História Segredos do Passado - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Kpop
Exibições 411
Palavras 6.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, sei que devo satisfações, então vamos lá.
Não sei se alguns sabem, mas eu já havia falado que eu tinha me mudado, e todos sabem como é horrível quando você se muda para eles instalarem a nova internet, eu ainda estou sem, mas consegui atualizar a fanfic hoje pelo 4G da minha mãe, o que eu não faço por vocês? :p
Peço desculpas se demorei para atualizar, eu queria ter postado antes, mas realmente não deu.
Com esse tempo que estou sem internet, tirei o dia para arrumar a casa, ajudar minha mãe e continuar escrevendo minha fanfic, espero que em breve eu volte a atualizar ela com mais frequência.
Espero que entendam, e espero que gostem dessa capítulo porque olha, eu AMEI.
Boa leitura à todos, beijos ♥

Capítulo 13 - Não é o que você está pensando


Baekhyun e eu ficamos nos olhando e olhando para Kim, que por um momento, parecia uma pessoa completamente diferente da que nós conhecíamos. Resolvi não lhe dar atenção, pois era isso que ela queria. Fiz de conta que sua presença não estava ali, chamei o Minseok e o Tao em um canto e eles vieram, deixando Kim sozinha.

— E aí gente — apertei a mão dos dois. — Hoje eu trouxe o meu namorado para ver o ensaio.

Minseok e Zitao não pareciam ser pessoas preconceituosas, pelo pouco que conversei com eles, pude sentir isso. Baekhyun estendeu a mão para eles, que o cumprimentaram na hora.

— Prazer, o meu nome é Baekhyun — o menor disse, fazendo uma expressão gentil.

— O prazer é meu Baekhyun — Zitao respondeu empolgado. — Não sabia que o Chanyeol tinha alguém, mas é um prazer conhecer você. Meu nome é Zitao, mas você pode me chamar de Tao.

— Prazer Baek, meu nome é Minseok, é um prazer te conhecer — Minseok falou enquanto apertava a mão do Baek.

Baekhyun estava contente, era nítido isso em sua face, mas eu sabia que por dentro ele estava se sentindo incomodado pelo fato de ter que dividir o mesmo espaço com sua irmã.

— Onde está o Kris? — perguntei para os garotos.

— Ele me mandou uma mensagem dizendo que já chegaria, ele pegou um pouco de trânsito — Tao respondeu enquanto olhava para o celular —, mas ele falou que não iria demorar muito.

 

Ficamos jogando conversa fora, Kim observava tudo de longe sem se intrometer na conversa, os garotos estranharam um pouco a minha atitude, mas eles não sabiam um terço do que a Kim era e das coisas que ela viu o Baek passar.

 

Logo mais, Kris apareceu às pressas, ele parecia ofegante. Percebi que o Tao ficou diferente quando ele apareceu, mais sorridente, ou pode ser coisa da minha cabeça.

— Desculpem o atraso galera — Kris falou afobado. — O trânsito estava uma loucura.

— Sem problemas, nem começamos a ensaiar ainda, estávamos te esperando — Minseok respondeu.

 

Continuamos jogando conversa fora. Estávamos esperando a Suni — dona da gravadora. — aparecer para começarmos o ensaio, a secretária disse que ela estava ao telefone com alguns repórteres para eles virem na gravadora nos entrevistar, assim o nome da nossa banda iria começar a ser reconhecido.

 

♡⚣♡

 

Minutos depois, ela saiu da sua sala e ordenou que fôssemos para a nossa sala de ensaio. Peguei Baekhyun pela mão e o puxei pelo enorme corredor.

Ao chegarmos lá, Baekhyun ficou do lado de fora, na parte das edições.

— Boa tarde a todos — a mulher começou a falar. — Peço desculpas pelo atraso, eu estava falando com alguns jornalistas e pedi que eles viessem aqui amanhã para conversarem com vocês, eles se interessaram bastante por ser uma banda nova no mercado de trabalho. Vocês não precisam se preocupar, eles só querem saber um pouco mais de cada um de vocês, vão ser perguntas básicas — ela arrumou os óculos, e começou a olhar para mim e para Kim. Eles adoraram saber que os vocalistas são um garoto e uma garota, eles me comentaram que a mídia adora quando tem algum casal na banda, isso é uma coisa que eu gostaria de falar com vocês dois.

— Como assim um casal na banda? — perguntei, na esperança de não ter a resposta que estava na minha cabeça.

— Chanyeol, Kim, eu gostaria que amanhã na entrevista, vocês falassem que são um casal, e que agissem como um. Posso contar com vocês?

Olhei para a Kim e ela estava dando pulinhos de felicidade.

— Você pode contar comigo, Suni, vai ser um prazer fazer par com o Chanyeol.

Com certeza Baekhyun não estava gostando nada disso, muito menos eu.

— Tem certeza que isso é necessário? Sabe, Suni, eu tenho namorado — apontei para Baekhyun, que assistia tudo com uma cara de triste, o que não era de menos. — Não quero assumir um namoro com outra pessoa sendo que nem eu mesmo gosto dessa pessoa.

— Isso me ofende, Chanyeol — Kim resmungou. — Você precisa aprender a ser mais profissional, vai ser só uma mentirinha do bem.

— A Kim tem razão, Chanyeol. Pensa bem, muitos gostariam de estar no seu lugar, e você está jogando tudo isso para o alto, seu namorado vai ter que entender, é pelo bem da banda — ela sorriu gentilmente.

Cruzei os braços e fiquei pensando em uma solução, uma guerra acontecia dentro da minha cabeça, o que eu faço? Pensa,  Chanyeol, pensa.

— Preciso pensar a respeito e conversar com o Baek sobre isso, a opinião dele é importante para mim — comentei, vendo que as coisas não seriam fáceis daqui pra frente. — Se me dão licença, eu vou ali falar com ele.

Deixei todos e fui falar com o Baek, que estava sentado ouvindo toda a conversa, sua cara não estava muito boa.

— Baek...você ouviu, não é? — perguntei nervoso.

— Ouvi, mas iria preferir se não tivesse ouvido metade da conversa — ele falou grosso.

— Eu sei, mas você sabe que eu não posso fazer nada, não sabe?

— Como assim não pode fazer nada? Você é idiota, Chanyeol? — sua voz estava muito alterada, eu nunca tinha o visto assim antes, puxei ele pelo braço para o lado de fora da gravadora, ficando assim longe de todos que pudessem ouvir nossa conversa. — Por que você não sai da banda, se o que eu penso é tão importante assim para você?

Revirei os olhos, eu conseguia entender o motivo da raiva dele.

— Baekhyun, não sei se você sabe, mas eu assinei um contrato com a dona da gravadora, eu não posso simplesmente sair do dia para a noite — respondi, tentando manter a calma.

— Eu não quero saber, não quero ter que ver você junto com a Kim. Você esqueceu de tudo que ela fez comigo? Acho que não preciso te lembrar dos detalhes — seus olhos estavam diferentes das outras vezes, seu olhar doce havia sumido, o que tinha restado era apenas um olhar com raiva e desaprovação. — Se você não pode romper o contrato, só não aceite essa proposta maluca...eu não...quero te ver com ela Channie, iria doer tanto — seu olhar raivoso mudou para um olhar triste, e seu tom de voz foi baixando, quase num sussurro. — Não faz isso comigo, por favor...

— Então me dê uma opção, pois estou sem opções no momento, você sabe que eu não quero fazer isso, mas como eu assinei essa droga de contrato, estou me sujeitando a isso.

— Então vai ser assim mesmo? — o menor perguntou com os olhos marejados. — Vou ter que te ver beijando outra pessoa, fingindo namorar outra pessoa, que ainda por cima é a minha irmã?

Segurei sua mão que estava trêmula e fria, o puxei para mais perto e o acomodei em meus braços, tentando fazer ele se acalmar. Como eu odiava vê-lo chorando, me partia o coração ter que o ver assim, eu prometi que nunca o faria chorar, mas não estou conseguindo cumprir isso.

— Eu não vou beijá-la, vai ser só encenação, Baek, fica tranquilo meu baixinho — enrosquei meus dedos em seu cabelo, fazendo um breve cafuné. — Você sabe que eu te amo e jamais faria algo para te magoar. Sinto muito se estou te fazendo chorar agora, eu estou me sentindo um monstro por causa disso tudo, é a última coisa que eu queria.

O garoto ficou em silêncio por alguns instantes.

— Tudo bem — o menor respondeu, limpando as lágrimas e se afastando de mim. — Se eu namoro com você, preciso confiar em você, não é? Me desculpa, prometo que vou te apoiar na sua carreira de cantor, fui eu quem mais te deu apoio, eu estaria sendo ingrato em pedir para você abandonar o seu sonho.

— Tem certeza, Baek? Tudo bem para você? — perguntei, analisando cada parte do seu rosto, ele deu um sorriso gentil e assentiu com a cabeça, me surpreendendo com sua atitude, o puxei de novo e colamos nossos corpos compartilhando nosso calor corporal, eu não sabia se devia acreditar nele, se ele estava falando a verdade ou apenas estava fingindo para não me ver triste, mas dessa vez preferi acreditar, ele sabia que eu o amava, que meus sentimentos por ele não mudariam por causa desse “namoro falso” com a Kim, porque mesmo que eu fingisse para todos que eu namorava com ela, Baekhyun sabia que eu só amava uma pessoa, que no caso era ele. Ele sabia.

 

 

Baekhyun

 

Droga, droga, droga Chanyeol, você é burro ou o que? Como pode acreditar que eu estava falando sério? Às vezes acho que você não me conhece, nunca pensei que você iria acreditar que eu aceitaria isso numa boa, você não viu como isso me magoou? Como isso me quebrou por dentro? Parece que não. Mas de qualquer modo, esse sempre foi o seu sonho, tocar em uma banda e ter o reconhecimento que merecia, isso tudo já está acontecendo, e eu não sou ninguém para impedir os seus sonhos. Lembra daquela nossa conversa que tivemos na sua casa? Quando você me disse que seu sonho era tocar e cantar em uma banda? Pois bem, você conseguiu, eu não posso estragar tudo com a minha crise de ciúmes, mesmo eu tendo meus inúmeros motivos. Só espero que eu tenha forças para aguentar tudo isso, pois fácil eu sei que não vai ser.

 

— Vamos entrar então? Preciso dar uma resposta para a Suni — Chanyeol disse empolgado, me puxando pela mão para dentro da gravadora.

Todos estavam lá, esperando o Chanyeol para voltarem às suas atividades normais. Soltei a sua mão e fiquei do lado de fora, eu não queria ter que ouvir aquilo, mesmo sabendo que aquilo era a realidade.

— Conversamos bastante e, consegui chegar à uma conclusão — o maior falou, fazendo Kim olhar para ele, esperançosa para que a resposta fosse positiva. — Eu aceito fazer par com a Kim, se for pelo bem da banda.

Só consegui ouvir os gritos de Kim, olhei para ela e ela me fuzilou com os olhos, logo mais deu um sorriso diabólico para mim e pulou em cima do Channie. Eu sabia que tudo aquilo era para me provocar, resolvi fingir que não estava vendo aquilo. Eu não podia fazer nada contra isso. Os dias seriam longos. Longos e tristes.

 

♡⚣♡

 

1 semana depois.

 

Hoje faz uma semana desde que o Chanyeol aceitou essa loucura de “namoro falso” com a Kim, minha irmã. Às vezes eu penso que eu deveria ter impedido toda essa farsa, pois eu não sabia que eu iria sofrer tanto assim. Pensei que eu iria conseguir suportar numa boa, mas pelo visto me enganei. Cada dia que passa, as provocações ficam piores, sem contar daquela droga de entrevista que eles tiveram que se beijar na frente dos repórteres, sim, eles se beijaram. Chanyeol me disse que não havia gostado, mas não posso dizer o mesmo da Kim, ela estava com um ar de satisfeita. Sempre que eu estava sozinho pelos corredores, seja da gravadora ou da escola, ela vinha me provocar falando como o Channie beijava bem, minha vontade era de socar a cara dela, mas nada disso adiantaria, ela só veria que suas provocações estavam dando certo. E no fundo, estavam mesmo. Eu estava desgastado, as brigas com o Chanyeol eram seguidas, uma por dia no mínimo. Desculpa Chanyeol, eu disse que iria te apoiar, mas nesse caso, eu não estou conseguindo. Sinto que vou explodir a qualquer hora.

 

♡⚣♡

 

Segunda-feira, 16:30h.

 

Mais um dia cansativo na gravadora, as vezes me pergunto porque eu ainda o acompanho, pois sinto que só venho aqui para ficar mais triste e ver coisas que não gostaria. Mas eu prometi que lhe daria apoio, só que as vezes cansa, sabe? Sinto que estou chegando no meu limite.

As vezes parecia que o Chanyeol havia se esquecido de tudo que a Kim e meu pai fizeram comigo, pois os dois pareciam se dar muito bem. Já perguntei inúmeras vezes para ele se ele estava com problema de memória, ele sempre falava que não havia esquecido, mas que estava apenas sendo gentil, o que era o normal dele, Chanyeol tinha um coração muito bom. Bom demais para ser verdade.

 

♡⚣♡

 

Faltava meia hora para o término do ensaio diário do Chanyeol, nos últimos dias eu só ficava com o meu celular ouvindo minhas músicas no fone de ouvido, isso tudo para evitar qualquer conversa desnecessária que me daria motivos para brigar ou ter minha crise de ciúmes. Perdi a conta de quantas vezes vi a Kim se atirando em cima do Chanyeol para ver minha reação, claro que ele a empurrava, na hora eu não dava muita bola, mas quando chegávamos em casa, eu explodia. Qualquer coisinha já estava me tirando do sério, até o pai do Channie andou estranhando a nossa relação, preferimos não comentar sobre o assunto para não deixar ele preocupado com nossos problemas.

Como sempre, eu estava sentado na sala de edição esperando aquele ensaio acabar, peguei meu celular e meu fone e me levantei para a sala de entrada para pegar uma água, ficar duas horas sentado não é para qualquer um. Bebi minha água e voltei com o fone no ouvido e a cabeça baixa, quando voltei para o estúdio, vi uma cena que eu achei que não veria nunca mais, a Kim e o Chanyeol estavam se beijando, ela estava beijando ele, mas ele não estava beijando ela. No fundo, era nisso que eu queria acreditar. Eles não me ouviram entrar, o beijo não durou, se bem que eu não sabia quanto tempo eles estavam nessa situação. Senti meu celular cair no chão e sua tela se quebrar em mil pedaços, Chanyeol empurrou Kim para longe, a mesma caiu no chão e ficou me fuzilando. O maior me olhava com os olhos arregalados, e com raiva para a garota.

— Baekhyun...não é o que você está pensando... — Chanyeol tentou se explicar, vindo na minha direção. — Ela queria conversar comigo e...

— Chega — o interrompi, ele ficou com a boca semiaberta sem falar uma palavra sequer. — Eu estou cansado Chanyeol, cansado.

— Mas, Baek...me perdoa, isso não vai mais acontecer, eu juro — ele tentou se aproximar, mas eu o empurrei com força, naquela hora eu não queria ele perto de mim, mesmo que ele tentasse se explicar de mil formas.

— Não vai mesmo, Chanyeol, se depender de mim, nunca mais vai acontecer — respondi seco, Kim assistia tudo com satisfação, ela finalmente tinha conseguido o que queria. — Eu vou para casa.

— Mas falta 20 minutos ainda, Baek, espera mais um pouco. Por favor.

— Você não entendeu ainda? Eu disse que eu vou para casa, você pode ficar aí com essa garota, passar bem — virei as costas, deixando ele falando sozinho, peguei o resto do meu celular que ainda tinha restado e fui saindo batendo os pés com raiva corredor à fora.

 

“Não vai atrás dele não, fica aqui comigo”

“Você está maluca? Você já causou muito por hoje, Kim, eu vou atrás do Baekhyun.”

 

 

Eu estava me sentindo péssimo, as lágrimas caiam como lâminas que cortavam meu rosto sem dó. Escutei alguns passos atrás de mim, então comecei a correr, corri como se não houvesse amanhã, infelizmente eu não era um bom corredor, pois senti uma mão puxando meu braço, me virei e Chanyeol me encara sério, tentei me soltar dele, mas foi em vão, Chanyeol era muito forte.

— Me solta Chanyeol — falei nervoso, tentando puxar meu braço.

— Eu não vou soltar até você me ouvir Baek, você está muito alterado e está entendo as coisas de uma forma errada — o maior apertou a mão no meu pulso, estava doendo, fiz uma cara de dor e ele me soltou na hora. — Me desculpa, não quis te machucar.

— Eu não quero te ouvir...estou cansado de tudo isso...eu tenho aguentado muita coisa calado para te ver feliz, mas eu mesmo não estou feliz com isso. Desde o dia que eu comecei a frequentar os seus ensaios, a Kim tem feito de tudo para me provocar, hoje ela conseguiu me tirar do sério, e eu não aguento mais isso Chanyeol — comecei a chorar de novo, era inevitável, era a única coisa que eu conseguia fazer agora. — Estou esgotado, não aguento mais isso....

O maior estava com seus olhos marejados, ele iria começar a chorar a qualquer hora. Passei a mão no meu rosto e ele estava todo molhado, que droga Baekhyun, porque eu tenho que ser tão fraco? Qualquer coisa eu começava a chorar, se bem que, o Chanyeol não era qualquer coisa. Eu o amava, amava muito. E me doía ter alguns pensamentos da minha mente, isso era a última coisa que eu queria fazer, mas eu não aguentava mais. Eu chorava todo dia escondido no banheiro, rezando para que tudo isso acabasse logo, que Chanyeol largasse essa ideia maluca de banda ou que a Kim fosse expulsa da banda, mas nada disso acontecia. Já pensei muitas vezes se eu estava sendo ingrato, sim, eu estava sendo. Mas isso já estava me fazendo mal, estava fazendo mal para o meu namoro com o Channie.

Eu te amo Chanyeol, sinto muito.

 

Limpei os resquícios de lágrimas que ainda insistiam em cair, eu precisava ser forte, forte para tomar uma decisão que fosse o melhor para nós dois, mas era tão difícil, eu não tinha coragem, eu amava ele, eu amava Park Chanyeol, amava tanto que chegava a doer. Abri a boca para tentar falar algo, e um milhão de pensamentos invadiram a minha mente, desde o primeiro dia dele na escola, ele sempre esteve do meu lado. Como o dia que ele me confrontou no banheiro da escola.

 

"— Baekhyun...

— Não toque mais em mim, nunca mais fale comigo, entendeu? — gritei, minha voz estava muito alterada.  — Você vai se meter em problemas, esqueça que me conheceu, não fale mais comigo na escola, para o seu próprio bem.

— E se eu não quiser? — ele me desafiou, sem saber o risco que corria.

— Você precisa se afastar de mim, não quero que se meta nos meus problemas, eu sei me virar sozinho, não preciso de você."

 

Lembro que de noite fiquei pensando nele até adormecer, foi a primeira vez que alguém demonstrou se importar comigo de verdade.

Me lembrei também do dia que tivemos que fazer um trabalho em dupla, e para o meu azar na época — ou nem tanto. — Eu fazia dupla com ele, na hora eu não havia aceitado muito bem, mas por dentro, eu estava feliz por poder ficar um pouco mais perto dele. Ele sempre foi muito gentil e gostava de me elogiar.

 

"— Seu sorriso é bonito Baekhyun... você deveria... sorrir mais — ele comentou, um pouco sem jeito, acho que aquilo saiu automaticamente.

Abaixei a cabeça sem jeito, meu rosto estava pegando fogo de tão corado, eu poderia explodir de vergonha aqualquer hora.

— Desculpa, não quis te deixar sem jeito — Chanyeol sussurrou.

Sorri, balançando minha cabeça negativamente.

— O-obrigado Chanyeol... — agradeci, feliz pelo elogio.

— Pelo que, Baek?

— F-Faz muito tempo que não escuto um elogio sincero... muito obrigado, seu sorriso também é muito bonito."

 

Marcamos de fazer o trabalho no dia seguinte, eu estava tão ansioso para vê-lo novamente, meu coração estava pulando de felicidade. Mas aconteceram alguns imprevistos, meu pai não quis me levar e estava chovendo muito, para o meu azar, eu tinha perdido o meu guarda-chuva e a casa do Chanyeol ficava um pouco longe da minha, mas tive que enfrentar a chuva forte, eu tinha prometido que iria na casa dele.

Quando eu cheguei lá, estava todo ensopado e com frio, parece que foi ontem que eu vi ele todo preocupado comigo me dando roupas secas para que eu não pegasse um resfriado. Infelizmente, meu pai tinha me batido antes de sair de casa, e como eu saí às pressas de casa, não troquei minha roupa, o que resultou em um pouco de sangue na roupa que eu estava usando. Quando Chanyeol foi colocar minhas roupas na secadora, ele viu, então me confrontou mais uma vez.

 

"— Quando eu coloquei suas roupas na lavanderia, tinha uma mancha na sua camiseta, parecia ser sangue, você se machucou de novo? — ele perguntou, dando ênfase no “de novo”.

— E-eu já disse que não queria mais falar disso... eu vim aqui para gente fazer o trabalho, se não fizermos, eu vou embora...

Ele se aproximou de mim, me deixando sem espaço para fugir, arregalei meus olhos com medo.

— Baek, você pode confiar em mim... me diz o que está acontecendo, por favor — ele sussurrou, parecia que não iria desistir tão facilmente."

Abaixei minha cabeça, aquela situação estava me deixando sem jeito. O maior levantou ela pelo queixo, fazendo que eu olhasse para os seus olhos.

"— E-eu não posso falar... por favor, esquece isso — sussurrei, meus olhos estavam marejados, logo uma lágrima caiu, Chanyeol limpou ela com o dedo indicador.

— Só estamos nós dois aqui, me diz Baek, por que você tem aquelas marcas? Por que tinha aquela mancha que parecia sangue na sua camiseta?"

Eu estava com tanto medo, nunca tinha me aberto com alguém, mas ele estava muito insistente, não iria desistir até que eu contasse. Depois de muito insistir, eu estava começando a ceder, mas no fundo, o medo permanecia dentro de mim. Ele reparou o quão nervoso eu estava e me abraçou, foi um abraço tão quente, eu senti meu coração se aquecer e as lágrimas vieram, uma, duas, incontáveis lágrimas. O abracei de volta e fiquei chorando no seu ombro, ele não se importou em eu molhar sua roupa inteira. Ficamos abraçados por um tempo, até ele me apertar e eu soltar um gemido de dor, ele estranhou e se afastou de mim.

"— Baekhyun, tire esse casaco e o blusão — ele ordenou, com autoridade na voz.

O olhei confuso, implorando para que ele mudasse de ideia.

— Apenas confie em mim, por favor."

Fiz o que ele queria, tirei minhas roupas e abaixei a cabeça envergonhado do meu próprio corpo que estava repleto de hematomas, em cada canto tinha um. Chanyeol se levantou e veio na minha direção.

"— Quem fez isso com você? — ele gritou, sua voz estava mais alterada do que o normal.

— Chanyeol... se acalma — respondi, eu estava chorando muito — Era por isso que eu não te falei, é por isso que eu não falo para ninguém.

— Você não me respondeu, quem fez isso com você Baekhyun? Me responde logo!

Por fim, dei um suspiro pesado e levantei minha cabeça sem jeito.

— Foi o meu pai, eu sofro violência doméstica, Chanyeol."

 

Depois disso, muitas coisas aconteceram, Chanyeol sempre prometia que nunca iria me deixar, que iria me proteger sempre, e ele sempre cumpriu isso. Lembro que naquele mesmo dia, nós nos beijamos pela primeira vez, foi tão bom, tão diferente de qualquer outra coisa que eu havia sentido, quando eu o beijava, conseguia me sentir completo, como se todas as minhas dores fossem embora.

Só sei que perdemos a noção do tempo, quando vimos, já estava muito tarde, e seria perigoso para eu voltar sozinho para a minha casa. Chanyeol então sugeriu que eu passasse a noite na sua casa, no começo fiquei meio receoso, pois eu teria que ligar para o meu pai e pedir permissão, que para a minha surpresa, quando eu liguei, ele deixou numa boa, confesso que estranhei sua atitude.

  Passar a noite na casa do Channie foi a melhor coisa que eu fiz na minha vida, ficamos vendo One Piece, nosso anime favorito, até ficar mais tarde, só paramos de ver porque estávamos cansados. Depois disso, aconteceu algo que eu não estava esperando, quase tivemos uma relação sexual, mas eu estava com medo, e por isso, não aconteceu nada.

 

Gostaria de poder ter dito que o dia seguinte tinha sido bom também, mas infelizmente não foi. Recebi algumas mensagens do meu pai, me ameaçando, a Kim também tinha me mandado uma mensagem. Claro que eu não contei para o Chanyeol das mensagens, mesmo ele querendo saber.

Quando cheguei em casa, fui violentado mais uma vez pelo meu pai, eu só conseguia chorar, foi então que eu peguei meu celular e mandei uma mensagem pedindo ajuda para o Channie, que apareceu na minha janela minutos depois. Posso dizer que ele foi o meu herói, ele me salvou.

Voltamos para a sua casa, ele me acolheu de uma forma que fazia eu me sentir protegido, se bem que, eu sempre me sentia protegido quando ele estava comigo. Lembro que naquela noite, eu tive a minha primeira vez de verdade, com alguém que eu gostava. Foi bom, foi muito bom. Ele fez eu me sentir à vontade o tempo inteiro, não forçou nada. Chanyeol beijou meus hematomas, a fim de fazer eu me sentir à vontade, ele beijou um por um. Ele sempre foi muito atencioso comigo, isso fazia eu gostar mais dele, a cada momento que passava do seu lado. Lembro até da primeira vez que ele disse que me amava, foi o melhor momento da minha vida.

 

"— Sei que você carrega lembranças horríveis dentro de si, mas eu estou aqui, e vou te proteger de tudo, não vou deixar ninguém te magoar, sabe por que?

— Por que? — o olhei confuso.

Ele mordeu o lábio inferior, era nítido o seu nervosismo.

— Por que... — ele fez uma pequena pausa — eu te amo Baekhyun, eu arriscaria tudo para te ver bem, porque você é importante para mim, te ver triste me dá vontade de chorar, se depender de mim, eu nunca mais vou ver uma lágrima escorrer pelo seu rosto..."

Felicidade, essa era a palavra que definia aquele momento. Eu poderia ter morrido naquela hora, pois estava tão feliz que senti que tinha vencido na vida. Não consegui não sorrir, meu sorriso ia de orelha a orelha, olhei para o Channie e ele estava incrivelmente corado, mas garanto que o meu rosto também estava. Passei a mão em seu rosto, fazendo ele soltar um suspiro.

"— Eu também te amo Chanyeol, desculpa se no começo eu tive dúvidas, agora eu tenho certeza dos meus sentimentos, eu quero você do meu lado, nunca tive tanta certeza de alguma coisa como tenho agora."

 

Relembrar essas coisas fazia meu coração ficar partido, será que valia a pena jogar tudo isso fora por causa de provocações? Eu não sei. Não posso agir por impulso, mas não posso ficar me apegando em lembranças do passado, se hoje estou sofrendo. Mas se eu jogasse tudo para o alto, Chanyeol também iria sofrer. Ele me escondeu na sua casa por tanto tempo, dedicou parte do seu tempo comigo. Quem diria que a vida iria dar uma reviravolta dessas, tudo estava tão bom quando era apenas nós dois. Sem banda, sem escola. Sim, sem escola. Os melhores momentos que eu tive com ele, foram longe da escola, e eu explico o porquê. Quando eu não ia na escola, Kim não sabia que eu e o Channie estávamos namorando, e tudo parecia mais fácil. Sem provocações, uma vida tranquila. Mas todos temos deveres, ir na escola era preciso.

Aiai Chanyeol, você que por muito tempo me fez sentir um turbilhão de sentimentos bons, agora estava fazendo eu chorar tanto. Às vezes me pergunto se você não se importa com isso, se o seu sonho de tocar em uma banda não pode ser realizado em outra gravadora. E cada vez que eu pensava nisso, me tocava do quão egoísta eu estava sendo. No fundo, eu sabia que o Channie me amava, e que só estava sendo gentil com a Kim pelo bem da banda. Mas não posso mentir, vê-lo fingir ser namorado dela foi a gota d’água, acho que ninguém gostaria de ver seu namorado fingir que namora outra pessoa. Talvez eu não seja uma pessoa tão ruim, eu só quero parar de sofrer, entende? Mas talvez, pedir para ele desistir de tudo, não seja a solução. Não posso impedir ele, é o que ele quer. Eu quero vê-lo feliz, mesmo que isso custe a minha felicidade.

 

♡⚣♡

 

Não sei quanto tempo fiquei perdido em pensamentos, vi o Chanyeol estalar os dedos na minha frente, para eu “acordar do transe”.

— Baekhyun-ah, acorda — ele começou a me balançar, balancei a cabeça para retomar a consciência.

— Desculpa, por quanto tempo eu fiquei assim? — perguntei confuso, pegando meu celular e olhando que hora era, caramba, eu tinha ficado muito tempo assim.

— Por um bom tempo — ele riu, mas eu continuava sério. — Está se sentindo melhor? Você estava muito alterado, confesso que fiquei com medo do que você pudesse fazer de cabeça quente.

Mordi meu lábio inferior, Chanyeol parecia preocupado comigo.

— Podemos ir para casa? Estou um pouco cansado — perguntei, ele concordou, logo pegando na minha mão e me levando para a gravadora, onde estava o seu carro. Por sorte não vi ninguém que eu não gostaria, então entramos no carro e ficamos em silêncio, um silêncio que cortava o meu coração.

Felizmente esse silêncio não durou muito tempo, Chanyeol quis quebra-lo.

— Baek, me perdoa por hoje mais cedo...você sabe que eu nunca faria nada para te magoar, não sabe? Você é o grande amor da minha vida, eu não quero te perder nunca — seus olhos começaram a marejar, ele estava sofrendo tanto quanto eu. — Já passamos tanta coisa juntos, se eu te perdesse agora, eu não saberia como reagir, muito menos o que fazer. Acho que eu me acostumei com a sua presença, ela me faz muito bem Baek, eu prometo pela minha vida que as coisas vão ser diferentes, só me diz o que eu posso fazer, porque eu não sei o que fazer para você ficar comigo.

— Channie, eu não posso te dizer o que fazer, pois eu estaria sendo extremamente egoísta — comentei, olhando pelo vidro do carro.— Só quero que você faça o que gosta, e que seja feliz. Não se importe tanto comigo.

— Como eu não vou me importar com você? Você é importante para mim, não adianta nada eu estar feliz e você não, quero que ambos estejamos felizes.

— Mas isso não vai ser possível — falei seco. — Nosso namoro está me fazendo mal, eu estou mais chorando do que ficando feliz, isso não é um bom sinal. No começo eu estava muito feliz estando do seu lado, eu me sentia infinito, mas agora, o que eu mais faço é chorar, você está me fazendo sofrer tanto, tudo isso tem me feito sofrer muito, eu já sofri demais nas mãos do meu pai, pensei que daqui pra frente tudo iria ser diferente — comecei a chorar, eu estava sendo fraco novamente. — Você foi tão bom para mim, sempre me ajudou e nunca desistiu de mim, e eu estou aqui, sendo ingrato, não te dando apoio. Eu queria poder ficar feliz por você estar conseguindo realizar o seu sonho, mas eu não consigo. Tá doendo muito, você não tem ideia de como dói, Channie, me perdoa por não conseguir te apoiar quando você mais precisa.

Ele não tinha dado partida ainda no carro, então ele me abraçou, sem que eu pudesse me afastar do seu abraço, o abracei de volta, eu amava quando ele me abraçava, seu abraço era tão caloroso, eu me sentia em paz.

— Então fica comigo, prometo curar todas as suas dores, vai doer tanto em mim quanto em você se você for embora, e você sabe disso — ele sussurrou no meu ouvido, eu queria me afastar dele, mas algo me prendia, seu toque, seu calor corporal, tudo aquilo era tão atrativo e reconfortante. — Por favor meu baixinho, vamos superar isso junto, como superamos tantas coisas juntos.

— Não sei se eu consigo Channie, eu estou muito cansado disso tudo, não é tão fácil como parece — comentei, meu coração estava partido em mil pedacinhos. — Eu adoraria pensar que se eu ficasse do seu lado, tudo ficaria bem, e o que estou sentindo aqui dentro — apontei para o meu peito. — sarasse, mas dessa vez não iria dar certo, só estou atrapalhando a sua vida.

— Meu amor, você não está atrapalhando minha vida, para de pensar nisso — ele segurou meu rosto, de modo que nossos olhos se encontrassem. — Não sei o que eu fiz para você pensar isso, mas você está pensando errado Baek, quantas vezes eu vou ter que falar que você é o amor da minha vida? Eu repito toda hora se for preciso, você é amor da minha vida Baek, eu não me vejo no futuro com ninguém além de você, tire esses pensamentos sujos da sua cabeça. Não quero que você tome nenhuma decisão precipitada por estar de cabeça quente, tudo bem? Lembra dos bons momentos que tivemos juntos, se vale a pena jogar tudo para o alto. Pensa em nós, por favor — ele sussurrou, seus olhos estavam brilhando, parecia que ele iria chorar a qualquer hora, já eu estava me segurando para não chorar de novo. — Posso te beijar, Baek? Quero que essa dor que você está sentindo alivie um pouco, talvez eu também me sinta um pouco mais aliviado, porque também está doendo em mim... dói te ver triste, pra baixo, eu sempre prometi que não deixaria uma lágrima sua sequer caísse, mas é a única coisa que eu estou fazendo agora, te fazendo chorar. Eu não quero que você chore mais, eu quero ver um sorriso no seu rosto, aquele sorriso que eu amo, sabe? Aquele que me conquistou, que fez eu me apaixonar por você. Por favor, não chore mais por mim, meu coração quebra ao te ver assim — pude ver uma lágrima escorrer pelo seu olho esquerdo, seguido de outra, e outra. —  Então... o que me diz? Eu posso... te beijar? 

— Eu acho que você fala demais — dei o meu melhor sorriso e o puxei pelo colarinho da camisa, nossos rostos estavam muito próximos, eu conseguia sentir sua respiração quente no meu rosto. — Me beija Chanyeol, me beija logo antes que eu mude de ideia.

Chanyeol me puxou pela nuca e selou seus lábios nos meus, eles continuavam tão macios, tão quentes e úmidos. O maior me puxou para o seu colo, sem se importar pelo fato de estarmos em um lugar onde muitas pessoas veriam o que estávamos fazendo. Os vidros do seu carro eram escuros, mas não sei se isso ajudava em alguma coisa naquela hora, mas confesso que, na hora eu não me importava se alguém veria, o que importava era que eu estava ali com ele, e ambos estavam tentando fazer suas dores irem embora. Não sei se aquele era o jeito certo, mas eu não me arrependo de ter beijado ele.

Depois de um tempo naquela posição, ele me colocou gentilmente no banco do carona e colocou seu cinto, fiz o mesmo. Olhei para ele, e ele estava sorrindo novamente, por Deus, como eu amava aquele sorriso.

— Obrigado Baek, podemos ir para casa agora.

— Obrigado você...podemos sim.

 

♡⚣♡

 

Não trocamos muitas palavras, mas até que foi bom, pois tive mais tempo para pensar sobre nós dois. Dizem que as janelas de ônibus, carros, são as melhores para pensar na vida, isso estava começando a fazer sentido, pensei desde o primeiro dia que eu conheci o Chanyeol, tantas coisas boas aconteceram, as vezes penso, será que ele não tivesse entrado na minha vida, essas coisas teriam acontecido? Eu nunca senti na vida tamanha felicidade antes, minha vida antes de conhecer ele, era tão vazia, sem sentido, eu acordava para ir na escola, apenas isso, estudava muito para ser o filho perfeito para os meus pais. Eu não tinha outro propósito, só estudar, estudar e estudar. Meus sonhos sempre ficaram para trás, pois nunca tive ninguém que me apoiasse. Talvez eu devesse mesmo lembrar dos bons momentos que eu passei do lado do Channie, eu o amava tanto, por Deus, ele era o amor da minha vida também, não consigo me imaginar com mais ninguém além dele. Sei que pode parecer besteira, mas eu jamais pensei que gostaria tanto de alguém como gosto dele. Ele é o meu herói, ele salvou a minha vida. Obrigado Chanyeol, eu sou muito grato a você. Eu nunca vou esquecer dos bons momentos que passamos juntos, talvez eu já tenha uma reposta, mas preciso pensar melhor, pensar nos prós e nos contras de cada uma das respostas.

Talvez eu só precise de um tempo para pensar, organizar minhas ideias, assim quem sabe eu consiga responder alguma coisa para o Channie, mas por enquanto, não vou tomar decisões precipitadas. Vamos ver até onde isso vai. Mas, antes de tudo, eu te amo Channie. Saiba que qualquer decisão que eu tomar, vai ser para o nosso próprio bem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...