História Segredos - 2Jae - Capítulo 52


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Colegial, Gay, Got7, Jaebum Youngjae, Jaejae, Magia, Mistério, Romance, Sobrenatural
Visualizações 301
Palavras 2.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olar, olha quem voltou
Desculpem o atraso, eu tô atolada de coisas pra fazer e ainda estou morrendo de enxaqueca
Enfim, beijinhos e boa leitura

Capítulo 52 - Decisões


Fanfic / Fanfiction Segredos - 2Jae - Capítulo 52 - Decisões

Youngjae não sabia como reagir aquilo, aquele caderno ele achava que tinha se perdido em meio a toda confusão que havia acontecido, mas agora estava ali em suas mãos, Eunbi havia guardado aquilo por todos aqueles anos a pedido de sua mãe, queria ler o diário, mas tinha medo do conteúdo que havia ali, tinha medo do que iria encontrar, queria mais do que nunca entender tudo o que havia acontecido, mas agora que tinha a chance, não sabia o que fazer.

Youngjae virou a noite acordado apenas olhando para o caderno a sua frente, não desceu para o café da manhã nem nada, sua mente estava uma bagunça que só piorava com o passar dos segundos, o garoto só saiu do transe que estava quando escutou a voz de Jaebum ecoar pelo quarto
-Sua mãe disse que você estava dormindo – falou – tanto que me pediu para que eu o acordasse
-Eu não dormi essa noite – falou olhando para o garoto que vinha em sua direção
-Por quê? – perguntou antes de ver um caderno nas mãos de Youngjae
-Por isso – o garoto falou levantando o objeto – esse é o caderno dela – falou sentindo as lágrimas quererem cair novamente – ela entregou para a Eunbi guardar no dia em que ela morreu, era pra eu receber quando fizesse 18 anos, mas a Eunbi me entregou isso ontem à noite, eu quero tanto ler isso, mas eu tenho medo do que eu vou encontrar aqui

O clima ficou pesado, Jaebum sentia seu coração apertado ao ver Youngjae daquela maneira, o garoto estava desanimado, não havia sorrisos ou gargalhadas escandalosas, conversas bobas ou somente o silêncio gostoso entre os dois, seu Youngjae estava perdido dentro de um mundo escuro, precisava fazer alguma coisa
-Vem – falou estendendo a mão para o garoto que não entendeu muita coisa, mas mesmo assim pegou a mão de Jaebum e seguiu o garoto até o banheiro do corredor – senta aqui enquanto eu ligo a água
-O que você está fazendo? – perguntou enquanto via o garoto regular a temperatura da água que caía na banheira
-Eu vou cuidar de você – falou calmo indo na direção do castanho, que continuava em pé no meio do banheiro
-Não pre... – começou a falar mais foi interrompido
-É claro que precisa – Jaebum falou depositando um beijo na testa do garoto

Jaebum tirou a blusa que Youngjae vestia e fez o garoto tirar a calça que usava, e agradeceu silenciosamente o garoto estar de cueca, e então o encaminhou até a banheira que já se encontrava cheia.

Naquele momento Jaebum não via maldade em nada, apenas cuidava do garoto como sentia que Youngjae merecia ser cuidado, no momento, seus atos no eram de mais puro amor e esperava conseguir transmitir aquilo ao castanho.

Quando o banho terminou, Jaebum deixou Youngjae sozinho no banheiro, para se secar e escovar os dentes e também deixou o castanho sozinho no quarto para se trocar, esperou Youngjae fazer tudo em seu tempo.
-Posso entrar? – perguntou batendo na porta do quarto
-Pode – escutou o mais novo responder
-Você quer dormir? – perguntou vendo o garoto se sentar na cama novamente – eu posso ir embora e volto mais tarde
-Não, – falou rápido – fica – pediu
-Está melhor?
-Um pouco, obrigado – sorriu – não precisava de tudo isso, hyung, no momento estou me sentindo em filme clichê americano, onde o homem cuida da... – foi interrompido novamente
-Onde o homem cuida do homem que ama – falou – eu faço isso e mais mil coisas por você – viu Youngjae sorrir aberto
-Quer saber um segredo? – perguntou e viu Jaebum afirmar com a cabeça – Eu também faria isso e mais mil coisas por você
-Você já comeu? – perguntou
-Não – Youngjae respondeu
-Então vem, vamos procurar algo para você comer

Youngjae se sentia um pouco melhor após toda aquela demonstração de afeto, só de ter Jaebum ao seu lado já o fazia se sentir melhor, mesmo que o relacionamento dos dois não fosse algo definido, se sentia sortudo por ter Jaebum junto a si
-Eu vou pedir para os garotos virem aqui amanhã de manhã – falou se jogando novamente na cama – eu preciso falar com eles sobre isso do "meu pai" – falou a última parte com desgosto
-Eles não sabem?
-Não, você é a primeira pessoa para quem conto tudo isso, a única coisa que eles sabem é que eu sou adotado
-Entendi
-Sabe – falou após algum tempo em silêncio – em algumas semanas vão se fazer 13 anos que tudo aconteceu, eu menti quando disse que nunca voltei a Mokpo após o ocorrido, todos os anos no dia 19 de setembro eu vou lá visitá-la no memorial, sempre vai eu, os Choi e os Kim, esse ano eu quero que você vá conosco
-Eu não vou atrapalhar?
-Não – sorriu – eu quero que ela lhe conheça e vice versa – sorriu um pouco – sabe, eu acho que ela gostaria de você, talvez até mais que os Choi
-Se ela deu à luz a alguém como você não restam dúvidas de que eu também gostaria dela
-Você vai? – perguntou com certa expectativa
-Irei falar com a minha mãe – respondeu

Os garotos passaram o resto da manhã naquele clima agradável, Youngjae já estava um tanto animado quando os pais chegaram na hora do almoço. Após comerem Jaebum conseguiu convencer o castanho de irem dar uma volta ali por perto e então voltariam pela casa do mais velho para falar com a mãe do garoto sobre o memorial.

Youngjae aproveitou o passeio, os garotos conversaram banalidades, tomaram sorvete e até mesmo arriscaram alguns carinhos em público, naquele momento não existia passado sombrio ou um futuro assustador, só existiam Youngjae e Jaebum, sendo dois adolescentes sem fardos a carregar.

A conversa com a mãe de Jaebum foi tranquila, o moreno ajudou a explicar boa parte da história, principalmente sobre a mãe de Youngjae ser uma guardiã, a senhora Im nunca imaginaria o que havia acabado de ouvir, mas mesmo que com um pé atrás liberou Jaebum para ir com Youngjae e os outros até Mokpo.

Quando voltou para casa Youngjae se sentia noventa por cento melhor do que quando começou o dia, mas se sentia cansado, não havia dormido nada nas últimas 24 horas, então apenas enviou uma mensagem rápida para os amigos avisando que no outro dia os queria na sua casa após o café da manhã, antes de dormir.

Após a saída de Youngjae, Jaebum teve novamente que explicar o que estava acontecendo para a mãe, pois a mulher ainda não acreditava no havia escutado mais cedo. A senhora Im sempre havia achado estranha a maneira que o castanho afetava o filho mas nunca imaginaria que era por causa que o garoto tinha sangue de um guardião em suas veias, mas mesmo assim ainda tinha uma peça que faltava para completar aquele quebra cabeças.

Mark estava com seu habitual mau humor matinal quando chegou na casa de Youngjae, estava de férias e não havia motivos para acordar com os pássaros, ao seu lado Jackson estava o extremo oposto de Mark, o chinês estava animado enquanto conversava com Bambam enquanto esperavam Jinyoung chegar, Youngjae se encontrava pensativo, tinha medo da reação dos garotos, tinha medo de que depois de descobrirem sobre seu pai os meninos passassem a sentir nojo de si.

Yugyeom e Jaebum estavam completamente sérios enquanto estudavam Youngjae, os dois garotos compartilhavam da mesma aflição, pois ambos já sabiam da história e sabiam que era difícil para Youngjae falar sobre aquele ocorrido, sabiam que precisariam interferir durante a conversa, pios viam que Youngjae não tinha estruturas para passar por tudo novamente aquela semana
-Certo – Mark começou – porque estamos aqui tão cedo?
-Eu preciso falar uma coisa – Youngjae falou baixo – é sobre meus pais
-Nós já sabemos que você é adotado – Jackson falou calmo
-Não é sobre os Choi – falou – é sobre meus pais biológicos
-Como assim? – Mark perguntou

E então Youngjae começou a explicar a história, omitindo, é claro, a história da sua mãe ser uma guardiã, como esperado não conseguiu falar muito então Yugyeom completou as lacunas deixas pelo castanho, os quatro garotos ouviam tudo completamente assustados, na cabeça de Jinyoung algumas peças se encaixavam, a história da mãe de Youngjae ser uma guardião com tudo que estava ouvindo ali e com o que havia escutado dias antes.

Após a conversa os garotos tentaram de tudo para aliviar o clima, mas parecia que uma nuvem negra havia se instalado no local, os garotos foram embora pouco antes dos pais de Youngjae chegar, deixando o castanho a sós com Jaebum.
-Acho que é um fardo a menos – comentou
-Você está bem com isso?
-Aliviado – sorriu – eles reagiram melhor do que eu imaginava
-Como você esperava que eles reagissem?
-Não sei, talvez ficassem com nojo, ou medo, afinal, eu sou filho de um assassino foragido
-Você sabe que ninguém nunca teria nojo de ti por isso, você é completamente o contrário daquele homem, se ele trouxe problemas, você é a solução, não se preocupe com isso, hm?

Youngjae não sabia descrever o que estava sentindo naquele momento, Jaebum sempre conseguia trazer paz a si, o garoto sempre tinha as palavras certas para lhe acalmar. Quando subiram após o almoço apenas ficaram quietos, absortos em seus próprios mundos.
-Bummie – chamou
-O que foi?
-Eu tô com medo – falou
-Do que? – perguntou se virando para Youngjae
-Do que eu vou encontrar naquele diário
-Você ainda não leu?
-Não tive coragem – falou
-E vai ficar adiando?
-Talvez – suspirou – mas eu pretendo ler antes do memorial dela
-E eu estarei aqui, certo?
-Certo – sorriu
-Amanhã eu vou falar com elas – Jaebum falou após algum tempo – eu quero saber porque elas não me contaram sobre não poderem lutar, já tem um tempo que elas me fazem treinar a batalha sempre me pedindo para invoca-las no meio da luta, quando na verdade elas só podem ser chamadas no final, eu quero saber porque mentiram para mim
-Você acha que elas vão responder?
-Eu espero que respondam – falou sério

Os garotos ainda conversaram mais algumas bobagens até Jaebum ir embora e Youngjae voltar a pensar em tudo que estava ocorrendo em sua vida nos últimos dias, era muita coisa para se absorver para tão pouco tempo.

Jaebum passou o resto da noite inquieto, queria muito entender direito o que Yugyeom havia dito, não queria pensar que havia sido enganado por todo aquele tempo, não queria aceitar aquela ideia. Antes de dormir ainda mandou uma mensagem para Youngjae, queria saber se poderia ir vê-lo pela manhã, e recebeu uma resposta positiva, ficar com Youngjae o acalmava e não se negaria aquele prazer de maneira alguma.

Pela manhã Jaebum pulou o café da manhã com os pais, iria levar Youngjae novamente para comer fora, iria tirar o garoto de dentro de casa nem que fosse míseros minutos por dia. Youngjae estava saindo do banho quando escutou a Jaebum bater na porta do quarto, então apenas o mandou entrar e esperar enquanto se trocava no banheiro.
-Nós vamos sair – Jaebum falou quando viu o castanho ir em direção ao espelho do quarto
-Temos mesmo?
-Claro que sim – falou sério – não vou te deixar mofar em casa durante nosso resto de férias
-Não sei se te agradeço ou te bato – falou se virando para o moreno/
-Me beije – brincou
-Depois, estou com fome agora

Jaebum levou Youngjae a mesma cafeteria da outra vez e acabaram pedindo a mesma coisa, pareciam estar vivendo um flashback da semana passada, pois as coisas estavam ocorrendo da mesma maneira.

Quando a tarde chegou e os garotos se separaram Jaebum sentia o frio na barriga crescer, não se sentia pronto para encarar as elementais, mas era necessário, tinha que por toda a história a limpo, odiava a sensação de estar sendo enganado.

Mark decidiu que aquela tarde não passaria com Jackson ou Bambam, queria ficar com Youngjae, ainda mais depois de tudo que havia descoberto, Jackson quando soube da ideia quis passar a tarde com o garoto também, mas Mark pediu para que não fosse, pelo menos não naquele dia.

Youngjae se surpreendeu quando viu Mark na porta de sua casa, mas não iria reclamar de nada, do jeito que estava sabia que precisava sempre de companhia para lhe ocupar a cabeça com outras coisas e o fazer esquecer dos problemas.

Youngjae e Mark passaram toda a tarde se entupindo de besteiras e jogando vídeo game e haviam feito uma promessa de que pelas próximas duas semanas restantes de férias iriam zerar todos os jogos que tinham.

Após o jantar Youngjae se sentia novamente cansado, mas precisava falar com Jaebum o moreno disse que falaria com as tais guardiãs aquele dia e estava curioso para saber o resultado da conversa.

Youngjae: Falou com elas?

Jaebum: Sim...

Youngjae: E então?

Jaebum: O Yugyeom estava certo, elas não podem ser chamadas no meio da luta

Youngjae: Elas te disseram o porquê de terem lhe omitido isso?

Jaebum: Sim, fora elas estarem fracas demais para lutar elas podem ser capturadas no meio da luta e todo esforço ir por água abaixo, elas tem que vir a campo apenas quando a vitória estiver certa, eu vim treinando "errado" por um tempo, isso me deu raiva, elas disseram que com o tempo eu conseguiria apenas invocá-las quando a vitória estivesse certa, pois aumentariam a dificuldade do que eu estava fazendo e só no fim eu teria chances de fazer algo

Youngjae: Eu ainda não entendo muito sobre isso, mas eu confio em você e sei que vai conseguir, não importa como, você vai vencer essas pessoas

Jaebum: Obrigado por confiar em mim

Youngjae: Eu vou dormir, boa noite, Bummie :)

Jaebum: Boa noite, Jae :)


Notas Finais


Olar novamente
Eu estava esquecendo de falar, as férias deles vão ser do final de julho até o começo de setembro, ou seja, quando eles forem no memorial as aulas já vão ter voltado...
Agora outra coisa, lembram que eu falei que tinha uma fanfic pra postar hoje e tals, pois é, advinha quem excluiu o arquivo sem querer e não tá conseguindo recuperar... Vou reescrever quando eu tiver tempo, porque tô atolada de conteúdo pra estudar pro enem...
Enfim o que acharam do capítulo? Leitores fantasminhas apareçam, também quero saber de vocês
Beijinhos e até quinta


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...