História Sehun, O LuFan - HanHun - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Lu Han
Personagens D.O, Kai, Lu Han, Sehun, Tao
Tags Boyslove, Exo, Fanboy, Gay, Hanhun, Hunhan, Jongin, Kaisoo, Kyungsoo, Lemon, Lufan, Luhan!top, Luhanseme, Sehun!bottom, Sehun!uke, Show, Yaoi, Zitao
Visualizações 178
Palavras 3.250
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olaaaaa
Feliz dia das crianças pra todo mundo. Mesmo se vc for maior de 18, somos todos crianças. Parei.

Como está sendo o feriado de vocês?
Hoje é aniversário do meu filhote Park Jimin wgabjsjausha estou sensível, mas vamos lá.

Estou pensando em fazer um outro extra mais para frente(ligado a Chanbaek dessa fic) ou uma one shot, não sei...
Também já estava pensando no plot da próxima fic e acho que será Xiuchen, não sei ainda. E irá demorar para sair porque vou entrar em hiatus mais uma vez, não me matem por favor.

Muito obrigada a todos que acompanharam a fic, obrigada pelos comentários tbm, tia Maddie ama vocês ♡♡♡. Vocês tem um lugarzinho guardado no meu coração.
Agora vamos lá...

Leiam, comentem, favoritem.


BOA LEITURA

Capítulo 8 - -Extra-


Depois de 5 anos, aqui estou eu, lindo e pleno dono de uma agência de modelos e dono de uma das maiores redes de roupas de grife da China.

Ai vem a pergunta: "E o Luhan?"

Depois daquele escandalo todo, ele recomeçou sua carreira em uma nova empresa. Uma empresa maravilhosa que não julga seus artistas pela sexualidade. Ele perdeu alguns fãs mas os verdadeiros continuaram e hoje Luhan ainda é um dos maiores cantores chineses.

Nós ainda estamos juntos, e resolvemos não casar.

O que é um papel da prefeitura perto do sentimento que nós compartilhamos um com o outro não é mesmo?

Há 3 anos atrás, adotamos nossa princesinha, a Anna. Ela é um doce de criança e está com 7 aninhos.

O casal Kaisoo ainda está morando na China. Jongin virou coreógrafo na empresa nova do Luhan, Kyungsoo abriu uma confeitaria e minha filha não sai de lá por causa dos bolos maravilhosos do hyung. Eles ainda adotaram um menino 4 anos atrás, seu nome é Baekhyun e ele tem 14 anos, típico adolescente entrando na puberdade. Kyungsoo tenta até prender o moleque para ele não fazer besteira, mas tenho minhas suspeitas com esse menino. Anna ama o "primo" os dois são realmente amigos, apesar da diferença de idade. Ela o trata como irmão mais velho e isso é lindo, até porque o Baekhyun tem um carinho especial por ela.


(...)


— Pai, quando o Papai Luhan vai voltar? — A pequena Anna diz deitada no meu peito. Luhan está em turne e está a 3 meses longe de casa. "Ah mas porque vocês não foram juntos com ele?", Anna tem escola... Ai temos que ficar na China né.

— Em breve, Anninha. Você quer conversar com ele por vídeo? — pergunto e a pequena se anima e diz que sim.

Pego meu celular e inicio uma chamada de vídeo com o mozão.

Ele atende e logo sua cara de sono aparece na tela, meu "marido" é lindo.

— Oi amores da minha vida, como estão? — Luhan diz sorridente.

— Eu to bem papai e você? Quando volta? Vai trazer presente para mim?

— Eu volto em breve, meu amor. Estou levando presente de cada país que passei.

— Ebaaaaaa. — a menina grita animada e Luhan da risada.

— Está em um avião? — pergunto reparando o local em que Luhan está.

— Estou sim, Hunnie. To indo pra outro país. Estou com tanta saudades de vocês, da próxima vez vocês vão ter que vir comigo, nem que eu tenha que levar um professor na bagagem para dar aulas para a Anna.

— Mas papai, professores não cabem em malas. — Anna diz inocentemente fazendo nós dois segurarmos a risada.

— Eu sei, pequena. Estava só brincando. Mas eai Anninha, está se comportando?

— Eu até estou, papai. Mas o pai Hun não está! — ela diz e eu a encaro confuso.

— Como assim, filha? — Luhan pergunta curioso.

— O pai Hun não deixa eu dormir na casa dos tios Kaisoo, nem na confeitaria do tio Soo eu to podendo ir.

— Que coisa feia, Sehun.

— Em minha defesa, se deixar, essa menina se muda pra casa dos Kaisoo! Aposto que é só porque o Kyungsoo te da doce de graça né sua pestinha? Fora que você ta comendo muito doce, mocinha.

— Ah então o pai Hun ta certo, filha. Você não pode ficar comendo tanto doce, vai fazer mal e ai vamos ter que te levar no hospital para você levar injeção... — Luhan diz e Anna arregala os olhos ao ouvir a palavra injeção.

— Eu não quero injeção.

— Então manera nos doces, filha. Ah e Hunnie, deixa ela dormir lá pelo menos hoje. Ela deve estar sentindo falta do Baek.

— Ahh Luhan, assim você não me ajuda né.

— Vaiiiii por favor Paiiii. Eu juro de dedinho que vou me comportar.

— Hmmmm... Okay, eu vou ligar para o Jongin e ver se você pode ficar lá. — digo e a garotinha começa a comemorar.

— Amor, tenho que desligar agora. Jajá vou desembarcar. Beijos para os dois e se cuidem.

— Se cuida também, Hannie e mande notícias. Eu te amo.

— Eu te amo mais, bebê. — o mais velho desliga e eu suspiro.

— Agora deixa eu ligar para o Jongin, antes que a senhorita comece a me encher o saco. — digo olhando para Anninha e ela ri.


(...)


— Tio nini, o Baek ta em casa?

— Ta sim, vai lá no quarto dele e chama ele. Ele está estudando com o Chanyeol. — Anna sobe as escadas correndo me fazendo gritar com ela.

Essas crianças...

— Jongin, você não acha que o Baekhyun está tendo alguma coisa com esse Chanyeol?

— Olha, o Soo disse a mesma coisa, mas eu acho que são só amigos. O Baek ainda é muito novo...

— Jongin, na idade dele, eu arrastava os meninos pro meu quarto falando que ia estudar e não pegava em um caderno... Pegava em outra coisa...

— Vai se foder, Sehun. O Baek não é que nem você não. E se eles namorarem no futuro, eu vou adorar. Chanyeol é um bom menino.

— O Soo ainda está na confeitaria?

— Sim, ele está trabalhando muito. A confeitaria ta fazendo muito sucesso e ele nem tava dando conta. Teve que contratar mais gente para trabalhar pra ele.

— Daqui a pouco ele vai ter que aumentar aquilo ali. É bom ver que o Soo ta fazendo o que ama e que está dando certo. — Jongin concorda. 

Logo Anna aparece na sala com cara confusa. Ih...

— Tio nini, O Baek ta namorando o Yeol?

— Que eu saiba não, Anninha. Por quê?

— Eu vi eles encostando as bocas que nem meus pais fazem. — Ela diz e eu encaro Jongin, rindo. Eu avisei.

— Espera que eu vou subir lá rapidinho. — Jongin diz.

— AFF Jongin, não empata a foda do seu filho.

— Cala a boca Sehun. Ele tem 14 anos!!!


(...)


Acabou que Jongin deu bronca no Baekhyun por estar beijando o Chanyeol de porta aberta e que a Anna não podia ver aquilo pois é inocente...

Chanyeol foi embora constrangido mas antes beijou Baekhyun na frente de Jongin deixando o mesmo perplexo. Essas crianças de hoje em dia são ousadas...

— Bom, Jongin, vou para a casa. Se essa mocinha der trabalho, me ligue que eu venho buscá-la.

— Ela nunca da trabalho, Sehun. Pelo menos alguma coisa boa você tinha que fazer né, educou bem ela.

— Só não vou mandar você ir para aquele lugar, porque a Anna ta ouvindo. Boa noite filha, se comporta e obedeça os tios. Amanhã venho te buscar.

— Vem na parte da tarde, ai você já almoça aqui.

— Ai que ótimo, comida do Soo. Venho mesmo. Tchau Jongin, tchau Baekhyun e ah, se quiser umas dicas para usar com o Chanyeol, me liga. — digo e Baekhyun joga a almofada em mim. Peste...


(...)


Chegando em casa, sinto uma sensação estranha. Espera… a luz do meu quarto está acesa, ai caralho eu tenho certeza que desliguei a luz antes de sair. Pego o vassoura e subo para meu quarto.


Narradora on

Sehun adentra o quarto com cuidado, segurando a vassoura. Do nada alguém o agarra por trás e ele se espanta soltando a vassoura no chão e gritando de um jeito nada másculo.

— ME SOLTA TARADO, EU VOU GRITAR E OS VIZINHOS VÃO CHAMAR A POLÍCIA!

Você vai gritar mesmo, bebê. Mas vai ser o meu nome. — Sehun arregala os olhos e se vira rapidamente agarrando Luhan e o beijando.

— Seu desgraçado, queria me matar do coração? Você não estava indo para outro país?

— Eu queria fazer uma surpresa, Hunnie. Não me mate por isso. Depois conversamos, agora quero matar a saudade que eu to de você, meu amor.

Luhan então começou a morder o pescoço de Sehun enquanto decia suas mãos para as coxas firmes do coreano, apertando-as.

O mais velho então, aproxima sua boca da de Sehun e os dois iniciam um beijo cheio de saudade e desejo.

Sehun passou as mãos ao redor do pescoço do chinês, que apertou a cintura do outro contra a sua própria, caminhando com ele até ambos trombarem na cama. Luhan sentou na mesma, puxando Sehun para seu colo logo em seguida.

Sehun colocou uma perna de cada lado das de Luhan, sentando-se de frente para ele, passando os braços mais uma vez ao redor de seu pescoço.

O mais velho apertou a cintura de Sehun, e o forçou para baixo, pressionando sua ereção contra as nádegas do mesmo.

— Hannie... — gemeu enquanto rebolava com força no colo do outro. Luhan gemeu junto, com os olhos fechados apreciando as sensações.

Sehun começo a levantar a camisa de Luhan, jogando a mesma em qualquer lugar e Luhan fez o mesmo com ele.

Ambos os tórax desnudos roçaram-se, espalhando por ambos os corpos um imenso calor, que fez a excitação dos dois aumentar.

O maior afastou-se alguns centímetros, sentando-se quase nos joelhos do outro e levou a mão até o cinto da calça deste, o retirando. Encostaram ambas as testas, enquanto a mão de Sehun abria o fecho da calça de Luhan.

Sehun levantou-se um pouco, acompanhado por Luhan para poder deslizar a calça e a cueca deste até o tornozelo e em seguida o fez sentar-se novamente, retirando por completo a roupa.

Ajoelhado, Sehun se aproximou da já disperta ereção de seu amado e segurou-a com uma das mãos, colocando o dedo indicador na glande, massageando aquela área.

Levantou a cabeça para olhar para Luhan, e este o olhava sorrindo maliciosamente, mordendo os lábios. Se aproximou mais do membro do outro, e lá deu uma demorada lambida.

— Hun... — Ouviu Luhan murmurar e depositar uma mão em sua nuca.

Sehun colocou os lábios ao redor da glande, dando uma firme sugada, sentindo o outro puxar um pouco seus cabelos.

Sehun então parou de enrolar e colocou o falo do mais velho na boca. Já começou com movimentos rapidos e firmes, sentindo o outro puxar mais seus cabelos intensificando os movimentos.

— Sehunnie... Ahhh — gemia o chinês, jogando a cabeça para trás com os olhos semicerrados.

E então o mais novo sentiu a pressão em seu cabelo aumentar, sabia que Luhan chegaria ao ápice. Chupou-o ainda mais veloz e firme e então sentiu sua boca ser preenchida pelo líquido de Luhan. Continuou mexendo a cabeça até que a última gota fosse expelida, engolindo tudo em seguida.

Luhan olhou ofegante para o outro, que o olhava também, com um filete de sêmen escorrendo pelo canto de sua boca e o olhar carregado de luxúria.

"Simplesmente perfeito" Luhan murmurou e puxou Sehun delicadamente, lambendo o sêmen que ainda escorria de seus lábios.

Sehun sorriu e passou a chupar a língua de Luhan lentamente, para em seguida beijarem-se novamente.

O mais velho levantou-se ainda beijando o outro, e o levantou junto. Empurrou Sehun com cuidado na cama e o mesmo se ajeitou nos lençóis. Sehun levantou o quadril permitindo que Luhan tirasse o resto de suas roupas. Luhan então sobe na cama e fica por cima de Sehun, fazendo com que suas intimidades se encostassem.

— Você me enlouquece, Oh Sehun. — O chinês diz no ouvido do outro e logo depois puxa o lábio inferior deste, levemente.

Sehun sentiu a língua de Luhan começar a descer por seu pescoço e depois subiu para seu maxilar, sugando a pele do coreano.

Sehun segurou a mão de Luhan, e começou a mordiscar e chupar o topo de cada dedo, fazendo um enorme calor percorrer pelo corpo de Luhan.

Em seguida ele os inseriu na boca, chupando-os enquanto encarava Luhan, sem desviar o olhar.

Luhan retirou os dedos da boca do outro, que foi um pouco mais para trás abrindo as pernas e deixando os joelhos dobrados. Luhan deslizou o indicador por entre as nádegas do mais novo, até chegar em sua entrada, onde lentamente o penetrou, logo tocando no ponto de prazer de Sehun, muito bem conhecido por sí, vendo o coreano morder os lábios com os olhos cerrados olhando-o. Logo o segundo e terceiro dedo já se moviam no interior de Sehun, tocando freneticamente sua próstata.

— L-Lu, vem logo. — Sehun diz com dificuldade.

Luhan sorriu e retirou os dedos do interior do maior, logo pegando um preservativo no criado-mudo, colocando-o.

— H-hannie... — gemeu Sehun ao sentir a pressão do membro de Luhan em sua entrada, que ia penetrando lentamente.

— Ahhhh Porra — ambos gemeram em uníssono quando o mais velho entrou completamente dentro do outro.

Sehun contornou a cintura de Luhan com as pernas, aumentando o contato dos corpos, e ambos ficaram parados por alguns segundos, apenas admirando um ao outro.

Luhan então deu a primeira estocada, olhando nos olhos de Sehun e o mesmo fechou seus olhos com força no mesmo segundo ao sentir sua próstata ser surrada.

A cama em que estavam fazia barulho indo para frente e para trás devido os movimentos intensos de ambos os corpos.

Luhan começou a se mover muito mais rápido, e ambos começaram a gemer palavras desconexas.

Sehun sentiu seu corpo ser puxado e quando percebeu, Luhan estava sentado na cama e ele em seu colo, com as pernas ainda ao redor do quadril do chinês. Sehun logo começou a pular sobre o falo do mais velho com firmeza, sendo ajudado na movimentação, pelas mãos de Luhan que apertavam sua cintura.

Sehun gemeu apertando os braços ao redor do pescoço de seu "marido", que apertou ainda mais um corpo contra o outro, mordendo o ombro de Sehun com força, que novamente gemeu em êxtase.

Mais algumas estocadas e finalmente ambos chegaram ao orgasmo, arqueando as costas e fechando os olhos.

Sehun descansou a cabeça no ombro de Luhan, e este ficou alisando suas costas até ambos acalmarem as respirações.


(...)


Já de banho tomado, o casal se joga na cama, exautos e passam a se encarar.

— Eu senti sua falta, bebê. — Luhan diz acariciado o rosto de Sehun, logo o puxando para um beijo.

— Também senti a sua. É muito ruim ficar meses longe de você. Nossa filha já estava ficando louca também.

— Ela está nos Kaisoo né? Não vejo a hora de poder abraçar ela, ela deve estar enorme...

— Hannie, não exagera. Foram 3 meses e não 3 anos. — Sehun diz e Luhan ri concordando. — Jongin me chamou para almoçar lá amanhã, então só vamos pegar a Anna de tarde... Logo, podemos aproveitar a manhã toda, sozinhos... — diz malicioso.

— Hmmm, então quer dizer que meu marido é insaciável? Vou ter o prazer de te pegar em cada canto dessa casa, logo de manhã. Mas agora vamos dormir porque estou morto.

— Esses idosos...

— Falou o adolescente...

— Vai dormir Han. Boa noite.

— Será ótima porque estou do seu lado. — Luhan diz e Sehun gargalha.

— Não começa com as cantadas de pedreiro.

Sehun, seu pai é padeiro? Porque você tem uma rosca deliciosa.

— EU NÃO OUVI ISSO. VAI DORMIR PELO AMOR DE SANTO HEECHUL. PUTA MERDA LUHAN, QUE BOSTA.

— Credo, que falta de senso de humor...




✘✘✘



— Tio Soo, será que o pai Hun já está vindo?

— Provavelmente sim, a não ser que ele deu um de irresponsável como sempre e dormiu até tarde... — Kyungsoo diz fazendo Anna rir.

— Vocês são amigos a muito tempo né?

— Pois é, aturo seu pai desde o colégio.

— Ele era feio?

— Seu pai sempre foi bonito, Anninha. Mas não conta isso pra ele porque aquele alí é o narcisismo em pessoa. Mas por que a pergunta?

— É porque o nariz dele é grande...

— E não é só o nariz...

— COMO É QUE É DO KYUNGSOO? — Jongin grita da cozinha.

— EU TO FALANDO DOS PÉS DELE, JONGIN, OS PÉS!

— O que o tio nini achou que fosse?

— Ele é doido, Pequena. Não liga.

— Tio Soo, o Baek chamou o Yeol para almoçar aqui.

— Aé? E não me falou nada... Abusado. Você gosta do Chanyeol?

— Ele é legal e brinca comigo e me ajuda a zoar o Baek.

— Que bom que gosta dele, porque pelo que estou vendo, teremos uma novidade hoje...


(...)


— Cheguei, povo. Cadê as palmas? — Sehun entra na casa dos amigos e vê todos o encararem com desgosto, até sua filha. — Credo, povo mal amado. Eu trouxe alguém comigo...

— Se for o Zitao, manda embora porque ele ta me devendo 10 mil de uma aposta. — Kyungsoo diz.

— Você vai morrer esperando esse dinheiro então... Entra logo Luhan, não vou ficar enrolando. — Sehun diz e Anna arregala os olhos ao ver o pai. A menina então corre para os braços de Luhan e o abraça com força.

— Eu senti sua falta papai.

— Também senti a sua, Anninha. — Luhan diz e beija a bochecha da filha, fazendo Sehun sorrir com a cena.

— O momento está lindo mas vamos logo para a cozinha porque eu estou morrendo de fome. — Jongin diz.

— Cadê meu abraço? Vocês não sentiram minha falta? — Luhan diz para Kaisoo e Baekhyun.

— Olha tio Han, vamos deixar isso para depois porque agora eu só quero encher o bucho. — Baekhyun diz e Chanyeol segura a risada.



(...)



— Gente, eu tenho uma coisa para contar. — Baekhyun diz se levantando da cadeira.

— Vixe, engravidou alguém. — Luhan diz.

— Você é cego, Luhan? O Baekhyun é claramente gay. — Sehun diz e Baekhyun ameaça jogar os talheres nos dois se não o deixarem falar.

— Então, continuando... Eu estou namorando com o Chanyeol, pronto, falei. — Baekhyun diz e Chanyeol sorri envergonhado.

— Ta, mas me conta a novidade.— Sehun zomba.

— Filho, você só tem 14 anos... — Kyungsoo diz.

— Pai, não vem com essa porque o Tio Hun me disse o que você fazia com a minha idade e são coisas bem piores do que namorar.— Baekhyun diz e Kyungsoo engasga.

— Como é que é? O que você fazia, Soo? — Jongin pergunta com ciumes.

— Ih Jongin, esse ai tinha cara de santo mas passou o rodo no colégio todo. — Sehun diz provocando e Kyungsoo segura uma faca ameaçando jogá-la em Sehun. Enquanto isso, a pequena Anna filmava tudo com o celular do pai.

— Gente, sem baixaria na mesa. O tadinho do Chanyeol está constrangido. — Luhan se pronúncia.

— Pois ele que vá se acostumando. Agora que é da família as coisas vão só piorar... — Sehun diz.

— Olha, eu vou ter que ter aquela conversinha com vocês dois depois e comprar preservativos e lubrificante. — Kyungsoo diz esquecendo que Anna estava ouvindo e fazendo Chanyeol engasgar.

— Papai Han, o que é lubrificante?

— É uma coisa que crianças não podem saber, é um segredo entre adultos. — Luhan diz, logo encarando Kyungsoo mortalmente.

— V-Vocês aceitaram meu namoro com o Baekhyun? — Chanyeol pergunta envergonhado.

— Bebê, eles não tem que aceitar nada. Vamos namorar eles querendo ou não. — Baekhyun diz e Jongin o olha repreendendo-o.

— Seja bem vindo a família, Chanyeol. Se o Baekhyun fizer algo com você, me avisa que eu castro ele. — Jongin diz e Baekhyun o encara indignado, fazendo todos rirem.




Familia normal para que mesmo?


Notas Finais


Acabouuuuu eeeee

Mais uma vez obrigada quem leua a fic♡ beijinhos e até algum dia ai ahsbajaja


Byeee


XXMaddieXX


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...