História Sedução Planejada - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Allison Argent, Chris Argent, Cora Hale, Derek Hale, Lydia Martin, Melissa McCall, Scott McCall, Stiles Stilinski, Theo Raeken
Tags Derekhale, Romance, Sterek, Stiles, Teenwolf
Exibições 156
Palavras 2.748
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desde já, desculpem pelos erros! Não tive tempo de corrigir!

Capítulo 4 - Capítulo IV


Fanfic / Fanfiction Sedução Planejada - Capítulo 4 - Capítulo IV

Mike:

- Stiles? (Mike chamou)

 
Stiles ergueu os olhos das contas que estava checando. Como secretário social, era responsável pela administração das várias casas de Derek espalhadas pelo mundo. Administrava pequenas crises com os funcionários, admitia e demitia, cuidava dos orçamentos e de todos detalhes necessários para o bom funcionamento de cada casa.

 

Mike:

- Theo está vindo para cá. Ele já está no elevador.( Sti ficou pálido ).

 

Stiles:

- Vou... recebê-lo aqui.

 

Mike:

- Mas Derek disse...

 

Stiles:

- Que não admite visitas pessoais, eu sei. Mas Derek não está aqui.

 

Theo apareceu na porta, Sti levantou-se. Theo parecia ter passado a noite em claro. Estava pálido, tenso, com os olhos vermelhos. Mike fechou a porta quando saiu da sala, deixando-os a sós.

 

Theo:

- Stiles, o que posso lhe dizer? ( Parecia que um muro de vidro se ergueu entre os dois. Era como se milhares de anos tivessem passado desde o dia anterior.

 

Stiles:

- Não há nada para dizer. (Sti estava insensível, absolutamente vazio. Não sentia nenhuma emoção)

 

Theo:

- Alisson vem me procurando há semanas. ( murmurou, desapontado). Não estou querendo me desculpar, mas...

 

Stiles:

- Você quis aproveitar porque ela não estava interessada há três anos. 
(Ele corou e concordou com um aceno da cabeça).

 

Theo:

- Talvez.

 

Stiles:

- E não conseguiu se controlar, Theo?

 

Theo:

- Você está enganado. Eu não gosto dela, conheço bem o tipo. Foi apenas... uma coisa física. Que droga, como posso lhe dizer que apenas quis ir para a cama com Alisson e depois esquecer que ela existia? Foi assim que aconteceu!. (explicou, caloroso, esperando que Stiles lhe desse crédito). Não havia emoção no envolvimento. Sei que está bravo, mas é você que eu amo, é com você que quero casar. 

 

Stiles:

- É impossível.

 

Theo:

- Escute, deixe-me contar tudo desde o início.

 

Stiles:

- Não! Eu não quero saber. Sei que a situação é delicada para nós dois, mas não posso esquecer. (disse, lembrando o que havia feito com Derek).

 

 Naquele momento, Derek abriu a porta e entrou, demonstrando raiva e irritação. A atmosfera vibrou e Stiles se deu conta de que um simples olhar foi suficiente para enchê-lo de culpa. Ele estava inconformado por encontrar Stiles conversando com Theo.
 
Derek:
- Acredito que o senhor já ficou tempo demais aqui. Saia e nunca mais volte. (ordenou. 
O rosto de Theo mostrou uma expressão de assombro). 
 
Stiles:
- Derek... (murmurou, com medo do olhar ameaçador).
 
Theo:
- O que está acontecendo aqui? (perguntou, confuso). Não estou entendendo. 

Derek se aproximou de Stiles e passou o braço sobre o ombro dele. 

Derek:
- Stiles e eu vamos almoçar. Está perdendo seu tempo. (respondeu, ríspido). 

Theo:
- Stiles? ( Theo o fitava, atordoado).
 
Stiles não sabia o que fazer. Derek resolveu o problema. Simplesmente conduziu-o para fora da sala e caminhou para o elevador. Antes que a porta do elevador fechasse, Sti pôde ver o olhar incrédulo de Gina.
 
Derek:
- Você devolveu a aliança? (perguntou, irritado).
 
Stiles:
- Como ousou me tirar da sala daquele jeito? Como ousou agredir Theo? 
 
Derek:
- Eu não agredi. Há quanto tempo ele estava ali com você? Com certeza, tempo suficiente para querer contar uma história trágica. 
 
Stiles:
- Isso não é da tua conta. 
 
Derek:
- Você passou a noite em meus braços. Se isso não for da minha conta, o que será? Deus, espero que não tenha lhe contado sobre ontem. 
 
Stiles:
- Droga! 
Uma onda de irritação invadiu Stiles . Derek Hale conseguia atormentá-lo. 
Derek:
- Presumo que pelo menos tenha dito que está tudo acabado entre vocês...
 
Stiles:
- O que importa se eu disse ou não? (respondeu furioso).
 
Derek:
- Acontece que não costumo dividir meus homens com outros homens. ( ele retrucou com ironia). 
Stiles parou no meio do estacionamento e colocou as mãos na cintura. 
 
Stiles:
- Eu não sou um de seus homens! Estou apaixonado por outro.
 
 Derek estudou-o com um olhar frio.
 
Derek:
- Um homem com quem nunca dormiu. Que tipo de amor era esse? 
Stiles:
- O tipo de amor que com certeza você jamais entenderia. 
 
Derek:
- Um amor puro e perfeito .(ele zombou). Esta era a parte mais importante, não é verdade? 
 
Stiles:
- Não sei do que está falando. 
 
Derek quase empurrou Stiles para dentro da limusine.
Derek:
- O casamento imaculado, o virgem sacrificado. É medieval, Stiles. O que aconteceria se você acabasse se casando e finalmente descobrisse não gostar nem um pouco do que ele fazia?
 
Stiles:
-  Não seja desagradável.
 
Derek:
- Aposto que teria cerrado os dentes e tentado distrair-se com a estampa do papel de parede, enquanto ele se satisfazia... 
 
Stiles:
- Eu me recuso a escutar isso! (Derek encarou-o em silêncio. Depois, falou com suavidade)
 
Derek:
- Você ficou chocado com sua própria reação ontem à noite.
 
Stiles:
- Não! (ele gemeu,  com as emoções que sentia e com as quais não sabia lidar).
 
Derek:
- Eu também fiquei chocado.( ele sussurrou). Nunca me ocorreu que você ainda fosse virgem. Se eu soubesse, não teria avançado. Não tenho o costume de tirar vantagem de pessoas inocentes. 
Stiles:
- Não quero conversar. Nem sei por que estou com você neste carro.
 
Derek:
- Você queria fugir de Theo. (disse com um sorriso carinhoso). Por isso está aqui.
 
Stiles fechou os olhos. Por que deixava transparecer seus sentimentos para aquele homem? Até ele falar, não havia percebido o motivo pelo qual permitira-lhe intrometer-se em seus assuntos. A saída foi menos dolorosa do que prolongar o encontro que não levaria a nada. 
Perguntou-se se Alisson era a pessoa dos sonhos de Theo. Será que escolheu Stiles, como Marido porque compartilhavam os mesmos interesses e por causa de seu famoso... puritanismo? Fosse como fosse, seguramente não havia mais nada a ser discutido com Theo. 
Derek:
- Não acredita que a culpa seja dele, não é? (murmurou).
 
 Mais uma vez, Stiles notou que ele atingira o alvo com precisão. Sua raiva se transformou em aceitação passiva.
 
Stiles:
- Alisson é muito bonita, muito tentadora.
 
Derek:
- É apenas uma morena de olhos claros, com dentes perfeitos e longas pernas. Existem muitas iguais por aí.
Stiles percebeu que, para o gosto de Derek, a ex-amiga não era nem um pouco especial. Mas isso não explicava por que ele se sentiu atraído por um secretário baixo e magricelo. De repente, Stiles pensou ter descoberto a explicação e ficou atônito por não ter resolvido o enigma antes. Derek se cansava das mulheres e homens com facilidade. Como Mike mesmo disse, todas faziam o impossível para conseguir sua atenção. O maior atrativo de Sti só poderia ter sido a falta de interesse que demonstrava pelo patrão. Sua aparente indiferença o colocou em um patamar alto, acima dos outros. Quando a limusine estacionou, Derek o ajudou  a sair. O calor da mão poderosa em seu braço provocou-lhe um arrepio. Não queria mais nada com ele e precisava deixar isso bem claro. Com certeza, Derek se achava responsável por Stiles, depois do que aconteceu entre os dois. O restaurante sofisticado estava vazio. Desconcertado, Sti olhou ao redor. O pianista tocava músicas românticas e um batalhão de garçons se apresentou, pronto para servi-los.
 
Stiles:
- Onde está todo mundo? (perguntou).
 
Derek:
- Eu queria conversar em particular. Achei que você não gostaria de voltar à minha casa, e então decidi por um local neutro.
 
Derek pagou pelo privilégio de uma sala vazia só para conversar com Stiles!
Um garçom se aproximou com as entradas. Derek se encostou na cadeira, segurando uma taça de vinho, e observou Sti com carinho.
 
 Derek:
-  Coma. (encorajou-o).
 
Stiles:
- Vamos conversar enquanto comemos.( sugeriu).
Um sorriso sensual curvou os lábios de Derek. 
 
Derek:
- As vezes você se mostra muito jovem, cara.
 
Stiles:
- Voce falou cara? (Riu diverdito) Bom. Não estou acostumado com esse tipo de tratamento.
 
Derek:
-  Muito, muito jovem. Caso se olhasse no espelho, sem considerar o padrão de beleza de sua amiga, enxergaria o que eu vejo. Um corpo perfeito, olhos da cor de chocalate pele translúcida, boca maravilhosa. Uma tentação até para um santo... e eu não sou santo, bello. (Um leve rubor coloriu o rosto de Sti). Quando olho para você, vejo uma pessoa adorável, que anda, fala e se comporta como se fosse o mais comum dos homens. Foi isso que atraiu minha atenção, em primeiro lugar. Fiquei curioso. No começo, pensei que fosse encenação, para atrair as atenções. Então, vi como olhou para mim e descobri que, apesar de sua postura fria, você não me era indiferente.
 
Stiles:
- Se está tentando dizer que na verdade forcei...
 
Derek fez um gesto, pedindo-lhe que silenciasse.
 
Derek:
- Se seus planos de casamento não tivessem naufragado, eu jamais teria me aproximado. Mas nenhum homem perde uma oportunidade como essa. Não estava em meus planos levá-lo para  cama... era cedo demais. Eu não imaginava que seria o primeiro. Não tente transformar o que compartilhamos em algo sórdido. Você, melhor que ninguém, sabe que não foi.
 
Stiles abaixou a cabeça, tentando não lembrar o ato de amor. 
 
Stiles:
- Derek, isso não muda meu modo de sentir e pensar. Temos ideais diferentes. Aquilo não deveria ter acontecido. 
 
Derek:
- Mas aconteceu e agora não existe retorno.
 
Stiles:
- Talvez não existisse se eu me apaixonasse por você ou qualquer coisa assim. Mas não estou apaixonado!
 
Derek:
- Ah, o amor! . (falou, exasperado). 
Stiles:
- Obviamente é algo que não acontece a você, e provavelmente nunca aconteceu .
 
 Sti tentou ser o mais honesto possível. Um envolvimento sexual, sem sentimentos mais profundos, não fazia seu gênero. Sabia que não devia ter ido para a cama com Derek, mas tinha força de vontade suficiente para admitir o erro e manter sua postura. Derek deu uma risada amarga e seu olhar escureceu. 
 
Derek:
- Sabe que já me apaixonei? Foi um amor muito maior do que pode imaginar ou ter sentido. Eu estava com dezenove anos, e ele era dez anos mais velho. Nosso amor durou dois anos fantásticos. Então, uma manhã, acordei e ele não estava mais a meu lado. Procurei-o durante seis meses e daria até o último centavo para tê-lo de volta. Isto é amor!
 
A confissão comoveu Sti. Por um momento, conseguiu imaginar Derek como um jovem apaixonado e vulnerável. Aos trinta e quatro anos, ele não tinha mais nada de um jovem. Era um homem adulto, muito seguro de si.
 
Stiles:
- Por que ele foi embora? (perguntou, sem conter a curiosidade). 
 
Derek:
- Convenceu-se de que não era o homem certo para mim. Mas também me ajudou a ficar livre das ilusões sobre o amor. Combine respeito mútuo, carinho, atração sexual e você terá uma base muito mais segura do que encontraria só amor. 
Stiles:
- Não acredito nisso.
 
Derek:
- Bem, suas ilusões acabaram ontem. (lembrou-o com suavidade).  Você achou que ele valia a pena. Construiu um castelo de expectativas irreais, acreditando que o amor conquista tudo. Se não estivesse apaixonado, não acreditaria no poder do amor e não ficaria cego aos sinais óbvios.
 
Stiles:
- Pode haver uma certa verdade no que você está dizendo, mas continuo acreditando que, para a maioria das pessoas, os benefícios de amar e ser amado valem todos os riscos. 
 
Derek:
- É a velha idéia de conforto e segurança. (ele falou com cinismo).  Mas, gostando ou não, o que houve ontem à noite foi muito bom para nós dois... e o amor não teve nada a ver com aquilo.
 
Stiles corou, irritado com o modo como ele argumentava e o deixava em situação embaraçosa. Ele e Theo quase nunca discutiam. Sempre viu aquilo como uma demonstração da força do relacionamento. Sem dúvida, outra das ilusões do amor, que Derek delineara tão bem. Lembrou-se das palavras de Mike, dizendo que o patrão era emocionalmente frio e indiferente. Pela primeira vez, considerou aquele aspecto e ficou confuso. Como um homem frio e calculista poderia mostrar o calor e a paixão que ele demonstrou no dia anterior? Não, ele não seria tolo a ponto de se apaixonar por Derek Hale. O ato caloroso foi uma ilusão, só para impressioná-lo. 

Stiles:
- A noite passada acabou. Aguas passadas, se preferir. (falou sem emoção). Não vou ter um caso com você. Não serei seu amante. 
 
Derek:
- Por que não? 
 
Stiles:
- Porque não temos nada em comum. Vivemos em mundos diferentes, com valores diferentes.
 
Derek:
- Ah! Mas então o motivo é apenas esse! Isso significa, cara, que no fundo você está interessado em mim... (Tentando não demonstrar irritação, Sti entrou na limusine). 
 
Stiles:
- Vai me deixar trabalhar em paz, sem me assediar, até o fim do aviso-prévio? 
 
Derek:
- Considerou o café da manhã um assédio? (Stiles mordeu os lábios para se controlar).
 
Stiles:
- Sabe o que estou querendo dizer. 
Derek:
- O julgamento das outras pessoas lhe é tão importante assim? A ponto de reger sua vida? 
 
Stiles:
- Isso não é justo! (Derek segurou-lhe as mãos).
 
 Por um instante Stiles quis evitar o contato, mas, por uma razão que não compreendia, seus dedos ficaram inertes, presos nos dele. Tremeu. Não entendia o que estava acontecendo. Sentiu uma vontade súbita e urgente de se atirar nos braços dele e chorar. Nunca, em sua vida, sentiu-se mais confuso. Nesse momento, Derek o puxou para mais perto.
 
Stiles:
- Derek... não. ( suspirou. Ele não ouviu. Segurou-lhe o rosto para encará-lo).
 
 O coração de Stiles disparou, e uma terrível excitação tomou conta de seu corpo. 
 
Stiles:
-  Não... (ele gemeu outra vez. Um desejo compulsivo segurou-o no lugar).
 
Derek inclinou a cabeça, beijando-lhe a boca com paixão. Stiles sentia-se queimar por dentro, queria agarrá-lo, beijá-lo, colar seu corpo no dele. O cheiro e o calor do homem a seu lado encheram-no de desejo. Gemidos escapavam de sua garganta. Enfiou a mão sob a camisa dele, acariciando o peito másculo, provocando murmúrios de prazer em Derek. No instante seguinte Derek o colocava no colo, levantando-lhe a blusa com habilidade. Segurou-o pelo quadril, posicionando-o sobre a marca dentro da sua calça. Trêmulo, soltou-lhe os lábios e disse, ofegante, com um brilho nos olhos verdes.
 
Derek:
- Venha para casa comigo. Venha para minha cama e esqueça o resto. 

Naquele segundo, a porta do passageiro foi aberta. Stiles focalizou o olhar nos sapatos brilhantes do motorista. Pulou do colo de Derek com rapidez e agilidade, quase caindo do carro no desespero para sair. Derek chamou-o em voz alta, mas Stiles continuou andando em meio aos funcionários das Indústrias Hale. Que permaneciam imóveis, incrédulos e boquiabertos com o que haviam testemunhado.
 
Stiles:
- Mike ... (falou dez minutos depois). Lamento deixar você na mão, mas acho que é hora de ir para casa.
 
 
________________________________//__________________________________
 
VITORIA:
- Theo merece uma explicação! Você agiu de modo vergonhoso! A cidade inteira está comentando.
 
Stiles:
- Sinto muito.( suspirou). 
 
Vitoria:
- Você mentiu! Nem teve a decência de nos contar que havia outro homem envolvido! Stiles respirou fundo, decidido a não discutir até que a situação se acalmasse. Theo fazia-se de mártir, deixando que ele arcasse com a responsabilidade do rompimento.
 
Alisson:
- Dá um tempo, mãe. (Belinda apareceu na porta da cozinha com um sorriso radiante). Pelo menos os convites ainda não haviam sido enviados. 
Stiles saiu para o quintal. 
Vitoria:
- Parece que o sangue não nega... (a voz estridente da tia foi ouvida através da janela). 

Afastando-se, Stiles começou a retirar as roupas secas do varal. O pesadelo parecia não ter fim. Alisson chegou de Londres há uma hora, confiante em que o amigo não ousaria revelar a verdade. Os tios estavam arrasados, acreditando que Sti traiu Theo com um ricaço que, aparentemente, o abandonou. Era o único consolo da tia. Achava justo que um comportamento errado recebesse um castigo adequado.
 
Ao pensar em Derek, Stiles tremeu de desejo e ficou ainda mais confuso. Fez bem em sair de Londres. Não podia enfrentar Derek Hale. Ele só o desejou porque ficou desconcertado ao descobrir um homem indiferente a seu charme. Nem de longe imaginava que o desejo que Stiles nutria por ele era real e poderoso. Sti ainda estava aturdida com o estrago que um homem podia provocar em sua vida. Tudo o que acreditava saber sobre si mesma fora pelos ares, do modo mais inusitado possível.
 
Alisson:
-  Eu sabia que você não diria nada... (Ao ouvir a voz, Stiles virou a cabeça e deparou com Alisson, parada a pouca distância). 
Continua........
 

 


Notas Finais


Comentemmmm


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...