História Secret Love Story! (Ziam Mayne.) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Comedia, Drama, Mpreg, Romance, Tragedia, Violencia, Yaoi, Ziam Mayne
Visualizações 1.314
Palavras 2.070
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oieeeee meus Danicoros!
Tudo bem com vocês?
Olha só eu aqui com uma mais nova fic e ela vai ser ZIAM!
Eu estou muito empolgada, pois ela vai abordar coisas que eu nunca escrevi, mas sempre tive vontade. Eu acho que essa eu não vou desistir de fazer e tem tudo pra dar certo.
Espero que gostem!
Bjsssss e até lá em baixo!<3
Boa leitura.
XxXEUU!!!

Capítulo 1 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction Secret Love Story! (Ziam Mayne.) - Capítulo 1 - Prólogo.

Mais um dia de escola, mais um dia em que Liam tinha que enfrentar olhares de nojos, xingamentos e agressões, mais um dia que ele voltaria para casa cheio de hematomas e choraria a noite toda, pensando o porquê do mundo ser tão cruel com ele.

Liam estava parado em frente à porta do colégio, respirando fundo. Sempre que chegava a escola, ele ficava escondido no meio das folhagens de um arbusto que ficava no parque que havia do outro lado da rua, só esperando o sinal tocar. E quando tocava, era aquela luta interna para ele tomar coragem e passar pelos portões de entrada do colégio.

O jovem Payne era solitário na escola, tendo só um amigo, Niall Horan, um garoto loiro vindo da Irlanda. No começo ele ficava esperando Liam na porta do colégio, só que o mesmo nunca aparecia. Curioso, resolveu perguntar o motivo e então Liam explicou que era para fugir de Jack e sua turma. Uma vez Horan até conseguiu convencer Liam de esperar com ele em frente ao colégio o sinal bater, mas isso acabou com os dois sendo humilhado publicamente.

Soltando o ar com força dos pulmões Payne atravessa a grande porta de entrada do colégio e todos os olhares caíram nele, e logo os murmurinhos começaram.

- Eu soube que nem os pais dele gostam dele e o ignoram em casa. – Uma garota cochicha para a outra.

- Dá uma pena, ele até que é bonitinho. – Outra murmura.

- Bonitinho? Querida você está cega? De bonitinho Liam Payne não tem nada. – A que falou primeiro diz repreendendo a amiga. Liam era sim bonito, mas essa menina não iria admitir isso, além do mais, não queria que ouvissem esse seu comentário e começassem a zoar ela pelos corredores do colégio.

Liam ouvia cada coisa que diziam a seu respeito, mas fazia de tudo para ignorar e continuar em seu caminho para a sala de aula. Mas como a sua sorte é muito grande (sintam a ironia) ele foi brutalmente jogado na direção dos armários, sendo prensado logo depois com um braço em seu pescoço, quase o impedindo de respirar.

- Bom dia viadinho, pensou que ia se esconder da gente hoje? – Jack diz aproximando seu rosto da face de Liam e aspirando profundamente o seu cheiro. – Estou a fim de brincar hoje, o que acha Liam? Que tal perdemos o primeiro período na sala do zelador? – Jack fala com um sorriso malicioso no rosto e seus amigos atrás deles só riam.

Liam estava com medo, muito medo, sua face demonstrava isso, desde o que aconteceu na festa de Sarah ele vem sendo assediado sexualmente por Jack e seus amigos. Já fizeram coisas horríveis com ele, coisas que Liam não suporta nem de se lembrar.

- O que os senhores estão fazendo no corredor há essa hora? Pelo que eu sei o sinal já bateu, já para sala. Menos você senhor Payne. – A face de Liam se alivia assim que ele ouve a voz do professor Ted.

- Não pense que isso acabou gracinha, na hora do recreio a gente se encontra. – Jack sussurra no ouvido de Liam e o solta, indo na direção da sala de aula junto com sua trupe.

- O-obrigado p-professor. E-eu... – O professor Ted corta Liam.

- Não precisa me agradecer, eu só não suporto ver uma pessoa mais forte que a outra, abusando desse poder. Já pode ir para aula senhor Payne. – Ted diz e Liam assente, pegando a sua mochila que tinha caído no chão com o empurrão e indo para a sala de aula.

As aulas foram passando e Liam estava focado em aprender o que os professores ensinavam, mas era difícil, principalmente quando ficavam tacando bolinhas de papel nele e o xingando baixinho. O sinal para o recreio toca e rapidamente a sala se esvazia, deixando Liam sozinho sentado na carteira olhando o quadro branco cheio de fórmulas matemáticas. Ele fecha os olhos fortemente, uma imensa vontade de chorar estava tomando conta dele. Sem pensar muito ele guarda seu material na mochila, paga a mesma e sai correndo para o banheiro masculino. Tudo o que o nosso querido Payne queria fazer era chorar, e a última cabine da esquerda era perfeito para isso.

Assim que Liam passa pela porta do banheiro ele se arrepende de ter ido ali, Jack e seus amigos estavam encostados numa das paredes do banheiro fumando um cigarro, rindo de algo ou de alguém. Seus olhares param em Liam, assim que vêm o mesmo entrar no banheiro, sorrisos maliciosos foram lançados para o mesmo.

- Ora, ora, não agüentou esperar não pelo tratamento? – Jack pergunta se aproximando de Liam, que tenta dar meia volta e fugir, mas era tarde de mais, um dos amigos de Jack já o segurava pelas costas.

- Me solta. – Rugiu Liam bravo e com medo, tentando a todo custo se separar do aperto daquele garoto.

- Parece que alguém aqui esta sendo um mau garoto, que tal nós o ensinarmos uma lição? – Jack fala balançando a cabeça negativamente, com um sorriso maldoso nos lábios e desabotoando suas calças.

- P-por f-favor, n-não... – Liam suplica com o rosto já encharcado de lágrimas.

- Quem manda ter um corpinho tão gostoso Payne, mas eu alivio um pouco seu lado. – Jack diz e então Liam sente uma dor latejante em sua cabeça e logo tudo ficou escuro.

Passados duas horas Liam acorda, ele ainda estava tonto e uma dor forte vinha de sua cabeça, ele olha na direção da pia do banheiro e vê sangue ali, provavelmente bateram a sua cabeça naquela pia para desacordá-lo. Ele tenta se mexer para se levantar, mas sua bunda começa a dor muito, seus olhos automaticamente se enchem de lágrimas.

- D-de n-novo não. – Diz entre soluços e se encolhendo próxima a parede no chão sujo do banheiro. Liam queria morrer, se sentia sujo e tinha medo que essa sujeira nunca saísse dele.

Depois de muito tempo e com muito esforço ele se levanta do chão, lava a sua cara numa das pias que havia ali e sai de dentro do banheiro. Ele não queria mais voltar para a aula, mas também não queria ir para casa, não queria ouvir perguntas de seus pais. Payne então caminha na direção da saída do colégio e vai para o seu lugar preferido no mundo.

Demorou um pouco para chegar lá, principalmente, pois a praia não ficava tão perto da cidade que ele morava. Subindo nas rochas íngremes e tomando todo o cuidado para não escorregar, Liam finalmente chega em seu lugar preferido no mundo.

Quando criança, vinha muito naquela praia com seus pais, mas a partir que foi crescendo seus pais o pararam de levá-lo lá, só que isso nunca o impediu de voltar a essa praia e ficar sentado nas rochas molhadas olhando o mar. O céu estava nublado, como os sentimentos de Liam, parecia que o céu e ele estavam em perfeita sincronia. O castanho dava graças a Deus por não ter ninguém naquela praia, pois seus soluços de choro estavam muito altos e dava para ouvir a quilômetros de distância.

Ele ficou ali por horas, sem se importar com seus pais, escola, ou qualquer coisa no mundo. Ele só queria sumir, desaparecer, ir para outro lugar quem sabe. Observava os pássaros no céu e desejava ser como eles, livre para voar para onde quisesse. Com o passar das horas o sol ia sumindo atrás do mar, deixando o céu laranja e aquele laranja logo virou um preto escuro, que só era clareado por luzes de trovão que davam no céu.

Liam decidiu que já era hora de voltar para casa, não só porque ia chover, mas porque já estava bem tarde. Por ele, ele ficava lá sentado toda a sua vida, só apreciando aquele lindo mar.

- Mãe e pai, eu voltei. – Liam diz entrando em casa e fechando a porta, logo sua mãe aparece e o abraça fortemente.

- Liam James Payne nunca mais faça isso comigo ouviu, não sabe o susto que nós levamos. – Karen repreende o filho ainda o abraçando.

- Desculpe-me mãe, eu estava na praia, precisava pensar. – Liam diz olhando diretamente nos olhos da mãe e a mulher vê sinceridade ali.

- Não tem problema você ir à praia, mas da próxima vez só nos deixe avisado. – A mulher diz e o filho assente. – E você sabe filho, pode sempre me contar tudo o que lhe está afligindo.

Liam queria poder gritar e dizer que não, que ele não podia contar, não só por causa das ameaças de Jack, mas também porque seus pais não davam a mínima para ele. Essa era a verdade mais cruel que Liam enfrentava e isso destruía ainda mais ele.

- Não é nada que a senhora tenha que se preocupar. Agora eu estou cansado, vou tomar um banho e irei dormir. – O Payne mais jovem diz dando um beijo na testa de sua mãe e se direcionando para a escada.

- Não vai comer nada? – A mulher pergunta observando o filho pelas costas.

- Não estou com fome, comi na rua. – Mente e sobe para o seu quarto.

Assim que chega em seu quarto vai direto na direção do banheiro tomar um banho, ele queria tirar toda aquela sujeira de seu corpo, mas pó mais que ele insistisse em esfregar a esponja amarela nele, ele se sentia ainda sujo e sabia que iria se sentir assim para sempre. Depois do banho veste seu pijama preferido do Toy Story e se joga em sua cama, aspirando profundamente o cheiro dos lençóis, lavanda... Um trovão alto soa, assustando o menor. Liam então se ajeita em suas cobertas e fecha os olhos, permitindo mais uma vez que as lágrimas escorressem soltas por seu rosto. E em meio ao choro silencioso ele dormiu.

No andar de baixo da casa Karen andava de um lado para o outro na sala, com as mãos na cabeça e balançando negativamente a mesma.

- O que nós vamos fazer Geoff, esse não é o comportamento normal de nosso filho. – Karen fala olhando seu marido sentando numa poltrona com uma mão apoiada no queixo.

- Andar de um lado para o outro tentando fazer um buraco no chão não irá adiantar de nada. – Ele diz já tonto de ver a esposa andando, que logo para.

- Ele não sorri mais Geoff, não ri mais, não tem aquele brilho nos olhos como tinha antigamente e não visa mais aonde vai. Alguma coisa está acontecendo com ele e ele não quer nos contar. – A mulher diz finalmente sentando no sofá que ficava ao lado da poltrona.

- É só uma fase, a adolescência é assim mesmo. Lembra que você também saia sem avisar seus pais? É só uma fase Karen, logo passa. – Geoff diz dando de ombros.

- Não é só uma fase Geoff... Eu vi marcas roxas em seu corpo, não creio que nosso filho se meteria por livre espontânea vontade em uma briga. – A mulher diz irritada com a atitude do marido e ao mesmo tempo muito preocupada com seu filho.

- Mas suponhamos que tenha alguma coisa errada, o que você quer que eu faça? – O homem fala também já se irritando.

- Mande ele para casa de seu irmão. – Karen diz olhando nos olhos do marido.

- De Zayn? Você só pode estar brincando né? – Geoff pergunta, mas sabia que a mulher não estava brincando, principalmente pela maneira como o olhava.

- Nunca falei tão sério. Zayn mora no campo, vai ser bom nosso filho respirar ares novos, além do mais, ele vai aprender a ser mais independente. E é bom ele conhecer a outra parte da família. – Karen fala decidida.

- Você está ficando louca, além de que eu não sei se Zayn ainda falaria comigo, não depois de eu ter renunciado a linhagem de nossa família. – O homem fala balançando a cabeça de um lado para o outro, negativamente.

- Sua mãe sempre quis conhecer o nosso filho e mesmo que ele esteja ainda bravo com você é seu irmão e com certeza te ajudaria. – A mulher diz fazendo o marido ponderar um pouco.

- Tudo bem... Mas eu falarei com minha mãe, será mais fácil para ela convencer Zayn. – Geoff diz derrotado e suspirando, fazia tempo que não entrava em contato com a outra parte de sua família e tinha medo do que poderia acontecer. 


Notas Finais


Eai gostaram?
Já vários segredos estão aparecendo, deixando as pessoas curiosas né kkkkkk
Ao longo da fic tudo vais e acertando!
Bjssssss e até o next!<3<3<3
XxXEUU!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...