História Segredos de uma Chef - Identidade - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Personagens Originais, Sirius Black
Exibições 10
Palavras 674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Pessoal, tudo bem com vocês?
Sei que às vezes demoro muito para postar, confesso, e me desculpem. Por esse motivo a cada duas semanas na terça postarei um novo capítulo, assim não terá mais problemas.
Apreciem!

Capítulo 23 - O velho amigo


Os Aurores Kingsley, Alastor Moody e Tonks voavam sobre a noite luminosa em Londres com muita pressa para o Hospital Chances.

Eles entraram no edifício hospitalar com um olhar desconfiado, principalmente Moody que notou algo estranho no ambiente, visto que as pessoas ali eram muito pálidas e esquisitas.

― Esses trouxas são bizarros... ― comentou.

Automaticamente as pessoas olharam para o trio, mas logo desviaram quando notaram a observação exagerada.

― Vamos agir naturalmente. ― disse Kingsley olhando ao redor como se estivesse analisando.

― Eu vou falar com a recepcionista. ― Tonks tomou atitude e os dois concordaram. ― Boa noite... ― estreitou os olhos para ler o crachá da moça. ― Sarah. Eu tenho uma prima que está internada, o nome dela é Janaína Fernandéz.

A recepcionista estava com um olhar vago e cansado, mas ouvia muito bem. Quando a moça de cabelos extravagantes disse o nome da paciente, logo se manifestou.

― A senhorita Jadéz?

― Sim, a famosa Chef de Cozinha é minha prima. Algum problema?

Tonks pode perceber que em algum momento os olhos da moça ficaram vermelhos, quando ela estava com sua varinha em punho escondida em suas vestes.

Moody e Kingsley perceberam que as pessoas em volta pararam de fazer o que estavam fazendo, se levantaram e se aproximaram em ameaça. Revelando suas verdadeiras identidades.

― Este lugar está cheio de vampiros! ― sussurrou Kingsley surpreso apontando a varinha para as criaturas sobrenaturais.

A luta ia começar quando são interrompidos.

― Parem! ― uma bela mulher ruiva ordena. ― Não são eles.

Todos os vampiros se afastaram obedecendo a sua Líder.

― Podem vir, ela está esperando vocês. ― a mulher chamou o trio.

Os dois Aurores olharam diretamente para Moody que confirmou e seguiram a mulher.

― Quem é você? E como podemos confiar em você? ― questionou Kingsley.

Ela riu sarcasticamente. ― Por que não pergunta isso pro Olho-Tonto. ― ela respondeu.

― Eu a conheço, ela é de confiança. ― o Auror ficou quieto.

― É claro que sim.

― Você continua a mesma, Marilyn. Vejo que o seu Esquadrão continua muito receptivo e gentil. ― Alastor disse irônico.

― Esquadrão?! Espera, você é Marilyn Sangrenta, a vampira mais poderosa e perigosa do planeta. ― concluiu Kingsley. ― Você já sabia que ela estaria aqui Olho-Tonto?

― Bingo!

― Eu não falei pra ficar mais emocionante. ― Olho-Tonto sorriu.

― E você é Auror e a garota deve ser Ninfadora, ops. Tonks, não é mesmo sobrinha da Bellatrix Lestrange?

― Sabe quem eu sou?

― Quem no mundo não saberia queridinha. Eu conheço todo mundo da família Black, desde seu tetra-tetra-avô até o casamento proibido da sua mãe com o nascido trouxa Ted Tonks.

A metamorfomaga ficou impressionada com a vampira, por isso no caminho não conseguiu dizer mais nada.

― Olho-Tonto, senti saudades. ― disse Marilyn. ― Me lembro de ter te salvado daquele dia difícil em King’s Cross, na primeira guerra, quando um Comensal da Morte arrancou o seu olho como uma bola de gude.

― Isso é passado. Não gosto quando falam sobre isso publicamente.

Marilyn notou uma diferença na voz e no tom como ele disse, o Alastor Moody que conhecia jamais daria essa resposta, era um teste, porque a vampira havia percebido uma mania, há alguns minutos atrás, o de mostrar a língua compulsivamente quando estava nervoso.

― Você está certo, é passado... ― afastou esses pensamentos. ― Chegamos. ― abriu a porta.

― Já era tempo... ― resmungou Alastor e entrou quase empurrando Marilyn.

― Ah claro, de nada. Foi o Dumbledore que pediu pra vocês virem?

― Ele disse que chamaria menos a atenção.

― Não responda nada o que ela perguntar, Kingsley. ― Olho-Tonto disse irritado. ― E você também Ninfadora.

Tonks ia retrucar, porém Cecília acordou com a discussão. Ambos os Aurores perceberam a mudança de humor dele, mas acharam natural, já que isso fazia parte da sua personalidade.

― O que é isso? ― disse Cecília assustada. ― O que eles estão fazendo aqui? 


Notas Finais


Um pouco de suspense...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...