História Secret Love. - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Adam Lambert, Chris Colfer, Darren Criss
Tags Chris Colfer, Colfer, Criss, Crisscolfer, Darren Criss, Glee, Romance
Exibições 40
Palavras 2.870
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi unicórnios *-*
Venho nesse final de domingo trazer mais um capítulo para vcs.
Realmente espero muito que vcs gostem e não me matem ><
Huahuahuahua
Boa leitura meus amados ❤

Capítulo 34 - Capítulo 34 - O último contato.


Chris Colfer:

Produzir nunca fora fácil para ninguém e eu conseguia enxergar isso nos produtores de Glee, não daqueles que me serviam a água ou gravavam pequenos vídeos como a Swier e sim aqueles que gravavam o episódio, faziam os cortes de cenas e entre muitas outras coisas e eu realmente admiro este trabalho e pela primeira vez, consigo sentir como é ser um produtor.

O diário de Carson Phillips fora produzido por mim e por uma boa equipe da tribeca, cujo fora recomendada por Will que fez parte desta produção também.

Este era seu emprego e eu via o quanto ocupado ele ficava e eu admirava isso, pois ele era bastante dedicado no que fazia.

Estacionei meu carro e caminhei em direção ao Studio de Glee e algumas musicas eu iria gravar para os novos episódios da terceira temporada, as férias já haviam acabado e agora iriamos voltar com tudo até no final da temporada.

Era abril e meu filme já iria ser lançado e ansioso eu estava e meu pensamento era voltado totalmente nele.

– Irá dar tudo certo cara. – Cory falou de repente. – Não tem motivo de ficar agoniado, você é dedicado e a sua produção foi boa.

– Obrigado Cory. – Agradeci em meio de um suspiro.

– Lea e eu vamos fazer questão de te prestigiar. – Ele disse e sorrir ainda mais para ele.

Cory era assim como Finn, eu considerava todos do elenco, mas dos garotos, ele sempre fora o que mais ficava perto de mim além de... Darren.

Fito-o o mesmo que estar no outro lado da sala. Ryan recomendou que sempre ficássemos juntos, porém desta vez ele se encontra distante, desde o natal do ano passado ele se encontra distante, durante as férias mal nós falamos.

Abaixo a cabeça e começo a pensar se eu estivesse perdendo sua amizade, pois eu ainda gostava dele e o certo seria eu sentir raiva dele, por tudo que aconteceu, porém parece que as coisas estão sendo diferentes.

Matthew aparece vestido de Sr.Shue pronto para nós dar aula, sendo assim, a atenção é voltada totalmente para ele e em nossos personagens viramos e a começamos a gravar.

Não demorou muito, foram apenas algumas tomadas e todas às vezes que a câmera não focava em mim, eu avistava Darren. Ele nem parecia me observar, talvez estivesse me evitando.

Mesmo assim, com todas estas coisas, irei lhe entregar o convite, duvido que ele vá, mesmo que queira, nunca que Rick iria deixar.

Suspiro e volto meu foco para a gravação do episódio dezessete.

(...)

Darren Criss:

Provavelmente ele nem se importava comigo, ele nem ao menos olhava para mim. Todas às vezes que eu olhava para ele, seu foco era na gravação.

Provavelmente ele me evitava ao máximo, principalmente agora que começou a ficar com aquele tal Will.

Aquele cara nem é bonito e nem sei o que o Chris viu nele, ainda não namoram, mas do jeito que o Colfer é, tenho certeza que não demorará muito.

Ele não é fácil, mas eu sei que iria adorar esfregar na minha cara a felicidade deles.

Suspiro um pouco irritado. Eu não deveria me sentir assim, tudo isso é culpa minha, se eu tivesse a coragem de correr o risco de jogar meu emprego fora, eu estaria com ele.

Mas é minha vida, meu emprego e sem contar que Ryan não admite relações no ambiente de trabalho, isto estar no contrato e seria errado de nossa parte quebrá-lo.

Lea e Cory? Estes são queridos por todos e ainda rendeu mais sucesso para a serie, eles são queridos tanto para os fãs quanto para a crítica, o que já é diferente para mim.

Abaixo minha cabeça e volto a focar na gravação, é o certo a se fazer, focar em meu trabalho, ele me renderia um bom futuro, era minha primeira oportunidade e eu não poderia desperdiçar ela desta forma.

(...)

Chris Colfer:

– Até lá Chris. – Naya falou sorrindo e acenando para mim.

Já era noite e os corredores do set ficavam mais escuros, havia lamparinas, mas mesmo assim continuava escuro.

Caminhei em direção ao camarim de Darren e avistei o nome do mesmo escrito, dê um sorriso e resolvi bater na porta.

Não demorou muito para o mesmo abrir e ao me observar, ficou sério.

– Aconteceu alguma coisa? – Questionou e apenas suspirei.

– Não Darren. – E então lhe mostrei o convite. – Apenas vim te convidar para o meu filme, você sempre me apoiou nos meus sonhos e ainda é meu amigo e acho que você deveria ir. – Falei colocando em suas mãos.

Ele observou sem expressão alguma e esperei algum sorriso ou pelo menos uma cara chateada, mas nada veio. Ficamos em silêncio por alguns segundo, até que ele respondeu-me.

– Tudo bem. – Respondeu-me ainda sério.

Provavelmente ele não iria, mas não custava nada tentar, sendo assim, assenti e resolvi seguir meu rumo e o mesmo apenas fechou a porta.

(...)

Darren Criss:

– Claro que você deve ir. – Rick me dizia e eu apenas bufafa.

– Eu não quero, toda vez que olho pra ele, eu sinto vontade de beijar ele, mas lembro que não posso, por causa do meu emprego. – Falei cruzando os braços.

– Mas se você não for, o que vão pensar de você como amigo? É neste dia. – E ele apontou para o convite. – Que você irá provar que não é nada mais e nada menos do que um amigo para o Colfer.

– E eu não vou? – Questionou Mia enquanto cerrava suas unhas e ambos olhamos para ela.

A mesma parecia uma figurante em minha vida que só aparecia para desgraçar ainda mais ela.

– Você não foi convidada. – Soltei a resposta com vontade de rir e no mesmo momento ela parou de cerrar suas unhas e arregalou os olhos.

– Como assim eu não fui convidada!? – Questionou levantando do sofá e gritando.

– Calma Mia. – Rick disse segurando no ombro da mesma que rosnava como um cão feroz. – Você realmente não foi convidada e duvido que o Colfer deixe você entrar.

– Provavelmente ele fez uma lista de quem ele não queria, conheço o Chris. – E provoquei ainda mais e ela soltou mais um grito irritante.

– Eu odeio aquele veado! – Dissera a mesma com raiva.

– Claro, porque seu namorado é um, certo? – Falei referindo a mim mesmo e ela me fitou com raiva. – Eu adoro um pênis. – Falei com orgulho e Rick respirou fundo. – Bem grande e...

– Se você falar de novo isso, eu vou gravar e mandar pra imprensa. – Ameaçou interrompendo-me. Minha resposta foi apenas um reviro de olhos. – Você irá, vai provar que é um bom amigo do Colfer e por amor de deus, não vai tentar fazer nada.

– Não prometo nada. – Falei observando ele. – Eu ainda o amo e não duvido nada que o Willzinho vai estar lá.

– Ah, quer dizer que ele já estar namorando outro? – Mia então começou a me provocar.

– Quase. – Falei em resposta.

– Uma puta. – Ela disse e sendo assim me levantei do sofá.

–  Falou a santa, Rick, acho melhor você ligar pro convento pra mandar buscar a pureza que a Mia é. – Falei e o agente apenas revirou os olhos.

– Tem como vocês pararem de brigar apenas por alguns minutos? – Indagou parecendo perder a paciência e novamente sentei-me no sofá. – Você não vai tentar nada, vá e assista o filme. Tire muitas fotos, depois eu vou no seu Twitter e coloco o quanto foi linda a festa e que o Chris é um ótimo amigo seu. – Ele disse dando ênfase e revirei os olhos novamente.

– Ele é meu amor. – Levantei do sofá. – Nenhum amigo diz que ama o outro depois de transar. – E então comecei a subir as escadas e tranquei-me em meu quarto.

Rick me ajudava bastante, mas muitas vezes me prejudicava e isso me enchia algumas vezes.

Eu não quero ir, não quero ver o Will com o Chris, juntos e felizes tirando fotos, irá me fazer mal.

Pode ser egoísmo, pois ele é meu amigo e ainda é meu amor, eu quero ver ele feliz, mas ao mesmo tempo, por mais que seja ruim de admitir, eu sinto ciúmes.

Suspiro e deito-me na cama, sinto saudades de quando tudo era mais fácil e eu podia ficar ao lado dele sem medo algum, na verdade, até com o medo era legal.

Quero voltar a sentir aquele perigo com ele, sinto saudades de seus toques, de seus beijos e ele fora um único que fez eu me sentir desta maneira.

Christopher é alguém que será difícil de esquecer e tentarei ir, talvez a gente estivesse precisando de uma conversa mesmo.

Dar um ponto final nesta história de uma vez por todas, pois eu ainda não consigo seguir em frente, nosso relacionamento está inacabado e por mais que ele tenha jogado seu anel em mim e gritado que me odiava, eu não consigo seguir em frente, pois ele ainda não disse que acabou.

E será um choque ouvir isso sair da boca dele, pois infelizmente, acho que sempre terei uma gota de esperança.

(...)

Chris Colfer:

– Estou bonito? – Questiono para Mamãe que tem um sorriso estampado em seu rosto.

– Perfeito. – Ela fala se levantando e ajeitando um pouco minha gravata. – Estou tão orgulhosa de você.

– Eu sei. – Falei sorrindo e vi lagrimas em seus olhos. – Não chore, sua maquiagem irá borrar.

– Não importa Chris, nada mais me importa, ao não ser você. – Ela disse sorrindo e retribui o mesmo, emocionado também.

Observo então em seu pescoço um raio parecido com o qual estar em meu blazer e sorrio.

– Gostei do cordão. – Comento enquanto caminho para fora de meu quarto.

– Tudo para homenagear meu príncipe. – Ela fala e começamos a descer as escadas de minha casa.

O motorista aparece e nós leva para onde será exibido o filme.

Adentro no carro e logo quem se senta em meu lado é o Lambert que faz questão de aparecer junto comigo no tapete vermelho.

– Eu não perderia isso por nada. – Ele disse perto de meu ouvido.

– Eu sei. – Falei sorrindo e sendo assim, o motorista ligou o carro e começamos a ir rumo para a exibição do filme.

No momento que chego no evento, sinto um embrulho enorme na barriga e várias pessoas da imprensa já estão em seus lugares. Suspiro e saio do carro e atrás de mim saí Adam.

Vários flashes são jogados em nossa direção e começamos a caminhar juntos e ele fica em um lado e eu em outro e atrás de um quadro com o nome de todos os patrocinadores, que no caso são as empresas e entre outros.

Olho para o lado direito, para o meio e depois para o esquerdo. Os flashes antigamente doíam em meus olhos, hoje em dia já estou até acostumado com isso.

Adam e eu ficamos então juntos e ele sorrir e eu também.

– Formaríamos um casal maravilhoso. – Ele fala baixo e começo a rir.

– Maluco. – Respondo e ele rir também e depois de alguns minutos de sessão de fotos, ele adentra no salão e faço o mesmo.

Não demora tanto assim para os outros do elenco chegarem e, após todos estarem reunidos, ficamos no tapete vermelho, juntamente com o diretor e tiramos várias fotos.

Outros convidados chegam e alguns são de Glee. Harry e Matthew aparecem e tiram fotos comigo também e desta vez meus olhos começam a se cansar, porém ainda não era hora de se queixar.

Avisto então um carro preto muito luxuoso e de dentro do mesmo o Criss sai e meu coração começa a palpitar fortemente.

Era algo que eu queria muito conseguir controlar, porém não tinha como, essas sensações vinham e era totalmente inevitável.

Em seu convite havia apenas seu nome, não havia Mia ou Rick e me surpreendo de ele vir sozinho. Todas as câmeras focaram nele e os flashes começaram a lhe atacar.

O mesmo se aproximou de mim sorrindo e abraçou-me.

– Precisamos conversar. – Ele disse ainda sorrindo como se não houvesse nada entre nós dois. Eu continuei sorrindo também e fitei as câmeras.

– O que você quer? – Questionei forçando um sorriso.

– Apenas uma conversa. – Ele disse sorrindo e mais pessoas chegaram e ele se fora.

Depois que a sessão de fotos terminou, todos nós ficamos reunidos no salão e havia uma mesa enorme, cheia de aperitivos e garçons servindo bebidas.

– É incrível. – Dissera Brian Dannelly.

Nós dois criamos juntos o filme, produzimos e monitoramos tudo. Sem a ajuda dele, nada disso teria acontecido.

– Realmente devo tudo isso à você. – Falei sorrindo para ele que retribuiu.

Avistei Darren então entrando no banheiro, havia flashes de fotos e bastante paparazzi naquela área, então discretamente caminhei em direção ao mesmo.

Seria bom mostrar para todos que nós estávamos juntos, mas eu não quero que as pessoas que sabem de nossas vidas falem isso e sim que Darren fale, que ele tenha coragem de admitir.

Adentro no mesmo e vejo ele lavando suas mãos. Seus olhos que olhavam o espelho, param certamente em mim.

– O que precisamos conversar? – Questionei calmo, eu não queria brigar, não hoje.

– Apenas queria te pedir desculpas por tudo que causei. Eu não deveria te agido daquela forma no natal. – Confessou ele parecendo envergonhado.

– Tudo bem Darren. – Falei ainda calmo, eu não me importava mais com aquele dia e sim com sua distância e frieza repentina.

– É que... – Ele respirou fundo e abriu a boca novamente. – Parte de mim ainda quer você.

O fitei seriamente desta vez. Mesmo depois de tudo, de ele me negar, ele ainda me queria.

– Eu sei que é confuso, porquê eu que terminei, mas algo ainda puxa aqueles sentimentos para minha cabeça. – Ele então colocou seu olhar para baixo.

Suspirei e me aproximei do mesmo. O bom é que não havia ninguém no banheiro e a porta estava apenas fechada, então poderíamos ser sinceros um com o outro.

– Você poderia ser sincero quanto aos seus sentimentos. – Comecei a falar. – Hoje você tem a oportunidade de dizer para todos lá fora quem é e que gosta de mim, pode ter certeza que eu iria te apoiar. Rick não estar aqui e nem Mia, ninguém estar segurando você.

– Mas e meu emprego? Vai correr esse risco? – Ele começou a indagar parecendo desesperado.

– O que adianta ter um emprego lindo desses se você não é sincero nem consigo mesmo? – Comecei a falar e ele apenas abaixou a cabeça.

Eu estava sendo bastante forte por fora, pois por dentro eu sentia uma enorme dor, achava incrível como ele se recusava a falar para todos quem era.

– Você estar sendo egoísta, você me quer, mas ainda me quer como seu segredo e Darren, eu não vou aceitar isso. Eu tenho sentimentos e algumas vezes você nem parece se importar com eles. – Confessei e lagrimas saíram de seus olhos.

– Eu sou um monstro. – Ele colocou as mãos na face e peguei alguns lenços e entreguei para ele enxugar seus olhos.

– Apenas pare de pensar em si mesmo Darren. – E ele pegou e limpou seus olhos e um longo suspiro soltou.

O mesmo me observou então e sorriu.

– Você é a melhor pessoa que já conheci, sua bondade é imensa. – Ele sorriu e retribui.

– Somos amigos ainda, mesmo depois de tudo. – E toquei em sua mão e ele se aproximou.

– Terminamos de uma maneira tão ruim. – Dissera ele e seus lábios eu observei.

Um desejo imenso de beijar ele veio, mas não podia abrir novamente, pela terceira, uma brecha. Seria como jogar toda minha superação no lixo.

– Darren, eu não posso. – Falei me desvencilhando de seus braços.

– Apenas um último beijo. – E ele sorrir e seus olhos brilhantes eu observo. Como é que ele ainda causava esse efeito em mim?

Novamente me aproximei e seus lábios comecei a beijar e comecei a lembrar do gosto. Passamos tantos meses sem este contato.

O mesmo me trouxe para mais perto e na parede eu encostei ele e o mesmo abriu um pouco a boca e a minha língua eu coloquei dentro da mesma.

Comecei a explorar ela e ambas se encostaram.

Sua boca quente, molhada e macia unidas com a minha era uma sensação incrível.

Suas mãos apertavam minha costa e por impulso, comecei a abrir o botão de seu blazer e peguei em sua barriga e fui abaixando os toques.

Abaixei até que cheguei em seu membro. Estávamos indo muito além, era para ser apenas um simples beijo. Mas a saudade era imensa.

– Ah. – Ele gemeu entre o beijo ao sentir minha mão sobre seu membro já excitado e o meu não estava diferente.

Abrir meus olhos e comecei a me lembrar do evento, comecei a me recordar de tudo que aconteceu e rapidamente me separei dele e me afastei.

Ofegantes ficamos e encostei meu corpo na pia para recuperar o ar.

– Olhe nossa situação, não podemos repetir isso novamente, era pra ser só um beijo. – Comecei a falar ofegante.

Um barulho invadiu o banheiro e automaticamente meus olhos pararam na porta e assustado comecei a ficar. Qualquer um que visse nós dois neste estado iria pensar besteira.

Nossas roupas estavam amassadas, principalmente a de Darren e ainda estávamos ofegantes.

– Chris? Darren? – Will indagou observando nós dois incrédulo.

– Tá explicado o sumiço dele. – Adam disse cruzando os braços e sorrindo um pouco.

Sorria porquê adorava uma briga e provavelmente era isso que iria acontecer.


Notas Finais


Chegou no final né? Aproveita e deixe sua opinião nos comentários ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...