História Segredos do Passado - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Kaibaek, Kpop
Exibições 465
Palavras 3.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem tá vivo sempre aparece u_u e agora com wi-fi <3 pensem numa pessoa feliz, essa sou eu.
Queria dizer que eu senti muita a falta de dar mais atenção para vocês, vocês me fazem um bem danado :(
Mas agora, felizmente vou poder dar uma atenção especial à todos vocês ♥
Então, apreciem o capítulo, foi escrito com mt amor ♥

Capítulo 14 - O pesadelo virou realidade


Já faz uns dias que o Chanyeol não aparece na escola, ele não responde nem as minhas mensagens, estou começando a ficar com um mau pressentimento, só não sei o que pode ser. Será que ele estava me ignorando?

Por causa disso, eu não consegui falar com ele ainda, e falar por mensagem não adianta muito, porque ele não me responde mesmo. O que me resta é esperar que ele apareça na escola, só espero que não demore muito, eu estava ansioso para conversar com ele.

 

 

♡⚣♡

 

 

Quinta-feira, 28 de julho, 06:00.

 

Por algum motivo eu não consegui dormir direito essa noite, parecia que algo não estava certo. Às vezes eu penso que tenho sexto sentido, igual mulher, sabe? É até engraçado, pois geralmente quando eu sinto alguma ruim, realmente acontece. Só espero que hoje seja diferente, estou cansado de notícias ruins.

Me remexi na cama para ver se pegava no sono, estava muito cedo para levantar da cama, eu não tinha nada para fazer.

Resolvi pegar meu celular para ver se alguém tinha me mandando uma mensagem. Nada, nem do Chanyeol. Entrei no Kakao para ver quando foi a última vez que ele tinha entrado, e me surpreendi, foi ontem à noite, a única coisa que eu consegui pensar era que ele estava me ignorando por algum motivo. Será que ele ficou muito chateado depois da nossa despedida a ponto de me ignorar? Droga.

Fechei os olhos, minha cabeça estava lotada de pensamentos negativos, eu odiava quando isso acontecia, ainda mais quando eu estava sozinho e não tinha com quem compartilhar. Quem sabe, se alguém estivesse aqui comigo eu não estaria pensando nessas coisas. Mas era muito cedo para acordar o Kai, ele iria me matar se eu o acordasse tão cedo.

Quer saber? É um caso de vida ou morte, minha sanidade estava em jogo, vou acordar ele sim!

Me levantei e coloquei uma coberta por cima do meu corpo, eu iria de pijama mesmo, melhor coisa quando o seu amigo mora do lado e você pode ir do jeito que quiser vê-lo, até mesmo de pijama.

Bati a minha porta e toquei a campainha do Kai. Tive que apertar umas 5 vezes para ele me atender, sua cara estava muito engraçada.

— Bom di...

— Baekhyun, por que você me acordou tão cedo? — o moreno perguntou, seus olhos estavam quase se fechando.

— Bom dia para você também, Kai — falei irônico. — Eu preciso falar com você, posso entrar?

— Como vou dizer não para o meu amigo? Entra. — Kai deu espaço para que eu entrasse, me sentei no sofá e ele se sentou do meu lado, parecia que ele não estava muito acordado ainda.

— Lave o rosto para acordar, eu preciso falar sério com você e quero que você me escute.

Kai resmungou e foi para o banheiro lavar seu rosto, em menos de um minuto ele estava de volta, sua cara continuava engraçada.

— Pronto, pode falar, Baek. Qual foi o motivo de você me acordar tão cedo?

— Estou com uma sensação ruim Kai, só não sei direito do que se trata. Entrei hoje mais cedo no Kakao para ver a última vez que o Chanyeol tinha entrado, e adivinha quando foi?

— Quando? — ele perguntou num bocejo.

— Onde à noite! Ele está me ignorando por algum motivo, ele não responde as minhas mensagens, minhas ligações, alguma coisa está errada!

Kai esfregou os olhos e segurou a minha mão.

— Calma, Baek, vai dar tudo certo, não coloque minhocas nessa cabecinha oca — ele riu, consegui dar um sorriso fraco. — Tenho certeza que ele vai ir hoje na escola e vocês vão poder conversar direitinho, não se preocupa com isso, você só vai acabar se estressando, e estresse faz nascer rugas, seu rosto é muito bonito para ter rugas logo cedo — ele deu a língua.

— Você sempre me diz o que eu preciso ouvir, e na hora certa, por isso que eu te amo Kai. — Dei um abraço apertado no garoto, que me puxou mais para perto.

— Estou aqui para isso, Baek, você pode contar comigo para o que precisar, até para o que não precisar — ele riu, me apertando mais. — Eu te amo baixinho, você é muito importante pra mim, só quero te ver feliz.

— Obrigado por ficar do meu lado, acho que você é a única pessoa que eu confio de verdade, você é um ótimo amigo.

Kai não respondeu nada, ficamos em silêncio, até eu sentir meus olhos pesarem, e eu não ver mais nada.

 

 

♡⚣♡

 

 

Senti alguém me cutucando, eu estava cansado demais para abrir meus olhos.

— Me deixa dormir — resmunguei.

— Precisamos ir para a escola, vamos logo. — Escutei a voz do Kai, abri meus olhos lentamente e eu estava deitado no sofá da sala da casa dele, ele havia me tampado para que eu não passasse frio, ele era um amor mesmo.

Com um pouco de dificuldade acabei levantando e indo me arrastando até o meu apartamento, olhei no meu relógio do celular e dava tempo de tomar um banho rápido, e foi isso que eu fiz.

Vesti meu uniforme, arrumei o meu cabelo e arrumei a minha mochila, estava tudo lá, eu estava pronto para mais um dia de aula, só faltava o café da manhã. Fui para a cozinha e pensei no que eu poderia fazer, eu estava com preguiça de fazer panquecas, então fiz umas torradas mesmo, eu não tinha muito tempo, estávamos quase atrasados.

 

Comi as torradas rapidamente, escovei meus dentes de novo, peguei minha mochila e meu celular e tranquei a porta, fiquei do lado de fora esperando o Kai aparecer, dei uma batida de leve na porta, ele apareceu em menos de dois segundos.

— Estou pronto, podemos ir?

— Claro, só estava te esperando — o moreno respondeu, ele trancou a porta e fomos para o estacionamento do prédio, como fazemos todos os dias por ele ser preguiçoso.

 

Entrei no carro e meu peito continuava doendo, eu sinto essa angústia desde que terminei com o Chanyeol, mas se ele fosse hoje na escola, tudo mudaria. Ele teria que me ouvir.

 

Chegamos na escola minutos depois. Sabe quando você se sente estranho em um lugar? Pois é, eu estou me sentindo assim. Tinha um clima diferente na escola, eu sentia que por algum motivo eu não deveria estar ali.

Espero que seja coisa da minha cabeça, devo estar enlouquecendo, só pode ser isso.

 

Andei com o moreno pelos corredores, por fim paramos perto da nossa sala.

— Encontrou o Chanyeol pelos corredores? — Kai me perguntou, ele olhava atentamente para cada canto daquela escola.

— Ainda não, mas acho que hoje ele vem, ele não pode ficar faltando muito — comentei.

Faltavam poucos minutos para o sinal tocar, e cada vez mais aquele corredor ia ficando cheio, mas nada da pessoa que eu estava esperando aparecer.

Me escorei na parede que ficava ao lado da minha sala, Kai ficou na minha frente vigiando os corredores para me informar quando ele aparecesse, porque Kai era bem mais alto que eu.

 

Um burburinho se formou no corretor, todos estavam cochichando alguma coisa, eu não estava conseguindo ver nada.

— Kai, o que está acontecendo?

O garoto arregalou os olhos e ele ficou branco, pálido.

— Eu não sei se você vai gostar de ver isso Baek, vamos embora daqui... — o moreno que agora estava parecendo um fantasma me disse.

— Como assim ir embora? O que você está falan...

Não consegui terminar de falar a frase, eu travei, não saiu nada mais da minha boca. Caí de joelhos no chão, derrubei tudo que eu estava segurando. Senti as lágrimas caírem sem dó, eu havia entendido o motivo do meu peito estar doendo, dessa angústia que estava sentindo ultimamente, eu só não imaginava que seria por isso...

O que eu mais temia aconteceu, meu pesadelo se tornou realidade.

Parecia que o mundo tinha acabado para mim, meu corpo estava ali, mas a minha vontade de viver havia ido embora, só estava a carcaça. Coloquei as mãos no rosto, eu estava desesperado, todos estavam olhando para mim, mas eu não me importava, eu só queria chorar.

Kai se ajoelhou do meu lado, ele tentou me levantar, mas eu continuava ajoelhado no chão, chorando de uma maneira que eu pensei que nunca mais choraria.

— Baekhyun, vamos embora, por favor — Kai insistiu.

Tentei me levantar, me segurei no Kai para não cair.

— E-eu não entendo... — gaguejei, vendo o motivo do meu choro e desespero se aproximando.

Kim se aproximou, ela estava de mãos dadas com o Chanyeol.

— Bom dia, irmãozinho — ela deu um sorriso falso. — Chan, vamos logo para a sala antes que a gente se atrase.

— Tem razão, não gosto de me atrasar — Chanyeol respondeu com um sorriso enorme nos lábios, aquele sorriso que me tinha como motivo.

Nunca na minha vida eu pensei que veria essa cena, nem nos meus piores pesadelos eu pensei que isso viraria realidade. Senti uma raiva descontrolável dentro de mim, meu sangue estava fervendo, eu estava abalado, arrasado, me sentindo destruído.

Quando a garota tentou passar do meu lado eu empurrei ela na parede e grudei ela pelos seus cabelos.

— O que você está fazendo com o Chanyeol, sua vadia? — gritei, ela começou a se debater na parede desesperada. — Me responde sua vagabunda!

Senti alguém me puxar com força pelo ombro, me derrubando no chão. Levantei meus olhos e Chanyeol me encarava com raiva, ele nunca tinha me olhado assim antes.

— Não vou deixar que você encoste um dedo nela Baekhyun, ela é a minha namorada!

Essas palavras me quebraram por dentro de uma forma que eu nunca pensei que fosse acontecer. "Ela é a minha namorada!"  Isso é mesmo verdade?

Minha moral já estava negativa, eu não estava conseguindo acreditar que aquilo estava acontecendo de verdade, será que eu estava sonhando? Me belisquei, doeu, eu não estava sonhando, aquela era a realidade, a pior realidade de todas!

Me levantei e fui correndo em direção da Kim, eu queria acabar com a vida dela, esfolar aquela cara cínica no chão da escola. Mas mais uma vez eu fui impedido pelo Chanyeol.

— Você não escutou, Baekhyun? Não vou deixar que você machuque a Kim! — ele gritou com raiva, me assustei com o seu tom de voz.

As lágrimas começaram a cair novamente, meus olhos estavam embaçados de tanto chorar. Por que, Chanyeol?

Caí de joelhos no chão e coloquei as mãos no rosto, isso não pode estar acontecendo, deve ser alguma brincadeira.

Olhei para o Kai e ele encarava o Chanyeol com uma cara não muito boa. Em questão de segundos, vi ele voar para cima do Chanyeol, quando vi, Chanyeol estava com o olho roxo, Kai havia dado um soco nele.

— Você é imbecil Chanyeol? Qual é a sua? Ficar com a irmã do ex namorado? Você só pode estar de brincadeira comigo garoto. — Chanyeol ficou escorado na parede com a mão no olho, Kai aproveitou a oportunidade para dar outro soco nele, mas eu impedi, parando na frente do moreno. — Você tem merda na cabeça ou o que? Você não amava o Baekhyun? Como que você fica com a irmã da pessoa que ainda te ama?

— Chega Kai, por favor, não quero confusão para o seu lado — falei, Kai respirou fundo e se afastou.

Kim estava ajudando o Chanyeol com os ferimentos no olho, tudo era tão estranho e confuso, era muita coisa para a minha cabeça.

Chanyeol deu um riso irônico, virei minha cabeça rapidamente em direção à dele.

— Eu só percebi que não tinha motivo para eu ficar chorando por alguém que me quis mais, alguém que terminou com tudo que nós criamos. Agora eu sou alguém livre para ficar com quem eu quero, e eu escolhi a Kim, ela sempre foi muito gentil comigo e sempre se demonstrou interessada por mim, por que eu não ficaria com ela? — ele disse me encarando, cada palavra dita era como se eu levasse um tiro na alma, meu rosto estava ensopado de tanto chorar, eu estava desesperado. — Por que está chorando Baekhyun? Foi você que terminou comigo, preciso refrescar a sua memória? — ele sorriu de canto, era um sorriso falso, eu nunca esperaria isso dele.

— Você não sabe de nada! — gritei, peguei minhas coisas no chão e saí correndo pelos corredores, minha ficha não tinha caído ainda, parecia que o inferno havia chegado na Terra  e que isso não iria ter fim.

Todas as lembranças, memórias com ele, estavam se afundando, foram destruídas por ele, por mim, por nós dois! Eu decidi voltar com ele muito tarde, já era tarde demais, foi tudo por ralo a baixo! Eu estava me sentindo horrível, um lixo, alguém que não conseguia manter as pessoas que gostava por perto.

Fui correndo para atrás da escola, nessa hora não havia ninguém lá, todos estavam nas salas de aula. Me joguei na grama, eu só queria chorar quietinho sem que ninguém me incomodasse, só queria refletir o quão lixo eu era a ponto de perder a pessoa que eu mais amava.

As lágrimas caíam como lâminas que cortavam o meu rosto, estava doendo muito, minha respiração estava começando a falhar, eu era um inútil.

Escutei passos apressados vindo na minha direção, não levantei a cabeça para ver quem era, eu não me importava com quem era, deveria ser só mais um curioso desocupado.

— Baekhyun, Baekhyun! — Escutei aquela voz familiar, levantei a cabeça e vi o Kai parado do meu lado me olhando com preocupação.

— Kai, eu sou um inútil... — falei em meio de choros, era difícil controlar. — Eu não consegui... eu não entendo...

Kai me levantou com cuidado, me deixando de pé na frente dele, eu não conseguia parar de chorar, eu mal conseguia ver ele por causa que meus olhos estavam muito embaçados.

— Eu só quero sumir, evaporar do mapa... — Mais lágrimas caíram, eu deveria ter secado já de tanto chorar.

— Para de chorar, Baek, por favor — o moreno disse, limpando as lágrimas que caíam, ele estava muito preocupado comigo.

— D-desculpa... eu não consigo parar de chorar, mesmo que eu tente...

Abaixei minha cabeça me sentindo um derrotado, eu só queria parar de chorar, sumir dali, tudo era tão difícil e complicado, parecia que nada dava certo pra mim.

Kai levantou minha cabeça e ficou fitando os meus olhos que estavam marejados, encarei seus olhos com um pouco de dificuldade. O moreno me puxou para mais perto e me envolveu em seus braços fortes, iniciando assim um abraço apertado e caloroso. Passei minhas mãos em volta das suas costas, acomodando elas ali mesmo, Kai passou as mãos pela minha cintura e me puxou para mais perto, seu abraço era muito reconfortante.

Afundei meu rosto em seu peito e molhei toda a sua camisa do uniforme, mas ele pareceu não ligar para isso. O moreno passou a mão no meu cabelo, iniciando um cafuné, cafunés geralmente me deixavam arrepiado.

— Vamos embora daqui, Baek — Kai sussurrou no meu ouvido, concordei com a cabeça. Ele passou o braço por cima do meu ombro e fomos até o estacionamento, finalmente eu iria sair daquele lugar.

 

 

♡⚣♡

 

 

Voltamos para casa, eu estava me sentindo acabado, nada poderia melhorar o meu dia, tudo tinha dado errado. Minha ficha não havia caído ainda, eu só não estava conseguindo acreditar que a Kim e o Chanyeol estavam namorando. Logo o Chanyeol que sempre soube de tudo que eu passei nas mãos dela e do meu pai, por que ele faria isso? Não tem explicação, pelo menos não cabível. Então esse foi o motivo dele ter me ignorado todos esses dias, ele já estava com ela. Mas, será que eles já estavam juntos quando ele veio aqui? Não, Chanyeol não era de trair a pessoa que ele está. Será que ele está fazendo isso para me provocar, tipo uma vingança? Não acredito muito nisso, pelo menos o que eu conheço dele me fez pensar que ele nunca faria isso, mas posso estar enganado, ninguém conhece uma pessoa por inteiro, sempre tem algo que você vai descobrindo com o tempo.

Fui direto para o meu quarto, eu ainda estava chorando, não tanto quanto logo no começo que eu descobri tudo, mas ainda havia uma  quantidade considerável de lágrimas caindo, eu me odiava por isso. Kai se sentou na cadeira que tinha na escrivaninha do computador, ele estava muito preocupado comigo.

— Meu mundo acabou a partir do momento que eu vi os dois juntos — comentei, limpei uma lágrima que caía. — Nunca pensei que ele faria isso comigo, logo ele...

O moreno suspirou.

— As pessoas vão se mostrando quem são de verdade aos poucos, talvez ele só esteja com raiva de você e fez isso para te provocar.

— Talvez — comentei, olhei para a janela e iria começar uma tempestade daquelas. — Vai chover, acho que o céu está triste também. Ainda bem que não estou sozinho nessa, pelo menos você está aqui comigo.

Kai deu um sorriso fraco.

— Eu te prometi que ficaria do seu lado, não prometi?

Assenti com a cabeça.

— E aquele soco que você deu no Chanyeol? Não sabia que você era desses — falei com humor, tentando esquecer momentaneamente a tristeza que eu estava sentindo.

— Eu não sou de brigas, só não gosto de ver uma pessoa que eu gosto chorando. Eu protejo as pessoas que são importantes para mim, eu faria de novo sem pensar duas vezes — ele disse confiante, deixei escapar um sorriso.

— Você é incrível Kai, obrigado...

— Imagina, você é a pessoa mais incrível que eu já conheci Baek. Você passou tanta coisa sozinho, calado, e ainda se mantém de pé, eu aposto que não foi fácil passar por tudo isso — neguei com a cabeça, realmente não era fácil. — Mas você precisa tirar proveito disso, aprender a crescer com os chutes que a vida te dá, cada chute a gente aprende a ficar mais forte, logo mais você será o Super Baekhyun Fortão — ele disse com humor, colocando as mãos na cintura.

— Estou mais para um saco de pancadas de tanto soco e chute que a vida tem me dado — respondi.

— Não diga isso, mais pra frente você vai rir de tudo isso e perceber que essas coisas fizeram de você uma pessoa melhor, mais forte, escreve o que estou te falando. — O garoto levantou e se sentou na ponta da cama. — Como você está se sentindo? Quer que eu faça alguma coisa para você comer?

Neguei com a cabeça.

— Se eu falasse que estou bem, eu estaria mentindo. Está doendo muito aqui dentro. — Apontei para o meu peito. — Nunca senti tanta dor como estou sentindo agora, eu não sei o que fazer daqui pra frente...

— Você tem que seguir em frente! — ele me interrompeu. — Não vou ficar te dando sermão agora. Sei que você está mal, então vamos esquecer isso, nem que for por enquanto. Tudo bem?

— Sim, estou cansado de falar disso, só quero esquecer por um momento tudo que aconteceu hoje cedo — bocejei, essa história estava me deixando cansado. — Acho que estou ficando com sono, talvez eu durma um pouco.

O moreno se levantou.

— Vou para a minha casa então, quando acordar e quiser minha companhia, sabe onde me encontrar — ele sorriu.

Kai estava prestes a dar o primeiro passo, mas eu segurei sua mão impedindo que ele continuasse. Ele me olhou sem entender.

— Fica aqui comigo, por favor — pedi fazendo cara de choro.

Ele deu um sorriso tímido.

— Tudo bem, eu fico então. — O garoto se sentou na ponta da cama novamente, mas eu o puxei para mais perto, basicamente o puxei para o meu lado. Ele se deitou do meu lado de uma forma tímida. — Mas o que? 

— Deita aqui comigo, por favor. Preciso de você perto de mim — respondi, vi o rosto dele mudar de cor, ele estava ficando corado, será que eu o deixei sem jeito? — Deita aqui do meu lado Kai. — Bati no travesseiro do lado do meu, ele se arrumou na cama e se deitou do meu lado, um pouco afastado de mim, acho que ele tinha medo de chegar muito perto de mim por medo do que eu fosse pensar, mas eu não conseguia ver malícia nele, eu o via como um amigo incrível. — Bobo, chega mais perto. — Me deitei de bruços e puxei o moreno para mais perto, colando nossos corpos, estávamos de conchinha.

— Baek... tudo bem ficarmos assim? — ele perguntou nervoso.

— Shh, não se preocupa com isso — respondi, fechei meus olhos e senti os braços do Kai me envolverem em um abraço, era muito bom ficar naquela posição. Estávamos compartilhando o calor dos nossos corpos. Ficar com meu corpo colado no do Kai parecia ter feito meu coração se esquentar, não totalmente, mas parte dele, eu tinha sorte de tê-lo na minha vida.

Ainda com os olhos fechados, fiquei pensando em tudo que aconteceu essa manhã, foi o pior dia da minha vida de fato. O que eu deveria fazer? Desistir do Chanyeol e de tudo que nós tivemos, ou, continuar gostando dele e ficar chorando pelos cantos? Porque querendo ou não, depois que ele começou a namorar a Kim, ele se tornou muito estúpido, eu quase não o reconheci hoje, era uma pessoa totalmente diferente da que eu conhecia, ou jurava conhecer. Ele jogou fora tudo que tivemos, mas eu joguei antes, não porque eu quis, mas mesmo assim, isso não justifica o fato dele ficar com a pessoa que eu mais odeio no mundo, ele podia ter ficado com qualquer outra pessoa, mas porque com ela? Por quê? Espero um dia conseguir entender tudo, mas esse dia não seria hoje.


Notas Finais


Não me matem:(

Tenham uma linda semana meus bolinhos ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...