História Secrets Between Souls - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Jason Derulo, Justin Bieber, Ryan Butler, Selena Gomez
Exibições 16
Palavras 1.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpem os erros, estou pelo celular.

Capítulo 5 - There Can Be No Feelings


Abri meus olhos e vi o cara que estava me assaltando caindo no chão. Levantei a cabeça e olhei para a frente, Justin, lá estava ele do outro lado da rua, segurando a arma.  

— Entra no carro! — ele mandou abrindo a porta do carro. Ignorei ele e sai andando sem ligar. — ENTRA NO CARRO. — ele me olhou com raiva e gritando.

 — Me deixa em paz! — esbravejei me virando para trás. — Pra você tanto faz se eu estou viva ou morta, não foi isso que você disse? — encarei ele e ele veio na minha direção. — Você é um egoísta, sem amor, sem sentimento, trata até sua própria mãe mal. Não te conheço tanto, mas já percebi que você é o cara mais otário que eu já vi na minha vida. Nunca fui tão humilhada na minha vida, e ainda por causa de um TELEFONE. — ele ficou na minha frente sem dizer nada, sentia sua respiração. — Eu daria tudo para ter uma mãe aqui comig... — ele me beijou, resisti por um tempo mas depois sedi. 

— Dá pra entrar no carro agora? — ele disse parando o beijo e se afastando, foi em direção ao carro, e eu fui atrás dele, estavamos em silêncio após aquilo. Entrei no carro e coloquei o cinto de segurança, ficamos em silêncio até que ele puxou assunto.

 — O que aconteceu com seus pais? — ele falou enquanto estava com os olhos fixos na estrada.

 — Foram assassinados quando eu tinha 14 anos. — olhei para janela. Os pingos da chuva escorrendo no vidro.

 — Desculpa perguntar. — ele parou o carro no jardim da casa dele. Sorri fraco e sai do carro, vi o carro dos meninos.

 — Vou entrar pelos fundos. — sai do carro e fui. Não parava de pensar no beijo. Subi as escadas e entrei no " meu " quarto, sai tirando aquela roupa toda encharcada. Entrei no banheiro e liguei o chuveiro deixando a água cair sobre meu corpo relaxando-o, fiquei mais de 30 minutos lá. Sai e fui pro closet, vesti um shorts jeans, uma blusa normal e fiquei de pantufa, a casa estava quente por conta do ar condicionado, sequei meu cabelo e fiquei sentada na cama pensando um pouco. 


 POV. JUSTIN


 Entrei e os moleques já estavam lá, aquela desgraçada só ta me trazendo problemas. 

 — Eae Drew! — Chaz me comprimentou.  

— Então Drew, contratei mais de 60 seguranças, eles são muito bons, amanhã eles estão por aqui já. — Zayn falou. 

 — Okay. — me sentei. — Aquela filha da puta só trás prejuízo, disse nervoso.

 — Cara, calma. — Chaz disse me olhando, ele estava sentado no sofá. — ela não sabia, a culpa não é dela Drew

. — O Chaz tá certo. — Zayn se sentou na poltrona. Bufei. Caams desceu as escadas com aquela pantufa chamativa e os garotos olharam. 

 — Eae Caams. — Chris disse primeiro e depois os meninos. Fechei a cara.

 — Oi meninos. — ela sorriu enquanto eles comiam ela com os olhos. Ela olhou pra mim depois desviou o olhar passando pela sala indo em direção a cozinha.

 Eu e os meninos continuamos falando sobre o telefonema, e o que fazer para achar o Ryan.

 — Mas cara, se Jerony ligou para cá, é porque ele tinha o número. — Chris disse. 

 — Não Chris, imagina. — dei um chá nele.

 — Ou, ou, ou. — ele falou. — não terminei. — ele coçou a garganta. — se ele tinha o número, é porque alguém passou, mas só quem tem acesso ao número da casa do Justin somos nós, os amigos, a família dele e alguns seguranças. 

 — Faz sentido. — Zayn disse pensando. 

— Sei que ninguém daqui falaria o telefone da casa do Bieber, mas e se algum dos seguranças falou. — Chris me olhou. Balancei a cabeça.

 — Bom, é uma grande possibilidade. — cruzei os braços. — vou reunir os seguranças. — sai dali e fui para fora, falei para meus seguranças se reunirem no jardim de trás em 15 minutos. Voltei para a sala, Camila estava do lado do Chaz, ele estava falando com ela e ela prestava atenção em cada palavra.

 — Mas vocês já sabem aonde ele está? — ouvi ela dizer.

 — Não. — Chaz deu uma pausa. — Quer dizer, temos um lugar em mente, mas não sabemos ao certo se é o lugar que eles estão mantendo o Ryan em cativeiro. 

 — Os seguranças vão se reunir daqui a 15 minutos. — cortei o papo dos dois. Caams me olhava e desviava o olhar toda hora. Fomos lá pra fora. Os seguranças estavam reunidos, estavam todos lá. — Vocês devem estar se perguntando, porque eu pedi para vocês se reunirem aqui, não é? — sorri de lado. — Bom, um de vocês, passou o número da minha residência para alguém que trabalha para o Jerony. — dei uma pausa. — e eu quero saber quem foi! — falei alto e firme. O silêncio era tanto que dava para ouvir até a respiração ofegante de alguém. 

 — Chefe. — um dos seguranças se aproximou. Vi a Caams se escorar na porta que liga o corredor com o jardim. — um cara veio aqui, ele disse que conhecia você, mostrou até fotos dele com o Ryan, ele pediu o número da residência e eu passei, vocês não estavam aqui e... — não pensei duas vezes, peguei a minha arma e estourei os miolos daquele cara.

 — Tirem esse defunto daqui. — ordenei e sai dando as costas entrando para casa. 

Esbarrei na Camila e fui pra sala, os meninos estavam atrás de mim. Fui até uma mesinha aonde estavam as bebidas, peguei um copo e enchi.

 — Agora que já sabemos quem foi o filho da puta, vamos falar sobre achar o Ryan. — Vi a Caams cruzar a sala e subir as escadas. — Vamos ter que ser práticos e... — fui interrompido pelo telefone tocando. Chaz foi atender.

 — Não é número privado não. — ele olhou. — parece número de hospital. — ele atendeu. 

— Alô?

 ... 

 — Sim, é da casa dele.

 ... 

 — Como assim? 

 ... 

 — Okay, vamos para ai agora. — ele desligou. — Ryan tá no hospital. 

 — Que? — coloquei o copo na mesinha. — Ryan no hospital?

 — Sim. — Chaz explicou tudo e eu peguei as chaves do carro.

 — Vou chamar a Caams. — subi as escadas correndo. 


 POV. CAMILA


 Tirei minha roupa procurando uma roupa de frio, acho que desligaram o ar condicionado.

 — Camila. — Justin entrou no quarto e eu tomei um susto, ele me olhou o mordeu os lábios. 

 — Você não sabe bater na porta não? — disse nervosa e puxei o lençol me cobrindo, estava da calcinha e sutiã. — o que você quer? — bufei enquanto ele ainda me olhava. 

— Ryan está no hospital. — ele falou meu coração disparou. 

 — O QUE? — gritei. — eu não acredito. — soltei o lençol. — Aonde ele ta Justin, qual hospital? — corri até o Justin. 

 — Olha... — ele me olhou cima abaixo depois deu uma risadinha coçando a cabeça. — se veste e depois desce pra gente ir. Mas vai rápido. — ele saiu so quarto. Fui me vestir, coloquei uma calça jeans clara, uma blusa de frio e uma bota, estava quase nevando lá fora. Desci correndo, os meninos estavam sentados no sofá, mas assim que me viram descer levantaram.

 — Vamos. — Justin saiu na frente e nós fomos atrás, cada um entrou no seu carro e eu, como de costume, fui no carro do Justin. O hospital era um pouco longe, eu acho. Não conhecia NY. Estava um silêncio enorme e insuportável dentro do carro. Liguei o rádio sem ao menos pedir permissão. Justin me olhou feio. 

 — É muito sem graça andar com você, você parece uma parede. — abri a janela.

 — Dá para desligar esse merda? — ele trocou de marcha.

 — Não, não gosto de silêncio, ainda mais que eu estou feliz pelo Ryan ter aparecido. Será que ele está bem? 

 — Não sei. — ele deu uma pausa. — Espero que sim. — após um tempo chegamos ao hospital, aquilo nem parecia um hospital, parecia um hotel 5 estrelas em Dubai de tão bonito. Justin estacionou o carro e eu sai, os meninos chegaram e estacionaram o carro deles. Eu e o Zé parede fomos na frente, chegamos na recepção.

 — Olá, em que posso ajudar? — a recepcionista perguntou. Ela morena, do cabelo crespo, olhos castanhos, ela era linda, percebi que Justin ficou fascinado na beleza dela, até eu fiquei, ela parecia mais uma modelo. 

 — Eu queria... — Justin estava todo sonso por causa da recepcionista.

 — Queremos saber sobre Ryan Butler. — falei rápido. 

 — Vocês são alguma coisa dele?

 — Sim. Amigos. — sorri. Já estava impaciente, queria ver o Ryan logo, estava morrendo de saudades. 

 — Okay, ele está no quarto em observação, ele está muito machucado, ele não consegue falar muito, ele tem que ficar em repouso. A única coisa que ele falou foi para ligar pro Bieber, e deu o número dele. Disse também que foi um homem desconhecido que bateu nele, por isso está machucado assim.

 — Sim, foi isso. — olhei pro Justin. — pode me falar, por favor, em que quarto ele está? — disse impaciente.

 — Ele está no quarto 126, no terceiro andar. — ela sorriu.

 — Obrigada. — olhei pros meninos. — Vamos? — sai andando e eles atrás, eu só queria ver o Ryan. Entramos no elevador e fomos para o terceiro andar. Sai do elevador já olhando para as salas e procurando o quarto 126. — 124... 125... 126! — entrei devagar e os meninos atrás. Vi Ryan, com um tubo que ajuda a respirar, ele estava muito machucado, aquilo doeu em mim.   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...