História Seguir em frente - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias David Luiz, Oscar Emboaba
Tags David Luiz, Futebol!, Geezer, Romance
Exibições 205
Palavras 1.800
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, gente!!!!! O capítulo do aniversário do Oscar teve recorde de comentários, chegamos aos 16 favoritos e 200 visualizações. UHU! AMEI os últimos comentários, foram bastante motivadores. Obrigada :)))

Aviso logo que se segurem porque vem aí a maior treta da fanfic até agora e ela é muito importante para o andamento da história. Depois vocês entenderão o motivo. hahaha

É isso aí! Boa leitura. xx

Capítulo 5 - Aquele do redemoinho


Acho que acordei no paraíso. Senti a respiração de David no meu pescoço e aquilo me arrepiou por inteira. Virei-me para ver seu rosto que já estava com um sorriso enorme. Ele não cansa?! 

- Bom dia, dorminhoca. Eu tenho que ir - ele disse fazendo bico - tenho treino.

- Dia de domingo? Que tipo de pessoa trabalha dia de domingo?

- Eu. David Luiz Moreira Marinho. Prazer - ele disse e nós rimos - é um treino rápido, o professor quer treinar umas jogadas táticas porque o campeonato vai começar. Eu volto pra gente almoçar junto, se você quiser, é claro. Qual sua comida preferida?

- Japonesa. - eu disse sem pensar duas vezes.

- Tá bem. - ele beijou minha testa - até mais tarde.

- Ei, obrigada por cuidar de mim ontem. -eu disse e ele sorriu como resposta antes de ir embora

Acho que a cama ficou enorme sem ele aqui. (...)

 

Fui acordada novamente com um barulho que parecia vir da sala. Olhei no relógio do celular, eram 13h15. David deve ter voltado do treino e está tentando arrumar a mesa pra gente comer. Fui ao banheiro, tomei o banho mais rápido da vida e finalmente fui ver o que estava acontecendo. Para minha surpresa, não era David e sim, Thomas. A mesa estava lotada de comida e no canto da sala havia uns cacos de vidro, o que explica o barulho que me acordou. 

- Tom? O que você tá fazendo aqui?! - eu disse surpresa.

- Mai, te acordei, ahm? - ele falou e veio para me abraçar. - Precisamos conversar.

- Pode falar.

- Olha só, não fala nada. Me deixa terminar, tá? Eu pensei muito antes de vir aqui te dizer isso - ele pegou um buquê de rosas que estava em cima da mesa e eu não tinha percebido -  Antes de começar, me desculpa por tudo. Principalmente por não ter aberto o jogo antes. Mas é que eu ainda namorava com a Carol quando a gente se reencontrou, tudo bem que já estávamos em crise, mas, enfim. Quando terminei o namoro e decidi que era hora de te contar aí..

- Como assim? Me contar o que? Isso tá ficando cada vez mais estranho. - eu disse

- Espera. Me deixa terminar, por favor. - assenti com a cabeça - foi nessa hora que eu decidi te contar mas você veio com aquele papo de que não queria saber de homens nem tão cedo e de como era bom me ter como amigo. Eu não tive coragem de contar com medo de estragar tudo, então fui levando com a barriga. Fomos nos aproximando mais e mais e eu conheci outro lado seu mais bonito ainda e a coisa toda foi virando uma bola de neve. Minha vida de solteiro também é boa e como você nunca queria ficar com ninguém, de certa forma me confortava. Mas eu não aguento mais esconder isso, tá bom? É.. é que.. eu sou apaixonado por você. Não sei se você pensa em mim como eu penso em você, mas a gente já se conhece tão bem, tenho certeza que íamos dar certo. 
 

Sabe quando você toma um susto grande e a voz some? Acho que aconteceu comigo. Não consegui dizer uma só palavra. Como assim o Thomas apaixonado por mim? Esse tempo todo ele sempre ficava com as garotas mais bonitas de Londres e parecia feliz com aquilo. Será que eu to sonhando e daqui a pouco vou acordar e..

Thomas se aproximou de mim tão rápido que derrubou o buquê que ainda estava em suas mãos. Ele juntou nossos lábios e eu fiquei ainda mais paralisada. Quando percebi o que estava acontecendo e tentei me desvencilhar, só pude ver os cachinhos dourados na porta me olhando com a maior cara de decepção do mundo. Era a segunda vez que o via mudar de semblante e incrivelmente o Thomas era o culpado nas duas vezes. Só então percebi que a porta estava aberta esse tempo todo e ele ia fazendo a volta pra ir embora quando eu segurei seu braço.

- Espera, David! Não é nada disso que você está pensando. - falei 

- Não é nada disso que eu estou pensando? Qual é a tua, heim? Quer saber? Deixa pra lá. A gente não tinha nada mesmo, né? Você é livre pra ficar com quem quiser. Só que eu tô fora disso - ele disse com firmeza e desvencilhou-se de mim na maior facilidade possível. Enquanto ele ia em direção ao elevador eu olhei pra Thomas

- Fala pra ele, Thomas! Fala a verdade. - ele continuou estático. Nem uma palavra se quer. Eu já não via mais David e tudo parecia querer desmoronar a agora.

- Porque você não falou nada? - comecei a gritar- quando foi que você virou esse tipo de pessoa?

- Você só não acha que eu ia te entregar de bandeja pra ele, né? Eu ainda tenho um pouco de auto-estima.

- Me entregar de bandeja? por acaso você acha que eu sou um objeto? - ele ficou calado-  Porra! Deixa pra lá. Eu não quero saber. Vai embora. Vai EM-BO-RA! Me esquece. - Fui até a porta a fim de fazê-lo sair.
 
Ele fez o caminho até a porta e ao passar por mim disse: - Você está fazendo a maior burrada da sua vida. E eu não vou estar te esperando quando você quebrar a cara com esse otário. Já me falaram que o namoro dele com aquela tal de Sara Madeira é tipo iôiô. Sempre terminam e acabam voltando, você vai ser só mais uma. - ele disse por fim e eu fechei a porta com toda a força que tinha. 
(...)
 

 

Quase uma semana tinha se passado depois daquele dia e eu ainda estava tentando entender tudo que aconteceu. Primeiro eu fiquei bêbada e paguei o maior micão na frente do David e ainda dei em cima dele. A gente se beijou e ele dormiu aqui em casa. Thomas veio e falou que sempre foi apaixonado por mim, me roubou um beijo e o David viu tudo. Acabamos uma coisa que nem tinha começado. Pensei muito nele esses dias, não vou negar, mas eu não sabia como consertar isso. A gente ficou uma vez e só.  Não tinha isso de relacionamento. 

Mandei uma mensagem pro Thomas um dia porque não tinha coragem de falar pessoalmente. Disse que o amava mas como amigo, que nunca tinha pensado na hipótese de nós dois juntos e apesar do que ele fez comigo, sem querer falar a verdade quando foi confrontado, eu não podia apagar tudo que ele já tinha feito por mim. Sei que ele não vai querer me ver tão cedo, mas espero que um dia possamos voltar a ser o que a gente era. 

Estive pensando em ir falar com o David também mas ainda estava amadurecendo a ideia. Por enquanto, tratei de me ocupar com o trabalho e esfriar a cabeça. Por falar nisso,  tudo corria bem na empresa. Agora eu era oficialmente nível 2 e estava me dedicando bastante para conseguir subir de nível novamente. Tentei fazer amizade com o pessoal de lá, não era o meu forte mas contando que agora minha única amiga era a Kate, eu precisava socializar com mais alguém. Não deu muito certo. As pessoas que falavam comigo antes de ser promovida de repente me viraram a cara. Sempre ouvi falar que esse tipo de coisa acontecia mas nunca dei bola, só que agora ocorria comigo.
(...)

Na sexta-feira de manhã, quase lendo meus pensamentos, Ludmila me ligou chamando para ir assistir um jogo de Chelsea x Fullham no Stamford Bridge. O campeonato que o David falou tinha começado e acho que ela ainda não sabia do acontecido, o que foi ótimo, pois não me julgaria. Eu não tinha nada pra fazer e decidi ir. Coloquei uma blusa do Chelsea que ganhei dos meninos, um short jeans rasgadinho e meu adidas superstar de guerra. Fazia calor em Londres e isso deveria ser aproveitado.

- Acho que vir não foi uma boa ideia - falei para Ludmila.

- Sério? Por que? - ela disse preocupada. Percebi que tinha falado demais e disse a primeira coisa que veio à cabeça.

- Não estou me sentindo bem. Acho que vou adoecer - não sei se ela acreditou. A verdade é que ver David me deu um nó na garganta. Lembrei do nosso beijo, de como ele foi carinhoso comigo e do nosso "fim" tão inesperado.

- Melhor a gente ir, então. Só vamos esperar pra ir no vestiário porque eu preciso falar com o Oscar e a gente vai embora, tá?

- NÃO! - falei e só depois percebi que minha voz saiu mais alta do que o esperado.

- Tem alguma coisa que eu não estou sabendo e você quer me contar? - ela falou com tom de preocupação

- É que... - resolvi ser sincera- aconteceu uma coisa. Bom, é que... através da campanha eu fui me aproximando dos meninos e comecei a reparar no David, mas nunca tinha dito nada a ele. No dia da festa da casa de vocês que eu fiquei um pouco bêbada, ele foi me deixar em casa e me ajudou até o efeito do álcool passar um pouco. A gente acabou se beijando e ele passou a noite lá. Não rolou nada demais, só dormimos na mesma cama aí no outro dia, parece coisa de filme mas acredite porque é verdade, um amigo meu chegou lá e se declarou pra mim, me roubou um beijo e o David viu tudo, aí ele pensou que eu tava querendo curtir com a cara dele e foi embora. 

- Nossa, parece coisa de novela meeesmo - ela disse - isso explica porque de uma hora pra outra ele parou de falar de você. 

- Ele falava de mim? 

- Falava como você era engraçada naturalmente e essas coisas. Ahm... Isso explica também porque a Sara veio e..

- A Sara veio? Eles voltaram?

- Sim e não sei. Oscar me contou que ela apareceu de surpresa e que estava disposta a se ajeitar de uma vez por todas com ele mas não sei no que deu.

Resolvi não falar mais nada. Só pedi para me deixar em casa e ela disse que depois explicava a Oscar porque tinha ido sem falar com ele. Bom, já que David resolveu se acertar com a Sara, ótimo. Ele merece ser feliz mesmo que não seja comigo e vamos e convenhamos, eu não teria chance alguma se fosse disputar com ela. Pelo que sei, eles namoram há mais ou menos 6 anos e eu acabei de chegar. Acho que no fim das contas Thomas estava certo.
(...)


Notas Finais


E aí, genteeeee? Confesso que deu uma dorzinha no coração com esse fim do capítulo mas a culpa toda é do David por ser mais esquentado que tudo, né? E o Thomas? Não sei se ele tem culpa ou não hahaha

Estou ansiosa pra saber o que vocês acharam!!! Aguardem os próximos e eu o feedback! Beeeijo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...