiro em suas mãos. — Tenho uma surpresa... – E então um olho se abriu. Jung logo estava sentado na cama, de cara amassada e feia, fios desconectados e ossos sendo estralados entre um espreguiço e outro. 


— Que, mãe? Que supresa...? Que caixa é essa? – Hani apertou os próprios lábios, pegando o objeto de papelão e deixando no meio das pernas do mais novo. A caixa se moveu. Parecia ter algo ali dentro. E eu lhes digo; tinha. Jung, hesitante, tocou na tampa do mesmo material da caixa, abrindo-a e... — Um gato? – O adolescente não sabia o que fazer, se sorria ou achava estranho. O filhote era claro, pelagem branca como a neve, olhos escuros e feição bonita, era pequeno, aparentava ter três ou dois meses de vida. — Ah, mãe... Valeu... 


 A mais velha apenas assentiu, vendo o quão satisfeito o menino aparentava estar. Hoseok o pegou, esbanjando um sorriso lateral. Era manhoso. — Yah... Rapa- É rapaz? – O Jovem olhou a genitália alheia, é, ele era macho. — Como irei lhe chamar... Huh? – Sorriu mais uma vez, acariciando a extensão do pequeno corpinho com cuidado e delicadeza, escutando o ronronar do bichinho preguiçoso. — Suga, porque você é branquinho e doce.


                                ✏︎✎✐⚬⚬⚬
 


Notas Finais


Ta fofinha por enquanto -q
Iae, ta bom isso? Comenta :') isso irá me ajudar se os capítulos estão lhes agradando e me ajuda a continuar a escrever também; já que é meio chato você achar que ta escrevendo pro vento. Críticas construtivas são bem-vindas 🙆 E obrigada por ler ^u^ posto o próximo logo quando estiver na hora certa, já que ele está quase pronto.

Beijos no rabo ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...