História Secret Desire - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Exibições 45
Palavras 1.533
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLLOOOOOOOOOO! Antes de tudo, a partir de hoje eu decidi que os capítulos dessa fanfic serão postados apenas no sábado, caso não sejam postados no sábado sairão no domingo. Espero que gostem do capítulo de hoje.


Boa leitura. 💜

Capítulo 4 - Quatro


Fanfic / Fanfiction Secret Desire - Capítulo 4 - Quatro

Pov's Andrew Biersack

Em todos os anos trabalhando como CEO jamais permiti ou admiti um atraso, mesmo que fossem míseros segundos. Dessa vez eu mesmo quase me atrasei após não ouvir o despertador, e fui salvo por Brooke me ligando logo cedo perguntando se, por algum acaso eu não teria encontrado um anel prateado com uma safira. O mesmo anel que encontrei no banheiro do meu escritório, que agora eu sabia que pertencia à srta. Dawis e faziam questão de entregá-lo pessoalmente .

-Sr. Biersack? - minha secretária me parou na porta do meu escritório -Que bom que o senhor chegou. Seu pai ligou agora à pouco dizendo que precisa com urgência que o senhor vá até a filial.

-A reunião não foi marcada pro horário da tarde? Ainda são oito da manhã, srta. Cooley.

-Sim, eu sei. Mas acontece que alguém conseguiu perder os arquivos que seriam anexados à papelada do Sr. Kim. - eu fechei os olhos respirando fundo

-Ligue pra srta. Biersack e quando ela atender, transfira pra mim.

-Sim senhor.

Entrei novamente no escritório soltando um pequeno grunhido, eu queria socar as paredes, mas nada do que eu fizesse pra diminuir minha raiva, faria com que os arquivos aparecessem. Me atirei em minha cadeira poucos segundos antes do telefone tocar.

-Srta. Biersack na linha dois.

-Obrigado.- apertei o botão e logo ouvi a respiração pesada de Brooke -Você vai apenas ouvir.- falei

-Andy...

-Se você me disser que os arquivos fazem parte dos documentos que eu assinei, vou matar o primeiro que aparecer na minha frente dando explicações. E juro que não vou poupar mesmo que seja você.

-Não são esses. São os que vão junto às propostas da campanha do Sr. Kim.

-Vocês estão querendo foder a empresa?- gritei

-Andy, calma!

-Eu não voltei pra ficar consertando as merdas que vocês fazem!

-Olha só, eu não pedi pra que você viesse até aqui, foi o papai. Nós podemos tentar resolver.

-Se ele pediu pra que eu fosse é porque não estão dando conta sozinhos. A reunião de hoje vai ser adiantada pra depois que eu resolver isso. Então sugiro que avise a todos e sejam rápidos em preparar tudo.

-Vai ser impossível. Por isso está marcada pra tarde.

-Então é bom estarem prontos pra me ouvir gritar com todos.

-x-

Parei o carro no estacionamento e subi pelo elevador, a minha raiva havia aumentado o dobro durante o percurso até aqui e eu podia jurar que conseguia fazer um buraco na parede apenas com o punho. Assim que o elevador abriu pude ver o alvoroço que se formou por causa dos arquivos. Puxei uma bela quantia de ar pros pulmões antes de sair do elevador, sendo seguido dos olhares assustados conforme passava pelo corredor.
Encontrei Brooke parada perto do bebedouro enquanto revirava alguns envelopes pardos, os olhos fixos nos papéis me diziam que ela estava mesmo preocupada.

-Conseguiu encontrar?

-Não, Andrew. Não tenho ideia de onde firam parar.

-Como assim não tem ideia de onde foram parar? Será que ninguém aqui tem noção da importância do Sr. Kim pra empresa?- olhei ao redor pra que todos pudessem ouvir o quanto eu estava puto com tudo isso

-Podemos ligar e avisar o ocorrido. Talvez ele nos dê mais tempo pra remontar a campanha, Sr. Biersack.- alguém em algum canto falou

-Quem vai pedir uma nova data pra algo sou eu! Vou pedir tempo pra demitir todos vocês antes mesmo do natal! Ao invés de ficarem parados olhando pra minha cara, comecem a se preparar pra reunião que acontecerá em vinte minutos.- olhei pra Brooke -E a senhorita me arrume agora mesmo um notebook.

-No meu escritório.

Eu encontrei o escritório com seu nome e adentrei. Me sentei em sua cadeira e abri a pasta relacionada aos arquivos em seu notebook. Não havia uma nota sequer anexada ali, a minha necessidade de gritar e socar as paredes se tornou crescente. Estava repetindo na mente pra me manter calmo, cheguei a cogitar a hipótese de começar toda a campanha do zero, até ouvir o telefone na mesa de Brooke tocar.

-Biersack falando.- antendi

-Sr. Biersack, pode vir até meu escritório, por favor?

-Poderia, se a senhorita se identificasse antes.

-Zoey Dawis. Estou esperando na sala ao lado.- eu revirei os bolsos do terno e da calça na esperança de ter me lembrado de trazer o maldito anel, e por sorte minha cabeça estava boa

Me dirigi até a sala ao lado encontrando a porta semiaberta, dei três batidas e entrei. Ela estava anotando algumas coisas que lia na tela do computador, os cabelos presos davam à ela um ar de seriedade.

-Sente-se por favor.- falou quando percebeu que eu estava de pé a observando

-Estou curioso pra saber o que faço aqui.

-Só um segundo, por favor.- ela ficava incrivelmente bonita desse jeito -E pronto.- fechou o caderninho

-A quê devo a honra?- ela tirou de sua gaveta uma pasta preta com letras douradas. A logomarca da empresa e abaixo as iniciais do seu nome "ZSD". A pasta deslizou através da mesa até mim -O que é isso?

-A papelada que deixou todos malucos por aqui. Os principais arquivos da campanha do Sr. Kim.- eu precisei me esforçar pra não demonstrar a surpresa -Ninguém se dignou a entrar no sistema da empresa e descobrir o que era simples.- ela falava calmamente

-Simples?

-O arquivo foi salvo com nome errado, Sr. Biersack.- eu quis rir. Rir muito!

-Está me dizendo que quase matei alguém por um arquivo nomeado de forma errada?

-Sim senhor.- eu admito, a calma com que ela falava me espantava -E a pasta foi recebida de alguém da empresa principal.

-Sabe me dizer o remetente?- ela mexeu no computador

-Stacy Decker.- eu já devia saber

-Obrigado, srta. Dawis.

-Eu imprimi o arquivo original pro senhor levar e junto dele estão duas cópias, pra que não ocorra nada disso novamente.- onde meu pai estava com a cabeça quando decidiu colocá-la pra trabalhar na filial? Essa garota devia estar trabalhando comigo, ser meu braço direito.

-Obrigado novamente.

-Não há porque agradecer, fiz apenas o meu trabalho.

-De qualquer forma, gostaria de lhe agradecer.

-Não se preocupe com isso, eu...

-A que horas você sai pra almoçar?

-Às duas.

-Ótimo! Hoje seu almoço é por minha conta.

-Não precisa me dar seu dinheiro pra...

-Dar meu dinheiro? Não foi isso o que eu disse. Você irá almoçar comigo.- ela estava pronta pra questionar -E eu não aceito um "não" como resposta.- ela pressionou os lábios e balançou a cabeça

-Tudo bem, Sr. Biersack. Ahn, acho que temos uma reunião agora.

-Claro.

Nós nos levantamos e assim que ela passou por mim, a segui pra fora de seu escritório e indo em direção à sala de conferência. As pessoas naquele andar pareciam ter se acalmado, diferentes de como estavam quando cheguei.
Na sala de conferência tudo fora preparado perfeitamente enquanto eu conversava com a srta. Dawis, meu humor agora estava menos ácido mas eu ainda tinha que esganar uma certa srta. Decker.

-x-

-Nós temos um cliente insatisfeito, que nos deu um curto prazo de dez dias pra apresentar algo bom. O que me sugerem?- uma moça loira e branca feito uma folha de papel levantou a mão -Sim?

-Talvez mudar o nome do produto seja uma boa ideia.- a srta. Dawis levantou a mão em seguida

-Srta. Dawis?

-Ahn, pois bem, que diferença faria pro cliente trocar nomes de produtos se iremos aparecer com as mesmas propostas? Talvez todos aqui estejam pensando que essa campanha seja perda de tempo por ser algo pequeno e tratar de comida pra gatos.- me ajeitei na cadeira -Mas não estamos trabalhando nisso pra conquistar os gatos, e sim os donos. Essa luxúria por comida boa, e a preocupação com o paladar vem dos donos.

-É algo inteligente, srta. Dawis. Você me ganha se me apresentar uma conclusão agora mesmo.

-Bem, os gatos não se importam se o que estão comendo e algo chique, eles querem comer. Somos nós, os donos, que nos importamos. Tudo isso é uma grande piada sobre nós mesmos, pelo fato de tratá-los como parte da família e mimá-los com "ração chique" .- por onde essa mente brilhante esteve? Ela teria feito um sucesso enorme na França

-Srta. Dawis, eu sou seu. Você me convenceu! Eu espero que tenham anotado cada palavra que foi dita, e com isso, encerramos aqui.- eu a vi sorrir orgulhosa de si mesma, com razão.

Após todos saírem da sala de conferência,  permaneci por algum tempo enquanto ela terminava de guardar as suas coisas. Parando novamente pra prestar atenção naquela mulher, pude notar melhor o quão bonita ela era. Os olhos fixos em seus papéis, atentos. Os lábios pressionados um contra o outro, se "escondendo", os cabelos presos num coque alinhado e apenas duas mechas soltas caindo a frente do rosto.

-Srta. Dawis?- ela ergueu os olhos na minha direção

-Sim?

-Não esqueça do nosso almoço. Passo aqui às duas pra te pegar.- ela engoliu em seco

-Sim senhor.

Com isso, me despedi e saí da sala, ainda queria ligar pro meu pai e falar um pouco sobre Zoey Dawis. Seria ótimo ter alguém como ela trabalhando comigo.


Notas Finais


Então é isso aí! Mereço comentários? :v

Até o próximo capítulo. Beijo :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...