História Secrets of Sisters - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cole Sprouse, Dylan Sprouse, Logan Lerman, Zack e Cody
Personagens Cole Sprouse, Dylan Sprouse, Logan Lerman, Personagens Originais
Tags Adam G Sevani, Sean O'donnell
Exibições 25
Palavras 1.765
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


voltei♡
agora é oficial, a fic vai acabar no capítulo 35, então, contagem regressiva pra final♡ e pra segunda temporada♡ hehe
antes de tudo, sorry♡ nesse capítulo tem uma treta que vai chocar vocês, massss...ah, vocês vão ver hehe

boa leitura♡

Capítulo 32 - A lie


Fanfic / Fanfiction Secrets of Sisters - Capítulo 32 - A lie

Toulouse: Mulheres nunca jogam limpo.

(Aristogatas)

Valentina's pov

Todas nós nos mantemos em completo silencio, enquanto nossos pais interagem com os meninos. Acho que entre todas, Alanna era a que mais estava vermelha, ao ponto de ter um ataque de riso a qualquer momento. Clarissa não tirava os olhos do chão, enquanto Vic só faltava enfiar a cabeça dentro do sofá de tão constrangida que ficou após seu pais começar a questionar Dylan sobre suas intenções com sua filha mais velha. Enquanto isso, Manu agarrava o braço de Sean, tentando esconder seu rosto vermelho.

— Tá vermelha porque? — Joe perguntou alto o suficiente pra todos da sala ouvirem, diretamente a sua irmã.

— Não estou vermelha. — Afirmou Manu enquanto brincava com Eveline, irmã mais nova de Vic e Clarissa.

— Não não, sou eu que estou. — Benjamin ironizou, recebendo um tapa da - Clarissa - irmã mais nova. — Perdeu a noção do perigo?

— Meu Deus... — Vic murmurou envergonhada. Ainda bem que eles disseram em português.

— Ela tá parecendo uma idiota grudado no braço do namorado. — Joe continuo zombando de Manu.

— Se eu for até ai, vou te arrebentar. — Disse Manu, despertando o riso em Alanna.

— Nem em outro pais vocês vão parar de brigar? — Rachel - mãe de Manu - os repreendeu.

— Vamos mudar de assunto? — Sugeriu - Ellen - minha mãe. — Estudaram bastante pro vestibular, não é? Pra onde vocês vão? —Ela perguntou - logicamente - pros meninos, pra Vic e Manu.

— Vou pra Itália, pro Istituto Maringoni em Milão. — Respondeu Vic.

— Também vou pra Milão, estudar na Work Academy. — Manu respondeu animada por estar indo estudar junto com sua melhor amiga.

— E vocês meninos?

— Oxford, na Inglaterra, vou estudar biologia. — Disse Cole. Tão longe...

— Harvard. — Respondeu Sean. — Junto com Dylan. Só que eu vou estudar direito.

— E eu medicina. — Disse Dylan. Lewis - pai de Vic - respirou aliviado.

— E eu vou pra New York, estudar no Le Moyne College. — Disse Adam. — E na Joffrey Ballet School. Vou ser engenheiro e dançarino.

— Uau. — Dona Diana - mãe de Clarissa e Vic - pareceu impressionada.

— E eu quero saber como foi que elas se comportaram durante esse ano. — Meu pai - Alfredo - teve que perguntar, se não era milagre.

— Ah, elas se comportaram muito bem. — Respondeu tia Wendy. — Foram uns verdadeiros anjos.

— Uh. — Ben riu junto com Joe.

— Prova ao contrario? — Desafiou Clarissa.

— Tem certas coisas que não mudam né? — Dona Rachel olhou seria pra Joe.

— Uma pena que amanha vocês tenham aula. — Disse Lydia.

— Porque? — Alanna questionou curiosa.

— Porque vou levar eles pra praia e vocês vão ficar aqui. — Respondeu tia Wendy e uma chuva de reclamações caiu sobre a sala.

— É por isso que viemos antes da formatura. — Disse Diana.

— Tome, nós vamos a praia e vocês não. — Ben provocou Vic.

— Hm, ficou só um tempinho sem me ver e já perdeu o respeito. — Riu desafiando o irmão mais novo.

— Fala serio, isso é injusto. — Alanna cruzou os braços e fiz bico que nem uma criança birrenta.

— Alanna, essa é a última semana de aula. — Disse Lydia. — Você não vai faltar.

— Vai toma. — Falei rindo.

— Muito menos você dona Valentina. — Disse meu pai e as meninas riram. Enquanto os meninos nos observavam quietos.

— Tá ai uma coisa difícil de se ver, esses meninos em silencio. — Tia Wendy leu minha mente.

Honestamente, eu não via a hora das ferias chegarem, não aguento mais ir á escola. Principalmente sabendo que nas ferias voltarei ao Brasil, e nós vamos viajar pro Rio de Janeiro. Eu não via a hora. Só que por um lado não vai ser tão legal assim sem as meninas e os meninos. Sem o Cole. Pois assim que a formatura terminar, Vic e Manu irão partir pra Itália no outro dia de manha, por causa de um curso que Vic quer começar a fazer antes das aulas começarem. E logo sem seguida Adam, aí Sean, Logan, Dylan e logo mais o Cole. Aos poucos todos vão indo embora.

— Tá fazendo o que ai sozinha? — Cole chamou minha atenção, me tirando dos meus devaneios. Eu estava na arquibancada tentando terminar um trabalho pra entrar na manha seguinte.

— Tô tentando terminar um trabalho que vou entregar amanha. — Respondi sorrindo. O Cole parecia ter rolado no chão, seu uniforme do time estava completamente imundo.

— Eu sei o que está pensando, eu tô imundo. — Ele se sentou ao meu lado.

— É, exatamente. — Afirmei rindo.

— Tem muita coisa pra fazer ainda? — Pegou meu caderno pra ver. — Hm, já estudei muito sobre isso.

— É um saco. — Confessei. — Ainda bem que já está acabando.

— É, muita sorte. — Ele riu. — Acho que vai passar de ano?

— Eu tenho que passar! Se não meus pais vão me matar! — Falei sendo honesta, e ele ficou rindo da minha cara. — Pra você é fácil, alem de ser um dos melhores alunos da escola, já até passou na faculdade que queria. Por acaso uma das melhores no mundo.

— Ainda bem, se não minha mãe ia me matar. — Disse me fazendo rir. — Mas se você quiser ajuda com alguma coisa, eu ainda tenho alguns dias aqui em São Francisco. — Droga, ele tinha que me fazer lembrar que vai embora.

— Ah claro. —Falei meio decepcionada.

— O que foi? — Perguntou.

— Nada, eu só tenho que terminar isso antes de irmos pra casa.

— Porque ficou chateada de repente?

— Não fiquei. — Menti tentando sorrir.

— Eu te conheço Valentina.

— Ah Cole. — Respirei fundo. — Não tô pronta pra ver vocês partir, vamos ficar muito tempo longe uns dos outros, e esse ano eu me apeguei muito há vocês.

— Não vamos nos separar pra sempre, podemos nos ver nas ferias.

— Vai ser um pouco difícil, não acha? Digo, Vic e Manu estarão na Itália, e você na Inglaterra.

— Isso não vai ser problema. — Ele riu. — Nossa amizade não vai acabar, não se preocupe.

— Eu realmente espero que não. — Falei olhando pra baixo.

— Eu até te abraçaria agora, mas não quero te sujar. — Disse me fazendo rir. — Se não se importa, vou tomar um chuveirada. A gente se ver daqui a pouco?

— Claro. — Afirmei sorrindo.

Victoria's pov

— Droga de armário! — Murmurei com raiva. Todas as outras garotas do time já haviam terminado e ido embora, só ficou eu lá, tentando abrir aquela merda de armário. Porque bem hoje eu fiquei dez minutos treinado mais? Porque eu simplesmente não fui embora que nem as outras garotas?

— Oi. — Brookelle apareceu na vestiário. — O que ainda faz aqui? Ouvi o barulho e decidir vir ver, achei estranho porque todas as garotas foram embora.

— Hm, estou tentando abrir meu armário, só isso. — Dei de ombros.

— Não precisa de ajuda?

— Não, já estou quase conseguindo. — Respondi tentando de novo abrir. Droga! Não estava conseguindo.

— Vou chamar alguém pra te ajudar. — Ela disse e foi logo saindo, antes de eu conseguir dizer que não precisava de ajuda nenhuma. Fique mais uns segundos ali tentando abrir, achei muito estranho, meu armário nunca deu esse problema antes.

— Precisa de ajuda? — Ouvi uma voz masculina invadir o ambiente e me fazendo tomar um leve susto. — Tá até agora tentando abrir isso ai? — Perguntou Thomas.

— Não. — Respondi seca, tentando ignorar sua presença.

— Ok, sai dai que eu vou tentar.

— Não precisa, eu consigo.

— Já faz quanto tempo que tá ai "conseguindo"? — Perguntou me deixando meio irritada. O pior é que não havia outro jeito, eu poderia simplesmente deixava todas as minhas coisas aqui na escola e ia embora com o uniforme sujo. Sem contar que pra complicar mais, o meu material e até meu celular estavam lá dentro. É, acho que eu não tinha outra escolha.

— Ok. — Falei sedendo, me virando pra ele. — Pode tentar.

Ele ficou forçando por alguns segundos e logo conseguir abrir. Ok, eu sei que é porque sou mulher e os homens são um pouquinho mais fortes do que a gente. Seria perfeito ser tão forte quanto eles, mas não foi dessa vez. Thomas se virou pra mim sorrindo e eu me levantei pra pegar minha mochila, e meu celular. Haviam mensagens perdidas de todas as meninas e umas cinco só do Dylan.

Droga.

— Não vai agradecer? — Ele se sentou ao meu lado e passou a mão no meu cabelo. Eu estava tão distraída e desesperada ao mesmo tempo que nem me importei, mas quando ele começou a aproximar seu rosto de mim, eu não ia deixar.

— O que pensa que está fazendo? — Me levantei arrumando a mochila nas costas. — Ah valeu Thomas, a gente se ver por ai. — Simplesmente lhe dei as costas e sai de lá ao entro dos meus amigos.

— Meu Deus, que demora Victoria! — Manu me analisou um pouco. — Demorou todo esse tempo e nem tomou um banho?

— Não deu, eu estava até agora tentando abrir o meu armário. — Falei começando a caminhar ao seu lado. Os outros estavam um pouco a frente.

— Você encontrou com Dylan?

— Só no primeiro sinal, depois não. — Respondi. — Porque?

— Ele tá bem estranho.

— Estranho como? — Perguntei observando meu namorado emburrado andar na frente de todos.

— Vai falar com ele. — Disse. Eu passei por todos e cheguei ao seu lado.

— Oi. — Falei sorrindo e tentei dar um beijo em seu rosto.

Só tentando mesmo.

— O que foi? — Perguntei e ele não respondeu, continua olhando fixo no caminho. — Dylan fala comigo, por favor. — Ele continuo em silencio. — Por favor, o que está acontecendo?

— E você ainda pergunta? — Ele aumento a voz me assustando. E há todo mundo também.

— Pergunto sim! Porque eu não faço ideia do que você tem.

— Eu te vi Victoria.

— Me viu na onde? — Perguntei baixinho. Agora nós estávamos no meio da calçada, e nossos amigos em volta de nós.

— Eu te vi com o Thomas! — Respondeu cerrando o punho. — E você ainda tem coragem de pergunta? Acha que eu sou idiota.

— Mas você viu o que? — Perguntei confusa. Não fiquei sozinha nem por cinco minutos com Thomas.

— Esquece Victoria, a Brookelle me contou tudo! — Ele começou a caminhar novamente.

— O que? — Agora falei um pouco mais alto. — O que ela te disse Dylan? — Falei passando na sua frente. — Dylan, o que ela te disse?

— Para de se fazer de inocente, é inútil. — Ele continuo falando alto comigo e eu decidir uma coisa: Eu vou matar a Brookelle!

— Você vai acreditar nela? — Eu quis falar no mesmo tom que ele, mas a vontade de chorar começou a tomar conta de mim.

— Eu vi Victoria! Eu vi com os meus próprios olhos! — Ele afirmou. — Eu sou um burro mesmo. — Ele passou por mim novamente e dessa vez eu não fui atrás, comecei a chorar que nem uma idiota.

— Dylan, por favor! — Gritei com esperanças dele parar, 

o que não aconteceu.


Notas Finais


até próximo capítulo♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...