História Secrets - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 57
Palavras 1.145
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 24 - Friends or Enemy


Fanfic / Fanfiction Secrets - Capítulo 24 - Friends or Enemy

  No cair da noite daquele mesmo dia...

  Todos nós estávamos cansado mas ele viria ainda hoje, ChanWook viria ainda hoje, minha câmera já estava pronta.
  Apenas Nam continuou com Jin na clinica, todos os outros estavam "hospedados" aqui em casa, isso aqui estava realmente parecendo um hotel.
  Logo um carro estacionou e dele saíram ChanWook com mais dois seguranças, ele sorria cinicamente enquanto os demais estavam sérios com as mãos na arma que estavam localizadas na cintura, mas um estava com uma maleta.
  Observei a cena pela janela enquanto Tae abria a porta, os três adentraram o recinto com calma, ChanWook com seu olhar superior e os seguranças vasculhando tudo com o olhar.
  - Seja bem vindo Sr. ChanWook - falei calmamente - está com o dinheiro ai? - perguntei indo direto ao ponto.
  - Srt. Mayumi - ele continha seu sorriso de lado - como combinado aqui está - o segurança abriu a maleta e exibiu a grande quantidade de dinheiro - Se quiser contar.
  - Não precisa, Jimin pegue a maleta e Jungkook leve ele até meu pai eu já desço - os seguranças fiquem aqui, eles desconfiaram porem com o aceno relaxaram.
  Assim como eu disse eles fizeram, eu continha toda minha raiva, eles desceram primeiro, ChanWook sorria enquanto olhava para meu pai acorrentado.
  Ele veio ate mim - Se você quiser fazer mais algum negócio comigo serei muito generoso - ele fava enquanto olhava para Jungkook, contive minha raiva.
  - Pensarei no assunto - me virei para Hoseok que estava olhando meu pai - pode subir com os outros e você também Kook.
  - Eu ficarei com você - falou e veio até mim.
  Preparei minha câmera, sim este momento humilhante seria gravado por mim, não importa o que qualquer um pense principalmente por ele ser meu pai mas não importava.
  ChanWook colocou uma máscara que foi providenciada por mim, ela tampava metade de seu rosto, cobrindo ate seu nariz sendo extremamente grande nessa parte, deixando a parte da boca à mostra.
  Comecei a gravar ele analisava meu pai como se fosse um pedaço de carne exposta em um açougue, alisava seu corpo com um sorriso sádico.
  Se dirigiu até a bancada e depois de analisar os objetos voltou com dois itens em mão com um sorriso maroto - Eu serei gentil com sua primeira experiência assim - dizia o homem.
  Colocou o prendedor de mamilos no meu pai, retirou a gravata da boca dele, ele tentava se manter o mais calmo possível, ChanWook o pegou pelo pescoço e expremeu - agora eu quero que ouvir você gemer pra mim.
  Não ouve resposta e nem haveria no momento, ele o asfixiava enquanto enfiava o pênis de borracha em sua boca, meu pai agia como se estivesse com ânsia até que ele retira sorrindo, o deixando vermelho praticamente roxo.
  Voltou a bancada e jogou o objeto utilizado ali, pegou um chicote fino e voltou onde estava meu pai, arrancou a cueca rasgando de uma só vez, logo o chicote estalava em contato ao corpo de meu pai.
  - Geme - ele mandava mas não era obedecido - eu mandei gemer - mandava enquanto batia com ainda mais força sua pele branca estava com vergões e com cortes finos, enquanto mordia seu lábio inferior com força que já estava machucado - Sabia que você me excita mais resistindo - o homem falava enquanto ria.
  Eu assistia e gravava tudo porém ainda achava que ele estava pegando muito leve aquilo parecia prazeroso e não ao contrário, Wook foi ate a bancada e deixou o chicote, pegou um plug e voltou.
  Empurrou meu pai mais para frente empinando mais sua bunda, era visível ele contraindo as nádegas.
  Mas não importou, Wook ria com a ação dele, parecia se divertindo, de uma só vez enfiou o plug no ânus dele que gritou.
  Fiquei pelo menos um pouco satisfeita mas não muito, aquilo não era nada - Agora você vai gemer pra mim - ele disse esfregando a ereção nas costas do submisso.
   Começou a girar os prendedores no mamilo o que arrancou um gemido de dor porém gemido.
  - isso foi excitante - falou enquanto torcia mais o fazendo gemer ainda mais alto - mas sabe é uma pena eu não poder fazer tudo o que eu quero com você, pois você não sobreviveria porém este é o acordo.
  Ele puxava o cabelo dele com a mão enquanto o batia na bunda com uma palmatória, ele o soltou e continuou a o castigo- Desgraçado - gritava entre os dentes, ele começou a passar pelas coxas e logo a bater ali também, por todo o corpo, largou a palmatória e retirou a calça e a cueca indo para as costas do mesmo.
  O acordo que fiz dizia que ele deveria ser punido mas não muito mesmo eu querendo o ver sofrer, queria fazer eu mesmo, aquele era apenas um bônus. Eu o conheço por exagerar em suas brincadeiras, eu deveria filmar tudo porém ele deveria ser estuprado, sim, isso mesmo.
  Ele removeu o plug e pude ver relaxando a bunda mas não durou muito tempo, assim que Wook voltou com um pênis de borracha e o segurou pela cintura ele o contraiu novamente.
  Ele se mexia tentando não facilitar o trabalho mas o outro ria, logo se posicionou e adentrou o ânus do outro de uma vez só o fazendo gritar alto mas se recusava a se mexer, porém não parou por ali, Wook deu uma forte estocada no mesmo e parou enquanto o outro gritava - Seus gritos me excitam ainda mais - falou  sem tirar seu pênis de dentro do meu pai e começou a enfiar o de borracha junto, enquanto meu pai gritava de agonia e eu sorria.
  Kook ao meu lado não esboçava qualquer reação, de todas as vezes que eu o olhava a meu lado ele se mantinha atento a tudo que acontecia.
  Continuei a gravar enquanto ele era estuprado diante dos meus olhos que com toda certeza brilhavam de alegria.
  Ele continuou ali o estocando com força enquanto o mesmo puxava os braços presos e gritava de dor e raiva, rosnava.
  Era bom ver tudo isso, saber que nem eu mesmo, sua filha fui poupada de seus abusos, não, ele não me abusava diretamente. Porém como eu disse anteriormente todos tem seu preço e ele achou que eu também, ser vendida por uma alta quantia enquanto era amarrada e abusada de todos os modos.
  Até um ponto de não saber quem realmente é, até ter uma segunda e terceira voz na cabeça, todas suas mas cada uma agia de um jeito, incentivavam e garanto que nenhuma dos inventivos eram bons, não para as outras pessoas .... Amigos ou inimigos eu não sei diferenciar, não quando uma de minhas personalidades tomam a frente, não quando ela me encontra e assume o controle.

  

 
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...