História Secrets - Capítulo 44


Escrita por: ~ e ~Maddison_Hatter

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Beatrix, Carla Tsukinami, Christa, Cordelia, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Richter, Ruki Mukami, Shin Tsukinami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Tougo Sakamaki "Karlheinz", Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Hentai, Romance, Segredos
Visualizações 84
Palavras 2.751
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Harem, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi gente, desculpa pela demora do capítulo, o motivo foi que eu esqueci a senha,realmente eu peço mil perdões, mas espero que gostem do capítulo.
Boa Leitura

Capítulo 44 - Novo membro na família Part.2(Final)


Fanfic / Fanfiction Secrets - Capítulo 44 - Novo membro na família Part.2(Final)

_A paciente perdeu muito sangue, mas felizmente irá sobreviver – ele fala e imediatamente todos abrem um sorriso, eu suspiro aliviada com o bebê em meus braços.

_Doutor quando ela vai poder sair? – Kou pergunta e ele fica pensativo.

_Provavelmente, daqui á três dias – ele fala e em seguida vai embora.

_Ainda bem que a Yui-san ficará bem – fala Azusa com um pequeno sorriso.

_É mesmo, ai, mas cadê o Ayato?! – falo irritada.

Nesse momento Ayato entra calmo, diferente de mim que estava quase o matando pelo pensamento.

_Ayato, aonde diabos você se meteu?! – pergunto tentando manter a calma, já que estava com um bebê em meu colo.

_Saí para comprar uma coisa – ele diz olhando disfarçadamente para seu bebê.

_Quer segurar papai – falo estendendo o bebê para ele.

_Eu não sei não tô acostumado – ele fala com medo.

_Vamos você vai ter que segurar ela um dia – digo chegando mais perto dele.

Ele se senta em uma cadeira e eu entrego o bebê com cuidado, aos poucos ele abre um sorriso e começa a balançar o bebê.

_Harumi... San... – ouço a loira me chamar e vou até ela, ela abre um pouco os olhos e observa Ayato com a filha.

_Você teve sorte viu garota – falo acariciando sua cabeça.

_Acho melhor todos sairmos para deixar a família a sós – Kotaro fala botando a mão no meu ombro.

Todos concordaram e saíram.

Kotaro e eu fomos passear pelos arredores do hospital, os Mukami foram cada um para um lugar.

_Ei Harumi, você pensa no nosso futuro? – ele pergunta me abraçando por trás.

_Você quer dizer ter filhos? – pergunto e ele esconde o rosto no meu pescoço.

_É... Talvez... – ele fala envergonhado.

_Eu não sei, agora que me tornei Rainha dos Vampiros tenho muitas reponsabilidades – falo entediada.

Ficamos em silencio por alguns minutos, trocando caricias e beijos.

_Harumi-san, sabe, esses dias eu fiquei pensando, será que você conseguiria fazer com que eu tenha memórias sobre minha família? – eu fico pensativa.

_Eu não sei, nunca mexi com memórias de uma pessoa – respondo e ele fica na minha frente.

_Você poderia tentar comigo, por favor, eu quero muito saber sobre o meu passado – ele diz quase implorando e eu o olho preocupada.

_Você não se lembra de absolutamente nada? – pergunto e ele afirma com a cabeça _Eu não sei se posso, eu nunca fiz isso – falo triste e ele beija minha testa.

_Eu confio em você, sei que vai conseguir! – ele me olha confiante, porém eu ainda continuo aflita.

_Eu posso tentar, mas não garanto que você vai se lembrar – falo e ele abre um largo sorriso.

Voltamos para mansão e fomos para o nosso quarto.

Falo para ele se deitar e ele vai até a cama, se deita e fecha os olhos. Vou até ele e boto a mão em sua cabeça.

Começo á conjurar um feitiço de Memória.

Nesse feitiço eu entro na cabeça dele, para ser mais especifica, nas memórias.

•Memórias apagadas do Kotaro/on•

Tudo estava tão escuro, não dava para ver ou sentir nada, caminhei para ver se achava alguma coisa, mas foi em vão.

•Memórias apagadas do Kotaro/off•

Parei de tentar achar as memórias e voltei ao meu normal, após alguns segundos ele se levanta e abre um sorriso animado, realmente ele estava confiante que eu iria encontrar.

_Eu sinto muito – falo em lamentação.

O sorriso dele se desfaz por completo e ele fica triste, tento consola-lo acariciando sua cabeça só que ele some inesperadamente.

_Me perdoe... – sussurro para mim mesma.

Ouço murmurinhos vindo da sala e vou até o cômodo me deparando com os meus irmãos.

_One-chan, onde estão todos? – pergunta Kanato aparecendo do meu lado.

_A Yui teve o bebê e eu tive que levar ela para o hospital, junto do Ayato, Kotaro e o Kou – digo acariciando o cabelo do arroxeado.

_Ehh~ então quer dizer que já somos titios! – fala Laito animado.

_É – digo com um sorriso fraco.

_Aconteceu alguma coisa Harumi? – pergunta Subaru e eu nego rapidamente com a cabeça.

_Bem... Eu tenho que ir... No hospital, sabe... Levar roupa para a Yui e... E o bebê! – invento uma desculpa e logo corro para o quarto da Yui e do Ayato.

Começo a fazer uma pequena mala de roupas para a Yui e a minha sobrinha, quando termino saio da mansão e pego um táxi para o hospital.

Entro no hospital e vou até o quarto onde Yui estava naquele momento ela estava amamentando o bebê.

_Trouxe algumas roupinhas para ela – falo estendendo a pequena mala de roupas.

_Muito obrigada Harumi-san – a loira agradece sorrindo.

_Então, eu queria saber qual vai ser o nome do bebê, sabe, não podemos chama-lo de bebê para sempre – falo acariciando os pequenos fios de cabelo da pequenina.

_É verdade, esquecemo-nos desse detalhe – fala Ayato coçando a nuca.

_Eu também não me lembrei disso – confessa Yui sorrindo sem graça.

_Escolheremos assim que vocês voltarem para mansão – falo e ela concorda _A eh, Ayato onde você estava hein?! – falo puxando a orelha dele.

_Para, me solta! – ele dizia enquanto tentava tira minha mão de sua orelha, que já estava ficando vermelha.

_Ok, mas me conta! – digo para de puxar a orelha do ruivo.

Ele me puxa para fora do quarto e me prensa na parede do corredor.

_Por que ainda faz isso comigo? Eu agora sou pai! – ele diz irritado.

_Ser pai não tira o fato de que eu não puxe mais sua orelha quando você estiver errado! – digo também irritada _Agora me fala, onde você estava para deixar sua namorada e filha recém-nascida sozinha aqui no hospital?! – falo com os braços cruzados.

_Está aqui minha razão – ele diz tirando uma caixinha do bolso da calça, que dentro estava um anel de noivado, era dourada com uma pedra de rubi no centro.

_Minha nossa, é lindo! – falo alegre _Tô tão orgulhosa do meu maninho! – falo abraçando ele.

_E-Ei! Não me abrace aqui! – ele diz tentando me empurrar.

_Quando você vai pedi-la em casamento? – pergunto ainda o abraçando.

_Assim que ela sair daqui – ele diz se rendendo ao meu abraço.

_Vou logo dizendo, quero ser a madrinha! – digo apertando ainda mais a cintura dele.

_Desse jeito você vai me matar! – ele diz quase sufocado.

_Foi mal – paro de abraça-lo e ele faz uma cara emburrada.

Voltamos para o quarto e a Yui ficou desconfiada, perguntando um monte de coisas, por sorte eu sou uma boa mentirosa e inventei uma desculpa para loira.

Depois de alguns minutos uma enfermeira vem trocar à medicação da Yui, passando poucos segundos a loira boceja.

_Yui me deixa tomar conta do bebê para você dormir um pouco – falo e ela balança a cabeça sonolenta.

Pego o bebê no colo e começo a balança-lo para fazê-lo dormir, começo a cantar uma música baixa.

♪Se um dia estiver só, sem saber pra onde ir

Olhe para dentro e a solução vai surgir

Se pensar em desistir, junte forças pra seguir.

Só precisa querer ir então vai vencer

Oh ohh ohhh oh ohh ohhh ohhhh

 

Pode ser tudo o que quiser, só precisa acreditar

É só você sonhar que o mundo vai brilhar

Tudo pode acontecer quando o coração guiar

Oh ohh ohhh ohh

Você é uma estrela a brilhar

 

Quando o medo aparecer, vou saber a direção.

O mundo todo está aqui bem na palma da mão

E bem mais alto eu vou voar sem razão pra duvidar

Não posso desistir em frente vou seguir

Oh ohh oh ohh ohhh ohhhh

 

Posso ser tudo o que eu quiser, só precisa acreditar.

É só eu sonhar que o mundo vai brilhar

Tudo pode acontecer quando o coração guiar

Oh ohh ohhhh

Sou uma estrela a brilhar

Oh ohh

Sou uma estrela a brilhar

Oh ohh

Sou uma estrela a brilhar♫

Ela sorri e em seguida dorme, e eu continuo a balança-la.

[...]

Quando a noite chegou Kou e Subaru vem até o hospital para ficarem com a Yui, e o Ayato e eu irmos para casa, Yui concordou e se despediu da gente, o ruivo e eu voltamos para a mansão e eu vou para o quarto do Kotaro.

Surpreendo-me ao ver que ele estava fazendo malas.

_Pra onde vai? – pergunto e ele não me olha.

_Eu vou investigar sobre o meu passado, essa é minha única chance de que eu saiba algo – ele diz sem me olhar e eu abaixo a cabeça.

_Foi por hoje a tarde não é? Eu já disse que sinto muito – falo cabisbaixa.

_Não é por isso Harumi, é que... Eu... É... – ele vem até mim e me abraça _Eu tenho que saber sobre o meu passado, eu tenho que encontra-lo – ele diz enquanto acariciava minha cabeça.

_Por quanto tempo você vai ficar fora? – pergunto com a cabeça encostada no seu peitoral.

_Eu não sei, mas juro que não demorarei – ele diz levantando minha cabeça.

_Promete? – pergunto ainda triste.

_Prometo – ele diz beijando minha testa, logo ele volta a arrumar suas coisas e eu sento na poltrona do quarto ainda triste, mas tento disfarça lendo um livro.

_Pronto, acabei – ele diz deixando a mala no chão.

Minhas lágrimas começam a cair, tento esconder minha cara no livro, mas Kotaro o tira da minha mão me beijando segurando meu queixo.

_Vamos, não chore, eu gosto de ver você sorrindo. – ele diz secando minhas lágrimas, porém eu o paro tirando sua mão de meu rosto.

_Se você que for á procurar do seu passado, vá logo embora – digo levantando da poltrona e indo para o banheiro, tranco a porta e deslizo pela mesma até chegar ao chão, começo chorar baixinho ali mesmo.

Ainda ouvia Kotaro batendo na porta pedindo para deixa-lo entrar só que ignoro ainda chorando, até passar uma hora e eu não ouvir mais nada.

Abro a porta e vejo o quarto todo vazio, paro meu olhar para uma carta em cima da cama, vou até a mesma e começo a lê-la.

                                                                                        ______

“Harumi eu realmente sinto muito, eu quero ficar com você, mas também quero saber sobre minha verdadeira origem, não fique triste, pois logo voltarei. Estaremos conectados enquanto continuarmos amarmos um ao outro, e eu prometo que sempre irei te amar.”

                                                                                                                                                                     - Com amor Kotaro♥

                                                                                          ______

Guardo a carta no guarda-roupa e me deito na cama ainda triste, Kotaro seu idiota. Eu te amava seu estúpido.

Seis Meses Depois...

A Yui e o bebê já tinham voltado para casa, Kotaro não parava de me escrever cartas e, bem, eu tinha recebido uma proposta do conselho dos vampiros...

Uma viagem de negócios ao redor do mundo.

Neste momento eu estava dando papinha para o bebê, junto do Kanato que não parava de reclamar com a pequenina que estava se sujando toda.

_Vamos, abra a boquinha pequenina! –estendo a colher para a pequena ruiva, entretanto ela faz careta tampa a boca.

_Ela só vai ficar se fazendo de difícil One-chan, desista de fazê-la comer isso – Kanato diz olhando para a papinha com nojo e eu bufo meio irritada.

_Ela tem que comer isso, vai fazer bem para ela! – digo tentando dar a papinha mais uma vez.

_Nyah! – a ruivinha bate a mão na colher, fazendo com que a papinha caísse sobre minha roupa.

_Eu falei – ele diz com um sorriso vitorioso.

A pequena começa a rir e eu tento tirar a papinha da minha roupa com um pedaço de papel, mas foi em vão.

_Chegamos, Ah Meu Deus! Harumi o que aconteceu com sua roupa – Yui pergunta chegando à cozinha.

_Nada, só uma garotinha sapeca que não quer comer a papinha – falo ainda tentando tirar a mancha.

_Minha nossa, Kiyomi não faça isso para sua tia! – a loira repreende a filha que faz biquinho e cruza os braços.

_Tenha calma amor, a minha ruivinha não fez por querer não é Yomi? – Ayato diz aparecendo atrás da pequena ruiva que sorrir ao ver o papai.

_Bem, vamos esquecer. Como foi a prova de vestidos? – pergunto desistindo da minha roupa, aquela papinha realmente é horrível.

_Incrível, foi uma pena que você não tenha ido – ela diz sorrindo alegre.

_Tinha que ter alguém responsável para cuidar da Yomi, é bem, vamos confessar, eu sou a mais responsável daqui – digo e ouço risos do meu lado.

_Eu te amo Ne-chan, mas você só ficou cuidando da Yo-chan por que você foi a primeira a se oferecer – diz Laito encostado na parede.

_Verdade Koneko-chan, e também, você é a única que consegue trocar a fralda de uma criança sem fazer caretas – diz Kou também sorrindo junto do Laito.

_Engraçadinhos vocês dois, vão procurar algo melhor para fazer! – falo irritada.

_Não vão começar uma discussão logo na cozinha, isso seria ridículo – fala Ruki também chegando à cozinha, junto do Yuma.

_Yo! Yomi quem quer ajudar o tio Yuma plantar alguns tomates? – fala Yuma a frente da pequena que sorri ao ver ele.

_Cuide dela direito, lembra que dá última vez ela veio trazendo terra para dentro de casa e o Reiji me deu um baita de um sermão – diz Ayato entregando Yomi no colo do mais alto.

_Hai, vamos ruivinha – Yuma diz saindo com a ruiva no colo.

É incrível que agora os meus irmãos se deem bem com os Mukami.

_Eu estou muito cansada, vou para o meu quarto – digo bocejando.

_Pelo visto nem vai descer para o jantar – diz Ruki e eu concordo já indo embora.

Vou para o meu quarto e tomo banho, visto uma camisola de seda branca e me deito na cama.

Já estava quase dormindo quando alguém bate na porta, como não tinha opção, me levantei e fui ver quem era.

_Ruki? – falo assim que vejo o moreno na minha frente.

_Chegou uma carta para você – ele diz me estendendo a carta.

Eu pego e vejo que é do conselho, imagino que seja aquela pergunta outra vez.

_Acertei – comento comigo mesma e vejo Ruki ainda me encarar _O que é? – pergunto e ele coça a nuca.

_Deveria aceitar, isso é muito importante – o moreno fala sem me olhar e eu fico pensativa.

_Importante só se for para o conselho, isso é uma chatice para mim – digo bufando.

_Você não pensa? Agora que é rainha você tem o direito de mudar várias leis absurdas criadas por antigos reis vampiros – ele diz sério e eu repenso.

_Eu sei você está certo – digo cruzando os braços _Obrigada por me entregar a carta Ruki, boa noite – fechei a porta mais ainda senti a presença dele e abri novamente _Precisa de mais alguma coisa? – pergunto e ele fica sem me olhar.

_Sei que odeia tocar nesse assunto, mas quando Karlheinz ainda estava vivo ele falava coisas incríveis sobre você, sabe, ele já estava planejando te fazer rainha dos vampiros desde que nos mandou proteger a Yui – ele diz me fitando.

_O que você está tentando dizer? – pergunto e ele sorri de canto me dando lhe as costas.

_Só estou tentando fazer com que você tome mais responsabilidades daqui para frente – ele vai embora e eu fecho a porta.

Mesmo depois de tanto tempo eu ainda não consigo o decifra-lo Ruki.

Volto para cama e fico pensando e repensando na carta e na minha resposta até que eu consegui dormir.

Dia Seguinte...

Acordei pronta para dar minha resposta e parece que o conselho acordou pronto para escuta-la, pois tinham vindo à mansão bem cedo.

_E então majestade, sem querê-la apressa-la, mas queremos uma resposta – um dos conselheiros começa a falar e eu balanço a cabeça positivamente.

_Eu entendendo, e eu já tenho uma resposta – falo e eles fazem sinal para que eu prossiga _Eu aceito a proposta da viajem de negócios – eles se surpreendem.

_Isso é incrível majestade, pensamos que a senhorita não aceitaria – um comenta com os outros.

_É, eu também não. – falo e eles riem disfarçadamente _Mas por quanto tempo é essa viagem? Algumas semanas ou meses?

_Serão anos alteza, viajaremos pelo mundo inteiro a procura de laços amigáveis com outras espécies – Anos? Eles devem estar de brincadeira.

_Entendo, então, quando será a viagem? – pergunto coçando a nuca.

_Amanhã mesmo senhorita – eles respondem em uníssimo e eu fico muito surpresa.

_A-amanhã? Não acham que seja cedo demais? – eles negam com a cabeça.

_A senhorita deve apressar-se em arrumar suas coisas – eles se levantam e se despedem, em seguida, vãos embora.

Depois que dei a notícia para os meus irmãos e os Mukami todos ficaram tristes, mas eu tentei animar, disse que não seria por anos.

No Dia Seguinte...

Despedi-me de todos e entrei a limusine que estava a minha espera, agora não sei como será minha vida daqui em diante.


Notas Finais


Kiyomi:https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/736x/4e/7b/8e/4e7b8ece2780efb119154f57853a22a9--otaku-anime-anime-boys.jpg
É ai,gostaram da Kiyomi?
Bem,esse foi o nosso último capítulo juntos pessoal,espero que tenham gostado,mais uma vez me desculpe pelo atraso.
Bjos é até a segunda temporada.

[Para saber alguns spoiler's da segunda temporada vai até a minha página no Facebook ►https://www.facebook.com/OtakuKpopperMcps/ ou se você quiser saber mais sobre as minas outras fanfic's(até parece)]


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...