História Segredos Entre Sol e Lua - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor Gay, Gay, Principe, Romance, Romance Gay, Segredos
Exibições 27
Palavras 1.955
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Violência, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Vamo que vamo

Capítulo 20 - Quem é vivo sempre aparece


~ Patrick

_ Majestade, devo lhe dizer que o senhor é mais bonito e elegante do que ouvi falar. - falou Joanne

_ Obrigado senhorita Joenne, também compartilhas de uma beleza única. - que naquele momento eu não estava encontrando.

_ Que gentil majestade, eres um verdadeiro conquistador, diga me o que mais lhe fascina em minha pessoa? - maldição, nem se eu gostasse de mulher teria coragem de prosseguir.

_ Seus... Seus... Olhos - falei sem graça e com um sorriso falso.

Não ficamos conversando muito tempo, logo foi embora, suspirei aliviado quando ela se foi.

_ MAGNÓLIAAAA. - chamei.

_ Sim magestade!

_ Falta muito para acabar? - perguntei para ela fazendo biquinho.

_ Mais 5 senhoritas e está livre. - falou ela gentilmente.

_  Porque eu tive essa ideia idiota? - falei descrente pois não aguentava mais.

_ Pathi, Pathiiii - quando ouvi essa pequena voz me abaixei e fui abraçar Molly, aquela pequena princesinha.

Molly e Lúcio sempre vieram me visitar depois da morte de Lector, talvez ficar sozinhos naquela mansão enorme não fosse a melhor coisa para a saudade, eu e Molly criamos uma linda amizade, ela era minha princesinha, uma das minhas mulheres queridas, ela era como uma irmãzinha, eu sei que tenho irmão, mas ela era diferente, tão lindinha e educada, realmente parecia uma jovem dama.

_ Molly, pequena! - falei pegando a nós meus braços.

_ Desculpe, estamos atrapalhando? Molly não queria esperar para ver Path! - falou Lúcio cordial e elegante.

_ Não tem problema, sempre vou ter hora para ela! - falei fazendo careta com ela.

_ Magestade o senhor tem exatas uma hora para o próximo encontro, irei pedir para que tragam um lanche para os três imediatamente. - falou Magnólia antes de se retirar com uma referência.

Sinalizei para que Lúcio se sentasse e me contasse sobre seu pai, ele estava ainda muito abalado mesmo já se passando dois anos.

_ Ele está melhor do que antes, para ele sempre vai ser mais forte, ele ainda se sente muito culpado pois ele estava encarregado de proteger o Lector, mas e você Path? Depois da sua coroação você anda mais ocupado  do que nunca imagino.- falou Lúcio.

Minha coroação foi um completo desastre segundo todos da burguesia pois eu não tinha uma rainha, fiz meu discurso e fiz meu povo ou parte dele ter fé em mim.

_ Não muito, esperava mais trabalho, no entanto quero saber o que está acontecendo dentro do conselho, por causa de obrigações urgentes nao consegui participar da última reunião. - falei enquanto deixava Molly brincar com meu cabelo.

_ A mesma falace dos velhos conselheiros, que você tinha que encontrar uma rainha digna para o reino logo, mas Pene, Henry e eu não deixamos eles terem voz.

_ Obrigado Lúcio, sinceramente nem uma das candidatas até agora não me interessou, quando não são fúteis são burras como uma porta e todas perfeitinhas de mais eu não consigo. - falei suspirando.

Eu e Lúcio ficamos conversando e comendo os petiscos que uma de minhas empregadas trouxe durante toda a minha hora livre, quando me dei conta disse foi quando Magnólia me chamava para a visita da jovem moça que me esperava no salão de visitas, eu me despedi da pequena Molly e de Lúcio me retirando logo em seguida.

Entrei na sala pedindo desculpas pelo atraso, a bela moça sorriu e aceitou com um movimento delicado com a cabeça, ela tinha belos cabelos castanhos claros olhos da cor do mais fino mel, seus labios rosados não continha nem um enfeite, seu rosto quase não havia maquiagem, suas jóias eram simples não muito chamativo, seu vestido de um delicado azul era deslumbrante.

_ Alteza, me chamo Ella, Ella Storm, sou filha do Barão de Felincian, é um prazer conhece lo pessoalmente. - falou ela com voz serena e suave como veludo.

_  O prazer é todo meu senhorita Storm, devo lhe dizer está estupenda! - falei educadamente.

_ Sinto me lisonjeada, com tal elogio vindo de vossa majestade. - falou ela delicada tão espontânea.

Ella era tão natural e espontânea mesmo sendo delicada e altamente educada, ela seria uma rainha maravilhosa, nossa conversa foi muito prazerosa, mas fomos interrompidos por Magnólia que falou que havia outra senhorita me esperando, então formalmente me despedi, no entanto ela me parou.

_ Me desculpe majestade, mas infelizmente sou obrigada a fazer isso por minha família e por minha terra natal, por favor entenda! - falou ela afrouxando seu vestido no decote.

_ Senhorita Storm!? - falei assustado.

Ela rasgou o babado de seu vestido mostrando suas roupas íntimas, fiquei totalmente sem reação, eu não sabia o que fazer.

_ Por favor deixe me ser a genitora de seu dependente majestade! - falou ela tirando a parte de cima do vestido e colocando suas mãos sobre meu pescoço.

Suas curvas delicadas, sua pele macia como pêssego poderia fazer qualquer homem ir a loucura, mas eu não sentia nada. Ela me beijou delicadamente com um pouco de vergonha e determinação.

_ Volteeeeei... E estou saindo... - falou uma voz, uma voz conhecida, Melisa!

_ Mel!? - falei constrangido. - espere!

Me desvinculei da moça e abri a porta onde Melisa estava virada constrangida e do lado dela... Do lado dela... Uma lágrima caiu do meu rosto,  meus joelhos falharam, cai de joelhos no chão.

_ Le... Le... Lector!? Você está vivo! Está vivo. - falei sentindo as quentes lágrimas caindo de meu rosto.

_ Rei Patrick! - falou ele em uma referência.

_ Por que está falando assim comigo? - perguntei descrente.

_ Desculpe alteza falei desrespeitosamente? - falou Lector ainda curvado em referência.

_ Vocês se conhecem? - perguntou Mel, ela estava completamente diferente da garota que eu conhecia. - maldição eu esqueço, Lector perdeu a memória ele não sabe!

_ Perdeu a memória? - perguntei tentando me recompor.

_ Sim magestade! Não me lembro de nada do meu passado, por isso estou aqui. - falou ele relaxando.

_ Lector, sou eu Path! - falei o abraçando ainda chorando por saber que meu amado estava vivo.

_ Me desculpe Majes... Path eu não consigo me lembrar de você! - falou ele um pouco triste, mas não me retribuiu meu abraço.

_ Se continuar assim vou voltar para o exército, vi que não sentiu minha falta! - falou Mel com ciúmes.

Eu ri, dei um abraço nela tão forte que quase a derrubei.

_ Senti sua falta, quando foi embora quase mandei um exército para te trazer de volta. - falei.

_ Você não sabe quantas vezes eu quis voltar, chorei sozinha frustrada, mas ergia a cabeça com suas palavras. - falou ela me apertando.

Nosso re encontro foi interrompido por um pequeno anjo caído que havia tentado me fazer sexo com ela.

_ Desculpe vossa majestade. - falou ela baixinho saindo toda acabada e morta de vergonha.

_ Senhorita Storm, espere! Não posso lhe deixar sair assim, fique um pouco mais, mandarei trazer roupas novas e depois conversamos. - falei.

Me virei para Lector, dei um sorriso forçado pois estava muito triste por ele não se lembrar de mim, no entanto determinado pois eu faria isso.

_ Venham, seus irmãos e seu pai precisam saber que está vivo. - falei.

Avisei a Magnólia que  iria resolver assuntos urgentes de última hora e que desmarca- se meus últimos encontros. Pedi uma carruagem para nós levar até Lúcio.

_ Será como Ted está? E o menino? - perguntou Mel.

_ Que Ted? Que menino? - perguntei sem saber do que ela estava falando.

_ O irmão do Lector! - falou Mel.

_ Não, os irmãos dele são Lúcio e Molly, ele é filho dos Castels. - falei

_ Pensei que Henry era o único filho dos Castels, a senhora Castel era infértil. - falou Mel ainda tentando entender.

_ O senhor Castel teve um caso antes do casamento com uma mulher, com quem teve 3 filhos, quem mantiveram em segredo pois o pai dele mataria todos se descobrisse os netos bastardos, depois da morte dele o senhor Castel começou a procurar seu verdadeiro amor e seus filhos, no entanto ele tinha sido obrigado a casar com sua falecida esposa, os dois tinham chegado no consenso a anos que se Castel encontrasse seus filhos eles os criariam. - falei contando toda história que ouvi de Lucio e Henry.

_ Nossa, surpreendente! - falou ela olhando Lector que me olhava como se me tivesse examinando, não vou mentir senti excitado com aqueles olhos verdes me fitando.

Quando chegamos bati na enorme porta que logo foi aberta por empregados, de lá dentro veio Molly aos pulos para cima de mim, mas foi então que ela viu!

_ Manao? Irmaozao? Você não foi pro céu? Papai e Lúcio me disseram que você tinha ido para o céu, senti sua falta, nunca mais vai pro céu sem mim por favor!? - falou Molly se desvinculando de mim e correndo para o irmão.

_ Molly, há Molly, minha princesinha, como eu poderia ir e deixa lá minha pequena, eu sempre estarei com você Molly, me desculpe ter partido. - falou ele como se lembrasse. - onde está papai e Lúcio?

_ Então no quarto do papai, papai não anda muito feliz desde que você foi embora e fica falando que a culpa é dele. - falou Molly.

Lector correu pela escadaria e foi até o quarto de seu pai, eu e Mel o seguimos, ele se lembrava, ele estava se lembrando, isso era bom, talvez ele se lembre de nós!

_ Papai, Lúcio eu estou aqui! - falou ele abrindo a porta brutalmente.

_ Lector !? - falou os dois juntos.

_ Meu filho! Você está vivo, mas como, eu te vi cair no mar, eu pensei que havia o abandonado, te procurei por dias sem sucesso, me desculpe, me desculpe por ter falhado com você meu filho. - falou o senhor Castel usando toda sua força para abraçar o seu filho.

_ Papai, nao foi sua culpa, porem eu estou bem e estou aqui, não vou a lugar nem um por enquanto, trate de se cuidar por favor. - falou Lector abraçado ao esqueleto do pobre pai débil.

_ Sim meu filho. - falou o senhor Castel.

Lúcio não conseguiu dizer nada apenas abraçar e chorar, Lector o abraçava com ternura e o acalmava.

_ Eu estou bem irmão, não chore, eu estou bem! - falou Lector agarrado a Lúcio.

Eles ficaram se curtindo por várias horas, era emocionante, Mel e eu os deixamos a sós e fomos para o salão, Mel me contou de como se conheceram e como se reencontraram, me contou que foi promovida para tenente coronel e que  ela havia acolhido Lector o treinando por um tempo, ele era major, fiquei espantado, pois ela havia conseguido chegar onde chegou sem ajuda de nome ou recomendação premiada.

_ Então você já fez o que estou pensando? - falei com olhar maléfico.

_ Ainda não, mas logo. - falou ela.

Lector saiu do quarto e foi a nosso encontro, descia a escada sempre olhando para mim, já estava ficando desconfortável.

_ Mages... Patrick! Podemos conversar a sós? - falou ele com um sorriso mostrando a covinha linda que ele tinha.

Eu me levantei e fui até ele, nem acreditava, ele devia ter se lembrado de mim, meu coração estava a mil, parecia que ele iria ter um infarto.

_ Rei Patrick, muito obrigado por cuidar da minha família em minha ausência, me sinto muito envergonhado por não conseguir lembrar do senhor, mas prometo que tentarei me lembrar, sinto que essas memórias são importantes! - falou Lector se ajoelhando em referência para mim.

_ Soldado, levante por favor! Me chame como me chamava antes de partir e perder a memória, Path, e mesmo que não se lembre do nosso passado eu me lembro e lhe ajudarei a se lembrar. - falei com um sorriso.

Saímos da sala como se fossemos amigos, mas eu sabia que éramos mais do que isso, muito mais que isso é se eu quisesse que voltasse a sermos como antes teria que conquista ló novamente e eu tinha uma ideia de como fazer isso.


Notas Finais


Comentem e favoritem para me ajudar amores e vamos ver no que essa história vai dar ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...