História A Colorful Hybrid - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Yugyeom
Tags Abo, Alpha, Bambam, Bangtan, Beta, Bts, Hoseok, Hybrid, Hybrid!bambam, Hybrid!jimin, Hybrid!yoongi, Jackbam, Jackson, J-hope, Jin, Namjin, Namjoon, Ômega, Sobi, Suga, Yaoi, Yoongi, Yoonseok
Visualizações 201
Palavras 2.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Super Sentai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Chegaaay
Agora inserindo um novo personagem
Eu nem estava pensando em fazer isso. Mas int, fiz pra dar uma inovada :v
Int
Eu ri mt com esse cap kkk MDS eu sou louca
Mas enfim
Agradecimentos das notas finais 💕

Capítulo 9 - A New Hybrid ?


Fanfic / Fanfiction A Colorful Hybrid - Capítulo 9 - A New Hybrid ?

Faminto e com outra boca para alimentar, Jin pegava dois potinhos de Nuddles e os colocava na pequena cesta. Se dirigiu ao caixa, pagou o jantar e saiu em direção à porta automática.


Namjoon estava em casa, reclamando de fome como uma criança. Teria que voltar rápido, ou era capaz de seu namorado botar fogo no apartamento e acabarem morando debaixo da ponte. 


Saiu do mercadinho um pouco apressado, já estava noite e tentava ao máximo não ser assaltado.


Enquanto caminhava com passos largos e rápidos, em alerta, chamou a atenção alguns homens em um beco. Estavam em rodinha e chutavam algo que estava caido no chão. 


Arrepiou dos pés a cabeça, escutava grunhidos de dor.


- Parem... Ah... - a voz pedia falhamente, o mandavam calar a boca e continuavam agredindo-o.


Estava escuro. Mesmo sendo arriscado, pegou do bolso seu celular, e acendeu a lanterna na cara dos filhos da puta... Cof Cof, os garotos.


- Hey, o que pensam que estão fazendo ? - ao ver as faces dos individuos, constatou ser olescentes delinquentes, que já corriam afobados e pulavam a grade do pequeno corredor urbano, gritando e rindo com seus comentários ridículos, como "Ih, alá, um protetor dos animais. Vam'bora antes que chame o IBAMA". 


Jin bufou e movimentou a cabeça em reprovação. Se fosse algum filho dele, iria espancá-lo até aprender como se trata uma pessoa, ou até que lhe arrancasse inteiro seu couro. 


Correu até o lugar que antes estavam os marginais em formação, e se deparou com a cena terrível.


Um garoto, encolhido no canto entre a parede e uma caçamba de lixo. Seus braços e pernas haviam muitos hematomas de chutes e socos, sua boca trêmula tinha um corte que sangrava, assim como seu nariz. Suas orelhas brancas balançavam tremendo, como o resto de seu corpo. Sentia frio e dor.


Outro híbrido. 


Estava horrorizado. Porque tratam os pobres híbridos como se fossem nada ? Eles são seres, mesmo que não-humanos. Sentem dor, sofrimento, angústia, humilhação. Maldita seja a pessoa que inventou essa palhaçada de querer comercializá-los. Esta destruindo a sociedade. E a mesma não faz nada. Apenas conformam e se calam. Acham até proveitoso. Não são escravos, muito menos animais de rincha ou uma máquina para fazer sexo. Se não estivesse preocupado demais com o novo garoto machucado, estaria com um tremendo ódio. Poderia socar a cara da primeira pessoa que passasse na rua. Mas a primeira que viu já estava bastante debilitada.


Jin agachou na frente do menino-gato, como Suga, com olhos atentos em si e em seus movimentos. Estendeu-lhe a mão, o outro se assustou e se encolheu. Quase entrara pela parede. Jin lhe lançou um sorriso amigável, tentando lhe passar confiança.


- Vem... Não vou machucar você. Consegue levantar ? - encarou a mão ainda estendida. Resolveu dar uma chance ao belo homem de cabelos rosa. Era diferente, como ele, que tinha fios brancos, igual a gente idosa.


Ainda um pouco desconfiado, lhe cedeu a sua mão. Cambaleou, fazendo menção de cair, mas o mais alto o segurou pelas costas e o manteve em pé. Tirou seu casaco e o colocou nos ombros do menor.


- Consegue subir nas minhas costas ? - virou se de costas para o pequeno que ainda tentava se apoiar nele, e abaixou até sua altura para que ele pudesse subir, com dificuldade - Vou te levar para casa.


- Não quero ir para minha casa... - disse com a voz embargada, desacreditando por um momento que ele iria o deixar, até por que, não havia mais casa para onde ir.


- Mas eu não disse sua casa... Vamos para a minha - sorriu para o pequeno sobre os ombros, e o outro lhe abraçou mais forte.


Namjoon estava em uma eterna briga com o controle remoto. Apertava a força que fosse para mudar de canal, mas não funcionava. Já era a segunda vez que quebrava o controle, e nem sabia como. Largou o controle, se contentando apenas em assistir um documentário sobre lontras.


Ouviu o som da maçaneta girando e Jin entrando tirando seus sapatos.


- Princesa, já comprou a comida ? Tô com fome - disse entediado apoiando uma mão em sua bochecha.


- Hey, deixa de ser preguiçoso. Tem mais gente em casa - percebeu uma risada gostosa pelo comentário, e logo se sentou virando para trás, vendo um menino de bochechonas e cabelos brancos descendo das costas da omma. 


- Quem é, Jin ? - perguntou curioso, se assustando quando o menor andou até si pela sala, o fitando bem de perto, e cheirando seus cabelos. Garoto estranho.


- Oi. 


- Oi ?


- Kunpimook Bhuwakul - falou tão rápido e estranho que Namjoon fez uma cara de orifício anal.


- O que ? 


- Meu nome.


Namjoon soltou um ah, mesmo ainda sem entender uma letra do que disse. Kunpimook é a sua mãe.


- Não sou coreano, se vocês perceberam. Sou tailandês. - disse orgulhoso. Jin e Namjoon se entreolharam. Jin segurava o riso da cara estranha que o castanho fazia. Ele não tinha dito uma palavra se quer com Jin no caminho pra casa.


Antes que o tagarela pudesse falar mais algo, Jin disse que o daria um banho e cuidaria dos machucados, e ele foi. Sem problemas. A não ser a falação toda do gatinho branco. 


Ele contou que fugiu de casa, por que seu padrasto o batia. Sua "mãe" havia se mudado para a Coréia, por que ela gostava muito do país, e o levou consigo. Disse que voar de avião era muito estranho, as pessoas que viam eram miudinhas, logo as casas também ficavam pequenas, e depois, só conseguia ver o Sol e as nuvens embaixo. Teve que aprender por conta própria o coreano, por que a senhora não parava em casa, e não gostava dele, o fazia de empregado, cortando a grama, cozinhando, lavando as louças e limpando o chão, o banheiro, até o porão e o sótão. Se não fizesse, iria apanhar de chinela na bunda, ela dizia. E isso, todos dias. Mas que gostava de fazer tudo aquilo, só ficava cansado no final do dia. Não estudava. Pegava livros da biblioteca perto de casa para ler e estudar. Blá blá blá...


Jin estava impressionado com o tanto que ele falava, calmo, tranquilo. Isso tudo, apenas em... 15 minutos de banho. E mais 5 ou 6 desinfetando os ferimentos e enfaixando alguns lugares. 


- Está com fome ? - enquanto preparava uma omelete na frigideira, perguntou se virando para o sei-lá-como-é-o-nome, que estava junto com o Seok em pé, desde que entraram na cozinha.


- Estou sim... Hã... Como é seu nome ? 


- Jin. Kim SeokJin. Mas pode me chamar de omma, se quiser - sorriu doce para o menino, bagunçando seus cabelos. Embora não seja realmente, ele parecia uma criança.


- Né, omma... E aquele estranho ali na sala ? Qual é o nome dele ? É seu namorado né ? - sussurrou para que somente Jin pudesse ouvir, o fazendo corar - Eu vi como ele olha pra você, é apaixonadinho - disse brincando com a voz, se balançando com os pés e os quadris pra frente e para frás de modo infantil - Ele tem cara de safado.


- O Namjoon n-não é... Safado - ficou vermelho igual à um pimentão.


- Ta bom, então - sorriu inocente.


Andou até a sala e se deitou na frente de Namjoon, no chão, olhando para ele, com o mesmo sorriso bobo nos lábios.


- Você gosta dele, né ?


- Sim... Muito. Por que ? 


Sorriu o mais adorável possível.


- Ele gosta de você.


- Eu sei - riu soprado, convencido.


- Ele ficou vermelho quando eu falei que você era safado. 


- EU TO OUVINDO, HEIN ? - Jin se pronunciou da cozinha - Venham que já está pronto.


Os dois se levantaram e andaram, o menino atrás de Namjoon, em fila indiana. Sentaram-se. Jin e Namjoon com o macarrão instantâneo de microondas, e para o híbrido, duas omeletes com bacon. Namjoom fez carinha emburrada. Queria omeletes também, mas não disse nada. O menino híbrido, falando até demais.


Percebeu que Namjoon estava de olho em seu prato, ofereceu-o metade de sua comida, agradecendo e elogiando a comida do omma, mas que já estava satisfeito. 


Ao que terminaram, o garoto se voluntariou para recolher a mesa e lavar a louça. Afinal, gostava de fazer coisas domésticas. Assim que terminou, enxugou as mãos, tirou o avental, andou até a sala. Os hyungs estavam assistindo TV, abraçados com cobertas. O gatinho fica parado por alguns segundos, planejando onde iria ficar.


De repente, o menor se joga no chão igual a um pudim molenga e fica imóvel, assustando todo mundo. 


Logo ele se vira de barriga para cima, ele está bem. Menino louco. 


- Ahn... Não quer deitar aqui debaixo das cobertas ? - Namjoom lhe perguntou, recebendo o olhar de Jin surpreso. Lógico que estava fazendo o outro se sentir em casa, mesmo ele sendo meio... Sei lá, não muito bem das ideias.


- Quero - sorriu e levantou-se. Jin levantou a coberta para que pudesse se aconchegar melhor. O menino se aninhou em Jin e grudou os olhos na TV. 


Sorte que Jin já estava preparado para uma situação dessas. Comprou um controle reserva, e o escondeu do castanho.


Toc, toc.


- Quem é ? - Namjoon pergunta se virando para a porta.


- Hoseok. Abre aí, pô - o que Jung Hoseok está fazendo a essa hora da noite na casa dos Kim ? 


A porta foi aberta, e Hoseok se depara com um baixinho de orelhas branquinhas e peludas, cauda gordinha balançando pacientemente, olhar questionador. 


- Entra - disse sorrindo para o mais alto, que estava sem entender. Cedeu passagem e logo o ruivo entrou. 


- Jin... Quem é o gatinho ?


Ouviu uma voz emburrada atrás de si - Não sou um gatinho. Gatinhos são fofinhos e cuti-cuti. Eu sou um animal muito selvagem. - mas o jeito como falara, de modo infantil, alegava que não era bem assim não. Depois soltou um rugidinho, fazendo todos caírem nas gargalhadas.


- Tudo bem, criança selvagem. - Jin fez um cafuné na orelha do animal super perigoso, e ele, cedendo a sua natureza selvagem, ronronou. Quando percebeu o que fizera, ficou vermelho. Mas Jin já havia tirado sua mão, e seguido para a cozinha, junto com Hope. 


Namjoon continuou na sala. O gato se e sentou ao lado de Namjoon, grudando nele. O castanho começou a reparar em seus cabelos branquinhos. Como um personagem de um desenho.


- Podemos te chamar de BamBam.


- Por que ? - levantou o olhar questionando-o.


- Você tem o cabelo branco, igual a um personagem de desenho...


- Os Flingstones, né ? 


- Sim, isso... E porque não vou te chamar desse nome que tu falou aí, não. É complicado pra caralho. - foi repreendido com um "Não fale palavrão pra a criança, Joonie" e revirou os olhos. A criança riu.


- Hm... - parceceu pensar um pouco - Gostei. BamBam.


- Okay, então. BamBam.


Na cozinha, Jin e Hoseok conversavam sobre o que o ruivo queria planejar.


Hobi havia deixado o pobre Yoongi em casa sozinho, dormindo, rezando para que não acorde, perceba que ele não está lá e comece a dar um troço.


- Então, como o Yoongi não tem uma data de aniversário, ou a gente não sabe, vamos fazer uma surpresa pra ele - Jin concordou animado, já pensando no sabor do bolo que iria fazer, e nos salgadinhos que teria que comprar.


- Quem é Yoongi, moço-hyung ? - BamBam apareceu do nada na cozinha, por ver a conversa. Falou em doces e festinha, ele já está lá.


- Meu gatinho... Hã... 


- BamBam, me chame de BamBam - com certeza a ideia saíra de Kim Namjoon, Jin já o conhecia. Colocava apelidos em todo mundo - Ele é como eu ? 


- É sim. Você vai adorar ele, quando o conhecer - BamBam deu de ombros, murmurando um "acho que sim". Talvez, ou não...


Organizariam a festa amanhã. Hoseok daria um jeito de tirar Suga de casa, enquanto os outros três preparavam tudo. Tudo bem.


Hoseok se despediu apressado, e saiu em disparada para casa. Jin trancou a porta. 


Voltou a sala, vendo os dois preguiçosos abraçadinhos, BamBam dormindo com a cabeça no ombro e os braços em volta de Namjoon, e o braço do moreno em volta dele. Coisa mais fofa. Jin resolveu tirar uma foto, definindo como papel de parede.


- Hey, não vai pra cama ? - sussurrou cutucando o Kim. O mesmo fez uma cara contorcida de sono e se levantou, tomando o devido cuidado para não acordar o pequeno.


- Aonde colocamos ele ? - fitou BamBam, de olhinhos fechados e a boca rosada entreaberta, suspirando devagar. Ele era um fofo.


- Você se incomoda de ele dormir com a gente, amor ? - negou prontamente, com um sorriso cansado nos lábios. Fazia de tudo para que sua princesa fique feliz. Namjoon o pegou cuidadosamente no colo, e o carregou até o quarto, e Jin fechou a porta. 


O menino se encontrava no meio dos dois, como um filho que dorme com os pais quando tem medo de algo à noite. Os dois se deitaram, um em cada lado.


Namjoon pegou a mão de Jin, acariciando-a com o polegar. Olhou em seus olhos, murmurando um eu te amo silencioso, recebendo a mesma frase como resposta, e um sorriso tranquilo brotou dos lábios cheinhos do rosado, antes do mesmo pegar no sono.


Seu marido já dormindo, afastou uma mecha rosa de seu rosto, lhe dando um suave beijo na testa, admirando o quanto era lindo, e o quanto ele era sortudo por ter alguém como ele. 


Era não. É. 


Se pegou imaginando-o como seria bom, mais uma pessoa que fizesse parte de suas vidas, uma que os dois iriam cuidar, juntos. Encarou os cabelos brancos ao seu lado, que tinha o dedo na boca. 


Bem, não precisaria procurar muito.




Notas Finais


ÊEEEEEEEE CHEGOU. O DIVO DOS MEMES BAMBAM :V
UI, MDS
SOCORRO
TA RESPIRA.

GEEEENTEEE QUERO AGRADECER MTMTMT AOS 900 VIEWS, (n sei quantos) MUITOS FAVS E OS COMENTARIOS E TUDO MAIS, EU RI MT LENDO CADA UM DELES (DESCULPEM O CAPS) 💕💕💕💕💕
Eu n imaginava que minha primeira fanfic chegaria a esse tanto, então obrigada a todo mundo 💕 amo vcs
Bjsss ~ já já tem mais, galera

PS: eu queria saber a opinião de vocês sobre um Especial de Natal, todo fofinho e tudo mais 😂💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...