História Secrets et coeurs - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nathanaël, Nino, Plagg, Sabine Cheng, Tikki, Tom Dupain
Tags Adrinette
Exibições 207
Palavras 1.188
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Luta, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 12 - Chapitre douze - Étreinte


Fanfic / Fanfiction Secrets et coeurs - Capítulo 12 - Chapitre douze - Étreinte

Abriu os olhos e suspirou frustrada, virou um pouco a cabeça e viu que no relógio em cima da pequena mesa, estavam marcando 2 da manhã, e até agora o sono não estava a envolvendo de jeito nenhum, mas Marinette sabia o motivo: Chat Noir. Estava bastante preocupada com o mesmo, já fazia exatamente uma semana que os ambos não se viam, e o herói nem dava notícia. Toda vez que aparecia uma akuma, tentava falar como o loiro, mas ao terminar o combate, o mesmo desaparecia como fumaça. Sabia perfeitamente do motivo de tal comportamento do herói, mas não podia fazer nada, pois já tinha deixado claro que não tinha sentimentos pelo loiro, e o mesmo tinha que entender, porém parecia não seria tão fácil assim.

Com tais pensamentos decidiu ir para a varanda tomar um pouco de ar fresco, assim andou até as portas de vidro e as abriu, logo pôde sentir a fria e leve brisa da noite a envolvendo, andou um pouco até chegar ao limite da varanda, levantou a cabeça e se permitiu observar as estrelas no céu, aquilo de certa forma, tranquilizou a mestiça, fazendo-a pensar em outros assuntos. Como exemplo a notícia de que Chloe e Adrien tinham terminado o motivo ninguém sabe e a própria azulada ficou surpresa com tal acontecimento, mas resolveu não perder seu tempo pensando no assunto, porém a consequência daquilo tudo, foi que o Agreste parecia estar mais grosso e frio, sem contar que a maior parte do dia, a mestiça sentia seu olhar sobre si, e aquilo a estava incomodando muito. Alya aconselhou manter um pouco de distancia, pois depois da mudança do modelo, ninguém sabia o que poderia vir dele daqui para frente, até Nico estava se afastando, e aquilo fez com que Marinette sentisse pena do loiro.

De repente seus pensamentos foram tomados pelo o ruivo desenhista, o mesmo na noite anterior ficara em sua casa, a ajudando no dever de casa, contudo no final ambos se envolveram em alguns beijos, no momento, Marinette sentiu serem observados, mas logo ignorou o pressentimento. Disse ao ruivo que a resposta que o mesmo aguardava, diria ante do começo do inverno, o que não demoraria a chegar, pois faltava exatamente dois dias para a estação. Na medida em que o tempo passava a mestiça ficava indecisa com sua resposta, afinal por que não namorar o ruivo? O mesmo era gentil, carinhoso, amoroso, compreensivo e acima de tudo confiante, todas as qualidades que qualquer garota sonharia em ter como namorado, então por que a dúvida? Por que não aceitava de uma vez? A azulada não sabia explicar o porquê, apenas sentia que o que precisava estava longe de si e que sem ele não se sentia completa.

- O que será?... – perguntou a mestiça para si mesma. – Seja lá o que for, vai ter que me deixar dormir, porque tenho prova física mais tarde. – comentou se virando e entrando no quarto novamente, fechando as portas da varanda e se encaminhando até a cama.

Não demorou a finalmente o sono a dominar, mas o que azulada não contava é que sem perceber não vira um ser entrando em seu quarto, e esse ser era ninguém mais do que Chat Noir. Se o mesmo não tivesse com máscara, daria para perceber as enormes e profundas olheiras que tinham em seus olhos, seus cabelos estavam sem vida, e seu olhar vazio, apenas Marinette o fazia se sentir melhor, mesmo que apenas dormindo. Aproximou-se e percebeu que a garota estava em um sono profundo e não acordaria tão cedo, então aproveitou e contornou a cama, deitou e logo em seguida abraçou a fina cintura da mestiça, permitindo sentir o cheiro acolhedor da mesma. Sentia-se um lixo nesses últimos dias, tudo estava dando errado para si, por causa da maldita decisão de ter transar com a Chloe. A única coisa positiva era que finalmente tinha se livrado da loira, mas quando soube do boato de que Nathanael e Marinette talvez estivessem namorando, foi com se uma metralhadora estivesse atirando em seu coração. Não soube como reagir a tal notícia, só havia percebido quando notou que destruíra seu quarto novamente, felizmente seu pai estava bastante ocupado, e não notou a mudança de comportamento do filho.

- Por que não posso ter você só mim, Marinette? – sussurrou, juntando ainda mais seus corpos.

A respiração calma da azulada acalmava o herói, e mais do que nunca, Chat queria sua boca na da mestiça, queria sentir o sabor viciante de seus lábios e ter o calor de seu corpo no seu. Mordeu seu lábio inferior com força, com intuito de se controlar e respirou fundo. Fechou os olhos e por incrível que pareça, o sono que tanto desejava por dias, havia chegado sem nenhum aviso, assim dormiu rapidamente.

[...]

Não teve como não perceber o peso em sua cintura, abriu os olhos vagarosamente e sentiu alguns raios fracos de sol entrar em seu quarto, olhou para a mão em sua cintura e arregalou os olhos se virando rapidamente para o rapaz que já estava acordado. Não se conteve e abraçou o herói, abraço que foi correspondido pelo mesmo, ficaram um tempo juntos, apenas sentindo a presença um do outro, até Marinette se soltar e dar um soco, um tanto forte, no braço de rapaz, que gemeu como resposta e a olhou confuso.

- Como você pode fazer isso comigo?! – perguntou brava, e sem entender seus olhos começaram a encherem de água. – Fiquei tão preocupada com você, achei que não iria mais falar comigo, ou pelo menos me ver... S-seu idiota! – falou, sendo consumida pelo choro.

Chat não sabia como reagir, nunca tinha passado pela sua cabeça que Marinette estava preocupada consigo, e parecia que estava sofrendo com isso. Sem pensar duas vezes, abraçou-a deixando a mesma chorar em seu ombro.

- E-eu não sabia Marinette... Por favor, perdoe-me... – falou o loiro, a afastando, permitindo olhar seu rosto.

- Por que fez i-isso? – perguntou novamente, tentando limpar suas lágrimas.

- Você sabe o motivo... – respondeu Chat Noir se afastando.

- Mas Chat, e-eu... – não conseguiu terminar, pois o herói a interrompeu.

- Você não sabe Marinette, como é horrível estar no mesmo lugar que você e não poder de beijar, meu coração sangra quando te vejo beijar outro e eu não aguento mais... Não quero sofrer mais. – falou se levantando e encaminhando em direção a varanda.

Mas parou quando sentiu os braços da azulada o envolver por trás, ficaram parados, até a mesma começar a se pronunciar.

- Não me deixe...  Você é especial para mim Chat, e eu não seria a mesma sem você. – disse.

- Me prometa... Que tentará se apaixonar por mim. – disse virando um pouco a cabeça.

- E-eu... – hesitou um pouco, mas logo respondeu. – Eu prometo. – disse, e pode sentir de verdade que estava disposta a tentar.

Pode ver o pequeno sorriso que vira nos lábios do loiro, que se virou e tocou seu rosto, beijando sua testa em seguida. Quando se afastou, a porta do quarto foi aberta por Tom, quando Marinette se virou para Chat Noir, ele já tinha desaparecido.

 

 


Notas Finais


Éntreinte - Abraço.

Oiiii, desculpem a demora como sempre, né? kk
Espero que tenham gostado do cap e tenho uma proposta a fazer, se este cap chega a 18 comentários, no proximo cap faço um especial de 3.000 palavras, ok? kkk
Bjss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...