História Secret Coffee - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kakashi Hatake, Karui, Naruto Uzumaki, Sai, Shikamaru Nara, Toneri Otsutsuki
Tags Naruhina, Naruto, Revolução Naruhina, Universo Alternativo
Visualizações 60
Palavras 3.633
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Repostando...
Boa leitura :3

Capítulo 3 - Kakigori


Fanfic / Fanfiction Secret Coffee - Capítulo 3 - Kakigori

Capítulo 3

Kakigori

Kakigori e uma raspadinha de gelo onde é

acrescentada uma calda aromatizada.

Na manhã seguinte Hinata acordou extremamente abalada pela forma como Toneri a tratou, primeiro um aperto em seu braço e agora um tapa? Enquanto ela se olha no espelho do banheiro ao mesmo tempo se questiona o porquê de estar passando por isso, como uma excelente profissional, esclarecida e independente, se deixara sofrer essas violências de um homem que um dia tanto amou, mas que hoje era um monstro, no qual ela queria se livrar com todas as forças, mas isso ainda não era possível, pois esse monstro não aceitaria a separação.

— Como cheguei nesse inferno meu kami?

Hinata voltou para a cama para pegar sua bolsa e começou a procurar o que seria sua “carta de alforria”.

— Aqui está! — Sorriu enquanto encarava o cartão do secret coffee, juntamente com o número do celular de Naruto.

Ela desejava com todas as forças ligar para ele, mas o que falaria? Qual motivo usaria para aquela ligação? Por mais que o Uzumaki demonstrasse ter interesse, ela não tinha coragem o suficiente para tamanha ousadia.

— Pense Hinata, pense... Grrr.

Foi quando se lembrou que não havia decidido sobre a nova reportagem que faria, reportagem essa que ela deveria ter comentado com seu chefe.

— Nada melhor do que propor uma entrevista com ele, acho que ele não irá recusar já que se trata de uma grande divulgação de seu negócio e o secret coffee é de fato um lugar bem diferente. Vou ligar...

Ela então discou o número e iniciou a chamada, não demorou muito e ele logo atendeu.

— Alô!

— Naruto?

— Sim, é ele mesmo.

— Naruto aqui é a Hinata.

— Hinata! Minha cliente mais fiel, o que deseja bela dama?

A morena sorriu com as palavras do loiro, Naruto é um homem extremamente galanteador.

—Bom! Tenho algo a lhe propor...

— Eu aceito!

— O que? Mas ainda nem falei nada, como pode aceitar algo tão rapidamente, e se for algo que não te agrade?

— Vindo de você, não pode ser coisa ruim, tenho certeza.

— Podemos conversar pessoalmente então?

— Te espero em seu lugar favorito.

— Você e sua simplicidade, é realmente uma graça. — Falou enquanto sorria alegremente, pela atitude do loiro. — Nos vemos a noite então, umas 19:00 horas, tudo bem pra você?

— Claro que sim, aguardarei ansiosamente.

— Até mais então.

— Até, bela dama.

 Porém nenhum dos dois encerrou a ligação, apenas ficaram aproveitando a sensação que ambos estavam sentindo naquele momento, eles pareciam dois adolescentes quando estão no início de uma paixão.

— Você não vai desligar? — Perguntou Hinata.

— Não consigo. Sua respiração não me deixa desligar, me pergunto o que você está fazendo comigo, bela Hinata.

— Talvez eu esteja... Tchau, Naruto.

E assim de repente ela encerrou aquela ligação, por mais que seu coração a estivesse levando cada vez mais para os braços daquele loiro, ela não poderia deixar de se sentir culpada, afinal traição nunca foi algo que ela concordou e que muito menos achasse certo, mas como evitar de fazer aquilo que seu coração tanto pede?

Do outro lado da linda, Hinata deixava um homem que já estava completamente apaixonado e naquele momento frustrado por não ter conseguido estender a conversa.

— Foi bem mais rápido do que pensei. Hinata, Hinata, creio que cedo ou tarde você estará em meus braços, e quando esse dia chegar, sem dúvidas será o mais feliz de minha vida. — Falou o loiro com a maior convicção que já sentiu em seus 32 anos de vida.

Ele obviamente já havia percebido que ela era casada, já que viu a exuberante aliança em seu anelar esquerdo, o mesmo sabia que não seria fácil fazer ela aceita-lo, ela provavelmente irá colocar obstáculos devido ao seu estado civil, mas ele não iria desistir, queria aquela mulher com todas as forças de seu ser, e não iria desistir facilmente.

— O que será que ela quer me propor? Que se dane, não importa, contanto que ela esteja aqui.

(...)

Enquanto Hinata dirigia até seu local de trabalho, a mesma não parava de pensar naquela rápida ligação que fez para o loiro, e ficou imaginando no que ele estaria pensando naquele momento, se estava curioso de saber qual era a tal proposta.

— Naruto, você é tão espontâneo que nem ao menos me deixou falar que era uma entrevista. —sem dúvidas aquele dia seria extremamente longo, tamanha era sua ansiedade para encontrar o loiro. — E se eu desse uma rápida passada por lá? Afinal ainda tenho tempo antes do meu horário.

E assim ela fez, poderia ser uma atitude inconsequente? Claro que sim, mas de certa forma aquele tapa que ela levara noite passada se transformou em determinação.

— Eu quero e preciso viver, chega de pensar somente no que os outros irão sentir, chega Toneri...

Pegou o celular e mais uma vez ligou para o loiro.

O loiro que havia salvado o número da perolada, se assustou com a outra ligação da mesma.

— Será que ela quer desmarcar — falou apreensivo.

— Oi Hina, aconteceu algo?

— Na verdade sim. — falou em um tom de seriedade.

— Então... O que foi?

— Estou morrendo de calor e fome, então estou indo até aí, e também...

— Também?

— A noite vai demorar muito para chegar, e eu... Eu quero vê-lo agora — Jogou seus sentimentos de uma só vez, certo ou errado? Isso não importava.

Naquele momento Naruto estava atônito pelas palavras ditas pela perolada, ele não esperava aquela atitude da parte dela. — Então ela também não está aguentando esperar até a noite?

— Naruto? O que foi?

— Nada, estou à sua espera.

— Ureshi! Jya ne, Naruto-kun!

— Hai.

Ao chegar na cafeteria o loiro já a esperava no lado de fora, e a convidou para irem ao andar de cima onde ficavam as salas individuais para leitura.

A morena ficou encantada com no local, mesmo que há muito tempo frequentara aquela cafeteria, ela nunca tinha indo ao andar de cima.

— Que local maravilhoso, tranquilo, e perfeito para uma boa leitura.

Naruto que acabara de trancar a porta se dirigiu até Hinata, que estava parada olhando fixamente para ele.

— Para que trancou a porta?

— Para que? Para que ninguém nos atrapalhe. — Disse enquanto caminhava até ela. — Por que está assim Hina? Não foi você que quis vir aqui? Sei que você quer isso tanto quanto eu.

— Sim, demo.

— Mas o que?

Naruto então tocou delicadamente seu rosto, e Hinata pode enfim sentir o quanto aquele homem transmitia calor, e o toque, o calor, o arrepio que percorria todo seu corpo, foram gatilho que faltava para que ela perdesse a sanidade.

— Naruto?

— O que foi?

— Por favor, me beije... Ima!

— Tem certeza?

Hinata não aguentou e puxou Naruto para um beijo ardente cheio de paixão, Naruto então a agarrou pela cintura enquanto aprofundava aquele beijo, estariam cometendo uma loucura? O maior erro de suas vidas? A verdade e que naquele momento eles não pensavam em mais nada a não ser naquele desejo que já os estavam levando à beira da loucura, Naruto mal podia acreditar que finalmente tinha aquela mulher em seus braços, que estava tocando seus lábios no dela, e que lábios, que beijo...

Mas a necessidade por ar os perturbava, então ele sessaram o beijo e encostaram suas testas enquanto sorriam.

— Eu não acredito que fez isso bela dama.

— Eu não acredito que fiz isso. — Disse enquanto dava um selinho no loiro.

— Você não vai se arrepender, e depois me dizer que não dá mais certo não é? Por que depois de senti-la não será fácil se livrar de mim.

— Claro que não! Mas você sabe que sou casada e...

— Shiiiii, não fale mais nada, eu quero eternizar esse momento e a última coisa que quero é lembrar que você ainda é de outro. — Disse enquanto a abraçava possessivamente.

— Corrigindo, sou de outro somente no papel, pois meu coração é seu e junto com ele tudo o que você quiser de mim.

— De você eu quero tudo! — Falou, e em seguida a beijou novamente.

Hinata aproveitava cada segundo daquele momento, e cada centímetro daquele loiro maravilhoso. Enquanto isso pensava, por que nunca havia sentido aquela sensação com Toneri. Tantos anos juntos, ela nunca se sentira daquele jeito.

—Hum! — Gemeu Hinata entre o beijo. — Está tudo maravilhoso, mas estou morrendo de calor e fome, então... Você tem algo especial para mim?

— Ah sim, você tem a mim para saciar sua fome, e o calor?  Basta irmos para a banheira do meu quarto. — Falou com um sorriso sínico.

— Não é dessa fome que estou falando. — Disse enquanto dava uma tapa no braço do loiro.

— Hum, não é isso que o seu corpo diz, mas tudo bem, me aguarde aqui bela dama.

 —Hai! 

Naruto se retirou da sala enquanto sorria, e deixava uma Hinata cheia de alegria, cheia de vida, sensação que ela a muito não sentia. Ela então foi observar os livros que estavam em uma linda prateleira rustica, depois seguiu para a varanda e ali ficou observando a rua, o céu, até que Naruto retorna com uma bandeja e em cima duas taças de kakigori.

— Ah não acredito! Kakigori?

— Sim!

— Assim vai ficar difícil me afastar de você.

— A intenção é essa. Então... Era essa a proposta que você havia falado no telefone?

— O que? Qual proposta, se eu não falei nada?

— Mas o que foram esses beijos então?

— Ah isso é um bônus. — Falou a perolada que começava a apreciar seu doce gelado.

— Hinata, Hinata. Não vai dizer o que é então?

— Claro que não, pois o combinado era que conversaríamos ás 19 horas da noite. Então espere até a noite.

— Entendo, e vai ter bônus a noite?

— Eu ainda nem saí daqui e você já está pensando na noite? Na verdade o assunto será profissional então nada de bônus. Por isso... Aproveite a promoção.

—Com todo o prazer.

Naruto se levantou, puxou Hinata e a empresou contra a parede.

— É isso que você quer?

— Sim...

— Você me deixa louco.

— Você também me deixa louca.

E mais uma vez eles se beijam, dessa vez um beijo ainda mais profundo, Naruto passeava pelo corpo de Hinata com as mãos, ele queria aproveitar ao máximo aquele momento, então uma de sua mão chegou ao seio de Hinata e a mesma gemeu com aquele toque. Ele então sessou o beijo e começou a sussurrar em seu ouvido.

— Você não faz ideia do quanto a desejo, minha vontade é de rasgar essa sua roupa que separa nossos corpos, e assim fode-la de todas as maneiras possíveis. Diga que sente o mesmo. —Olhou fixamente enquanto descia sua mão até a intimidade da morena. — Diga Hinata.

— Sim, eu quero, quero muito, mas... Ah! Esse não é o momento, você quer me enlouquecer?

Naruto sorriu vitorioso, e aproveitou para dar um último beijo naquela mulher que tanto desejava.

— Eu preciso ir, já está ficando tarde.

— Grrr, certo. Mas a noite você volta?

—Sim, lembre-se que temos um compromisso. Até a noite, Naruto-kun!

— Até, estarei esperando ansiosamente.

— Não mais que eu. Kissu!

Hinata saiu daquela sala com um enorme sorriso no rosto, sem dúvidas ela não se arrependia de ter feito o que fez, ela estava feliz, se sentindo a mulher mais desejada do mundo, e também desejava aquele homem com todas as forças, e após passar pela porta do secret coffee, decidiu que não continuaria naquele casamento só a fazia mal, ela queria mais, muito mais, ela queria Uzumaki Naruto. Ela seguiu para seu carro, e antes de entrar olhou em direção a sala em que estava ainda a pouco e viu quando o loiro mandou um beijo, e assim ela lhe devolveu uma piscada, e entrou no carro seguindo para seu trabalho.

Chegando ao Dialy News, ela seguiu direto para a sala de Kakashi, queria dar a notícia da ideia que teve o mais rápido possível, e mesmo que ele não aceitasse sua ideia, ela não deixaria de ir novamente ao secret coffee.

— Bom dia kakashi-san. Tenho uma ótima ideia para o senhor nesta linda manhã.

— Ora, Hinata! Que bom que chegou, eu já estava achando estranho você não ter falado nada até agora, ainda mais se tratando de nossa melhor jornalista.

— Não é para tanto. —Respondeu envergonhada.

—Mas então, qual é a grande ideia?

— Há poucos meses abriu uma cafeteria muito interessante aqui perto, é um local incrível, como salas individuais para leitura enquanto se pode apreciar um delicioso café é claro, e doces incríveis, inclusive doces japoneses. Então pensei em entrevistar o dono do mesmo, para mostrar como ele teve essa ideia de juntar uma leitura agradável ao café e doces. O que acha?

— Acho que você já deveria ter entrevistado o dono. Aliás, quero o endereço da cafeteria.

— Perfeito, eu já marquei uma reunião com o dono, acho que em três dias terei a reportagem pronta.

— Certo. Ótimo trabalho, como sempre Hinata.

— Arigatou! Com licença.

— Toda.

A mulher saiu da sala do chefe e foi para sua sala, preparar as perguntas que seriam feitas ao seu loiro.

"É isso que você quer?"

— Sim.

— Sim, o que? — Perguntou Ino, sua assistente.

— O que?

— A senhora falou "sim", e eu estou perguntando "sim o que".

— Aaah sim, não, eu só estava pensando alto.

— Entendo, deseja algo então?

— Por enquanto não, pode relaxar Ino, o dia hoje está divino não acha?

— Acho que a senhora está mais feliz que o normal. Isso me deixa feliz.

— Sem dúvidas, estou muito feliz.

 Ela entrou em sua sala ainda aérea, pela maravilhosa manhã que passará nos braços de seu alemão com uma pitada de japonês.

”Já estou com saudades"

— Ino?

— Sim!

— Ino agora eu vou preparar as perguntas para uma nova reportagem, então é provável que eu acabe esquecendo do tempo, por isso me avise quando forem 18:40 certo? Pois tenho um compromisso às 19:00.

— Claro que sim, pode deixar comigo senhora, tenha um bom trabalho.

— Obrigada!

"Que esse dia passe logo Kami...’’

Toneri voltava do almoço com um cliente, quando algumas lembranças da noite passada voltavam a perturba-lo, mas uma ligação cortou essas desagradáveis lembranças.

— Hai, ah é você? Hum, certo nos vemos a noite. Parece que hoje não irei lhe fazer companhia querida esposa.

O advogado rapidamente digitou uma mensagem e enviou para Hinata, avisando que não dormiria em casa, pois iria a uma reunião. Poucos instantes depois o celular da morena avisava a chegada de uma mensagem, porém ela estava muito concentrada em seu trabalho e em certo loiro. Então acabou deixando para ver depois de quem era a mensagem e o conteúdo da mesma. As horas se passaram, e o relógio já marcava 18:40 da noite, quando Ino entrou na sala de Hinata para avisá-la que já estava na hora de seu compromisso. A morena agradeceu a sua assistente, arrumou suas coisas e saiu alegremente de sua sala.

— Até amanhã Ino!

— Até senhora! — Sorriu.

Enquanto a morena caminha até seu carro, pegou o celular para verificar se tinha algo importante, e a primeira coisa que ela viu foi á mensagem enviada por seu marido.

"Não me espere, pois não poderei dormir em casa está noite, devido a uma reunião de urgência. Att Toneri"

— Ótimo, assim terei mais tempo.

Entrou em seu carro e seguiu para o seu refúgio, chamado secret coffee. Quando ela chegou na cafeteria, Naruto ainda conversava com alguns funcionários, provavelmente dava instruções para o próximo dia, ou sobre o expediente daquele dia, ela não quis atrapalhar, por isso apenas fez um sinal de que estaria esperando em seu lugar favorito, ele acenou de volta mostrando que havia entendido, e assim ela seguiu até lugar de que tanto gostava. Não demorou muito e Naruto se juntou a ela, agora eram só eles dois no secret coffee.

— Boa noite, bela dama.

— Boa noite, senhor Uzumaki.

— Tão séria? O que aconteceu com a Hinata que veio aqui pela manhã?

— Aquela está ausente enquanto não terminamos essa reunião restritamente profissional. —Hinata sorriu cinicamente, mas o tom de sua voz estava sério.

— Entendido, então qual o assunto dessa reunião?

— Bom, antes de mais nada, devo-lhe dizer que sou jornalista e gostaria de entrevista-lo. Secret coffee é uma cafeteria que difere do padrão, e o jornal em que eu trabalho está em buscas de lugares assim como esse, seria uma grande chance de promover seu negócio. O que acha?

Naruto ficou calado e observando o semblante de Hinata, por um momento ele chegou a pensar que a aproximação da perolada seria por causa dessa possível entrevista.

— O que foi? Você por um acaso não está pensando que me aproximei de você por causa dessa entrevista, está? — A jornalista ficou visivelmente chateada. — Eu só escolhi você por que este lugar é realmente interessante, e mais pessoas merecem conhecê-lo, não pense mal de minhas intenções.

— Não vou mentir que não cheguei a pensar isso, mas minha preocupação era que você de fato não tivesse interessada em minha pessoa. O que seria realmente decepcionante.

— Não parecia real pela manhã?

— Sim...

— Então?

— Desculpe por pensar besteiras bela dama. — Sorrio envergonhado. — E quanto á entrevista, eu aceito com todo o prazer.

— Ótimo! Preciso que se prepare para responder essas perguntas, amanhã virei com um fotógrafo para tirar fotos da cafeteria e gravar a entrevista. — Disse enquanto entregava ao loiro uma relação com várias perguntas.

— Certo, agora podemos relaxar?

Hinata olhou para Naruto com certo espanto, mas logo caiu na gargalhada pela pressa do loiro.

— Sim, Naruto, podemos relaxar.

— Ótimo, pois eu pedi que fizessem um jantar especial para nós dois. — Naruto ficou de pé e estendeu a mão para que Hinata o acompanha-se.

— Eu disse que não teria bônus. — Se levantou e pegou na mão do loiro.

— Vamos ver se você resiste.

"Isso é uma loucura...’’

Os dois subiram para a mesma sala em que tomaram café na manhã daquele dia, a mesa estava devidamente posta e contava com uma iluminação de velas.

"Isso foi golpe baixo Naruto"

— Gostou?

— Ah sim, você realmente sabe como fazer uma mulher mudar ideia.

— Fico feliz por isso. — Sorriu.

Ambos se sentaram e começaram a jantar enquanto conversavam sobre mais detalhes da entrevista, Hinata falou mais sobre seu trabalho, e como é feliz por exercer a profissão que tanto ama, naquele momento ela chegou até mesmo a esquecer que ainda era uma mulher casada.Naruto por sua vez prestava atenção em cada palavra dita pela jornalista, ele não sabia como, mas teria aquela mulher só para ele, e faria de tudo para que ela acabasse com seu casamento, depois de perceber que provavelmente ela sofre abusos por parte de seu marido, que todo o remorso que haveria de lhe perturbar, passou a não existir. E após terminarem de comer, o loiro se levanta e vai até o lado de sua bela dama e a leva até si. Ele passa a mão levemente pelo rosto da morena, que aparenta estar totalmente entregue ao carinho que recebe dele, ele por fim começa a aproximar seu rosto do dela, Hinata que fecha os olhos por um tempo, volta a abri-los e se depara com um rosto que não deveria estar ali, naquele momento ela não enxergava outro rosto que não fosse de Toneri.

— Não! — Gritou e com o susto empurrou o loiro.

— O que foi? Fiz algo errado. — perguntou preocupado.

— Não, o problema não e você, sou eu, eu... Preciso ir agora, eu já deveria estar em casa.

—Mas...

— Por favor, não insista, até amanhã, obrigada por tudo...

Ela saiu rapidamente da cafeteria, entrou em seu carro e saiu em disparada para casa.

"Maldita consciência"

Ao chegar em casa, a morena correu para o quarto que a pouco passou usar, jogou sua bolsa no chão e se jogou em cima da cama em prantos. Se existe sentimento pior do que a culpa, esse ela ainda não conhecia, por mais que Toneri não estivesse sendo o melhor dos maridos, o mesmo não merecia tamanha traição, ou ela estaria sendo benevolente demais? Mesmo que fosse esse o caso, ela não podia deixar de se sentir a pior das mulheres. Hinata adormeceu ali mesmo e em meio às lágrimas, quando acordou estava visivelmente abalada, mas ela tinha um compromisso, teria que fazer aquela entrevista mesmo estando com vergonha de ficar cara a cara com o Loiro.

"Você precisa fazer isso Hinata"

Toneri de fato não foi dormir em casa, o que deixou a morena mais incomodada. Ela ligou para o fotógrafo do jornal e pediu que o mesmo fosse direto para a cafeteria, em seguida pegou suas coisas e foi para o secret coffee.

(...)

A entrevista seguiu tranquila, mas mesmo que eles tentando esquecer da noite passada e agir como se nada tivesse acontecido, era impossível que um clima estranho não pairasse entre eles.

Depois de duas longas horas entre perguntas, respostas e fotos, a entrevista tinha chegado ao fim. Hinata dispensou o fotografo para que ele trabalhasse nelas o quanto antes. Quando a morena iria se retirar o loiro a puxou dizendo que eles tinham que conversar, a morena quis evitar aquela situação, porém Naruto insistiu e ela acabou cedendo.

— Naruto, é melhor deixarmos isso de lado, foi um erro ok?

— Por que você saiu daquela maneira ontem, o que eu fiz?

— Você não fez nada, o problema sou eu entende? Eu que estou errada por pensar em me envolver com você tão rapidamente.

— Você está com consciência pesada? E isso? Seu marido abusa de você, e você ainda tem pena dele?

— O QUE? O que você está falando? Toneri nunca abusou de mim, estamos passando por uma crise sim, mas eu não sei de onde você tirou tamanho absurdo.

— Então é isso o que você quer fazer? Se enganar, fingir que está tudo bem, ele não merece sua consideração.

— Você está louco, é ridículo isso que está fazendo. Eu realmente me enganei com você? — A morena saiu da sala, deixando um Naruto perplexo.

— Hinata... HINATA!

“Como ela ainda poderia defendê-lo?”

Fim do capítulo 3.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...