História Segredo Oculto - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 58
Palavras 946
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Escolar, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ai MDS, eu surtei ao escrever esse cap., acho que vcs vão surtar tmb. Em breve terá HOT, fiquem de olho. ~by:ADIFERENTONA~
Boa leitura, esperamos que gostem! ~by:2EM1~

Capítulo 31 - "O que aconteceu?"


Taksumi P.O.V’s

 

                Consigo acertar alguns golpes em Jisoo, mas ela é muito forte, mais do que o normal... Todo o golpe que eu a acerto ela se recupera rapidamente e parte para cima de mim, como se nada tivesse acontecido. Vejo que com Jun não é diferente, Jennie está a nocauteando com tudo e parece que os socos que leva não fazem efeito sobre ela. Vejo Jun levar um chute na barriga, a mesma se ajoelha no chão, gemendo de dor.

                  -Namjoon! Tire-a daqui. - Consigo dizer antes de ser socada por Jisoo

                   Vejo ele se aproximar dela e a segurar pelos braços, impedindo-a de continuar brigando.

                 -Eu ainda consigo brigar! -Ela grita, tentando se soltar dele.

                -Não perguntei, vamos. -Ele responde grosseiramente, puxando-a para fora da cantina.

                Continuo brigando com Jisoo, até que minha visão embaça, minha cabeça pesa, minhas mãos começam a formigar e minhas pálpebras tornam-se pesadas. Não vejo nada que está acontecendo, apenas sinto o chão frio de mármore tocar minha pele. Ainda sinto golpes de Jisoo sobre mim, mas estou incapacitada de fazer algo a respeito. Estou fraca, não consigo levantar, não consigo corresponder aos socos e chutes dela.

                Coloco minha mão em cima da cabeça para protege-la de ser espancada, mas não sinto mais os golpes de Jisoo. Antes de apagar por completo, vejo um par de pernas se aproximar de mim e me sacudir, falando algo que eu não consigo decifrar por conta da tontura. Não consigo ver o rosto. Depois disso, simplesmente apago involuntariamente.

 

                                                                     ***

            Acordo lentamente, com dores pelo corpo inteiro. Me sinto tão cansada, que minhas pálpebras parecem implorar para que eu as feche novamente, mas luto contra a vontade. Percebo que estou enrolada em um cobertor, deitada em uma cama, estou em um quarto parecido com o meu, mas o estilo é mais masculinizado, é maior e só há uma cama. Vejo a porta ser escancarada com força, aparecendo uma figura na qual eu não esperava ver.

                -JungKook?! O que você está fazendo aqui? Onde eu estou? O que aconteceu?

                O mesmo se aproxima de mim e observa cautelosamente meu corpo, parando em cada hematoma ou ferida que há.

                -Eu que pergunto. O que aconteceu? Porque estava brigando com Jisoo? Você é louca?! Sabe o que poderia ter acontecido se eu não tivesse aparecido?! – Ele está... preocupado?!

                -Onde eu estou? –Ignoro suas perguntas tentando mudar de assunto.

              -No meu quarto. Não podia te leva à enfermaria, se a enfermeira te visse assim iria relatar tudo à diretora. Poderia ser expulsa.

                -Então o que? Me trouxe aqui para me estuprar?

                -“Obrigado JungKook, por me salvar, você é meu herói” – Faz uma voz fina, na tentativa me imitar. –De nada Sumi, não tem o que agradecer. – Reviro os olhos irritada com a atitude. –Se quisesse lhe estuprar não seria mais inteligente fazer isso com você desacordada?

                -Como posso saber que não fez isso?

                -Não teria graça transar com você desacordada. –Ele olha para mim com um olhar malicioso, e se aproxima lentamente de mim, como se fosse um predador e eu a presa. Ele sobe em cima da cama e aproxima sua boca de meu ouvido. –Quero que quando fizermos isso, você gema meu nome, gritando, desesperada por mais, mostrando a todo mundo que é minha, e que me quer. –Sussurra em meu ouvido, fazendo com que meu corpo arrepie por completo.

                Meu corpo pede para senti-lo, para toca-lo, para tê-lo, mas não posso ceder à esse desejo. Não com ele. Desvio meu olhar dele e foco em sua escrivaninha, não consigo encara-lo depois dessa.

                -Onde está Jun? –Tento mudar de assunto.

                -Namjoon a levou, mas não vi aonde foram. –Diz ele, finalmente se afastando de mim.

                -Ok, vou procura-la. –Me levanto e me preparo para sair dali, mas o “meu herói do dia” se põem em minha frente, impedindo de que saia dali.

                -Você não vai a lugar algum. Não pode sair por aí com esses machucados. Vai dizer o que às pessoas? Que caiu da escada? Que esbarrou em um poste? Caiu da bicicleta?

                -Então qual o seu plano? –Ele tem razão. Não posso sair daqui parecendo que fui à um clube de luta.

                -Fique aqui até o sinal de recolher bater. Depois eu te ajudo à ir ao seu quarto.

                -Você planejou tudo aos mínimos detalhes, né?

                -Sim.

                -Que bom, mas eu não poso ficar aqui. –Tento sair novamente, mas ele me impede.

                -Esta com medo de ceder aos desejos do seu corpo? –não...talvez... –Não se preocupe, não transarei com você enquanto estiver assim. –Diz ele, me olhando com malícia.

                -Estou feia demais pra você?! Então pare de olhar pra mim e me deixe ir. – Fico irritada.

                -Ei, não foi isso o que eu quis dizer. –O olhar malicioso se foi, sendo substituído por um olhar de preocupação. –Só não quero ter restrições quando puder tocar em você.

                -Como pode dar em cima da namorada do seu melhor amigo?!

                -Eu vi você primeiro. Não é justo que ele fique com você.

                -Não acha que eu deveria escolher isso? –Sento na cama de braços cruzados, pronta para ter uma discussão com ele.

                -Sim, e sei que vai me escolher. Sei que me quer – Se aproxima de mim e põe uma de suas mãos em meu queixo, levantando meu rosto e forçando-me a olha-lo. –Sei que sei corpo está implorando por mim. Não intendo porque não cede a essa vontade. –Meu corpo se aquece, minhas bochechas ficam vermelhas, minhas mãos suam como nunca, mas não posso fazer isso com Jimin.

                JungKook tenta selar nossos lábios, mas antes que aconteça qualquer coisa, me levanto e saio correndo do quarto, batendo a porta com força e deixando-o sozinho.


Notas Finais


É só eu q to surtando aqui?! ~by:ADIFERENTONA~
Erros ou sugestões, escrevam nos comentários. Obrigada por lerem. Se gostaram, favoritem plss. ~by:2EM1~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...