História Segure minha mão, me salve - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan, Bts, Jikook, Romance, Vkook, Yaoi
Visualizações 83
Palavras 2.488
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Estou triste porque acabou. Fiquei até meio que adiando pra escrever pq era o fim.
Já tenho outra VHope em andamento se alguém quiser ver. É recheada de Jikook.
Boa leitura

Capítulo 13 - Epílogo


Fanfic / Fanfiction Segure minha mão, me salve - Capítulo 13 - Epílogo

POV Jimin

Quando chego na porta do apartamento de Jungkook, Taehyung já está lá, aos prantos, sinto como seu fosse desabar ali mesmo.

- O que tá acontecendo? Alguma notícia?

- Não Jimin, só achei aqui essa carta, é de despedida... Eu não sei pra onde ele foi Jimin, mas ele vai se matar, isso se já não...

- NÃO, não ouse falar isso. – agora eu que começo a chorar. – Preciso encontrá-lo, ele não pode ter feito isso, não pode. Não sem eu dizer pra ele tudo que sinto.

Tae me entrega a carta e eu leio rapidamente.

"Mãe, pai, irmão, Taehyung e Jimin, vocês são as únicas pessoas nesse mundo com quem me importo e que conseguem trazer um pouquinho de luz pra escuridão da minha alma. Tenho tentado a muito tempo viver como uma pessoa normal, mas hoje eu sei que não tenho mais vontade de continuar.

Não que a ideia de continuar me seja avessa, não. Creio que a vida é bela e multifacetada, apenas não posso participar dela. Imagine conviver com uma dor eterna e infindável. Se você é capaz de imaginar isso então é possível que tenha um vislumbre da minha vida.

Por que estou desistindo agora? Simples! Porque tantos anos de tentativas frustradas me mostraram que a guerra está perdida. Eu fui um soldado: aguentei coisas que pessoas normais teriam se destruído para escapar, enfrentei horrores inomináveis, que fariam alguns se retorcerem de medo. E tudo isso enfrentei sozinho, e meu choro só foi ouvido pelo silêncio.

Cumpri minha missão como soldado. Deixo aqui minhas palavras finais a todos vocês, que nunca conseguiram compreender a profundidade da minha dor: eu invejo vocês, pois vocês tem algo que eu nunca pude ter.... paz de espírito.

Amo todos vocês e espero que possamos nos reencontrar um dia. Então com outros olhos nos conheceremos, com outras bocas nos falaremos e com outros corações nos amaremos. Sejam fortes, e sejam felizes. A vida é incrível. A dor me derrotou. Faço aqui então minha última continência. Nasci um soldado, e como soldado morrerei. Minha missão falhou, mas eu tentei até o final.

Ass. Jungkook"

Eu não consigo parar de chorar, isso não podia estar acontecendo, era um pesadelo e eu ia acordar a qualquer momento, tinha que ser isso. Minha cabeça está a mil, enquanto tento imaginar o que ele pode ter feito. E sim, só podia ser isso, era o único lugar que me ocorria.

- Taehyung, espera aqui, eu acho que sei onde ele pode estar.

Corro desesperadamente para o elevador, afim de subir até o terraço do prédio. Aquele lugar que Jungkook tanto gostava, no qual até já havíamos feito amor. Olho ao redor e não vejo ninguém, meu deus, não permita que eu tenha chegado tarde demais.

Mas num canto do meu lado direito o garoto alto e forte está em pé bem na beirada do edifício, com os braços abertos, olhos fechados e o vento batendo em seu belo rosto. Me aproximo muito devagar, para não assustá-lo.

- Jungkook, por favor... – digo quase em um sussurro.

- Será que como estou próximo da morte um anjo já veio me buscar? – ele diz, sem abrir os olhos.

- Não, eu tô aqui de verdade Kookie-ah, sai daí, eu imploro.

- Sabe hyung, eu penso em fazer isso já faz tanto tempo, mas sabe por que eu escolhi hoje? Por que fazia tanto tempo que eu não era feliz, e você me devolveu a alegria, então antes que isso tudo pudesse acabar, eu decidi que seria bom afinal, morrer feliz...

- Se depender de mim isso nunca vai acabar, eu quero cuidar de você pra sempre... Eu te amo.

- Mas você também ama o Jin. Eu vi você com ele.

- Não Kookie, eu o amo mas é de um jeito diferente, o único homem que eu quero é você!

- Não tente me enganar pra eu desistir Jimin – ele ainda está exatamente na mesma posição, e ainda não abriu os olhos. – Não existe motivo nenhum pra uma pessoa tão especial quanto você amar um fracassado como eu...

- Isso não é verdade, você não é nada disso, e eu também não sou especial. Você não entende Jungkook.

- Então me explique, por que você me ama? – finalmente ele olha pra mim.

Meu estomago fica embrulhado e meu coração acelerado, eu nunca fui bom nisso, não sabia como organizar as palavras, e como dizer pra ele o que eu sentia. Mas eu tinha que fazer isso, era crucial, a vida dele estava em jogo.

- Kookie-ah, acho que desde que me entendo por gente eu me pergunto o que é amor? E quando amei pela primeira vez parecia que eu estava navegando em um oceano de transformações, tudo me assustava demais. Será que eu saberia lidar com as estações da minha vida? – ele continua em silencio, me encarando – O Jin foi uma dessas estações, um outono agradável, que veio seguido de um inverno terrível. Meu coração estava congelado e eu achava que nunca mais sentiria nada, e nem me importava com isso. Mas você foi capaz de derreter todo esse gelo, e novamente eu fiquei assustado.

Jungkook se afasta da beirada e senta no chão a minha frente, totalmente sem expressão. 

- Que foi? – eu o abraço.

- Continua Jimin, quero que fale tudo...

- Hoje eu não tenho mais medo de te amar, eu sei que isso é a coisa certa. Por você eu nunca mais me sentiria triste, eu faria o sol brilhar todos os dias, pode ser a coisa mais clichê desse universo, mas eu te daria o mundo, eu nunca mais seria frio, porque eu te amo como nunca amei antes. Só de imaginar que você pudesse estar morto eu morri por dentro também. Uma vez ouvi uma música que se encaixa muito bem com o que eu quero te dizer, eu desejo pra você todo o amor que há nesse mundo, mas acima de tudo, eu desejo que esse amor seja meu...

Jungkook vai dizer algo mas eu o interrompo, ainda não terminei.

- Espera... eu sempre me senti trancado num mundo que não foi feito pra mim, eu sempre sorri por fora, mas por dentro gritei em silêncio, esperando por um sinal pra quebrar as paredes do meu auto controle. E você foi esse sinal, com você eu pude demonstrar que eu não queria viver como a sociedade espera que eu viva, que eu não sou uma ferramenta dessa engrenagem, que eu sou único no mundo. Você foi como um príncipe me acordando com um beijo, para a realidade que eu poderia viver do jeito que eu quero. Eu escutei muitas vezes você dizendo que eu tinha que te salvar, da escuridão da sua mente, mas não é verdade. É você quem me salva a cada dia, desde que entrou em minha vida, eu preciso de você Kookie, mais do que você pode imaginar...

Agora que percebi que Jungkook está chorando, na ansiedade de dizer tudo nem me dei conta.

- Hyung, eu te amo tanto. Nunca imaginei que se sentia assim...

Naquele momento nos beijamos, e eu seguro ele com força, demonstrando o medo que tive de que ele realmente caísse, me deixasse, foi o pior sentimento que já tive em minha vida.

- Vamos entrar Kookie, o teu amigo tá lá embaixo desesperado por notícias.

Quando entramos Taehyung praticamente pula em cima dele, me deixando um pouco enciumado, eu confesso.

- Ah meu G-Dragon amado, que bom que você tá bem Kookie, eu morri de preocupação!

- Tudo bem Tae, o Jimin conseguiu me encontrar no exato momento que eu ia...

- NÃO, eu não quero nem ouvir isso, nunca mais! – repreendo ele, de forma um pouco bruta até.

- Desculpa hyung, prometo que nunca mais vou fazer você sofrer! – ele diz, abraçando minha cintura.

- Já que está tudo bem eu vou deixar os dois pombinhos, se cuidem. – Tae se despede.

Passo o resto da noite cuidando do meu amado, dando carinho e amor, que ele me devolve na mesma proporção. Finalmente sinto que estamos bem, que o passado ficou pra tras e que tudo vai dar certo.

------&&&&&------------

2 anos depois

POV Jungkook

Ainda era inacreditável acordar ao lado dele, parecia um sonho sem fim. E ele sempre já estava acordado, me olhando dormir. Quando eu abria os olhos ele acariciava minhas bochechas, e depois as cicatrizes nos meus braços. Era quase como um ritual.

- Dormiu bem baby? – ele me perguntou.

- Depois da noite que tivemos, dormi mais que bem hyung.

- Que bom. – ele ainda fica envergonhado quando falo assim. – Temos que nos arrumar pro almoço de hoje, vamos levantar?

Era domingo e a gente teria uma festinha em família.

- Ainda é cedo, acho que dá pra você me fazer bem de novo hyung. – digo marotamente.

- Você é um provocadorzinho Jeon Jungkook.

Pego a mão dele e coloco em meu membro, fazendo-o me acariciar por cima da boxer.

- Eu não consigo resistir hyung, você é muito gostoso. – mordo meu lábio.

Jimin já começa a ficar corado, daquele jeito que ele fica quando vai mudar de personalidade. Ele me beija com força, invadindo minha boca com sua língua, e enquanto uma mão me masturba suavemente a outra puxa meu cabelo com força. Respondo com um gemido rouco, que deixa ele ainda mais excitado.

- Como pode, mesmo com mais de dois anos juntos eu ainda tenho esse tesão louco como se fosse a primeira vez. – ele sussurra em meu ouvido.

Aos poucos o mais velho vai descendo, distribuindo beijos por toda a extensão do meu tórax, se dedicando mais aos meus mamilos. Quando ele liberta o meu pau daquela cueca apertada ele já está molhado em antecipação. Jimin chupa minha glande com vontade, com aquela boca deliciosa, que sempre me deixava louco, ao mesmo tempo em que aperta minha bunda.

- Ahhhh Jimin, isso é tão bom.

Ele prossegue com o oral, me engolindo por inteiro e massageando meus testículos suavemente, o que me faz gritar de prazer, quase explodindo de tanto tesão.

- Goza na minha boca seu safadinho, eu sei que você gosta. – ele pede me olhando nos olhos.

Não consigo resistir e encho sua boca com meu prazer, vendo sua expressão de satisfação por me fazer feliz.

- Vira! – ele me ordena, não dando nem tempo de eu me recuperar.

Fico de quatro pra ele, sempre obediente, levando mais um tapa forte.

- Essa bunda é tão durinha, caralho! Só de olhar pra você meu pau fica explodindo de vontade de te foder. – Jimin ataca, beijando e mordendo toda a região, até se concentrar em minha entrada, que já está quente e piscando de tanto desejo. Sentir Jimin ali dentro era uma sensação indescritível.

- Está pronto bebê? – ele pergunta.

- Sim hyung.

- Então pede! – ele adorava me ver submisso.

- Por favor Hyung! – eu choramingo, e ele dá mais um tapa.

- Fala!

- Me fode, quero sentir você inteiro dentro de mim hyung. – não aguento mais de desejo.

Ele entra com força, me fazendo gritar mais uma vez. Quando ele se abaixa e aproxima a boca do meu ouvido, sinto seu abdome perfeito contra minhas costas.

- Tudo bem? – ele estala um beijo em meu pescoço, por mais que ele goste da brutalidade nunca deixa de ser um cavalheiro.

- Sim Jiminie – respondo já rebolando, e ele entende o sinal.

Segura meu quadril com força e mete com vontade, me fazendo gemer como um louco, perco totalmente o controle, agarrando o lençol com força, o vai e vem dele me deixa em êxtase. Quando ele puxa meu cabelo sinto meu pau ficar ainda mais excitado, e Jimin o segura com força, acariciando toda a extensão dele com suas mãozinhas fofas. Ele tira seu membro latejante de mim e eu protesto.

- Hyung!

- Ele faz eu me virar de frente pra ele e coloca a mão na minha boca.

- Quieto! Coloca as pernas sobre meu ombro.

Atendo prontamente ao seu pedido, e ele me penetra ainda mais fundo, e mais gostoso, atingindo pontos que me fazem revirar os olhos. Eu aproveito para alisar e arranhar seu abs e seu peitoral tão gostosos e definidos, e ele gosta muito, porque passa a me foder com ainda mais força gemendo meu nome.

- Jungkook-ah, eu não aguento mais... Você é muito bom.

- Vem meu amor, pode vir que eu também estou pronto.

Quando sinto os jatos dele dentro de mim eu também tenho meu segundo orgasmo, gemendo em seu ouvido. Minhas pernas chegam a tremer, estou exausto, e adoro essa sensação.

- Agora vou me arrumar. - Olho para ele sorrindo, e ele já voltou a ser o fofinho de sempre.

- Tudo, bem vamos logo senão eu não vou querer ficar o dia todo aqui com você.

----------------------&&&&&&&&-------------------

POV Jimin

Chegamos na casa de Tae e Hoseok, e meu crianção já vai direto jogar bola com as crianças e o Tae. O casal amigo de Jungkook, que agora eram meus amigos também, haviam adotado gêmeos, um menino e uma menina. 

- Eles são uns bebês mesmo né! – Hoseok me recebe sorrindo.

- Tão fofos! – digo orgulhoso.

- Acho que o Jungkook vai ser um ótimo pai, assim como o Tae é. – o mais velho diz.

- Também acho, quem sabe um dia né...

- E aí viados, Yoongi na área. – meu amigo chega já causando.

- Oi hyung, cadê a Jennie? – pergunto da namorada dele.

- Ah, vocês sabem que ela tem um horário muito cheio, não podia vir. – Yoongi estava namorando com uma cantora, que ele conheceu através dos contatos de V e Kookie na empresa. Ele devia estar apaixonado mesmo, pra suportar ter um relacionamento tão complicado com uma garota que mal tinha tempo pra respirar.

- O almoço já está quase pronto tá. Oi Chim! – Jin vem da cozinha, com um avental que o faz parecer uma mãe de família.

- Tudo bom Jin? – lhe dou um abraço.

Jin voltou pra Coreia e rapidamente se tornou CEO de uma grande companhia de hotéis, ele amava seu trabalho, mas ainda estava solteiro por ter medo das pessoas se aproximarem dele só por dinheiro.

- Tem noticias do Nam? – pergunto pra ele.

- Ele está super bem, mandou um beijo pra todos, e disse que em breve vem nos visitar.

Namjoon terminou os estudos e foi morar no Brasil com sua agora esposa. Ele sempre mandava pra gente várias fotos de lugares maravilhosos, e nós já estávamos planejando uma grande viagem em grupo para lá.

Sentamos na mesa grande que os Kim/Jung montaram no quintal, e almoçamos, conversando animadamente sobre a vida de todos, parecendo uma grande família feliz, o que de fato éramos. Antes eu nunca teria imaginado quem meu futuro seria assim, mas com certeza era muito melhor do que eu jamais sonhara. Finalmente encontrei o lugar ao qual pertenço. 



Notas Finais


Espero que tenham gostado pessoal. Eu amei escrever a fic e vou ficar com saudades dela 😓
Bjos e muito Jikook pra vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...