História Secret Meeting - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Suga, V
Tags Fluffy, Jeon Jeongguk, Kim Taehyung, Kooktae, Kookv, Taekook, Taekookdoparanaue, Tkdosparanaue, Tkdp, Vkook
Visualizações 191
Palavras 8.688
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom dia, boa tarde, boa noite e boa madrugada
Só quero deixar esclarecido uma coisa:

gôndola

substantivo feminino

1.

barco característico dos canais de Veneza (Itália), comprido, estreito e de fundo chato, com proa e popa se elevando nas extremidades, impulsionado por um único remo na popa.

Boa leitura sz

Capítulo 1 - Canais e Gôndolas



  Observava atentamente cada pose que se era feita, com um pequeno sorriso nos lábios. Um sorriso de satisfação, orgulho e de missão cumprida. Andava por detrás do fotógrafo, sem deixar de continuar admirando aquele que estava sendo o foco daqueles flashes. As roupas, maquiagem, luz, cenário, tudo estava quase perfeito.

Não deixara de se sentir orgulhoso do seu modelo, com certeza ele é um dos melhores daquela agência, não tinha dúvidas. A empresa só possuía os mais capacitados modelos, procurando assim, sempre agradar e cumprir os pedidos dos clientes. E por que não oferecer melhor garoto e mais experiente? Ele já havia feito tantos trabalhos que fizeram sucesso, que ás vezes tinha pessoas que exigiam que este fosse a capa de uma revista, ou para participar de comerciais - ás vezes até séries de televisão -, campanhas, etc... O importante é que ele agradava a quem o desejava, e isso era mais do que satisfatório para si.

   — Acabamos, todos estão liberados.

A voz do fotógrafo soou pelo local, fazendo com que despertasse do seu pequeno transe que era admirá-lo. Soltou um baixo suspiro feliz, acompanhando o modelo até o camarim para se trocar. Estava cansado e a única coisa que queria, era ir para casa, tomar um banho relaxante, comer alguma besteira e deitar na sua cama para assistir uma de séries favoritas, junto com o seu cachorro, Soonshim.

   — Você foi ótimo como sempre. — Comentou, após fechar a porta, assim que entraram no camarim, e se jogou no pequeno sofá que havia no cômodo.

   — Eu sei, sou maravilhoso, né? — Passou as mãos nos seus cabelos, os jogando para trás.

   — Menos, bem menos. — Soltou um riso, observando o mais velho retirar a roupa que estava usando na "sessão e colocando as suas normais. Já estava acostumado a ver ele se trocar na sua frente, são íntimos o suficiente para tal coisa.

   — Mereço. — Revirou os olhos, fechando os botões da sua camisa branca, enquanto se apoiava na mesa que continha os mais variados tipos de maquiagem. — Me diga, o que temos até o fim do mês? — Ergueu o seu olhar para o mais novo, tomando cuidado para fechar os botões adequadamente.

   — Amanhã temos a festa da empresa, e depois de amanhã, a viagem para Veneza, para a sessão fotográfica. — Respondeu, forçando a mente para ver se lembrava de mais alguma coisa. — Apenas isso.

   — Você vai na festa que vai ter amanhã? — Perguntou, vendo o mais novo assentir. — Mas, você não tinha que sair com o Jihan? — Franziu o cenho, confuso.

   — Tinha, mas o senhor Jeon disse que a minha presença era obrigatória. — Murmurou contragosto, ao se referir do seu chefe.

  — Mas ela não é, aliás, essa festa é uma besteira! — Exclamou, levantando um pouco as mangas de sua camisa que ficaram um pouco longas. — O que você fez em relação ao Jihan?

   — Ué, disse que não podíamos sair. — Deu de ombros, brincando com os seus dedos. Sabia que ia levar um belo sermão, mas não tinha jeito. Teria que ouvir.

   — COMO É? — Berrou, se levantando com tudo de onde estava apoiado, deixando com que um vidro de perfume caísse. — Você não podia ter feito isso, deveria ter marcado para outro dia! Você sabe como é difícil encontrar um homem tão lindo e gostoso como aquele? — Perguntou retoricamente. — Pelo amor de Deus, você sabe há quanto tempo está encalhado?

   — Seokjinnie... — Chamou com a voz manhosa, olhando para o seu melhor amigo. — Não diga bobagens, eu estou melhor sem ninguém.

   — Porra, Taehyung! — Exclamou, começando a andar pelo pequeno cômodo. — Você sabe há quanto tempo não beija alguém? E transar? Isso se você ainda sabe fazer essas coisas, porque, sinceramente, meu caro amigo, você está mais encalhado do que a minha tia. E olha que ela tem cinquenta e três anos e apenas cinco dentes.

   — Eca. — Fez cara de nojo ao imaginar a tia do seu amigo beijando alguma pessoa. — Isso me deu náuseas.

   — Eu estou falando sério. — Seokjin suspirou, se sentando ao lado do mais novo. — Sou seu melhor amigo e me preocupo com você.

   — Hyung, preocupe-se apenas em estar bem disposto para a nossa ida para Veneza, por favor. — Pediu educadamente, lançando um sorriso de lado ao mais velho. — Quando a sessão de fotos acabar, eu deixo você se intrometer na minha "vida amorosa" um pouquinho.

   — Deixa mesmo? — O mais velho olhou de relance para o outro.

   — Deixo. — Assentiu, não dando muita importância ao assunto. Sabia que depois do trabalho em outro país, Seokjin esqueceria disso porque iria ficar falando de como gostou de tal lugar.

   — Ótimo.

{...}

Taehyung andava de um lado para o outro, fazendo pequenos ajustes em sua máquina fotográfica, enquanto esperava tudo ficar devidamente arrumado. Como havia chegado na Itália ao anoitecer do dia anterior e agora estava a trabalho, e no dia seguinte já iria embora, não tivera tempo de conhecer os locais incríveis que a cidade tinha.

Então, tiraria fotos somente de onde estava trabalhando. E era um local realmente muito bonito, oque aumentava mais ainda a sua curiosidade em querer conhecer tudo de maravilhoso que a cidade tinha para lhe oferecer. Se estava encantado apenas por ver os barcos navegando pelos canais, imagina se conhecesse todos os pontos turísticos. Ficaria apaixonado.

Olhou para o meio do canal e pôde ver Seokjin e Yoongi juntos em uma gôndola, fazendo poses para as fotos que estavam sendo tiradas. Em frente havia um outro barco um pouco maior, devido a ser onde o fotógrafo, a maquiadora e dois ajudantes estavam. Mesmo assistindo tudo um pouco de longe, já que não era necessário ficar no barco, viu que Seokjin estava se saindo super bem, lhe deixando orgulhoso mais uma vez.

   — Ah, eles ficam fofos juntos, não acha?

Assustou-se ao escutar uma voz perto de si, e se virou para ver quem era. Revirou os olhos, e voltou a prestar atenção na sessão de fotos que estava acontecendo em sua frente. Não queria perder a paciência tão cedo e muito menos ter que discutir. Aquele ditado "tudo que é bom, dura pouco", lhe caiu muito bem nesse exato momento. Pois estava tão feliz, mas seu sorriso sumiu em um segundo ao olhar ele.

   — Não acho nada. — Respondeu simplista, sem se importar se foi um pouco rude.

   — Eu acho, sabe. — Insistiu, ficando ao lado do Kim. — Eles são totalmente opostos. Seokjin Hyung é super sociável, já o Yoongi Hyung é mais fechado. Um tem um estilo mais fofo e moderno, enquanto o outro se parece mais com um bad boy.

   — Isso não tem nada haver. — Deu de ombros, mirando a sua câmera nos dois que estavam em meio ao canal, e começou a tirar fotos.

   — Claro que tem! — Exclamou, insistindo terrivelmente no assunto. — Os opostos se atraem, eles fazem um casal perfeito.

   — Se você acha isso o problema é seu. — Murmurou, começando a andar pela calçada que fica na beirada no rio, sem deixar de tirar fotos dos dois e de outras pessoas que passavam em gôndolas.

   — Deveria ser mais educado comigo, afinal, sou o seu chefe.

   — Infelizmente. — Sussurrou para si mesmo, suspirando baixinho. Não deixaria que ele lhe irrita-se justo agora, então bastava ignorar. — Me desculpe, Senhor Jeon.

   — Por que me chama de 'Senhor Jeon'? — Resmungou ao pronunciar tal nome. — Fico me sentindo velho e sou mais novo que você.

   — Porque você é meu chefe. Não disse que eu deveria ser mais educado? — Indagou, ajustando melhor sua câmera para que as fotos saíssem melhores. — Então é assim que devo me portar com o meu superior.

   — Sabia que você fica sexy falando assim?

   — Não enche, Jeongguk! — O mais velho pediu, continuando a andar pelas beiradas da calçada, tendo o outro o seguindo.

Sempre que podia o Jeon lhe jogava cantadas sem graça ou dizia algo relativo a isso. E o pior de tudo, é que sabia que o seu chefe apenas estava brincando com a sua cara, visto que ambos eram os mais novos na empresa. Jeongguk era filho do chefe, vice-presidente, um dos caras mais desejados da agência, tem apenas 22 anos e é um completo sem vergonha.

Já Taehyung, é o melhor agente de modelos da empresa, o mais bonito, fofo, tem 24 anos; e é super paparicado pelo Senhor Jeon, pai de Jeongguk, dono da empresa. Mas não com segundas intenções, ele apenas queria o Kim aceitasse um cargo maior na empresa e que, futuramente, se torna-se o braço direito do seu filho. Óbvio que recusou, os dois não se davam bem de forma alguma e estava mais do que satisfeito com o seu emprego.

Mas o Senhor Jeon sempre insistia nessa ideia, dizendo o quanto era talentoso e que com certeza não se decepcionaria. Porém, não tinha como aceitar quando Jeongguk vivia pegando no seu pé e lhe cantava de um jeito que o fazia sentir náuseas. O achava um completo idiota e mimado, que quer tudo aos seus pés, e adorava encher o seu saco.

   — Nossa, imagina você gemendo "Jeon". — O moreno disse, provocativo.

   — Mas o que... — Taehyung se virou rapidamente com os olhos arregalados, por conta do que havia acabado de escutar, e, sem querer, acabou pisando fora da calçada, se desequilibrando.

Fechou os olhos com força, pronto para cair no canal, mas não foi oque aconteceu. Seu corpo não se chocou na água, então voltou a abrir os olhos, só que, dessa vez, bem lentamente, e logo descobriu o motivo que o impediu de ficar pagar um enorme mico e ficar encharcado. Achou que preferia mil vezes ter caído lá, do que ficar na situação em que se encontrava no momento.

Jeongguk estava o segurando pela cintura, deixando os seus corpos um colado ao outro. Sua respiração parou por alguns segundos ao notar que o seu rosto estava muito próximo ao do moreno, percebeu que suas mãos estavam segurando com força o casaco preto que ele usava e que sua câmera estava pendurada em seu pescoço. Sabia que tinha se agarrado a ele por impulso, com medo de cair, mas isso fora muito constrangedor e o ter rosto dele a centímetros de distância do seu, deixava a situação ainda mais complicada.

   — Me solta. — Murmurou, um pouco desconcertado, devido a aproximação.

Não queria encarar as orbes do outro, mas era inevitável, visto que estas estavam o olhando tão intensamente. Hora ou outra desviando o olhar para diversas partes do seu rosto e, principalmente, os seus lábios. O Jeon parecia estar se se segurando para não perder o controle e atacá-lo.

   — Se eu te soltar... — O moreno segurou mais forte na cintura do Kim, unindo mais ainda os seus corpos. — Você irá cair. Quer que isso aconteça?

Taehyung balançou a cabeça negativamente, sem conseguir proferir uma palavra sequer, por incrível que pareça. Sempre foi alguém muito falante, mas ter um cara - por mais difícil que seja dizer - gostoso em sua frente, mordendo os lábios, o fazia ficar um tanto paralisado. Essas "desgraças" só aconteciam consigo mesmo.

   — O gato comeu a sua língua, TaeTae? — Jeongguk deu um sorriso de lado, virando o corpo do mais velho para que ele não ficasse mais beirada calçada e não corresse o ricos de cair. — Ou você está se controlando para não me beijar? — Perguntou baixinho, bem próximo ao ouvido do castanho.

E como se estivesse saindo de um transe, arregalou os olhos e se recordou que ali, a pessoa que o estava o segurando, era o seu chefe e a pessoa que odiava. Empurrou o moreno para se afastar o mais rápido possível; porém, não havia percebido que agora era o outro que estava na beirada da calçada do rio, sendo assim, fazendo com que o Jeon se desiquilibre e acabe caindo na água.

   — Eu te salvo e você me joga no canal? — O mais novo perguntou, incrédulo, enquanto passava as mãos pelo rosto para retirar os resquícios de água. — Não acha que eu merecia um 'obrigado' ao invés disso?

   — Me segurou porque quis, eu não pedi!

Dito isso, Taehyung virou-se de costas e começou a andar para longe dali, checando se sua câmera ainda estava em perfeitas condições, controlando os seus batimentos cardíacos. Não se preocupou com os resmungos do seu chefe, e muito menos com os olhares confusos que o Seokjin lançava. Apenas queria ir embora o mais possível, e estava agradecendo a Deus por isso acontecer no dia seguinte.

{...}

Soltava resmungos baixos, enquanto rolava na cama e ficava deitado de bruços. Fechou os olhos, se controlando para não xingar o que visse em sua frente. Mais cedo, havia recebido a notícia de que teria que ficar mais um dia na Itália porque o vôo que os levaria para Coréia, foi cancelado. Apenas queria ir para sua casa e descansar o final de semana todo.

Se bem que poderia fazer isso ali mesmo. Não tinha mais compromisso algum naquela cidade, poderia conhecer os pontos turísticos que tanto queria. Mas também não queria ir sozinho, seu melhor amigo havia dito que sairia com Yoongi para conhecer esse lugar perfeito, como não tinha outro amigo no país, aproveitaria para descansar, e, quem sabe, sair depois para algum restaurante.

Três batidas rápidas na porta foi o suficiente para assustá-lo. Se levantou com a maior preguiça do mundo, visto que já estava quase pegando no sono, e andou calmamente para poder abri-la. As batidas continuavam sem cessar, o fazendo xingar mentalmente quem quer que seja, pois isso poderia lhe trazer uma dor de cabeça, e girou a maçaneta, finalmente abrindo.

   — Se arrume rápido!

   — Quê? — Olhou confuso para o melhor amigo que havia entrado no seu quarto de hotel feito um furacão, e fechou a porta atrás si, dando passos lentos até a cama, se jogando na mesma logo em seguida.

   — Eu disse para se arrumar rápido! — Repetiu rapidamente.

   — E por quê? — Questionou baixinho, voltando a deitar na mesma posição, e fechar os seus olhos.

   — Porque você vai sair. — Seokjin puxou o mais novo pelos pés, o fazendo cair da cama e soltar um grito por se assustar com o ato.

   — Porra! — Exclamou, sentindo algumas partes do seu doerem devido a pequena queda, e olhou incrédulo para o seu amigo. — Por que você fez isso?

   — Porque você precisa se despertar e se arrumar bem rápido. — O mais velho começou a retirar algumas peças de roupas de Taehyung de dentro de uma pequena mala, as jogando sob a cama.

   — Por que eu preciso me arrumar? — Se levantou, passando a mão na bunda como se estivesse fazendo uma massagem para aliviar a dor, já que se virou na hora que foi puxado. — Hey, você está bagunçando todas as minhas coisas!

   — Você terá um encontro! — Disse animadamente, terminando de montar um look perfeito para o mais novo.

   — O QUÊ? — Praticamente gritou, arregalando os olhos. — Você só pode estar brincando.

   — Não, não estou. — Deu de ombros, cruzando os braços abaixo do peito e encarou o menor. — Você disse que depois das fotos, eu poderia me intrometer na sua vida amorosa.

   — E você se lembra disso? Aliás, vai mesmo ter coragem de se intrometer na minha vida pessoal? — Taehyung não estava acreditando no que o mais velho dizia, só podia ser uma brincadeira para zoar consigo.

   — Eu sou como um irmão mais velho para você, então, sim, eu vou me intrometer na sua vida. — Assentiu, olhando furiosamente para si.

   — Mas...

   — E não adianta negar! — Seokjin interrompeu o mais novo, começando a falar em um tom sério. — Eu estou cansado! Você tem apenas vinte e dois anos e não aproveita quase nada da sua vida, fica somente se preocupando com o trabalho. As únicas festas que vai são as que a empresa dá; quando sai para algum lugar, prefere ir sozinho; e, quando te convidam, sempre tem um imprevisto e você não marca novamente! — Soltou metade do que tinha para dizer, deixando o mais novo calado. — Acredite, eu quero o seu bem. Quero ver você gostando de uma pessoa e ela retribuindo, quero ver seus sorriso direcionados a ela. É difícil entender que eu apenas quero que você seja feliz?

Taehyung respirou fundo, passando as mãos no rosto, sem conseguir rebater com que o amigo disse. Sabia que ele estava certo, afinal, o mais velho sempre quis o seu próprio bem e sua felicidade, deixava isso extremamente claro. Porém, não imaginava que este seria tão radical ao ponto de marcar um encontro secreto para si, isso deveria estar o incomodando muito para chegar a isso.

   — Certo. — O mais novo fez uma leve massagem nas têmporas, e olhou para o outro, mais calmo. — Você marcou um encontro para mim sem eu saber? — Seokjin assentiu. — Ok, e com quem?

   — Isso é segredo. — Deu um sorriso de lado, temendo que ele possa recusar.

   — Então você quer que eu saía com uma pessoa que ao menos nem sei quem é? — Perguntou calmamente, assustando até o mais velho por não ter ouvido os seus gritos.

   — Bom... Sim? — Disse incerto, franzindo os lábios.

   — Pode esquecer. — Taehyung balançou a cabeça negativamente, voltando a se jogar de bruços na cama.

   — Ah, qual é? Você não confia em mim? — Seokjin bufou furiosamente, estava tentando ao máximo possível fazer com que o outro aceitasse a sua ideia.

   — Não. — Disse rapidamente e simplista.

   — Kim Taehyung, você está dizendo que não confia em mim?

   — Sim, estou. — O mais novo virou-se, se deitando de lado, e observou a expressão furiosa do amigo. — Como posso confiar em alguém que marca um encontro secreto para mim e ainda não me diz com quem é? Aliás, nem secreto, visto que já me contou.

   — A pessoa continua sendo um segredo. — Seokjin se sentou na cama, ao lado mais novo. — Ontem você me disse que queria conhecer essa cidade, os principais pontos turísticos. Então, por que não matar dois coelhos com uma cajadada só? — Bagunçou os seus fios castanhos. — Você terá um encontro e ainda irá conhecer alguns lugares daqui.

   — Hyung, esquece. — Balançou a cabeça negativamente, fechando os olhos. — Isso é vergonhoso.

   — É romântico. — O corrigiu.

   — Eu já disse que não vou, nem adianta insistir. — Resmungou, cobrindo o seu rosto com o travesseiro, afim de ter um pouco de paz.

   — Você sabe que eu nunca aceito um 'não' como resposta.

{...}

Taehyung bufou, enquanto andava a passos rápidos pelo saguão do hotel até a porta de saída do mesmo. Não sabia como havia aceitado tal coisa vinda do seu amigo, mas já estava cansado de ouvir este dizer o quanto era um ingrato por não dar o devido valor ao seu esforço. Oras, não tinha pedido para ele marcar um encontro para si, marcou porque quis. E agora estava sendo obrigado a sair com quem nem ao menos conhecia.

Eu ainda te mato, Kim Seokjin!

Pensou, enquanto olhava ao redor do lado de fora do hotel, procurando o cara secreto com quem iria sair. Também tinha sido obrigado a vestir as roupas que o mais velho havia escolhido, que consistia em uma calça e camisa preta; um sobretudo azul escuro; e, para finalizar, uma boina de cor bege. A roupa estava perfeita contando com o friozinho que se fazia.

Enfiou as mãos nos bolsos do seu sobretudo e mordeu o lábio inferior, nervosamente. Afinal, não tinha como não ficar nervoso. Sua mente estava em plena confusão, sabia muito bem que Seokjin não conhecia ninguém daquela cidade, então isso dificultava mais ainda a sua vida. Conhecia todos os amigos do mais velho, e nenhum deles ousou uma vez sequer jogar uma cantada em cima de si, fora que eles estão em outro país.

Tão confuso.

   — Me desculpe pelo atraso.

Respirou fundo, fechando os olhos, para logo depois abri-los novamente. Encarou um ponto qualquer em sua frente e não fez questão de se virar para encarar o maldito dono daquela voz. Só faltava ele mesmo para a sua desgraça ficar completa, chegou até ao ponto de pensar o porquê de não ter trocado de emprego ainda.

   — Jeongguk, vai embora, por favor. — Pediu educadamente, se segurando para não descontar toda sua frustração no mais novo. — Estou esperando alguém.

   — Eu já pedi desculpas pelo meu atraso.

   — E o que eu tenho haver com o seu atraso? — Taehyung indagou confuso, se virando para poder olhar o outro, e pôde jurar que perdeu o fôlego por alguns segundos.

O Jeon estava extremamente lindo. Suas roupas eram todas pretas, a cor ao qual quase sempre usa, ele também usava um sobretudo e os seus cabelos negros estavam combinados com cada peça que vestia. Aliás, era doloroso admitir, mas ele ficava super atraente vestido de preto, e também não negaria que o outro era muito bonito. Porém, deixaria isso guardado apenas para si.

Tentou ao máximo não ficar desconfortável com o olhar do moreno fixado em si, este o observava dos pés a cabeça, como se estivesse querendo gravar cada detalhe que estivesse vendo em sua mente. Ou, talvez, ele apenas estava fazendo isso para lhe provocar e irritar, como uma das outras vezes.

   — Bom... — O mais novo balançou a cabeça, focando o seu olhar na face do Kim. — Eu estou aqui.

   — E daí? — O castanho ergueu uma de suas sobrancelhas, não entendo oque o outro falava.

   — Você não precisa mais esperar. — O mais novo deu um sorriso de lado, dando um passo para frente, ficando mais próximo do Kim. — Já podemos sair.

Sua expressão permaneceu confusa até se dá conta do que estava acontecendo. Era óbvio que Seokjin não marcaria um encontro para si com um italiano, era alguém que conhecia, e como Yoongi já tinha sido riscado da sua lista por motivos óbvios, lhe restou apenas Jeongguk. Como foi tão estúpido de não ter lembrado que ambos também eram muito próximos? Se tivesse uma pá, cavaria uma um buraco e se enterraria ali mesmo.

Por mais que estivesse morrendo de raiva, o seu melhor amigo não sabia que ele e o Jeon se "odiavam", nunca havia contado e também não deixava transparecer muito. Gostava de deixar certos sentimentos guardados apenas para si, e, com certeza, oque sentia pelo moreno deveria ficar trancado em um dos melhores cofres, e que sua senha nunca fosse revelada.

   — Eu vou embora. — Foi a única coisa que disse, antes de começar andar rumo a entrada do hotel, mas foi impedido por uma mão que segurou delicadamente o seu pulso.

   — Espere. — Jeongguk se pôs a frente do Kim, e o encarou, ainda o segurando. — Por que está indo embora?

   — Porque eu não vou sair com você. — O castanho fez questão de puxar o seu pulso, sem muita brutalidade, e cruzou os braços em seguida.

   — Por que não? — O mais novo repetiu o mesmo ato do outro, o encarando com uma de suas sobrancelhas arqueadas.

   — Preciso dizer os motivos? — Deixou com que uma risada irônica escapasse dos seus lábios.

   — Tem medo de mim?

   — Não, eu não tenho. — Taehyung balançou a cabeça negativamente, ajeitando melhor a boina que estava em sua cabeça. — Apenas não quero ficar ao lado de alguém irritante e que fique fazendo piadinhas sem graça.

   — E se eu prometer me comportar? — Indagou esperançoso, vendo o outro negar, novamente. — Eu não sou daquele jeito o tempo todo, sabia? Agora mesmo eu não estou te perturbando.

   — Eu te conheço muito bem e sei que essa paz não vai durar mais do que cinco minutos. — O Kim suspirou, e inclinou um pouco a cabeça para o lado, olhando atentamente para o mais novo.

   — Por favor, vamos apenas ver alguns lugares aqui da cidade, comer em algum lugar e depois vamos embora. — Insistiu, batendo um de seus pés no chão como se estivesse fazendo manha igual a uma criança. — Eu peço de joelhos se você quiser.

   — Não preci... — O castanho travou sua fala e arregalou os olhos ao ver o mais novo já ajoelhado no chão. Insistente demais. — Jeongguk, pelo amor de Deus, levanta dai! Não me faz passar vergonha!

   — Só se você aceitar sair comigo. — Deu de ombros, com o seu rosto erguido para poder olhar o mais velho.

   — Droga! — Exclamou, notando que algumas pessoas ao seu redor começaram a focar os seus olhares nos dois, o fazendo ficar constrangido de imediato. — Tudo bem, eu aceito. — Rendeu-se, se perguntando o motivo do moreno ter feito aquilo, sendo que ele é o mais tímido; porém, lembrou que este não se preocupava com que os outros pensava de si. — Levanta logo daí!

   — Ótimo. — O Jeon deu um sorriso largo, por fim, se levantando, limpou o pouco de sujeira que ficou em sua roupa. — Vamos!

   — Não acredito que você teve coragem de fazer isso! — Taehyung bufou, ainda incrédulo com a atitude do outro.

   — Ás vezes, as pessoas são capazes de fazer qualquer coisa para conseguir o que quer. Isso não foi um grande ato. — O mais novo estalou a língua, parecendo não dar importância no assunto. — Agora vamos!

Taehyung piscou repetidas vezes, tentando entender oque aquilo significava, mas resolveu ignorar e seguir o moreno. Logo em frente ao hotel, onde se localizava em frente ao canal, havia algumas gôndolas junto com alguns senhores que estavam disponíveis para lhe proporcionarem um passeio, que os ajudaria a conhecer rapidamente os principais pontos turísticos de Veneza.

Caminharam poucos passos até a beira do canal, e o Kim observou os barcos que estavam disponíveis. Em um estava apenas um casal, que esperavam mais duas pessoas para que pudessem dividir o valor do passeio; o outro, estava vazio, podendo muito bem proporcionar um passeio somente a duas pessoas.

   — Vamos naquele. — Jeongguk apontou para o barco ao qual estava vazio.

   — Negativo, vamos nesse. — Apontou para o barco que tinha duas pessoas. — Não vou nisso sozinho com você nem a pau! — Esclareceu, indo diretamente para a gôndola com os outros que estavam esperando. — Se vira com o Gondoleiro ai que eu não falo italiano.

Taehyung ignorou a careta do mais novo e subiu no barco, sorrindo gentilmente para o casal que também estava ali. Logo em seguida o Jeon se sentou ao seu lado, e nem sequer se preocupou se este tinha pagado a sua parte, mas com certeza havia feito isso, caso contrário, não estaria mais na gôndola. E já que foi ele que convidou, então que seja ele a pagar pelos gastos que fizerem nesse pequeno passeio. Afinal, quem manda insistir muito.

Tentou ao máximo não se importar com o fato de Jeongguk estar muito perto de si, e focar a sua atenção apenas nas construções que via. Se arrependeu de não ter trago a sua câmera consigo, adoraria tirar belas fotos para guardar de lembrança. Estava encantado por aquele lugar, e o pôr do sol deixava tudo ainda mais agradável e prazeroso.

   — Olha. — O Jeon chamou a sua atenção, apontando para um certo ponto. Olhou para onde este indicava e viu que era uma pequena ponte, extremamente linda. — Ponte dos suspiros.

   — Por que esse nome? — Perguntou curioso, sem desviar o olhar daquela pequena estrutura por onde o barco estava prestes a passar por baixo.

   — Ela liga o Palazzo Ducale ao prédio a onde funcionava a antiga prisão de Veneza. — Começou a explicar, sabendo que o Kim estava prestando atenção em suas palavras, por mais que o seu olhar dissesse outra coisa. — Ela tem esse nome por causa dos prisioneiros. Segundo a lenda, eles suspiravam ao passarem por ali, vendo o mundo pela última vez.

Deixou com que um "uau" quase mudo escapasse. Ficou encantando com a ponte e a história da mesma, era deveras interessante. Observou cada detalhe, principalmente quando o barco em que estavam passou por de baixo da mesma. Estava impressionado com que ele havia lhe dito sobre essa pequena lenda,  perguntaria depois como o mais novo sabia disso, mas, por hora, apenas aproveitaria o passeio.

Continuou observando todos os lugares por onde o barco se passava, sem deixar de ficar admirado. Minutos depois, haviam parado em um certo ponto, indicando que o passeio já tinha acabado. Desceu da gôndola e viu que estava em um local onde haviam muitas pessoas. Deveria ser o principal ponto turístico da cidade, muitas delas estavam com câmeras fotográficas e registravam os mais vários tipos de coisas que desejavam.

   — Será que você pode sorrir pelo menos um pouquinho? — O moreno passou a andar ao seu lado, e preferiu não virar o rosto para olhá-lo.

   — Eu estou com você no meu encalço, não tem como sorrir perante a isso. — Passou a observar algumas construções que lhe pareciam belas e antigas.

   — Pelo amor de Deus, Tae. — Jeongguk se posicionou em sua frente, o fazendo levar um pequeno susto e parar de andar imediatamente. — Estamos no meio da Piazza San Marco, diante várias construções históricas. Sério que vai deixar a minha companhia te impedir de sorrir? — O castanho preferiu não responder, e apenas deu de ombros. — Ok, vamos fazer uma aposta.

   — Que tipo? — Indagou curioso, crispando os lábios.

   — Se você não sorrir até o fim do passeio, eu te deixo em paz para sempre, nunca mais te perturbo. — O mais novo se aproximou, ficando a centímetros de distância do rosto do Kim. — Mas... — Sussurrou, dando um sorriso de lado ao ver que o outro estava parado, fitando a sua boca. — Se eu conseguir arrancar um sorrisinho sequer desses seus lábios lindos, você terá que me beijar.

   — Então... — Taehyung fechou os olhos, respirando fundo, para logo abri-los de novo. — Acho melhor eu começar a comemorar, porque você nunca vai me beijar novamente.

Dito isso, passou pelo Jeon, esbarrando o seu ombro no dele de propósito. Enfiou as suas mãos nos bolsos do seu sobretudo e nem se importou se estava com uma aparência irritada ou não. Estava com raiva pelo mais novo ter lhe proposto uma coisa dessas; estava com mais raiva ainda por ter aceitado acidentalmente, pois sabia que perderia.

Jeongguk sabia muito bem como lhe agradar e arrancar sorrisos fáceis seus.

Observou alguns artistas tocando músicas e restaurantes ao ar livre, logo ficou em dúvida em qual ir para jantar mais tarde, eram tantas opções que lhe deixavam confuso. Porém, deixaria isso para mais tarde, por hora, aproveitaria apenas aquele lugar maravilhoso e apreciaria tudo de bom que ele tinha para lhe oferecer.

   — Vem, vamos na Campanilli Di San Marco.

Não ousou negar, afinal, não entendeu muito bem oque o Jeon havia falado, apenas soube quando este o puxou para uma enorme torre que se concentrava na praça. Esperou alguns minutos para que pudessem entrar, até que viu o moreno pagar alguns euros e em seguida ser puxado por ele, novamente. Se dissesse que não estava nervoso e com medo, estaria mentindo. A cada vez que se aproximavam do tipo, mordia o seu lábio cada vez mais forte e apertava a beirada do seu sobretudo com os dedos.

Taehyung ficou travado ao chegarem no topo da torre e fechou os olhos com força. Não queria ter que olhar de cima daquilo, era capaz de passar mal, como vomitar ou desmaiar. Uma vez já tinha acontecido isso consigo quando foram em brinquedo no parque de diversões, oque ocasionou botar todo o seu jantar para fora, em cima de um dos seus amigos, Park Jimin.

   — Eu sei que você tem medo de altura. — Escutou a voz suave do outro perto de si, e logo os deus dedos serem entrelaçados com os dele, unindo ambas as mãos. — Mas vale a pena ver isso, Taehy.

O Kim respirou fundo, e tentou ignorar o fato de ter a mão do Jeon junto a sua, lhe passava uma certa segurança. Abriu os olhos e não deixou de ficar surpreso, dando dois passos para frente para poder observar melhor. Dava para ver Veneza inteira daquela torre, a visão era de 360° e isso permitia que pudesse ver todos os ângulos da cidade. O início da noite estava lindo junto com as luzes que iluminavam toda cidade, era tão belo que deixou com que sorriso mínimo brotasse em seus lábios, enquanto observava tudo aquilo.  

{...}

Taehyung soltava gargalhadas baixas, para não chamar a muita atenção, enquanto tentava controlar os seus risos. Jeongguk estava apenas de braços cruzados, com um biquinho nos lábios e com uma expressão irritada, oque arrancava mais risos do castanho. Estavam em um dos restaurantes ao ar livre jantando, depois de terem esperado cerca de uma hora. Havia ouvido falar que de queria garantir uma vaga, deveria chegar cedo, mas não imaginou que todos os restaurantes ficassem tão lotados durante a noite.

Já tinham visitado algumas construções históricas que ficavam na praça, que é uma das melhores da Itália, como: A Brasílica de San Marco, Palazzo Ducale e a Torre do Relógio. Confessara que se encantou por cada pedaço que viu de Veneza, mesmo não vendo todos, e, principalmente, a tão temida Campinale por si. Depois de ter visto a cidade toda, perdeu um pouco de medo e achou os seus sinos até fofos.

   — Sério, a sua carinha quando recebeu o tapa dela foi hilária. — O mais velho continuou rindo, tentando parar.

   — Como você pode ter coragem de rir? — O moreno resmungou, aumentando mais ainda o seu biquinho. — Taehy, doeu, sabia? Ficou até a marca dos dedos na minha cara.

Nem se preocupou ao ouvir ser chamado pelo apelido, novamente. Já tinha ouvido ele sair várias vezes dos lábios do outro durante as últimas horas, que até se acostumou. A sua atenção no momento era rir do Jeon; este que havia esbarrado em uma senhora sem querer, e quando foi pedir desculpas em italiano, acabou se enrolando nas palavras e acabou xingando ela, e nem sabia oque havia dito. Só percebeu que foi algo ruim, quando sentiu a mão dela ir de encontro com o seu rosto, arrancando altas risadas do Kim.

    — Eu só vou parar de rir porque estou com fome. — Respirou fundo, finalmente, controlando os seus risos e esperou com que o garçom servisse os dois.

   — Queria ver se fosse você no meu lugar. — O mais novo fez uma referência ao garçom, como forma de agradecimento, e olhou para o Kim.

   — Eu faria aegyo para ela e, com certeza, não levaria um tapa. — Deu de ombros, provando um pouco da sua comida. Fechou os olhos sentindo aquele sabor maravilhoso no seu paladar, e logo tratou de comer mais um pouco.

   — Infelizmente você é encantador demais para levar um mísero tapa. — Jeongguk pegou a sua taça e provou o conteúdo que continha na mesma, um dos melhores vinhos da Itália.

   — É... — Mordeu o lábio inferior, xingando a si mesmo por se sentir constrangido com tal elogio. — Enfim, como é que você sabe um pouco de italiano? — Tentou disfarçar, aproveitando para beber também vinho

   — Em uma viagem há um tempo atrás, acho que você deve se lembrar, visto que naquela época você já trabalhava na agência. — Fez uma pequena pausa, apenas para tomar mais um gole do líquido da sua taça. — Então eu achei bom aprender o básico.

    — Entendi. — Taehyung passou lentamente a língua entre os lábios para tirar os resquícios de vinho e baixou um pouco a sua cabeça para comer, ao ver que o Jeon fitava a sua boca com certo desejo.

Passou a observar os artistas que estavam tocando próximo de si, e resolveu comer apreciando a música ao invés de se embalar em mais um assunto com o moreno. Deixou com que a música suave fosse a única que tomasse conta dos seus pensamentos. Não queria ter que pensar no cara que estava em sua frente; não queria ter que pensar em como se sentia bem perto dele; não queria ter que pensar no fato de como ele lhe passava segurança; não queria ter que pensar em como o sorriso dele era lindo e mexia profundamente consigo.

Apenas não queria pensar nos sentimentos que ainda nutre por Jeongguk.

Balançou a cabeça ao se tocar que estava pensando demais nele, e se concentrou apenas em comer e não nos olhares nada discretos que o mais novo lançava para si. Odiava o feito que isso lhe causava, deveria ser mais forte e não um fraco que se sente constrangido com um simples elogio. O que poderia fazer? Queria poder controlar o seu coração e, principalmente, por quem ele bate mais rápido. Mas isso é impossível, e esse fato era oque mais o irritava.

Ainda sentia raiva do Jeon, certas coisas são difíceis de se esquecer, e um coração magoado era o pior. Todo aquele sentimento bom foi coberto por um ódio, detestava essa palavra, para si ela era muito forte e oque ela significava era horrível. Mas não tinha escapatória, preferia manter esse sentimento ruim dentro de si como uma forma de proteção, como se fosse um escudo. Um escudo que lhe protegia e escondia de todas as coisas boas que sentia pelo moreno, para evitar se machucar, novamente.

Por isso odiava Jeongguk.

{...}

Caminhavam lado a lado, enquanto procuravam um ponto mais próximo do transporte mais famoso da cidade que os levariam de volta para o hotel. Haviam andando bastante e se encantado por cada parte de Veneza que conheceram, desde as construções, comidas, músicas e bebidas. Com certeza carregariam para sempre uma boa lembrança daquele lugar.

O Kim não negaria, estava um pouco sob o efeito de álcool devido ao vinho, assim como o Jeon, mas tinha total consciência de suas ações. Agradecia a Deus pelo o seu vôo que os levaria de volta até a Coréia fosse a tarde, já se passava da meia noite, até mesmo temia que não encontrassem mais um dos barcos para levá-los ao hotel, pelo menos poderia dormir a manhã toda e descansar. Afinal, ficou mais ou menos umas sete horas passeando pela cidade, de lembrava muito bem que havia saído no fim da tarde e agora já estava mais do que o início da madrugada.

   — Ali! — O moreno chamou a sua atenção, apontando para um ponto em que ainda tinha duas gôndolas.

Suspirou aliviado, acompanhando o mais novo até eles. Já estava com medo de ter que voltar andando devido ao horário, mas, por sorte, parecia que ainda tinha pessoas que trabalhavam durante a madrugada. E até sabia porque, por mais que a cidade estivesse um pouco - talvez muito - vazia durante esse horário, era um momento perfeito para tal coisa que estava tentando evitar a todo estante. E tudo só piorava ao ver que não tinha mais ninguém para quem pudesse dividir, igual foi na primeira vez.

   — Não sei se me parece uma boa ideia. — Taehyung disse, apreensivo, ao ver o Jeon escolher o barco que julgara mais confortável para ambos.

A ideia de ir em um barco sozinho com ele, durante a noite, não lhe agradava nenhum pouco.

   — Assim chegaremos mais rápido ao hotel, não é isso que você quer? — O mais novo o olhou de canto.

   — É sim. — Assentiu, entrando em um barco que achou melhor e esperou o moreno fazer o mesmo, o que aconteceu de imediato.

Se sentou confortavelmente e ignorou o modo de como o seu coração começou a bater bem rápido quando o Jeon sentou-se ao seu lado, tão próximo de si que poderia sentir o pequeno calor que o corpo dele emanava. Não gostava de ser fraco quando o assunto era o garoto ao seu lado, muito menos gostava dos malditos efeitos que ele tinham sob si e que foram despertados de uma forma avassaladora no decorrer da noite.

Encostou a sua cabeça no ombro do mais novo e nem se importou com o fato deste segurar uma de suas mãos, entrelaçando os seus dedos. Fechou os olhos, sentindo-se cansado e triste. Estava farto de tudo, queria entender as coisas que aconteceram no passado e queria entender as coisas que estavam acontecendo atualmente. Queria realmente sentir um ódio enorme por ele, tão enorme que desde vontade nunca mais querer vê-lo, mas não conseguia. Por mais que tentasse, não conseguia.

   — Por que me abandonou dois anos atrás? — Finalmente teve coragem de perguntar algo que sempre o perturbava.

Não sabia de era o efeito do vinho ou o maldito clima que estava tentando ignorar desde o início do passeio, mas sentia que aquela era a hora certa para saber disso e não se sentiu covarde pela primeira vez. Pelo contrário, estava mais do que disposto em saber o motivo verdadeiro dele ter o abandonado há dois atrás, sem ao menos de explicar.

Eram amigos desde quando Jeongguk tinha 13 anos e Taehyung 15, se conheceram no mesmo colégio, mesmo o Kim estando um ano acima do seu por ter repetido. Não era novidade alguma que ambos tinham uma amizade, que o mais velho descobriu ser amor aos seus 17 anos, quando estava no último ano do ensino médio. Tinha absoluta certeza que aquele sentimento não era nada bom, claro que não. Afinal, tinha enormes chances de não ser recíproco, visto que o moreno saía com vários garotos e garotas, nem mostrando um minuto sequer que tinha segundas intenções consigo.

Mas, para o seu espanto, descobriu que o sentimento era sim recíproco, e não foi em uma das melhores ocasiões. Jeongguk sempre foi uma pessoa muito bem controlada e nunca demonstrou ser agressiva, por isso se assustou quando viu ele desferir um soco forte no garoto que estava consigo, somente por vê-lo sussurrar algo em seu ouvido e passar a mão em sua cintura e bunda, de um jeito nada discreto, e um tanto erótico. Se lembrava muito bem de quem era, Choi Minho.

Para sua extrema surpresa, o moreno gritou para quem quisesse ouvir que Taehyung pertencia somente a si e que não deixaria mais nenhum marmanjo o tocar com tal intimidade que não fosse ele próprio. E para o seu maior espanto, o Jeon lhe beijou na frente de todos que presenciavam a cena, sem de importar com eles, dizendo que não suportaria perder a única que pessoa que faz com que sinta coisas estranhas e ao mesmo tempo tão boas, que saia com várias garotas e garotos apenas para tentar encontrar coisas do Kim neles, porque se negava a todo instante estar apaixonado pelo melhor amigo. Mas, no fim, era tudo falho. Disse que o castanho era único e que mais ninguém possuía a sua personalidade, os seus traços e, principalmente, o modo de como fazia o seu coração bater descontroladamente e querer estar cada vez mais perto de si.

Obviamente que depois disso os dois começaram a namorar. Namoro esse que foi acabado quando o mais novo terminou o último ano do colegial, quando este sumiu sem ao menos de despedir ou dar explicações. Não entendia, não queria entender e nem saber porque ele tinha feito isso consigo. Não haviam completado nem um ano de namoro e tinha acabado de um jeito tão péssimo e doloroso para si. Parecia que tinha sido apenas uma brincadeira, que nada daquilo era verdadeiro, apenas os sentimentos que foram transformados no terrível ódio.

E, para sua maior supresa, o Jeon havia retornado para sua vida pouco mais de um ano depois de tê-lo abandonado. Logo aquele sentimento de raiva por tudo que aconteceu no passado tomou conta de si, e foi pior quando descobriu que ele seria o seu mais novo chefe, filho do presidente de onde trabalha. Como cursava faculdade e precisava de um estágio, sua mãe conseguiu isso para si rapidamente com um dos amigos dela, só não imaginava que seria na empresa do pai do seu ex namorado e que o seu estágio passaria para emprego fixo, o obrigando a ter que aturar o mais novo no seu pé depois de tanto tempo.

   — Eu não te abandonei. — Jeongguk respondeu, apertando um pouco a mão do castanho com a sua.

   — Como não? — Deixou com que uma risada cheia de mágoa escapasse, mantendo os seus olhos fechados. — Você foi embora sem ao menos me avisar ou se despedir de mim! — Relembrou, deixando com que a sua voz saísse baixa o suficiente para que somente ele escute. — Sabe como eu fiquei sabendo que tinha ido embora? Por uma foto que a afiliada dos seus pais postou em uma rede social!

   — Tae...

   — Você sabe como eu me senti por descobrir isso na internet, vindo daquela garota, ao invés do meu namorado? — Interrompeu o mais novo, não querendo ouvir sua explicações ainda. — Jeongguk, você sabia muito bem que ela dava em cima de você na maior cara de pau e na minha frente. Então, apenas imagina como eu me senti ao descobrir que vocês iriam para sei lá onde juntos, por meio de um post em uma rede social, onde vocês dois estavam mais do que agarrados.

   — Eu juro que tentei te ligar para avisar da minha mudança repentina. — O moreno começou a explicar, enquanto virava um pouco a cabeça para poder sentir o cheiro dos cabelos do outro, visto que ele tinha perdido a sua boina em algum lugar, também fechando os olhos. — Foi tudo muito rápido, uma hora eu estava deitado na minha cama pensando em um lugar em que pudéssemos ir para comemorar a minha formatura, na outra eu já estava dentro de um avião indo para outro país. — Usou o mesmo tom de voz que o Kim, afinal, não era necessário gritar. — Mas quando a pessoa está de azar, até o diabo se assusta.

    — Como assim? — Franziu o cenho, sentindo os braços do outro o abraçarem de lado, fazendo que automaticamente encostasse a sua cabeça no peitoral do mesmo.

   — Eu tentei te avisar, mas, por incrível que pareça, tudo foi contra. — Apertou mais o Kim em seus braços, voltando a se explicar. — No dia em que eu tive que ir, eu não encontrava o meu celular em lugar nenhum, só depois o achei dentro de uma vazia com flores e água, ou seja, ele não funcionava mais. E para completar, a linha telefônica e a internet de casa haviam sido cortados devido a mudança. Não tinha mesmo como eu te avisar.

   — Eu não entendo. — Taehyung respirou fundo, sentindo os seus olhos arderem um pouco, mas preferiu deixá-los fechados. — Como eles planejaram uma mudança sem te comunicar?

   — Eu sabia que iríamos mudar de casa, mas não que eu teria que passar uns meses em outro país. — O mais deixou um suave beijo nos cabelos castanhos do mais velho. — Até hoje isso me deixa confuso, já perguntei a minha mãe, quem me mandou para o outro país, e ela disse que era o meu presente de formatura. Ficar meses longe. — Deitou a sua cabeça sob a do mais velho, já que ele estava quase deitado em cima de si. — Quando eu cheguei lá, tentei entrar em contato contigo, mas você simplesmente não atendia as minhas ligações, não respondeu minhas mensagens e nem emails, apagou todas as fotos que tínhamos nas redes sociais.

   — Burrice sua achar que eu atenderia suas ligações ou responderia mensagens. — Resmungou, abraçando involuntariamente o moreno.

   — Taehy... — Jeongguk o chamou calmamente, e ergueu o rosto do mais velho, ambos abrindo os olhos para se encararem. — Você não deixou com que eu me explicasse, eu juro que tentei, te dei provas que gosto de você mais do que possa imaginar.

   — Você me magoou.

   — E você acha que eu não fiquei magoado com você me ignorando, ignorando os meus sentimentos? — Perguntou, e o Kim engoliu a seco, abaixando o olhar.

   — Eu não sei. — De fato não parou para pensar em como o outro se sentiria com a sua rejeição, mas doía tanto que a única coisa que pensou em se fazer era ignorar.

   — Sabe porque eu comecei a implicar com você um tempo depois do meu retorno? — Indagou, e o mais velho balançou a cabeça negativamente, erguendo o seu olhar para encará-lo. — Esse era o único jeito de conseguir a sua atenção para mim de algum modo. Você não queria ouvir as minhas explicações e eu tinha que ficar próximo de algum modo.

   — Por isso você não largava do meu pé. — Murmurou, fazendo um biquinho irritado.

   — Já disse o quando você fica fofo enquanto está irritando e me xingando, e o quanto fica sexy me tratando formalmente? — O mais novo segurou o rosto do Kim com as suas duas mãos, aproximando o seu próprio no dele e roçou delicadamente os seus narizes.

   — Eu te odeio, Jeongguk. — Resmungou, fechando os olhos ao sentir a respiração do outro bater contra sua pele.

   — E eu continuo te amando.

Não sabia ao certo oque lhe fez chegar até aquele ponto, mas não impediu que o Jeon juntasse os seus lábios com os seus. Muito pelo contrário, não queria que ficassem apenas em um simples selar e logo deu início a um beijo calmo, levando uma de suas mãos até a nuca do mais novo. Era inevitável não sentir calafrios pelo seu corpo e o seu estômago revirar durante o ato, afinal, esse tipo de contato entre eles não era feito há mais de dois anos.

Taehyung embrenhou os seus dedos nos fios negros do mais novo, se aproximando mais ainda dele quando o beijo foi de tornando mais intenso, de acordo com que suas bocas se moviam e suas línguas se encostasse uma na outra. Pouco se importavam se o gondoleiro que conduzia o barco estava o observando, mergulhar naquele ósculo cheio de pura saudades, era tão intenso que preferia ficar em um bolha com ele.

Sentiu o seu lábio inferior ser mordido com um pouco de força, para logo ser puxado pelos dentes do moreno, finalizando o beijo que tinha um suave gosto de vinho. Oque deixava tudo mais gostoso. Adorava quando Jeongguk mordia os seus lábios, arrancava suspiros e sorrisos de ambos, considerava excitante e delicado. Apenas ele sabia como lhe beijar e de como gostava desses maravilhosos beijos.

   — Eu quero você de volta. — Disse em um sussurro, após se separarem um pouco.

   — Gukkie. — Taehyung suspirou, passando a língua entre os lábios e abriu os olhos para encarar as orbes do moreno. — Eu estou confuso, preciso que me explique melhor tudo isso e também preciso de um tempo, mas não quero que fique me pressionando durante esse período.

   — Não vou te pressionar e... — Não pôde terminar sua frase, pois escutou a sua atenção ser chamada e notou que já estavam em frente ao hotel.

O Kim deu um sorriso envergonhado por perceber, só agora, que o cara que conduzia o barco estava observando tudo. Saiu da gôndola junto com o mais novo, e entraram rapidamente no hotel, indo em direção aos quartos. No fim, foi como havia imaginado. O passeio pelo Golfo de Veneza, em contraste com o clima frio, a calmaria, as luzes, os dois sozinhos, era tudo oque queria evitar. 
O bendito passeio mais romântico.

Suspirou ao sentir Jeongguk segurar em sua mão e entrelaçar os seus dedos, igual tinha feito minutos atrás, caminhando consigo em direção aos quartos. Tinha receio de deveria dar uma segunda chance a ele, porém, sabia que precisava melhor entender aquela história e se o Jeon disse que o amava, acreditava nisso. Nunca duvidou dos sentimentos do outro, mas se sentir inseguro era completamente normal, por isso preferia ir com calma.

   — Talvez você seja o oposto de mim, isso significa que fomos feitos um para o outro. — O mais novo cantarolou, balançando a mão do castanho de um jeito infantil.

   — O quê? — Gargalhou baixo ao perceber que ele ainda mantinha essa coisa de que pessoas opostas se completam. — Chega disso.

   — Ok. — Assentiu, soltando um riso soprado e parou de andar assim que chegarem frente a porta do quarto do mais velho. — Enfim, entregue.

   — Eu preciso de uma boa noite de descanso. — Choramingou, pegando a chave no bolso do seu sobretudo e abriu a porta do quarto, se virando para o moreno novamente. — Obrigado por hoje. — Agradeceu, deixando um rápido selar na bochecha do outro, e entrou no seu quarto bem rápido, devido a vergonha, mas fora impedido de fechar a porta. — O quê?

   — Acha mesmo que eu esqueci da nossa aposta? — O Jeon entrou no quarto, fechando a porta atrás de si e fez com que o Kim desse passos para trás.

   — Droga! — Resmungou baixinho, notando que apenas a luz do abajur estava ligada, ou seja, o outro ficava mais sedutor no meio de pouca iluminação.

   — Não adianta negar. — Jeongguk o empurrou na cama, fazendo com que de deitasse na mesma e logo subiu sob o seu corpo, o fazendo prender a respiração devido a aproximação.

   — Jeon... — Sussurrou manhoso, fechando os olhos por impulso ao notá-lo tão próximo, roçando os lábios dele junto aos seus, suavemente.

   — Não se preocupe, apenas vou te beijar, e serão apenas um por cada sorriso seu. Então se prepare porque vamos nos beijar a noite toda. 



 


Notas Finais


O Tae se recusava a ir na gôndola com o Jeon porque é algo muito romântico, mais para casais. Se alguém não entendeu essa parte é por isso huehueghue...

Espero que tenham gostado ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...