História Segunda chance para amar.(NAMJIN,VHOPE E JIKOOK) - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Got7, Namjin, Vhope E Jikook
Exibições 246
Palavras 2.431
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi meu povo.
Foi mal por não ter postado semana passada, eu tava com dificuldade pra terminar o capitulo.
Bom, o negócio tá meio sei lá o que, mais prometo que vai melhorar :)

ATESÃO: Não passem mal no final capitulo gente

Capítulo 23 - Teoria da conspiração


Fanfic / Fanfiction Segunda chance para amar.(NAMJIN,VHOPE E JIKOOK) - Capítulo 23 - Teoria da conspiração

Jungkook on.

- Jimin! – eu o chamava pela decima vez enquanto andávamos corredor.

Como sempre meu celular não parava de apitar com as mensagens do Yugyeom. Eu tentava ignorar mais ele apitava a cada 5 segundos e isso deixou o Jimin irritado, ele tentou pegar o celular mais eu não deixei e isso o deixou mais irritado ainda. Ai eu nem preciso explicar o resto né. O Jimin simplesmente me deixou para traz e foi embora. Agora eu tô correndo atrás dele feito um idiota e o coiso não para trás de jeito nem um.

  - PRAK JIMN PARA DE ANDAR SEU MERDA! – gritei e ele se virou olhando pra mim incrédulo pelas minhas palavras como várias pessoas pelo corredor, Jimin se aproximou de mim e eu engoli em seco a sua cara de ódio dele.                                                                                 
                  - Do que você  me chamou?                                                                                               
                   - Chamei de merda. – disse irritado, se ele queria brigar eu jogar o jogo dele. – Para de agir que nem uma criança birrenta.                                                                                                
                 - Eu? – o vi rir sem gosto. - Você já se olhou no espelho Jungkook, a única criança aqui é você! – ele disse meio alterado e eu me assustei. – Você vai fingir até quando sobre quem fica te ligando ou mandando mensagem a cada 5 minutos, me diz Jeon Jungkook.

 Arregalei os olhos e ele me encarava serio, eu sabia que tinha que me desculpar por isso mais estava tão alterado como ele.

- O que você quer que eu faça. – passei a encará-lo. – Eu não quero que você arranje problemas por minha causa Jimin, eu sempre fui um problema que você tem que resolver, mais dessa vez quero fazer isso sozinho.                                                                                           
                  - Você é idiota. – bufei irritado mais ele parecia não se importar. – Você nunca foi um problema pra mim Kook, pelo contrario, eu sempre me senti a pessoa mais sortuda do mundo quando você me deu um chance para te amar.

 Suas palavras tocaram o um coração e eu comecei a chorar e ele me abraçou, eu sabia que não devia ter medo por ele, mais não conseguia deixar de ter. Jimin é a primeira pessoa que eu amei depois do Yugyeom e só de pensar em perde-lo meu coração fica apertado.

- Confie em mim Jungkook, por mais que você esconda as coisas de mim eu vou sempre estar com você, por você.

Jimin selou seus lábios no meu e eu passei meus braços envolta do seu pescoço, no começo era um beijo calmo mais logo foi se torando mais urgente e ele apertou a minha cintura.

   - Estamos no colégio Jimin. – o lembrei.                                                                              
                 - Não importa. – ele sorriu pra mim e eu fiz o mesmo. – Confia em mim? – assenti e ele me puxou pelo corredor.

  Jungkook off.

  Namjoon on.

- Eu não acredito!

“ Só podia ser piada de mal gosto,  mais que merda! Por isso o meu namoro foi por água baixo.” Encarei o Suga por alguns estantes e passei a mão no cabelo nervoso, olhei para o Bambam e ele parecia assustado com a minha reação, eu não conseguia acreditar no que esses dois tinham acabado de me contar. Jaebum é um filho da puta manipulador mesmo, não era de admirar que o Bambam nunca foi com a minha cara, ele pensava que aquele mau comido era meu ex e que eu abusava fisicamente dele. “ Muito esperto JB, mais o teu castelo vai cair.”

-Mozão deixa eu ir ai que eu mato essa bixa despeitada por ter enganado o meu hyung. – Jackson dizia pelo viva voz do meu celular.

Suga tinha me pedido para que eu ligasse pra ele quando o Bambam começou a contar das coisas que o JB disse pra ele, e o Jackson surtou e queria por que queria vir até a faculdade matar o JB, sorte aquele mimadinho que o Mark estava com o namorado na hora que eu liguei, se não a essa hora o Jackson estaria no carro dele vindo pra cá.

- Jack calma, certo que muita coisa é culpa do JB mais eu também acabei contribuindo com isso mesmo que sem querer.                                                                                              
                - Toma no cu Namjoon, vai ficar do lado daquele idiota agora? – Jackson berrou no
  celular.                                                                                                                                                 
                 - O Nam tem razão.                                                                                                              
                 - Vai se foder também fantasma. – ri do comentário dele e Suja bufou.                                         
               - Amor tenha calma. – Mark dizia tentando acalmar a fera.                                               
                -MK se você ficar do lado deles eu te deixo na mão pelo resto do ano. – “ Pense em uma pessoa barraqueira o Jackson.”                                                                                                        
                - Não abro mais á minha boca.                                                                                            
                  - É bom mesmo. – revirei os olhos com a pequena briga de namorados. – O que você vai fazer agora Mozão?                                                                                                                      
                  - Não tenho a minima ideia.

“Era uma boa pergunta, mesmo com que eu fiz no elevador do nossos prédio tenha sido ousado, eu não sabia se aquelo tinha feito o Jin me odiar ou não.”        

-Se o Jackson me deixar falar eu tenho uma ideia. – Mark disse e eu escutei o Jack bufar do outro lado da linha como se fosse um consentimento para que o namorado continuasse a falar. – Trás o Jin  pra casa Namjoon.                                                                        
             - Pra que? – Suga perguntou sem entender e eu também não estava diferente dele.                       
            - É simples, meus cunhado se apaixonou pelo Namjoon aqui, quem sabe não funciona outra vez.                                                                                                                                  
               - Mark o que você fumou amor.                                                                                                       
               - Pode funcionar. - Disse. – Jin é muito sentimental e acho que pode dar mesmo certo.                 
             - Eu acho esse ideia sem pé nem cabeça. –“Ô cara do contra.” – Mais se você concorda Mozão eu não sou contra, mais tem uma coisa. – “ Lá vem.” – Seja totalmente sincero com os seus sentimentos com o meu hyung, por que eu tiver que escolher entre vocês dois desse vez, eu não vou pensar duas vezes e fazer o que eu deveria ter feito as anos e ficar do lado do Jin.                                                                                                                                
                  - Eu de prometo que vai dar certo Jack.

 Ele desligou e eu voltei o mais olhar pro Bambam que continuava nervoso, me aproximei do próprio e estiquei a minha mão pra ele que ficou sem entender nada.

   - Quero lhe agradecer. –falei e ele ficou sem entender mais ainda. – Mesmo que você tendo feito várias coisas erradas você só fez para proteger o Jin, e eu te agradeço por isso.                
                - Acho que você é um idiota mesmo. – ele riu. – Como pode não está com raiva de mim?                                                                                                                                                   
               - Quem disse que eu não estou? -  falei e ele parou de rir na mesma hora. – Se fosse por mim eu já teria te jogado pela janela.                                                                                       
                - Namjoon! – Suga brigou comigo e eu comecei a rir.                                                             
               - Relaxa Suga, eu não vou fazer nada com o seu namoradinho. – disse e ele me fuzilou com os olhos. – Você é o melhor amigo do Jin, Bambam, eu nunca faria algo pra magoa-lo.

 Bambam segurou minha mão e sorriu e eu fiz o mesmo. Eu não avia mentido quando disse que queria joga-lo pela janela, mais não acho que seria só o Jin que ficaria com raiva de mim, pois o Suga estava atento a cada passo que eu dava. “ Sabia que ele era afim do Bambam, mais é melhor deixar isso quieto por enquanto.”                                                                                   

Hamjoon off.

Hoseok on.

 Eu estava indo para a minha sala quando vi Youngjae se aproximar de mim, eu não estava afim de aguentar as brincadeiras dele hoje mais não tive muita escolha quando o próprio esbarrou em mim.

- Que é isso Hoseok, não tá me vendo não. – ele sorria e eu queria fazer ele engolir os dentes.                                                                                                                                          
              - Por que não vai atormentar outro Jae, suas brincadeiras já estão me tirando a paciência.                                                                                                                                   
             - Nossa, o senhor alegria tá estressadinho hoje. – ele se aproximou de mim e eu sabia que isso ia dar merda. – Cadê o Tae, Hoseok, eu não o vi hoje e já tô com saudades de ver aquele corpinho lindo dele.

Meu sangue ferveu e eu o encarei raivoso. Jae queria me manipular e fazer com que seus joguinhos me fizesse terminar com o Tae, só que não á ninguém que consiga fazer isso se depender de mim.

- Ele teve que resolver uma coisa Jae. – sorri e ele levantou uma sobrancelha desconfiado. – Sabe, eu gostaria muito de saber como você sente saudade de um corpo que nunca foi seu. – disse e ele parecei assustado.                                                                                  
                  - Do que você tá falando?                                                                                                    
                - Oh, muita gente na faculdade não sabe, mais meus pais são médicos que nem os do Jimin. – meu sorriso aumentou quando o vi entender o que eu queria dizer. – No dia que o Tae chegou na minha casa e me contou tudo o que vocês “fizeram” eu o levei até a minha Omma Jae.                                                                                                                                       
                 - Vo… - o interrompi.                                                                                                           
                - Eu não terminei de falar. – coloquei as mãos nos bolsos e ele me olhava possesso. – Tae fez todos os exames e não deu em nada, você sabe o que eu quero dizer com isso?                    
               - Você não tá querendo dizer que nunca fizeram nada. – ele deu uma risada alto e eu permaneci sorrindo sem me afetar.                                                                                               
                 - Eu sou passivo com ele Jae. – disse e ele arregalou os olhos. – Muita gente acha o contrario mais não é, Tae é virgem e a minha Omma me comprovou isso quando eu contei toda a historia á ela. – “ Eu só queria poder tirar meu celular do bolço para fotografar a cara de expando do Jae.” – Você não transou com ele, e eu tenho provas disso como também tenho suas digitais na roupa intima do meu namorado. – me aproximei mais ainda dele e sussurrei no seu ouvido. – Tente algo do tipo outra fez com o Tae, e as coisas que eu tenho comprovando que você drogou e sequestrou ele vão fazer você parar na delegacia.                           
                  - Está me ameaçando Hoseok? – ele me encarou serio mais dava pra ver que Jae estava nervoso. – Sabe de quem eu sou filho?

Eu sabia muito bem, mais eu não deixaria mais ele ficar brincando comigo e com o Tae. Youngjae já tinha se divertido muito com a gente por um mês inteiro, e eu não iria deixar ele continuar com isso.

- Eu sei sim, todo mundo sabe, e também sei que estamos em plena campanha para a reeleição do seu Appa não é. – retruquei e ele se calou. – Você não quer que seu Appa descubra o que você tem aprontado certo? – ele não disse nada e eu ri baixo. – fique longe do MEU namorado Jae, ou eu farei com que você pare na cadeia ou pior levarei tudo para o seu Appa.

O deixei ali e fui para minha sala, eu nunca fui de ameaçar as pessoas mais no casso do Jae ele só iria parar se eu fizesse algo, claro que eu nunca iria expor o Tae a esse tipo de coisa mais o Youngjae não precisava saber, então não tinha nada de errado usar sua própria armas contra ele.

Hoseok off.

Jimin on.

Retirei meus dedos quando vi que ele já estava pronto e o penetrei devagar, Jungkook era sensível e eu não queria correr o risco de machucá-lo. Seus gemidos foram aumentando a cada estocada mais forte que eu me afundava em si, e não demorou muito para eu tocar seu pondo doce o vendo arquear as costas e soltar um grito. Sorte nossa que estávamos no banheiro  mais afastado da faculdade, não que eu estivesse me importando na hora mais não queria ser expulso da faculdade por estar transando no banheiro.

- Eu vou ah…  

Aumentei a velosidade enquanto apertava a sua cintura, e não demorou muito para que ele gozasse me apertando, então aumentei as estocadas e um tempo depois gozei gemendo no seu ouvido, senti seu corpo amolecer nos meus braços e sentei no vaso com ele no meu colo.

 - Será que alguém ouviu a gente Jiminie? – Kook dizia ofegante.                                            
              - Eu não me importo se tiverem escutado. – falei rindo e ele revirou os olhos.                               
              - Você não presta Jimin.

Jungkook me deu um breve selar e se levantou do meu colo me tirando de dentro dele. Ele saio da cabine e eu fiquei ainda sentado, ainda estava sentindo o meu orgasmo quando o sinal tocou me fazendo bufar alto. Kook voltou para cabine já vestido e limpo e selou meu lábios outra vez.

- Acho que vou na frente. – ele disse e eu me levantei do vaso.                                                          
              - Eu vou com você.                                                                                                           
                 - Não, você vai se limpar também e depois vai pra sua sala.                                                 
               - Kook…- ele me interrompeu.                                                                                              
               - A minha sala e bem perto daqui, e fora que você ainda tá cheirando a o que fizemos. – ri o beijando e apertando a sua bunda. – Jimin! – ele disse alto e eu o soltei.                                              
              - Tá, me desculpe por você ser gostoso. – Kook revirou os olhos e saio rindo.

Depois da comversa que eu tive com o Jungkook a minutos atrás resolvi não deixar o Yugyeom me  afetar, ele era passado e não seria o futuro do Kook nem o meu. Levantei o rosto depois de está completamente limpo e vestido  e vi a praga pelo espelho

- Vocês dois são muito escandalosos sabia.                                                                          
              - Inveja? – o alfinetei e ele riu.                                                                                             
             - Na verdade não. – ele se aproximou e eu me virei ficando de frente pra ele. – Oh. Medo?                                                                                                                                              
              - Não, mais não gosto de ficar de costas para tipos que nem você. – ele sorriu de lado e me encarou.                                                                                                                                
             - Relaxa Jimin, eu não vou fazer nada. – ele foi até a pia ao lado da minha e lavou as mãos as enxugou com o papel e voltou a olhar pra mim. – Pelo menos não agora.

Yugyeom saio do banheiro e eu bufei alto, esse filho da mãe tem que me atormentar toda hora.

Jimin off.

Jin on.

 Já tinha tocado o sinal e o Tae avia me arrastava para terraço da faculdade, confesso que nunca tive medo de altura, mais ficar em um lugar que não tem nem um proteção ao redor me deixava assustado. Ele foi para perto da beirada e eu me afastei o máximo que pude, não queria saber o quando alto nós estávamos.

  - Você tem que ver o quão alto nos estamos Jin. – neguei freneticamente e ele riu enquanto passeava pela beirada do prédio. - Se eu te fizer uma pergunta você seria sincero comigo?                                                                                                                               
               - Claro Tae, você sabe que não á mentiras entra a gente. – falei e ele sorriu.                           

  - O que você faria se eu tentasse pular do prédio da faculdade? – ele disse sorrindo pra mim e pulou.


Notas Finais


Eita meu povo.
Gente só pra lembrar que matar a autora significa ficar sem saber o que vai acontecer no próximo capitulo. :)
Me desculpem pelos erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...