História Secret Truths - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Blásio Zabini, Draco Malfoy, Harry Potter, Hermione Granger, Lucius Malfoy, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom
Tags Draco Malfoy, Dramione, Hermione Granger
Exibições 98
Palavras 1.945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Jantar de Honras


POV - Hermione Grager

Uma, duas, três batidas na porta de casa e nada. Do quarto, Hermione viu quando Gina chegou, mais não tinha vontade nenhuma de falar com a amiga. Certamente ela iria comentar sobre o desentendimento que tivera com Harry e Rony na noite anterior, e iria questiona-la para onde a garota havia ido. Não suportando mais as batidas, e prevendo que a amiga não desistiria de tentar falar com ela, desceu e abriu a porta.

                ‘’Por Merlin Gina, parecia que dez tragos tentavam entrar na minha casa. ’’ Saiu bufando em direção à cozinha. Gina em seu encalço.

                ‘’Qual é, você viu que horas são? São quase duas da tarde, e você ainda estava dormindo!’’ Respondeu a outra, com as duas mãos na cintura e um olhar de desaprovação.

                ‘’Me poupe dos seus sermões, diz logo o que quer. ’’ Hermione procurava algum cigarro perdido em sua casa, já que havia perdido sua última carteira na noite passada.

                Gina parecia não ligar para o mau humor da amiga, e sentou em uma das cadeiras da cozinha. ‘’Não quero dar sermões, nem nada... Mas você poderia dizer onde foi parar ontem?’’ Perguntou logo de cara.

                ‘’Nenhum lugar em especial.’’ Respondeu ela, lembrando-se de onde havia ido, e de quem fora sua companhia.

                ‘’Sei... E eu não posso saber onde é esse lugar?’’

 ‘’Não, é ‘secreto’, pelo menos até um de vocês descobrir a localização pra ficarem me espionando, ou seja lá o que. Porque afinal é isso que vocês fazem, não é?’’ Disse sarcástica.

‘’Não é isso que fazemos, não exatamente... Só ficamos preocupados Mione, você sai por ai sozinha, tarde da noite, indo a bares e tudo mais, nos preocupamos só isso.’’

‘’Para seu conhecimento, não estava sozinha... ’’ Gina arregalou os olhos para amiga, que continuou ‘’...tive companhia ontem, e o idiota ficou com meus cigarros e meu isqueiro favorito, eu acho.’’ Finalizou.

Mexeu em mais algumas gavetas, e sorriu ao encontrar pelo menos um cigarro perdido. Sentou-se a frente de Gina, que a olhava curiosa. Não pelo fato da garota estar fumando, mais sim por dizer que teve companhia na noite passada.

‘’Posso saber quem foi esse completo imbecil que furtou seus objetos de vicio?’’ A ruiva não se conteve.

‘’Ninguém em especial. ’’ Hermione poderia ter dito que era o Malfoy, mais certamente Gina iria bombardeá-la com mais perguntas, e sinceramente não havia acontecido nada demais, então decidiu não dizer nada.

Gina ainda tentou arrancar mais alguma coisa da amiga, mais não conseguiu. Por fim as duas ficaram conversando assuntos aleatórios. Hermione preparou café para elas. Por mais que Gina não concordasse com os novos hábitos, e alguns vícios da amiga, ela não a criticava e importunava como os outros. De certa forma a amiga entendia o momento difícil pelo qual Hermione estava passando, e apenas dizia que todos tinham seu momento de rebeldia, até mesmo Hermione Granger.

Pouco tempo depois leves batidas vindas da janela, chamaram a atenção das garotas. Hermione levantou-se e foi até ela, abrindo e dando espaço a bela coruja cinzenta. Deu-lhe uns biscoitos velhos que estavam num potinho próximo, para que a coruja entregasse o envelope que trazia consigo.

Hermione reconheceu o brasão de Hogwarts lacrando o envelope, arqueou uma sobrancelha curiosa. Sem mais delongas, abriu e logo depois se arrependeu disso. Depositou a carta em cima da mesa e desejou um bom copo de uísque.

                ‘’O que diz?’’ Perguntou Gina, vendo a crescente irritação da amiga.

                ‘’Pode ler se quiser, seu irmão e seu namorado devem receber uma também... ’’

Gina olhou para amiga como se não entendesse, e por fim pegou a carta.

‘’Cara Srta. Granger,
É com grande satisfação, que gostaríamos de lhe convidar para um jantar de honras na nova Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Com o fim da reconstrução do castelo, e o inicio das aulas chegando, achamos por bem oferecer um jantar a todos àqueles que de alguma forma lutaram bravamente na maior Guerra Bruxa já realizada, que ajudaram na reconstrução do castelo, ou que de alguma forma se fizeram presentes nesse momento. Bem como honrar, aos três jovens senhores que foram essenciais para o fim da mesma.

Abaixo se seguem a data e horário do evento:
Data: 30/08/1998
Horário: 21h00min

Atenciosamente,
Minerva McGonagall
Diretora Interina da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts’’

Hermione estava na bancada da cozinha segurando seu copo de uísque de fogo. Seria um daqueles momentos onde todos bajulam o ‘’Trio de Ouro’’, onde todos fazem questão dizer o quanto foram corajosos e destemidos como verdadeiros grifinórios, como o mundo mágico lhes é grato e blá blá blá. Alguns jornalistas em buscas de assunto para suas colunas, outros em busca de fofocas para venderem mais exemplares. Sem contar que teria que reencontrar com alguns antigos colegas de escola, que ela particularmente desejava não encontrar tão cedo, principalmente Neville Longbotton. O garoto que agora era aprendiz da Prof° Sprout, e também a havia acompanhado na falha viagem até a Áustralia.

                ‘’Você vai né?’’ Perguntou Gina, tirando Hermione de seus pensamentos.

                ‘’Não, se puder evitar.’’ Respondeu.

                ‘’Sabe que será pior, serão mais especulações. Só vai despertar ainda mais o interesse deles em você. É só por uma noite’’ Gina lhe sorriu.

                Meio a contra gosto, acabou concordando com Gina de que seria melhor ir ao tal jantar de honras.

 

POV – Draco Malfoy

                ‘’Vai Draco, levanta cara!’’ Blásio tentava sem sucesso fazer Draco sair de sua cama.

                ‘’Eu já disse que não vou. Pro inferno Blás!’’ Resmungava o garoto.

                ‘’Se você não for minha mãe vai te matar, e depois me matar, e quem sabe ela se mate também. E você sabe que ela adora uma morte sem necessidade. ’’ Blás disse, numa ultima tentativa de convencer o outro, que agora começava a sentar na cama.

Draco não entendia por que ele teria que acompanhar a família Zabini nesse maldito ‘’Jantar de Honras’’. Era evidente que ele em nada contribui para o fim da Guerra, pelo contrário, ele até foi um Comensal da Morte, a sua casa serviu de quartel general para o Lorde das Trevas. E como se não bastasse, a última consequência que essa maldita Guerra trouxe, foi à morte de sua mãe.

Mas segundo a sra. Zabini, ele deveria acompanha-los até lá pois agora ele fazia parte de sua família. Ele querendo ou não. E também porque havia sido inocentado de qualquer acusação. Segundo ela, ele não poderia passar o resto da vida trancando em casa, se escondendo do mundo. Deveria mostrar que ele era um Malfoy, ou como ela agora gostava de dizer ‘’ era seu filho de coração, portanto um Zabini também’’. Ele achava legal da parte deles, como o tratavam e se preocupavam mais hoje ele realmente não estava a fim de ser considerado da família. Poderia muito bem ser deixado de lado, ali naquele quarto.

                ‘Por que diabos sua mãe quer que vá’’ Disse um Draco desanimado, e cansado de discutir.

                ‘’Ela realmente nos quer lá. Segundo ela o que ela fez todas as doações de ouro para reconstrução, e ajuda a orfanatos, e famílias que perderam tudo, ela fez isso por nós. Ok, primeiramente por mim, e depois por você que se tornou meio que filho adotivo dela, sei lá. Na cabeça dela isso ajudaria as pessoas nos verem com bons olhos. ’’ Disse Blásio pela centésima vez.

Draco riu pelo nariz, ninguém nunca o veria com bons olhos, nem que doasse todo o ouro que herdou da família Malfoy, Black e Rosier. A mãe de Blásio não era uma puritana, e todos no mundo bruxo sabiam disso. Sempre havia uma segunda intenção em tudo que ela fazia, desde suas doações até seus casamentos. Todos sabiam da imensa fortuna que ela possuía, e de como ela gostava de doar para causas que a levassem a primeira capa dos jornais. Draco não se importava.

                ‘’Você vai não é. Pela mamãe?’’ Pediu Blásio, esperançoso.

                ‘’Vou.’’ Se limitou a dizer.

Ficou olhando um Blásio sorridente sair do quarto. Era inevitável negar a amizade crescente entre eles. Era como um irmão que Draco nunca teve, mesmo com as implicâncias, discussões e tudo o mais.

Ainda sem vontade, Draco levantou da cama e se dirigiu ao banheiro. Olhou-se no espelho. Estava com uma cara péssima, não tinha como negar. Estava ainda mais pálido como de costume, olheiras enormes abaixo dos olhos, seu cabelo estava ainda mais comprido, caindo sobre os olhos. Suspirou, e despiu-se. Optou por uma ducha rápida, visto que estava em cima da hora. Poucos minutos depois estava escolhendo um terno para vestir. Preto, sempre preto. Numa tentativa falha, tentou arrumar os cabelos, mas desistiu logo em seguida sem paciência.

Andou até o criado mudo e pegou sua varinha. Olhou um pequeno objeto dourado que já estava ali há duas semanas. Fez uma careta ao lembrar-se de quem era, e de como viera parar ali. Sem saber o motivo o deixou ali durante todos os dias que se passaram desde a noite que encontrou Hermione Granger em um bar, talvez quisesse se lembrar de que nem ela era perfeita como todos os outros diziam. Lembrou-se que ela era uma das convidadas de honra desse jantar, e sem saber o porquê guardou o isqueiro em seu bolso, e desceu para encontrar com Blásio.

POV – Hermione Granger.

Ela estava parada em frente ao espelho de seu quarto, pensando se ainda dava para desistir. Antes que optasse pela desistência ouviu alguém bater a porta de seu quarto.

            ‘’Está linda srta. Granger!’’ Exclamou Rony.

           ‘’O senhor também, sr. Weasley’’. Riu, ao lembrar que pelo menos ele não estava com as vestes a rigor que usou em Hogwarts há muito tempo atrás.

  Ambos desceram as escadas de braços dados, e encontraram Harry e Gina já os esperando na pequena sala. Decidiram aparatar até Hogsmead e por fim seguirem caminho até Hogwarts. Poucos minutos depois já estavam cercados por jornalistas e curiosos.

                ‘’Sr. Potter? Uma palavrinha Sr. Potter?’’ Harry apenas sorriu, mais não respondeu.

            '’Sra. Granger, é verdade que está namorando o Sr. Weasley?’’ Os quatro deram uma gargalhada, mas foi Rony quem respondeu.

                ‘’Bem que eu queria mais ela me deu um pé na bunda quando descobriu que eu roncava. ’’

E juntos entraram gargalhando no castelo, agora totalmente reconstruído. Pouca coisa foi mudada da antiga construção, um pequeno memorial com todos os nomes dos bruxos, bruxas, elfos, centauros, que haviam perdido a vida na Batalha de Hogwarts. Hermione viu rostos conhecidos, pessoas que lutaram ao lado deles, amigos do tempo de escola, funcionários do Ministério, a família Weasley inteira, uma Fleur grávida e um pequeno Ted Lupin correndo entre os convidados e fazendo muitos tropeçarem. Todos olharam na direção de Harry, Rony e é claro Hermione, quando entraram pelo salão. Gina não ligava para a falta de atenção que davam a ela, na verdade ela até agradecia.

Não demorou muito e logo começaram a cerca-los, apertos de mão, abraços, vários ‘’muito obrigado’’ ‘’vocês foram a nossa salvação’’ ‘’os garotos de ouro, e sua garota de ouro’’. Ela tentou ao máximo ser simpática com todos, e dar-lhes atenção. Conversou, riu, e concordou com o que alguns diziam a ela. Mas então tudo ficou muito silencioso, algumas pessoas negavam com a cabeça, e pareciam irritadas. Ela olhou para a direção que agora todos, sem exceção olhavam.

Parados a porta, uma linda mulher num vestido verde esmeralda e detalhes em fios de prata, sendo seguida por dois garotos. Um deles moreno, muito bonito e porte atlético, vestido com um belo terno verde musgo. E por fim, um menino de cabelos platinados, pele pálida e olhar arrogante, usando um elegante terno preto, adentrava o salão. Draco Malfoy.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...