História Secret Life - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber
Personagens Demi Lovato, Justin Bieber
Tags Demi Lovato, Justin Bieber, Romance, Stripper
Exibições 235
Palavras 2.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá amores, olha só quem resolver aparecer!
Peço que leiam as notas finais, vou explicar tudo para vocês lá.

Boa leitura <3

Capítulo 2 - 01. The Club


Fanfic / Fanfiction Secret Life - Capítulo 2 - 01. The Club

​Sempre que as coisas ficam difíceis eu costumo vir até o mirante, neste lugar é possível ver toda a grande Los Angeles, tudo se torna tão pequeno vendo daqui de cima, e isso me faz considerar o quanto nós somos insignificantes diante à esse imenso mundo, que é capaz de ser tão cruel com todos nós.  Gosto de vir a esse local para colocar minhas ideias no lugar. O dia hoje está nublado, denunciando que logo irá começar a chover. O vento gélido que bate em meu rosto me ajuda a refletir sobre tudo que está acontecendo com minha família, não tem sido nada fácil para nenhum de nós, meu pai com seus vícios incuráveis, confesso que tento manter meu pensamento positivo, acredito que lá no fundo, eu ainda tenha fé de que ele vai conseguir se livrar dos seus demônios, mas quem eu quero enganar? Afinal, é do meu pai que estamos falando, ela não vai mudar, ela diz que está disposto a mudar pela Madison, mas estou farta de acreditar nas falsas promessas dele. E a minha mãe, eu sei que ela ainda sente dor, a cirurgia não eliminou tudo, durante a noite eu a ouço abafar os seus gritos com o travesseiro, ela realmente acha que não escuto, mas eu ouço, todos os dias, ver ela sofrendo e não poder fazer nada, acaba comigo. A única coisa boa no meio de toda essa tempestade é a Madison. Ela é nosso anjo, é incrível o que aquele pequeno ser pode fazer, ela ilumina todo o lugar e se não fosse por ela, acho que eu já teria enlouquecido. Isso me faz recordar que está na hora de voltar a realidade, preciso me apresar para pegar Madison na sua escola. 

Me levanto do banco e começo a descer o morro enquanto observo a paisagem. 

​— Demi?! — escuto uma voz conhecida me chamar. 

— Chris?! O meu Deus, eu não acredito que é você, faz tanto tempo, como você está? — Christian, um dos meus melhores amigos de infância, fazíamos praticamente tudo juntos, até que ele teve que se mudar e desde então nunca mais a gente se viu. 

— Você cresceu, quer dizer... não muito, né? — É incrível de como parece que nada mudou. 

— E você continua o mesmo — ele soltou uma risada nasalada — Está na cidade? 

— Sim, me mudei para cá já faz um ano, não sabia que ainda morava aqui, lembro que seus pais também iam se mudar — o sorriso que estava estampado no meu rosto acaba de se desfazer e vejo que o Chris notou. 

— É... muita coisa aconteceu desde que você se mudou, digamos que foi  tudo por água abaixo, mas não acho que agora seja uma boa hora para dramas, afinal, acabamos de nos encontrar, não é? — Tentei mostrar o meu melhor sorriso, espero que tenha dado certo. 

— Certo, podemos sair agora, o que acha? 

— Desculpe, eu adoraria, mas tenho que buscar minha irmãzinha na escola 

— Jura? Você tem uma irmã agora? — Tem muita coisa que o Chris ainda não sabe sobre minha vida. 

— Sim, ela tem cinco anos e é um amor. Podemos nós encontrar outra hora, o que acha? 

— Parece ótimo — ele colocou sua mão no bolso e me estendeu o seu celular — Coloque seu número aqui, vou te ligar mais tarde, tudo bem? 

— Tudo bem — peguei o celular de sua mão e salvei meu número em seus contatos — Tenho mesmo que ir, foi ótimo ver você, vou esperar sua ligação, te vejo depois? 

— Claro — Chris se aproxima e me envolve com um abraço apertado — Foi muito bom ver você — Desfaço nosso abraço e me despeço dele. Olho meu relógio de pulso e me apresso para chegar na escola de Madison o mais rápido possível. 

Graças a Deus eu consegui chegar a tempo, Madison não costuma ficar muito feliz quando demoro, então isso foi um alivio. 

— Boa tarde, Sra. Codes, vim pegar minha irmãzinha!

— Boa tarde, Demi, ela já está vindo, mas como sua mãe está?

— Ela está na mesma, mas está tudo sobre controle agora — ela esboçou um sorriso para mim e ao fundo vi Madison se aproximando apressadamente — Oi, pequena — disse à pegando no colo.

— Hoje foi muito legal, Demi, uma princesa veio até nossa sala, você acredita? — seu tom de voz era animado que acabou me arrancando um riso baixinho. 

— É mesmo? Adoraria ter conhecido essa princesa — acariciei seu rosto e depositei um beijo na sua testa — Se despeça da Sra. Codes, temos que ir.

Ela se despediu da professora enquanto eu chamava um táxi para irmos para casa. Durante todo o trajeto, Madison tagarelava contando tudo que aconteceu em seu dia. Ela é uma garota muita esperta, as vezes acho que ela é até mais esperta que eu. Os meus dias são sempre emocionantes ao lado dela, a sua visão ingênua do mundo me causa uma certa inveja, eu gostaria de poder não ter tantas preocupações. 

O carro parou na frente de casa , paguei o taxista e sai com a Madison do carro. 

— Mãe, chegamos — anunciei nossa chegada ao adentrar pela porta, coloquei minha bolsa e a mochila da Madison no sofá.

— Mamãe — Madison correu até as escadas ao encontro da mamãe para lhe dar um abraço — Você não acredita no que eu fiz hoje na escolinha!

— Estou ansiosa para saber — minha mãe disse me mandando um beijo e eu retribuir com um sorriso — Você pode me contar a caminho do banho, o que acha? — ela disse pegando Madison no colo e a pequena assentiu sorridente a caminho do banheiro.

Mais um dia de trabalho, estou tão cansada hoje que se eu pudesse ficaria em casa para botar todo meu sono acumulado em dia, mas eu não posso me dar esse luxo, preciso ir para o clube, tenho que conseguir dinheiro para pagar nossas dividas e lá é o único lugar que posso conseguir a quantidade de dinheiro que preciso. 

Resolvi subir para o meu quarto para me arrumar para ir ao clube, ao entrar no meu quarto pego minha toalha que está pendurada atrás da porta, caminho até o banheiro para um banho rápido. Terminei o banho, coloquei um vestido cinza, peguei um tênis preto que estava jogado no chão e peguei minhas coisas para ir a boate. Desci as escadas vendo minha mãe e Madison no sofá vendo televisão, elas riam e se divertiam muito, era bom ver minha mãe rindo assim, só mesmo a Madison para causar esse efeito nela. Fui até a cozinha, peguei um copo com suco de laranja e preparei um sanduíche para comer antes de sair enquanto observava as duas vendo TV. 

— Mãe, estou indo tá? Até mais tarde minha pequena, se cuida. — disse depositando vários beijos nas bochechas delas.

— Se cuida minha filha, espero que tenha uma boa aula — ela sorria e Madison balançava as mãozinhas.

Odeio ter que mentir para minha mãe, mas ela não suportaria saber a verdade.

 

[...]

 

Já havia chegado na boate e estava me arrumando, Pablo me disse que eu iria abrir o show. Ele é quem decide tudo aqui na boate, ele faz as coreografias, comanda com quem cada garota vai ficar e como se comportar na frente de um cliente. É a minha primeira vez abrindo o show, não posso explicar o quanto eu estou nervosa com essa apresentação. O show de abertura é o ponto alto de toda garota daqui, por estarmos em evidência chamamos a atenção dos homens, conseguimos mais programas e é sempre mais caro, ou seja, mais grana para nós. Isso era o que eu precisava, por isso vou fazer o melhor que posso naquele palco para conseguir o dinheiro para pagar a clínica.

— Demi, você está pronta? Já está na hora de começar o seu grande show — Pablo disse entrando no camarim. 

— Estou pronta, baby — dei uma volta em sua frente para que ele olhasse meu figurino. Eu usava um vestido preto com pedras e franja nas pernas, bem justo em meu corpo. Esse vestido me caiu como uma luva, mas eu não ficaria com ele por muito tempo.

— Aí se eu gostasse dessa fruta — ele disse me arrancando uma risada e de todas as outras meninas no camarim — Pode subir gata, os homens te aguardam.

Sai do camarim e caminhei pelo corredor até atrás do palco, o meu coração estava pela boca, não sei se sou capaz de fazer isso, mas eu preciso pensar a minha família agora, é por eles que estou fazendo isso. Subi os pequenos degraus e me posicionei no meio do palco, a música começou a tocar e a cortina se abriu. Eu caminhei lentamente ao som da música até o pole dance, pousei minha mão na barra dando o tradicional fireman cruzado, um dos clássicos do pole dance. O show mal havia começado e os homens já iam à loucura, e é isso que eu quero. Quero deixar todos com desejo, pois eu preciso de dinheiro. Essa era a minha noite e eu estou pronta para arrasar.

— Meu Deus, Dems, você estava incrível no palco — Hailey disse toda animada ao me ver descer as escadas do palco. Ela me estendeu um roupão para que eu cobrisse meus seios nus.

— Obrigada, espero conseguir bastante dinheiro com isso...

— Você já conseguiu, gata - Pablo disse aos pulos ao meu lado.

— Como assim!? — eu e Hailey nos entreolhamos sem entender nada.

— Há vários homens loucos por você garota, você estreou em grande estilo, meus parabéns — não consigo acreditar nisso, essa é a oportunidade na qual eu tanto precisava para juntar o dinheiro que preciso para pagar os prejuízos na clínica. 

— Isso caiu do céu, obrigada por essa oportunidade, Pablo!

— Não precisa me agradecer criança — Engraçada ele falar criança, pois uma criança nunca faria o que eu faço. — Agora vista isso e vá para a suíte 104, o primeiro cliente da noite te aguarda, mais tarde a gente acerta os valores — ele me entregou uma lingerie na cor branca e saiu com Hailey ao seu lado que não parava de sorrir. Ela parecia estar feliz por mim. Quando entrei aqui todas me trataram mal, pois carne nova sempre faz sucesso e Hailey foi a única que nunca ligou para isso, ela sempre ficou do meu lado nas brigas com a Kimberly, uma garota insuportável que me odeia sem motivo algum, ela sempre tentou me proteger. Hoje eu me dou bem com o resto das meninas, exceto a Kimberly, mas nunca vou me esquecer da única pessoa que me apoiou quando precisei.

Me troquei o mais depressa que podia e subi as escadas que davam para o andar das suítes da boate. Havia os quartos normais e as suítes, elas eram para os clientes VIPs ou para aqueles que poderiam pagar. Durante o meu caminho até a suíte, eu implorava para não ser um cara muito velho, pois a maioria dos ricões que vem aqui são velhos e nojentos. Mas não podemos escolher, eles pagam e temos que fazer. Parei na frente da porta, bati e escutei uma voz masculina pedindo para que eu entrasse. Não pude conter o espanto ao ver o homem que estava ali, ele não era velho, parecia ter uns vinte e poucos anos, seus cabelos estavam raspados, os seus olhos castanhos quase me comeram com os olhos ao me ver passar pela porta.

— Boa noite, gato... — disse enquanto fechada e trancava a porta atrás de mim.

— Boa noite... Quando te vi dançando naquele palco, eu te juro que quase perdi a cabeça, estive a ponto de subir lá e te dominar ali mesmo — um homem selvagem, bom, parece que não vai ser tão mal assim. 

— Agora, você pode me dominar bem aqui — me sentei na cama e bati a palma da minha mão no colchão para chamar sua atenção. Ele não teve calma, partiu logo ao meu encontro. 

Ele deitou meu corpo na cama e ficou por cima de mim, a sua boca ia de encontro ao meu pescoço, droga, logo o meu ponto fraco. Ele tinha pressa, ele sabia exatamente o que queria e não estava ali para enrolação, as vezes isso é um saco, eu só queria alguém que não me tratasse como apenas um objeto sexual, mas o que eu posso fazer? Eu sou uma stripper, esse não é o lugar para ter sentimentos e muito menos para encontrar um relacionamento. Isso já deveria está bem claro para mim, eu não estou aqui porque é legal, na verdade, ninguém está, mas é muito difícil ser tratada assim e eu sei que homem nenhum vai dar valor a uma mulher que presta esse papel, pode ser machista da minha parte, mas é apenas a nossa realidade. Ninguém nunca vai entender os meus motivos, eu não gosto de fazer sexo com desconhecidos por dinheiro, mas é isso que mantem a minha família viva. 

— Vamos gato, chega de enrolação, acabe logo com isso...

 


Notas Finais


Amores, eu sei, não me matem. Estou a mais de um mês sem atualizar SL, mas tem um motivo, ok? Quem acompanha minha outra fanfic, The Past, sabe que eu tive que dar um tempo para poder estudar para minhas provas na faculdade, porém, o meu notebook parou de funcionar do nada, levei por concerto e eles estão tentando concertar, e como eu já falei aqui, eu já tinha cerca de 10 capítulos prontos, mas com meu notebook estragado não deu para postar, agora estou usando o notebook do meu irmão e para não demorar mais, resolvi reescrever os capítulos, para vocês não ficarem mais no prejuízo. Como essa semana teve feriado, consegui reescrever dois e mais alguns de TP, vou postar mais essa semana, ok? Me desculpem, sério!

ATENÇÃO: Para ficar claro, esse não é o Bieber tá? Logo ele vai aparecer.

NÃO SE ESQUEÇAM DE DEIXAR UM COMENTÁRIO, É SUPER IMPORTANTE E ME MOTIVA A POSTAR!

Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...