História Segredos entre as Dimensões - Capítulo 36


Escrita por: ~ e ~AniGeeLonNerd

Postado
Categorias Doctor Who, Sherlock, Supernatural
Personagens 12º Doctor, Castiel, Crowley, Dean Winchester, Dr. John Watson, Jenny, Jim Moriarty, Mary Morstan, Molly Hooper, Mrs. Hudson, Mycroft Holmes, Personagens Originais, River Song (Melody Pond), Sam Winchester, Sherlock Holmes, The Master
Exibições 10
Palavras 850
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Famí­lia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 36 - Novos caminhos


Amelia-Eu não acredito! A TARDIS é real... e maior por dentro mesmo!

Sam-(se aproximou devagar com medo e receio) Amelia... eu sinto muito... por tudo isso se não fosse por mim você estaria bem agora

Amelia-Sam (ela o observa por alguns segundos e decide abraça-lo) Nada disso é culpa sua e eu o perdoo por qualquer coisa que se ache culpado

Sam-eu fui embora sem te falar nada, eu pensei que deveria te deixar ser feliz

Amelia- Sam o Don morreu de verdade... foi morto pelos daleks... na minha frente

Sam-Eu sinto muito...

Amelia-Obrigada eu... não sei o que pensar mas... Sam eu acho que algo quer que fiquemos juntos, parece que temos uma nova oportunidade e... se você quiser eu quero ficar com você...

Sam-Você viu o que enfrentamos, esse é o meu trabalho, caçar monstros e isso é muito perigoso não quero te colocar em perigo

Amelia-Eu sei de tudo isso e estou disposta a aceitar essa parte da sua vida, eu entendo que as pessoas precisam como eu precisei mas você não respondeu minha pergunta

Sam-Na verdade tenho pensado muito em você ultimamente, mais até do que eu gostaria de admitir e... eu ainda amo você e... já que está disposta a aceitar tudo isso... eu também quero ficar com você

Amelia o  beijou satisfeita com a resposta e Sam aceitou o gesto sem sentir nenhuma culpa, como se Amelia tirasse todas suas preocupações e finalmente eles estavam juntos de novo. A Doctor sorriu mais uma vez pela felicidade de seu neto e dando uma outra olhada, verificou se todos estavam ali até dar falta de Eliora, a irmã de Castiel que eles mal conheceram mas os ajudaram muito. De volta ao túnel que a pouco tempo havia se tornado um campo de batalha, a consciência de Eliora a trouxe de volta para lá, na esperança de que ela conseguisse salvar a última vítima que os daleks atacaram. Ela se ajoelhou ao lado do homem que estava desmaiado e tocou sua testa, curando todo resquício dalek. O homem, na verdade era um adolescente de 15 anos, Mark, abriu os olhos lentamente e logo estranhou a moça que o olhava com uma certa curiosidade.

Mark-O que aconteceu? Quem é você?

Eliora-Você foi atacado por minha culpa, eu sinto muito mas você vai ficar bem agora, eu tenho que ir

Mark-Espera aí explica melhor o que aconteceu

Eliora-Não sei se acreditaria em mim ou na minha história

Mark-Sério eu acreditaria, vim aqui atrás de um monstro ou alienígena ou os dois num só e só lembro de ter desmaiado e acordado agora, se sabe o que aconteceu por favor me conte

Eliora-Acho que você merece saber a verdade

Mark-Tudo bem, primeiro temos que sair daqui

Eliora-Isso não é problema

Num piscar de olhos eles foram pra cima, na rua

Mark-Ah! (ele deu um grito assustado) O que é você?

Eliora-Eliora, sou um anjo do Senhor

Mark-Mark Blackstorn (estende a mão ainda assustado) por favor me explique o que é tudo isso enquanto  tento voltar pra casa

Eliora-Eu vou acompanha-lo.

Então ela contou a Mark tudo que havia acontecido desde sua missão de proteger aqueles que os daleks atacassem até a batalha contra eles Mark ouviu com atenção, primeiro assustado, mas depois empolgado, querendo anotar tudo o mais depressa possível em seu diário de campo para os Homens de Letras.

Mary acordou com a visão ainda embaçada depois de ter dormido por um bom tempo. Perto dela, ela conseguiu distinguir duas pessoas, uma mulher baixa, de cabelos lisos e castanhos, usando um sobretudo preto sobre uma camisa xadrez e calças largas. Ao lado da mulher, estava um homem alto, seu peito e braços eram largos, seu cabelo loiro caía ao lado da testa e ele usava uma camisa branca com colete e calça preta.

Mary-Esse sonho de novo não... vocês não são meu pai e minha mãe

Riv-Bem... agora posso imitar seu pai sem parecer esquisito

Doctor-Hahaha engraçadinha digo engraçadinho... trocamos de lugar por alguns séculos por assim dizer

Mary-Então... quer dizer que aquela regeneração foi real?! Sabem de uma coisa ? Vocês tem sorte de eu ser adulta, se eu fosse criança minha cabeça explodiria, literalmente!

Riv-(rindo) Imagino... a minha entrava em pane todos os dias comigo crescendo ao lado dos seus avós

Mary-E como ficam as coisas agora? Sherlock sabe de tudo, vocês desse jeito...

Doctor e Riv se entreolham

Doctor-Não me olhe assim... você que é a detetive aqui... sabe como é de detetive pra detetive

Mary-Pai eu quis dizer se estamos salvos agora e se Sherlock vai continuar nos achando malucos ou vai acreditar daqui pra frente

Doctor-Não sei minha princesinha... Pelo menos ele se lembrou de que é humano e agiu como um final

Riv-Aproveite pra descansar enquanto pode Mary, você sabe como nossa família é, mas vamos estar aqui pra te defender

Mary-(sorriu) Algumas coisas mudam mas com certeza vocês são meu pai e minha mãe

Riv e Doctor sorriram e Doctor cobriu sua menininha para ficar aquecida enquanto Riv beijava sua testa como eles faziam quando ela era pequena e saíram do quarto.


Notas Finais


Gente mais uma vez me desculpa por isso mas é tudo culpa da Litexully ela que quis transformar a River Song em homem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...