História Secret Love - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Hailey Baldwin, Justin Bieber, Ryan Butler
Exibições 242
Palavras 1.609
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Consegui voltar finalmente. Leiam as notas finais! ❤

Capítulo 14 - Surprises


POV JUSTIN

Naquele momento eu não fazia ideia do que tinha dado em mim, eu estava frágil na frente dela pela primeira vez, ser frágil e sentimental não era o meu forte. Mas se tratando de meu avô, a situação que me lembrei, doía em mim. Lembrava de todos aqueles fins de semana que víamos aqui, e eu reclamava por ter que acordar cedo para aquele “insuportável” passeio. E se o tempo voltasse, eu daria tudo para ter que acordar cedo, e acordaria com uma felicidade no peito de poder vê-lo novamente.

Sophie ficou sem jeito, e acabou me abraçando de uma forma doce e gentil. Retribui o abraço, a abraçando como se no fundo, tivesse medo de perdê-la também. Depois de um longo abraço, ela me soltou e beijou minha bochecha. Me afastei, e saí andando em direção ao carro, sentei no banco e olhei pelo retrovisor, notei que ela permanecia imóvel e pensando. Liguei o carro e apertei a buzina, para que ela viesse logo para o carro. Ela limpou seu rosto e sorriu, entrou no carro e desviou o olhar para a janela.


— Está tudo bem? — Me pronunciei quebrando o silêncio.

— Por que não estaria? — Respondeu ela e sorriu de lado.

— Então tá! — Disse, e ela apenas assentiu.


Dei partida no carro, e ela apenas fitava o vidro, aquilo estava definitivamente me matando por dentro. Odiava esse silêncio dela, ela andava muito distraída e não tinha ideia do que estava acontecendo. Sempre foi muito tagarela e nunca reparei que ela ficava mal às vezes, era difícil pra mim entender esse lado sentimental dela. Não sabia o que acontecia, por viajar muito e quase nunca vê-la. Sua família era tradicional, até seu pai se envolver com álcool e drogas, e sua mãe ficar doente. Sophie nunca me contava sobre o seu passado, jamais havia perguntado antes, só sabia que sua mãe morreu quando ela tinha apenas dezesseis anos, e a vida com seu pai ficou insuportável.


— Chegamos! — Disse, e ela olhou pra mim com uma cara de interrogação.

— Onde estamos? — Perguntou, enquanto analisava a paisagem ao seu redor.

— Daqui a pouco, você saberá! — Disse e desci do carro.

— Odeio quando faz isso! — Disse ela, bufando.


Como ficaria pelo menos três dias aqui, escolhi um lugar para descansar e repor as energias. Trouxe Sophie, ela não conhecia tantos lugares assim, e bom eu poderia foder ela quando quisesse. Ela ficou falando por um bom tempo, sobre não saber onde estava e achar que estávamos perdidos. Apenas ria da situação, e ela se irritava mais ainda. Ao chegarmos no hall de entrada, Sophie me olhou com uma expectativa de criança quando quer descobrir algo.


— Justin, onde estamos? — Perguntou ela, sem entender absolutamente nada.

— Vamos entrar e você descobre! — Disse e mordi os lábios.

— Espero que não seja um motel, pela sua cara só consigo deduzir isso. — Disse e eu ri.

— Não é, mas eu vou foder você o tempo todo. Então digamos que talvez possa ser um! — Disse, e ela me olhou séria e depois sorriu.


Passamos pela porta, e encontramos algumas pessoas de outros países, Sophie não estava entendi aquilo. Ela olhava tudo com atenção, inclusive as pessoas e suas línguas que falava. Chegamos a recepção, e ela reclamou sobre não ter trazido nada para vestir, e ignorei e ela parou.


— SPA Deluxe Creek, Bom dia, em que posso ajudá-los? — Disse uma moça loira da recepção.

— Meu empresário fez uma reserva aqui para duas pessoas, em meu nome. — Disse, e a assentiu.

— Sim senhor Bieber, sua suíte é a 1207 na parte da cobertura. Os serviços chegaram por um catálogo, e assim que decidir o que deseja, ligue e encaminharemos o serviço. Tenha um bom dia! — Disse ela e sorriu.

— Claro! Obrigada. — Disse e sorri fraco.


Entramos no elevador e Sophie continuava reclamando o tempo todo por não saber o que usar e nem por não tê-la avisado que víamos. Achamos nossa suíte, e quando abri a porta ela finalmente parou de falar, por ficar encantada com aquilo tudo. Me joguei no sofá e liguei a tevê. E por um minuto observava Sophie, e me encantava como ela era tão legal e carinhosa comigo, afastando meus pensamentos, fingi que não estava a observando e que não era frágil, embora que fosse.

— Justin isso é demais! Meu Deus, nunca fui em um lugar assim. Tem certeza que ninguém vai tirar fotos nossas aqui? Não quero te prejudicar! — Disse ela se sentando na cama.

— Já cuidei disso, não se preocupe! — Disse, indo até ela.

— Então a gente podia se divertir um pouco não acha? — Perguntou ela mordendo os lábios.

— Não só se divertir, mas fazer loucuras hoje. — Disse e a deitei na cama.

— Então me mostra como! — Disse ela, selando nossos lábios.


Comecei a beijá-la, nossas bocas estavam coladas, respirações ofegantes e um desejo incontrolável de tê-la só pra mim. Nosso beijo era quente e a cada vez que a beijava, apertava sua bunda com força. Subi minha mão e comecei a tirar seu short, ela começou a morder meus lábios, enquanto tirava minha blusa. Tirei sua roupa deixando a, apenas de lingerie. Desci minha mão sobre sua coxa, e apertando a com rapidez. Subi minha mão, deslizando no meio de suas pernas e tirei sua calcinha. Ela já estava molhada, e meu membro já latejava por ela. Coloquei três dedos em sua vagina, o que a fez arfar, ela se retorcia e fazia movimentos com a boca que me deixava louco. Coloquei quatro dedos, e isso fez ela gemer de prazer. Tirei a calça, e fiquei apenas de cueca. Enquanto a masturbava, chupava seu seio direito e apalpava o outro com minha mão. Ela gemia no meu ouvido, e aquilo só aumentava meu tesão.


— Oh Justin, me foda logo, quero você dentro de mim agora. — Disse ela entre gemidos o que me fez a encarar com cara de malícia.

— Você quer agora? Posso brincar um pouquinho mais com você, você sabe que posso! — Disse e enfiei meus dedos mais fundo ainda o que a fez gemer alto.

— Justiiin, me foda agoraaa... — Disse ela, gozando nos meus dedos.

— Com prazer! — Disse e mordi seus lábios.


Tirei meu membro da cueca, e abri as pernas de Sophie, me posicionando entre elas, enfiei com força meu membro e rápido, indo cada vez mais fundo, ela arranhava minhas costas, e implorava por mais. A cada minuto, íamos cada vez mais rápido e ela gozava junto comigo. O melhor era que não precisávamos de camisinha, já que Sophie tomava comprimidos, o que me deixava totalmente satisfeito no sexo com ela.


Depois de um tempo, gozamos juntos todas as quatro vezes seguidas, estávamos exaustos e deitamos um ao lado do outro. Ficamos ali, com o lençol branco que nos cobria por um bom tempo. Até que resolvi quebrar o silêncio.


— Estou com fome, e você? — Perguntei.

— Estou faminta! Vai pedir comida aqui no quarto? — Perguntou ela mexendo em meus cabelos.

— Vou! Se vista, vamos comer e logo depois fazer uma massagem. — Disse e levantei da cama.

— Não trouxe roupas, você não me avisou, esqueceu? — Disse Sophie, se enrolando no lençol e sentando na cama logo em seguida.

— Tem algumas roupas que comprei pra você no Closet. Aqui tem várias lojas, você vai poder comprar o que quiser, agora se vista. — Disse e ela sorriu.

— Ah não acredito nisso! Obrigada meu amor... — Disse ela sorrindo, vindo até mim e me dando um selinho.

— De nada, vou pedir a comida. — Disse e me afastei.


Liguei para a refeição e pedi uma comida leve, sem muitos conservantes e nada de refrigerante, apenas suco. A moça disse que chegaria em alguns minutos, me sentei no sofá e liguei a tevê. Sophie estava se arrumando, um tempo depois apareceu no quarto apenas de toalha, o que me fez sorrir enquanto a olhava.


— Fecha a boca, se não vai babar! — Disse ela, enquanto escolhia uma roupa.

— Babar não vou, mas gozar nós vamos mais tarde. — Disse e pisquei pra ela.

— Estou esperando ansiosamente. — Disse ela e fechou a porta do closet.


Um tempo depois a comida chegou, arrumei tudo na pequena mesa da suíte e esperei que Sophie ficasse pronta. Com uns quinze minutos depois, ela saiu do closet com um vestido azul e uma sandália em um tom branco. Ela estava tão linda com aquelas roupas, nem parecia a louca que transava comigo.


— Que fofo, me esperou pra comer. — Disse ela, se sentando ao meu lado.

— Vai começar com o deboche? — Disse e comecei a me servir.

— Não é deboche, é realidade. — Disse ela, dando de ombros.

— Realidade que tá longe! — Disse enquanto colocava suco pra mim.

— Nem tanto Bieber. — Disse ela.


Almoçamos juntos e não trocamos mais nenhuma palavra um com o outro, no final do almoço saímos da mesa, Sophie colocou um filme e ficou sentada me esperando. Fui tomar banho e antes pedi pra alguém limpar a mesa. Depois do banho, coloquei apenas uma bermuda e deitei na cama. A campainha tocou, deduzi que seria a moça do Spa que viria limpar o resto do almoço. Sophie não abriu a porta e disse que não era obrigada, bufei e fui atender.


Abri a porta e dei de cara com o meu pior pesadelo...


Notas Finais


Fiquei esse tempo todo sem postar, pois passei por um procedimento cirúrgico, e não estava em condições de escrever. Espero que me entendam! Está no final do ano, e os trabalhos estão bem corridos, tenho vários, e assim que tiver um tempinho escrevo um pouco. Voltarei em breve, beijinhos! ❤ PS: me desculpem os erros, irei corrigir o capítulo depois.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...