História Segredo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Bela e a Fera
Tags Bela, fera, Hentai
Exibições 136
Palavras 2.963
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OE OE OE. ( Pq eu sempre faço isso?) Eu sei que minha fã predileta ta parada maaaaaaaaaaaaaaaaaais para compensar eu fiz essa One que eu acho que TODO mundo já imaginou isso pelo menos 1 vez na vida :D Obrigada de nada.

Capítulo 1 - One-Shot


Continuei caminhando levemente nervosa pelo estranho sonho,talvez eu deva ler um pouco... Suspirei passando a mão nos cabelos, agora soltos, eu estava com um vestido curto quase perto dos joelhos, ele era amarelo... Minha cor favorita, eu usava também uma manta para cobrir as pernas e braços.

-Bela? - Uma voz calma e rouca me assustou fazendo eu dar um pulo para trás.

-Desculpe,não quis te assustar. - Saindo da escuridão dando passos lentos,aquele meio homem meio lobo me olhava curioso e preocupado, ele tinha uns dois metros de altura, era bem peludo, no fundo eu tinha vontade de abraça-lo e não solta-lo nunca mais,me afundar naquele pelo macio... 

-Algum problema? - Ele chamou minha atenção e eu pisquei algumas vezes sentindo as bochechas queimarem, olhei os olhos grandes e azuis.

-Não consigo dormir... - Eu admirava como ele tentava ter sempre uma pose ereta, como um homem elegante.

-Como vai seu braço? 

-Melhor, obrigado... - Ele era sempre tão tímido? 

-Gostou da biblioteca?

-Sim! - Falei entusiasmada logo esquecendo o vento frio.

-E tão... Viva,cheia de livros... - Ele abriu um pequeno sorriso,era engraçado quando ele tentava sorrir mais, parecia um leão com muitos dentes, soltei um risinho baixo.

-E... Bem... Amanha... E inverno. - Ele coçou a nuca.

-E então? 

-Esqueça. - Ficamos em silêncio. 

-Está com frio? - Antes que eu responda ele bruscamente jogou sua capa vermelha sobre os meus ombros, ele corou ao ver as minhas pernas descobertas.

-Fera... - Nós dois começaram a andar pelo corredor e ele pegou um castiçal.

-Hm?

-Você vive aqui a quanto tempo? 

-A vida toda. - Respondeu curto e grosso.

-Você gosta?

-Não. - Essa rispidez dele me deixava desconfortável e incomodada, decidi não perguntar o por que.

-Você não sente frio? - Perguntei depois de alguns minutos de silêncio, ele estava usando apenas calças.

-Eu tenho... Pelos... Para me aquecer. - Ele disse pausadamente, constrangido. 

-Eu já andei por toda a casa mas... Nunca vi seu quarto. - Inocentemente eu disse.

-Gostaria de ver?

-Adoraria. 

-Siga-me. 

Assim andamos em silêncio,viramos a esquerda seguindo pelo corredor e logo parando de frente a uma porta longa e dourada,ele abriu a porta me dando passagem para entrar e eu adentrei no lugar,escuro,apenas iluminado por velas dando o lugar um aspecto calmo,ate meio romântico. 

-Que cama grande! - Exclamei e ele segurou a risada deixando o ar sair mais rápido pelas narinas. Ele moveu a grande mão em um gesto educado para que eu me sentasse e assim eu fiz,era meio estranho estarmos sozinhos em um quarto escuro...

-E melhor voltar para seu quarto... Está fazendo muito frio hoje. - Eu olhei curiosamente para a montanha de cobertas bagunçadas em sua enorme e bela cama.

-Aqui parece estar mais quente. - Ele engoliu seco e corou, eu não entendia o seu nervosismo... Ele se aproximou lentamente e calmamente se sentou ao meu lado fazendo a cama afundar um pouco pelo seu peso.

-Você e tão inocente assim? - Ele perguntou carinhosamente,isso era novo e curioso, ele me parecia ser bipolar... As vezes estava bravo,outra hora quieto olhando a janela, admirando a chuva cair... Tinha algo que me fazia querer desvendar os mistérios desse meio homem meio fera. Ele percebendo meu silêncio ergueu a enorme mão acariciando meu rosto contornando-o delicadamente.

-Bela... 

-Sim? - Os grandes olhos azuis,agora estavam brilhantes, eu me perguntava o que seria aquela pontinha nós seus olhos, havia algo amais do que carinho? Eu mexi o traseiro na direção dele, sentando mais perto do mesmo que corou violentamente.

-Não é certo.

-O que não é certo? - Ele piscou,parecia pensar o que era errado naqueles simples toques,ele acariciava meu rosto e eu fazia o mesmo com os pelos do seu peito,ele estava tão quente... Tão estranhamente quente... Eu continuei contornando os dedos no seu peitoral enrolando e desenrolando alguns fios, havia nele que me atraia fisicamente,o seu corpo tão bem cuidado, ele tinha pelos extremamente macios,eu poderia abraça-lo o dia inteiro... 

Ele sentindo que eu o analisava virou a cabeça mirando os olhos na janela,ainda estava chovendo e ainda podia-se ouvir muitos raios, mas agora não importava muito. Era só eu e ele,nada importava.

Eu gentilmente pois uma mão em seu rosto virando-o para que ele me olhe e o mesmo voltou a fixar as lindas esferas azuis nos meus olho.

-Você me ama? - Perguntou baixo, calmo. 

-Não importa.

Eu sorri fraco me aproximando e... Lentamente... Eu pressionei meus pequenos lábios nós dele... Eu sentia os caninos dele roçando na minha boca, seus lábios eram macios, suaves... Eu me sentia no céu, deitada em uma nuvem lendo meu livro predileto. Eu tentava imaginar o que ele estaria pensando agora... O mesmo, sempre lento temendo me machucar, delicadamente enlaçando seus braços grandes em volta da minha pequena cintura puxando-me para perto de si, com aquele beijo ele tentava mostrar o quanto se importava comigo,o quanto me manteria a salvo de tudo e todos,naquele beijo eu sorria ao lembrar quando ele me salvou dos lobos...

Eu lembro quando tive que cuidar dele,ele gritou comigo fazendo meu cabelo voar irritado por seu braço doer, naquela hora eu estava irritada com sua teimosia e infantilidade. Agora eu levava como uma doce lembrança, timidamente e curiosa, eu aproximei minha língua dos seus lábios e o mesmo pareceu ficar mais nervoso do que o normal, entreabrindo os lábios me dando passagem, nosso beijo cada vez esquentava mais os nossos sentimentos um pelo outro... Mas... Não era o suficiente, eu sabia que para ama-lo eu tinha que confiar no meu coração, eu não queria magoa-lo... Isso me fez parar.

-Fera eu...

-Shii... Não diga nada. - Colocando uma mão no meu rosto carinhosamente, ele estava tão... Radiante.

-Eu tenho que lhe contar...

-Eu sei. Eu fico feliz com o pedacinho de afeto e carinho que tens por mim, posso faze-la me amar... Eu... - Ele parou de falar constrangido.

-Você...?

-Não importa. - Ele disse o mesmo que eu a minutos atrás,sorrindo puxando meu queixo,ele sempre tinha essa delicadeza... Esse medo de me machucar sem querer,me beijando novamente,uma mão dele apertava com firmeza minha cintura e a outra em minha nuca a qual ele acariciava,eu não queria ser ousada... Eu estava morrendo de vergonha!

Eu mantive as mãos apoiadas no seu peito, ele ficava curvado para me beijar por conta do seu tamanho, ele me ergueu nós seus braços me fazendo ficar de joelhos na cama o que fez ele erguer a cabeça para continuar a beijar-me. Separando os lábios dos meus,eu entendi aquela pontinha nós seus olhos... Ele estava me desejando, mas era tímido demais para falar isto... E eu era inocente demais para entender esse sentimento que crescia e cada vez aumentava com seus beijos quentes e doces.

-Bela... Vá para o seu quarto. - Ele tentou ser firme mais sua voz saiu mais rouca e mais suave do que o normal.

-Por que?

-E-Eu... N-Não... Não posso... 

-Não pode...? - Ele se calou e me olhou profundamente.

-Não vou poder me segurar por muito tempo, você sabe... Meus nervos são diferentes do que um homem normal. 

-Quer dizer que... Você é como um cachorro no cio? - Eu tentei brincar rindo baixinho o que fez ele fazer aquela carinha emburrada de criança mais logo abrir um sorriso. 

-Eu sou uma Fera,você é... Pequena,frágil... 

-Eu não ligo. - Falei com firmeza,eu queria que ele me mostrasse esses sentimentos, esses toques que nem em livros eu tive conhecimento. Ele me olhou seriamente.

-Vá para o seu quarto.

-Não.

-Bela... Vá. - Ele tentou puxar o seu lado duro e frio o que não deu certo,eu queria mudar isto nele... O beijei novamente,com mais confiança, tentei transmitir todo carinho que eu tenho por ele, e ele se desmanchou... Apertou-me nós seus braços e me deitou em sua cama,eu senti um leve medo.

-Você pediu. - Ele sussurrou perto ao meu ouvido é um som estranho saiu da minha garganta,ele pareceu gostar... Parando de beijar meus lábios ele mudou sua direção para a minha testa, bochecha,pescoço... Oh... O pescoço... Ele dava chupões pelo meu pescoço e suas mãos sempre na minha cintura, ele era tão respeitoso... Eu queria que ele me beijasse mais, me tocasse mais... Um estranho fogo se formava abaixo do meu ventre,que sentimento delicioso e tão... Tão doloroso era este? Eu queria que Fera beijasse todo o meu corpo! Oh, o que estou a pensar?! Onde está a menina pura e inocente que lia livros, que era taxada de estranha na vila? Que ia se guardar no dia de seu casamento? Eu não sabia mais quem eu era! Mais eu o desejava!

-Pare... - A voz dele soou aos meus ouvidos como sinos.

-Não pense em absolutamente nada,só sinta... - Ele sussurrava ao meu ouvido mordiscando o lóbulo da minha orelha com seus dentes afiados, eu sentia um pequeno medo mas gostava daquilo, eu gostava das mordidas dele no meu pescoço.

-Bela... Eu vou tirar... Seu vestido... - Eu gemi como se implorasse,me toque! Me morda! 

Ele levando meu gemido como resposta, começou a desfazer com as unhas pontudas o laço de meu corpete, tirando-o por fim, seus olhos queimavam... 

Enquanto ele trabalhava em meu vestido eu acariciava seu rosto cravando as unhas,claro que sem machuca-lo, em seus pelos. Delicadamente ele ergueu meus braços por alguns meros segundos, me despindo dos meus quadris para cima, eu só estava com uma fina camada de roupa, seria o meu sutiã amarelo, eu estava extremamente corada... 

Aqueles olhos grandes,azuis e brilhantes que queimavam como o inferno. Ele ficou ali me olhando como se pedisse permissão e eu anui e assim ele abaixou a cabeça tocando meus seios rijos com timidez e curiosidade, e no momento seguinte como se fosse um homem sedento por água, ele abocanhou um dos meus seios chupando-os, sugando-os, eu soltava gritinhos excitada, empolgada, feliz...

Eu não entendia o misto de sensações e emoções que eu estava sentindo agora, eu sentia um estranho formigamento entra as minhas pernas, parecia prestes a explodir de tão quente... Meu rosto estava corado,eu nunca havia ficado despida diante de outra pessoa antes. 

Ele durante segundos me olhava fixamente enquanto passava a língua em movimentos circulares em meus mamilos,eu me desmanchava em seus braços, estava totalmente entregue a ele, sentia-me amada e desejada, sentia-me tocada como nunca fui tocada antes. Ele deslizou as mãos para o meu vestido e eu o segurei impedindo-o, eu estava tão envergonhada...

-Eu quero,eu preciso ver mais... - Ele gemeu pressionando os quadris nós meus,ambos gememos juntos.

-Entende? 

-S-Sim... - Assoprei constrangida, ele gentilmente tentou abaixar novamente meu vestido e eu disse rapidamente.

-Assim não está bom? Ate o umbigo... 

-Oh... É um lindo umbigo... Mas eu preciso ver... O resto... - Ele corou, como fica adorável vermelho... 

-Posso? - Engolindo algo em seco, eu permiti e assim ele puxou o resto do vestido para baixo ate os meus joelhos.

-Vê? Não dói nada ficar nu... - Eu sorri mais tranquila assim como ele.

-Posso lhe beijar? - Ele ficou tímido de repente.

-Sim. 

Ele sorriu e grudou os lábios nos meus carinhosamente, ele entrelaçou a língua quente e molhada junto a minha, suas mãos percorriam pelo meu corpo e agora pelas minhas coxas, apertando-as de leve... Em um único movimento ele puxou minhas pernas grudando-as no seu quadril e novamente gememos juntos.

-Fe-Fera... - Fechei os olhos apreciando seus beijos no meu pescoço, braços a qual ele tinha questão de deixar marcas roxas, descia cada vez mais os beijos para meus seios a qual apreciava aperta-los, para minha barriga distribuindo beijos dos meus seios ate quase perto de minha virilidade, como uma tortura. 

-E-Eu... Preciso... - Ergueu a cabeça parando me dando atenção.

-Eu... Preciso... De algo. - Não sabia dizer o que eu queria, eu só queria desesperadamente! 

-Ainda não. - Ele sorriu malicioso,era um sorriso diferente de todos que eu já havia visto, havia desejo e travessura ali... Apertando firmemente minha cintura ele pediu que eu fechasse os olhos e assim fiz confiando completamente nele, as mãos dele deslizaram da minha cintura ate as pernas e seus lábios foram deixando beijos pelas minhas coxas, ele deixava sua língua entre os dentes passeando pelos cantos quase chegando a minha intimidade que pulsava e queimava, eu queria tanto que ele me beijasse daquela forma pecaminosa e errada! Oh, era tudo errado,tudo tão errado... Tudo tão excitante. 

-Bela... - Ele gemeu entre dentes,rosnando como um animal, abriu minhas pernas e eu me sentia estranha naquela posição, com os polegares ele começou a tocar nós lábios de minha intimidade massageando-os movendo-os para cima e para baixo,eu estava molhada! Com o polegar esquerdo tocou mais fundo ameaçando me penetrar daquele jeito.

-Por favor... - Disse entre gemidos.

-O que você quer, Bela? - Falou com aquela voz deliciosamente rouca.

-M-Me beije... 

-Aqui? - Novamente ameaçou entrar um dedo e eu sentia as bochechas ficarem rubras.

-Por favor...! - Eu senti que ele sorriu satisfeito por ter me feito implorar e assim eu sentia sua língua lambendo e sugando a glande de minha virilidade, eu gritava, gemia, mexia os quadris como se pedisse mais, eu sentia algo cada vez se ascender dentro de mim, e quando aquele sentimento quente ameaçava explodir ele parava me deixando frustrada e nervosa, sua língua explorava cada cantinho do meu... Botão, fazendo movimentos circulares hora usando as mãos para me proporcionar cada vez mais prazer,apertava minhas pernas com a mesma intensidade que eu fechava meus olhos com força... Fera parando de me torturar, entrou um dedo novamente me fazendo gritar pelo toque extremamente indecente, em segundos que pareceram horas, eu sentia as pernas tremulas e molengas e um líquido viscoso escorrer por elas.

-Abra os olhos. - Uma voz extremamente calma e suave pediu,realmente era Fera que disse isto? Abri os olhos sentindo-me completamente relaxada e em paz, seja o que ele fez comigo me deixou nas nuvens. Percebi que nesse meio tempo que eu recuperava o ar ele havia tirado as calças ficando completamente nu o que na mesma hora eu deixei os olhos caírem para o meio das suas pernas corando na mesma hora, eu era uma menina boba e envergonhada.

-Algum problema? - Ele perguntou ainda com aquela calma.

-Você é... Grande... E... Eu sou pequena.

-Prometo que não irá doer. - A sensação dos seus dedos dentro de mim não doía tanto,quase nada pois ele havia dedos... Gordinhos e pequenos, ele me deu um beijo que me fez pensar em mais nada, lentamente moveu os quadris me penetrando, queimava como uma faca e eu sentia os olhos lacrimejarem pelas sensações de dor e prazer ao mesmo tempo, ele parou assim que estava dentro de mim e ficou me observando secando algumas lágrimas que caíram, ficamos assim por alguns minutos e eu sentia meu útero se alargando conforme o tamanho de seu membro.

-Bela... - Abri os olhos que estavam fechados desde então e observei as esferas azuis, parecia que o mundo parou naquele instante.

-Disse que não ia doer.

-Eu menti.

-Vamos ficar com sono amanha...

-Eu sei. - Sorrimos um para o outro e ele bem devagar começou a se mover, ele acariciava meu rosto contornando-o, sussurrava o quanto me amava e me achava linda,dizia coisas desconexas enquanto se movia lentamente e as vezes dando estocadas profundas que me faziam gritar e ele mudar de posição me abraçando por trás segurando uma de minhas pernas erguendo-a aprofundando cada vez mais, oh... Tudo era tão mágico e tão perfeito.

Minutos que ficamos nesse ritmo ele se derramou dentro de mim rugindo alto trincando os dentes e apertando um dos meus seios fortemente, que deliciosa sensação ter ele dentro de mim! Gemendo, gritando meu nome... Acariciando-me, dizendo que me ama! Ele continuou nesse ritmo ate que eu chegue no meu suposto clímax e assim ambos ficamos satisfeitos e felizes um com o outro, ele desabou do meu lado ofegando assim como eu, ficamos em silêncio por longos minutos,a própria tempestade havia acabado a horas atrás...

-Bela.

-Fera.

-Quer... Me fazer companhia amanha? Vai nevar e seria agradável que fosse comigo. 

-Eu vou gostar muito. - Nós ficamos encarando o teto enquanto dialogávamos,havia uma sensação agradável e ao mesmo tempo estranha. 

-Você precisa dormir... - Ele sugeriu e eu me virei me aproximando dele encostando a cabeça no seu ombro, ele ergueu as costas por alguns momentos puxando a coberta para perto me cobrindo primeiro e depois a si mesmo,se virou me olhando e sorriu dando um beijo na minha testa.

-Durma bem.

-Igualmente. - Sorri e o sono foi me embalando aos poucos e nenhum de nós soube quem dormiu primeiro.

 

O amigável relógio Cogsworth foi acordar Bela para o café da manha e depois acordar seu patrão, bateu na porta de não ouve resposta então abriu a porta lentamente.

-Senhorita? - Entrou no quarto e viu o mesmo vazio estranhou mais logo um receio veio na cabeça pensando que Bela fugiu, assim foi avisar os outros.

-Como assim sumiu? - A senhora que era um Bule perguntou aflita.

-O quarto está escuro e vazio e...

-Bom dia. - Uma voz feminina e sonora os cumprimentou e todos olharam espantados para a figura feminina e bem vestida.

-M-M-Mas... - O relógio gaguejou confuso e Lumiere riu dele com seu sotaque francês.

-Oh meu amigo ela devia estar no banheiro.

-Eu mesma fui acordar Fera. - Assim que disse a criatura alta e cheia de pelos aparece ao lado dela, ele estava vestido com as calças pretas e uma camisa branca aberta no peito. 

-Bom dia. - Óbvio que os criados desconfiaram o fato do patrão estar de bom humor, Bela e Fera deram um olhar cúmplices sorriram e riram um para o outro indo na direção da mesa de jantar.
 


Notas Finais


#ChupameuovoCaroline

HDUASHDUSAH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...