História Segredos e Mentiras - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Alice, Amor, Doce, Filho, Homens Mais Velhos, Miguel, Ódio, Paixão, Traição, Vingança
Visualizações 12
Palavras 835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Um romance diferente dessa vez e está claro na diferença de idade entre o casal principal, além das vinganças, traições que ocorrem no decorrer da trama.

Boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Segredos e Mentiras - Capítulo 1 - Prólogo

Braços fortes me envolveram me fazendo despertar do sono profundo, abri meus olhos com as pálpebras pesando toneladas e fitei a pessoa que me abraçada esperando que fosse Miguel mas senti meu corpo gelar, uma sensação semelhante a uma faca me perfurando várias vezes quando notei que era seu irmão mais novo, Fabrizio sorriu satisfeito e se inclinou um pouco para beijar meu rosto mas eu recuei e descobri que estava nua e apressei em me cobrir com a primeira coisa que encontrei. Seu sorriso de satisfação aumentou.

- Ainda mais bela do que me lembrava. - sua voz era cínica com uma mistura de desejo.

Tentei me lembrar da noite anterior mas tudo não passava de um borrão escuro, sem forma, sem nexo.

- O que houve? - perguntei num fio de voz.

Me sentia suja, usada e o fato de não lembrar de nada me deixava pior. Fabrizio se espreguiçou, não tinha intenção de sair da cama ainda, muito à vontade.

- Fizemos amor, você implorou, Alice, por acaso não se lembra?

Senti um caroço se formar em minha garganta e minhas bochechas pegando fogo, fiz que não com um maneio de cabeça, fechei meus olhos tentando me lembrar da noite anterior mas só havia um vazio profundo, uma parte apagada da minha memória. Respirei fundo e notei que tremia, quando Miguel descobrisse ele me destruiria. Não era forte o bastante para suportar perdê-lo.

- Por favor não diga nada a Miguel. - praticamente implorei.

Fabrizio ia dizer alguma coisa quando a porta do quarto se abriu de súbito e Miguel entrou no quarto, sua expressão era de choque ao ver Fabrizio na cama sem camisa e eu me cobrindo com uma toalha que peguei sobre a poltrona, ele olhava de um para o outro como se não acreditasse no que via e quando sua expressão mudou para fúria eu soube que estava perdida, ele avançou na direção de Fabrizio e o tirou da cama com socos e pontapés, mas o outro apenas gargalhava cinicamente xingando em italiano. Quando o expulsou nu do quarto ele fechou a porta com uma batida forte e olhou para mim, me encolhi contra a parede, lágrimas queimando em meus olhos. Miguel se aproximou de mim e segurou meu maxilar forçando-me a encará-lo, não havia vestígios do meu marido o homem que aprendi a amar, seu olhar era de ódio, fúria, revolta as feições lindas de seu rosto estavam contorcidas pela cólera. Ele estava muito próximo, tanto que sentia seu perfume, sua respiração quente e forte, Miguel era mais alto, forte e ameaçador...

- Pegue suas coisas e saia dessa casa agora. - vociferou.

- Ma-mas...

- Sem mas, vá embora ou não me responsabilizo pelos meus atos!

Quis implorar, me ajoelhar mas pelo olhar que me lançou sabia que nada disso faria diferença, Miguel me encontrou seminua com seu irmão na cama e somou um mais um. Meu coração estava dilacerado, aquele dor insuportável, medo, incerteza... Eu o amava, ele era meu marido o homem que me ensinou a amar, me entregar sem reservas, que me fez forte. Seu ódio doía em mim como a dor de chibatadas. Ele soltou meu maxilar, se afastou e se dirigiu a porta, ao abrir sua mãe estava ali, a mulher me deu um olhar severo de puro desprezo ao certo já sabia o que havia acontecido.

- Quando eu voltar não quero vestígios de sua presença aqui. - disse friamente, sua voz me atingiu em cheio.

- Garantirei que essa imoral saia dessa casa e não leve nada além do que lhe pertence, meu filho. - a senhora garantiu ao mesmo.

Miguel passou por ela deixando o quarto, eu estava em choque, sentia muito medo. A senhora entrou no quarto e trancou a porta, era uma mulher elegante, mas havia uma aura de frieza ao seu redor, ela parecia uma vilã de desenhos animados e sempre a temi desde que cheguei aquela casa, ela nunca me aprovou e sempre me humilhava por mais superflúo que fosse o motivo.

- Sempre foi inadequada para meu filho, agora trate de fazer as malas e sumir daqui.

E foi o que fiz, arrumei uma mala as pressas jogando tudo que podia sob seu olhar frio e indiferente. O motorista veio pegar a mala, ele me levaria para onde quisesse, saí daquela casa com um peso no coração, não havia sinal da presença de Miguel em lugar algum, julguei que não estaria ali. Antes de entrar no carro olhei para a mansão onde morei nos últimos meses, Gianna a irmã de Miguel me olhava com pena através da alta janela e Lucia, com todo seu ódio e desprezo fechou a porta. Entrei no carro e no interior isolado chorei, sentindo uma dor que ultrapassava as barreiras do físico, não sabia como seria minha vida daqui pra frente sem Miguel, sem seu amor, sem seu toque, sem seu beijo e o futuro me assustou... Uma vida sem ele não poderia ser considerada vida.

Estava perdida.

 


Notas Finais


O que acharam?
Até a próxima, HotKisses!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...