História Secret Desire - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Veil Brides (BVB)
Visualizações 94
Palavras 1.379
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amoras. Olha eu com mais um capítulo pra vocês. Eu espero que gostem do capítulo e que estejam se preparando, pra dizer adeus, pois estamos perto disso. Mas nos ainda vamos ter "Frankie" pra não ficar tão tristes assim (kkk)


Boa leitura 💜

Capítulo 42 - Quarenta e Dois


Fanfic / Fanfiction Secret Desire - Capítulo 42 - Quarenta e Dois

Pov's Andrew Biersack


Abigail tinha o dom de me estressar quando eu já estava no auge da raiva. Eu odiava ter que ficar dando explicações sobre cada um dos meus passos, ainda mais quando eu não devia explicação pra ninguém. O motivo da minha irritação era que Abby consegiu as malditas provas do acidente de Norma, mas diferente do que eu pensava Nathaly ficou de fora do trabalho sujo, colocando o amor do seu capacho à prova. Adam Wiest causou aquele acidente, e isso era mais um ponto a meu favor pra me livrar de vez dos dois.

Mal consegui almoçar, meu pai estava à caminho e as palavras duras de Zoey depois daquele beijo martelavam a minha cabeça. Telefonar pra Abigail e descobrir sobre as tais provas só pioraram minha atmosfera, e a teimosia de Abby quando contei que abriria o jogo com Zoey me levou a um nível exagerado de raiva.

-Você tem noção do que acabou de dizer?- ela perguntou logo após ouvir o que eu disse

-Tenho. Preciso de tudo o que nós temos até agora.

-Andrew, uma das cláusulas do acordo era que ambos não poderiam contar sobre o que aconteceu com ele. Você não pode pegar tudo e jogar no ventilador depois de anos, por causa de uma foda.

-Desde quando você é paga pra dizer o que eu devo ou não fazer?- um carro prateado estacionou -Eu dou as ordens e você as obedece.- Alice Ripley e Zoey Dawis desceram do carro

-Você tá pirando.

-Só me envie os papéis, Abigail.- Alice passou depressa por mim enquanto Zoey acelerava os passos pra fazer o mesmo

-Anos vigiando cada passo de Adam e Nathaly, buscando provas, falando com testemunhas...- segurei o braço de Zoey logo que ela se aproximou de mim

-Preciso que pegue três envelopes pardos na minha mesa e leve até Cecília Ivern.- ela me olhou um pouco confusa e Abigail berrava no meu ouvido -Ela sabe o que fazer com eles. Depois me espere no meu escritório, meu pai está vindo pra cá e quer conversar conosco.

-Ela não merece o que você vai fazer.- Abby disse por fim. Revirei os olhos dando a mínima pro que ela dizia

-Sim senhor.- tentei me concentra na voz da mulher à minha frente

-Você não pode jogar tudo fora agora, Andrew. Zoey Dawis não merecem saber, você não precisa fazer isso.

-Abby, eu não quero que questione o que eu preciso fazer. Só me envie logo as provas que conseguiu, a certidão de óbito, os laudos médicos e as passagens!- soltei o braço de Zoey

-Estarão em mãos semana que vem.

-Semana que vem o caralho, eu preciso disso agora!

-Tá bom! Até o fim da tarde os papéis chegam até você.- tentei me acalmar enquanto via Zoey desaparecer na entrada do prédio

-Obrigado, Abigail.

-Me agradeça quando não adiantar de nada. Zoey parece determinada a manter o fim entre vocês.



-x-


Ela saiu atordoada da minha sala assim que meu pai entrou. Mantive a postura e calma enquanto ele se aproximava com uma expressão interrogativa, eu sabia que mais uma vez seria culpado por isso e teria que ouvir toda ladainha de ser um chefe mais compreensivo com os melhores funcionários. Meu pai olhou cada detalhe da sala que um dia fora sua, tocou as fotos que fiz questão de manter e depois de um longo período em silêncio resolveu conversar.

-Perdi alguma coisa?- ele andava por cada centímetro do escritório

-Ela só está nervosa com a apresentação. Zoey é competente mas é tão humana quanto eu e você. Ela sabe a grande responsabilidade que foi assumir essa campanha.

-Sei. E você não tava enchendo a cabeça da coitada, né?

-Claro que não.

-É bom que não esteja mesmo. Zoey é uma das minhas melhores e eu espero que esteja sendo bem tratada a ponto de querer desistir da demissão.

-Não era você que me dizia sempre pra nunca ter favoritismo por funcionários?- me sentei

-Eu disse. Mas isso não significa que você pode esbravejar sempre ou sair transando pelos corredores.- Brooke fodeu a minha vida quando descobriu que boa parte das executivas daqui já tiveram uma "conversa particular " comigo. A primeira coisa que fez foi dizer pro meu pai que eu voltei achando que a empresa era um puteiro

-Essa fase passou.

-Ah é. Principalmente agora que tem uma noiva. Sua mãe não vai se orgulhar se essa história chegar aos ouvidos dela. Imagine só o que ela vai dizer sobre...

-"O príncipe comprometido sair com outras mulheres". Já sei.

A conversa foi interrompida quando Zoey bateu e entrou no escritório com a aparência um pouco melhor que antes.

-Zoey!- meu pai abriu um largo sorriso

-Oi, Sr. Biersack.- ela se aproximou -Como está Amy?

-Bem, e perguntando do quando você vai aparecer pra almoçar conosco.

-Pai...- eu queria saber o que ele tinha pra conversar

-Esse cara tem testado seus nervos? Se tiver algum problema é só me avisar que dou um jeito nesse mala.- ela riu sem jeito

-Não se preocupe, Sr. Biersack.

-A gente pode saber de uma vez o que veio fazer aqui?- eu já estava ficando menos paciente

-Tudo bem, apressadinho. Sente-se, Zoey.-ela obedeceu -Bom, desde que eu saí da liderança da empresa é extremamente raro que eu apareça sem um bom motivo. A não ser quando há problemas...

-Nós temos um problema?- perguntei

-Não, é claro que não. Eu vim aqui colocar uma proposta em suas mãos, Zoey.- meu pai direcionou sua atenção à ela -Essa campanha vai ser um grande sucesso. Estou ciente da sua capacidade e competência, e sei que mesmo com o nervosismo você vai apresentar algo maravilhoso.- ela se ajeitou na cadeira -Então resolvi te oferecer uma promoção. Vocês vão até a Califórnia pra apresentação, e quando voltarem, quero você na linha de frente nessa empresa. Eu quero você como braço direito do Andrew.

-Chris eu... eu não pretendo ficar aqui depois que finalizar essa campanha...- ela começou a se explicar mas ele a interrompeu

-Por que não? Aconteceu alguma coisa aqui que eu não estou sabendo? Você pode me contar.- ela alternou o olhar entre mim e meu pai

-Eu só... Não aconteceu nada.- disse por fim

-Andrew?- ele se virou pra mim -Pode me explicar o porquê de Zoey Dawis querer deixar essa empresa?- ela me encarava com os olhos sobressaltos

-Eu...- suspirei -Eu tenho sido rude com ela. Um completo idiota. Tenho cercado cada um dos seus passos aqui dentro e cobrado excessivamente um bom trabalho. Mas eu não posso interferir no seu futuro aqui dentro. Sei que ela pode ir longe e por isso peço que me perdoe, Zoey. Eu sei que preciso te dar espaço pra executar o seu trabalho em paz e que minha conduta não tem sido das melhores.- ela sabia o que eu queria dizer nas entrelinhas -Nós não podemos perder você...Eu não posso perder você. Então se você ficar, mesmo que não seja como o meu braço direito, já estará bom pra mim.

-Eu prometo pensar sobre isso, senhores.

-Os seus três dias de afastamento acontecem na semana que vem.- meu pai falou -Você pode responder depois disso, porque eu sei o quanto precisa deles.

-Sim senhor. Posso ir agora? Ainda tenho que revisar algumas coisas.

-Claro, querida.

Eles se despediram e ela saiu do meu escritório deixando um rastro de perfume no ar. Eu estava prestes a retomar meu trabalho mas meu pai ainda queria conversar.

-Agora você pode me dizer o que aconteceu.

-Eu já disse.

-Acha mesmo que eu caio nesse papo de "tenho sido rude com ela" ?- ele me encarou -O que você fez?- o velho Biersack parecia enxergar a minha alma -Andrew, eu quero ajudar...

-Eu transei com ela.

-Andrew...

-Mas as coisas fugiram do meu controle e eu me apaixonei. Eu amo a Zoey e...

-E quanto à sua noiva?- fechei os olhos com força

-Meu relacionamento com a Nathaly não passa de um acordo fodido.

-Então porque não põe um fim nisso antes de se envolver com outra mulher?- alisei os cabelos pra trás

-Eu vou te contar, pai. Mas por favor, não conte a ninguém. Eu posso perder tudo se alguém falar demais.

Com olhos atentos, meu pai me olhava esperando que eu contasse a história que acompanhava parte da minha vida. Eu sabia que qualquer segredo dito à meu pai iria para o túmulo com ele. Eu só não sabia qual seria a reação quando soubesse das coisas que eu também fiz.


Notas Finais


Digam o que acharam, espero que tenham gostado. Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...