História Seis Coisas Impossíveis - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Show Nu, Won Ho
Tags Bts, Changkyun, Exid, Hyungwon, Jooheon, Kihyun, Lemon, Minhyuk, Monsta, Monstax, Save My Fiction, Shownu, Sistar, Wonho, Yaoi
Visualizações 91
Palavras 1.820
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi oi bbs, como vcs estão?
eu n to nada bem... vCS FICARAM SABENDO DO COMEBACK DO MONSTA? COMO Q FICA BEM SABENDO Q SEUS FILHOS ESTÃO SÓ O PÓ??? STARSHIP EU TE ODEIO. Mas o jeito é nos esforçarmos como nunca para dar esse maldito Win para eles.

Então meus anjos, o capítulo de hoje vai ser um especial na visão do JooHeon na festa, pq vai ser menos e tal. Por que? Eu estou com um projeto de vida pra fazer e é muita coisa, tipo MUITA mesmo (umas 30 páginas eu acho), e tenho q entregar até semana q vem. Espero que entendam e semana q vem eu vou dar um capítulo bem gostosinho pra vcs, prometo. (Não desistam de mim😭😭)

*Obs: JooHeon é bem depravado, se não gosta de palavrão, eu não recomendo ler.

Vamos á leitura. 💖

Capítulo 9 - #Especial 01 - JooHeon pov's (Capítulo 7)


25 de junho de 2016

Cheguei no lugar marcado uns minutinhos depois por motivos de: Lee queria estar o mais apresentável possível para conquistar seu garoto para o acasalamento.


Encontrei um ChangKyun determinado a não abrir mão de suas revistinhas que eu tanto queria, é a hora da luta.

Entrando na casa tava a maior porra loca: tinha gente se beijando até no teto, um monte de gente que eu jurava ser hétero (e eles também) se atracando com pessoas do mesmo sexo. É, assim que a gente descobre que quando nega demais, é porque gosta. 

As luzes estavam bonitas, me lembravam as cores dos sabres de luz de Star Wars, a mesa de bebidas estava irresistível ー eu, como bom alcóolatra não posso perder a oportunidade de encher o cu de pinga não é amigos?! ー, e então vi um pequenino Im apertando seu corpo contra meu braço. Ele parecia hesitante.

ー Vou ter que beijar assim? Com todo mundo em volta? ー seus olhos quase lavrimejavam, parecia que iria chorar a qualquer momento.

ー Não. Pode apenas ficar com ele confortavelmente, eu sei que nunca mentiria para mim. ー segurei seu queixo com meus dedos afim de passar alguma segurança para ele.

ー Oh guys. Como estão? Consegui tirar vocês de casa, estou até emocionado. ー ele parecia feliz em nos ver ali, NamJoon era uma pessoa querida por todos, e nāo guardava rancor de ninguém. Isso o fazia popular: sua humildade. ー Fiquem a vontade, qualquer coisa que aconteça, me avisem! Estou lá encima com SeokJin e YoonGi! ー ditou rápido fazendo jus ao seu nome artístico (Rap Monster) e subiu. Que tipo de cara faz uma festa dessas e larga seus convidados? Kim NamJoon.


ChangKyun parecia melhor, estava em um de seus transes e já tinha soltado meu braço. Então foi aí que eu avistei a oportunidade perfeita: MinHyuk sozinho na mesa de bebidas.

De fininho, fui até ele como quem não quer nada e sentei do seu lado. Me avistando, deu um de seus sorrisos brilhantes.

ー Olá Joo~ Não sabia que estava por aqui. É bom lhe ver. 

Ele estava deslumbrante, seus cabelos loiros estavam por cortar, impedindo 100% de sua visão; estava vestindo uma camiseta amarela, cor que combinava consigo, uma calça de couro sintético que realçava suas pernas e por fim, uma jaqueta preta, pois a noite estava um pouco fria; e para esgotar com minha sanidade, usava em seu pescoço uma de suas várias gargantilhas, esta era preta com detalhes amarelos.

ー Estou bem MinHyuk. Você... está sozinho? ー olhei para os lados procurando sinais de que alguém estivesse com o loiro.

ー KiHyun veio comigo, foi pegar uma bebida mas deve estar se amassando com alguém por ai. ー dizia com um biquinho nos lábios.

ー Oh... não está interessado em ninguém? Digo, vai ficar sozinho? ー me arrependi do que disse no segundo depois de ter terminado a frase.

ー Eu acho que estou bem. Na verdade não tem ninguém interessado em mim. ー seu risinho saiu soprado e lamentável.

ー Eu estou! ー meu tom saiu alterado, o que assustou o mais velho.

ー Verdade? Você? ー seus olhos transbordaram um brilho intenso e seu sorriso voltou a estampar seu rosto angelical.

ー Eu... sim! Na verdade é por uma coisa... mas eu desejo ficar com você faz um tempo... ー não deveria ter tocado no assunto da aposta, ele pode ficar magoado, eu tinha o dom de falar o que não devia.

ー O que por exemplo? ー me olhou confuso.

ー Uma aposta. ー seu rosto murchou como uma flor quando arrancada de sua raíz. ー Mas calma! Não me leve a mal... eu precisava de um pretexto para ter a coragem de chegar em você... não pense que eu quero magoar você.

ー Entendo. Poderia apenas ter pedido para me beijar, qualquer dia. Eu te acho muito interessante... ー vi sua face abaixar e avermelhar um pouco, quase explodi de amor por aquela cena.

ー Você... me acha interessante? ー por um impulso, levei minha mão até a sua e seu rosto voltou a me fitar num pulo.

ー Sim, sabe. Você é doce, legal, me faz rir, e é um bom amigo de acordo com ChangKyun. ー meu coração batia cada vez mais rápido, parecia que iria parar a qualquer momento.

ー Venha. ー segurei sua mãozinha macia e o puxei para fora da casa pela porta dos fundos.

Chegando lá fora, fitei a rua, ainda sem coragem de beijá-lo. Ele se encontrava atrás de mim ainda confuso.

ー Honey... não seja tão tímido. ー suas mãozinhas enlaçaram minha cintura por trás, e sua cabeça deitou-se em meu ombro.

Ficamos ali por um momento, até que com delicadeza virei-me para o mesmo e envolvi seu rostinho com minhas mãos, como uma maçã.

ー Você é muito lindo. Como pode ser real? ー agora tudo o que eu dizia era sem pensar, no calor do momento, mas eram palavras cheias de amor e verdade.

Suas bochechas adquiriram um tom rosado e seu olhar se rebaixou ao chão enquanto eu sorri de sua expressão.

Beijei sua testa levemente, e desci meus selares até seus lábios. Deixei vários selinhos em sua boca enquanto dedilhava sua bochecha quentinha e sentia minha barriga criar borboletas.

Ele começava a se agitar, percebi isso quando suas mãos, anteriormente em minha cintura, subiram para minha nuca. Ao contrário de mim, que reproduzia meus atos com delicadeza, ele era um tanto quanto agressivo, fincando suas unhas curtas em minha pele exposta.

ー Faça isso logo... ー seu tom autoritário fez todos os meus pêlos arrepiarem. Decidi que era o hora de obedecer aquele hyung.

Pedi passagem com minha língua, separando aos poucos seus lábios sedentos com lambidas na área. Seus dedos puxavam meus cabelos levemente. 



Fizemos. Nossas línguas eram nervosas e queriam contato. Mais contato. Mais.

Era evidente a tensão crescendo ali. Crescendo junto com meu pênis.

Com um movimento brusco o joguei na parede e voltei a me encostar em seu corpo. Aquele gemido, aquele gemido me fez enlouquecer. Um gemido que nasceu e morreu em sua garganta mas foi o suficiente para acordar minha vontade de lhe despir e o devorar ali mesmo.

ー JooHeon-ah... está me deixando louco... ー rapidamente suas pernas envolveram minha cintura e eu o segurei com força em suas coxas.

ー MinHyuk-ssi... se continuar arfando desse jeito vou querer lhe levar para um motel. ー ouvi um riso fraco vindo do outro enquanto ataquei seu pescoço e ele explorava minhas costas ainda por cima da roupa.

Quando o mesmo ia me responder algo, começei movimentos insunuando uma penetração. A cada “estocada” dada no maior, ele soltava um gemido fraquinho.

Levantei meu rosto para visualizar a beleza do outro, e sua expressão estava maravilhosa. Alguns pingos de suor escorriam de sua testa, sua boca vermelha entreaberta pedindo por mais, e seus olhos fechados aproveitando cada momento. Voltei a beijar sua boca ferozmente, até que ouvimos um barulho alto e nos assustamos.

Não era nada. Na verdade era, era o filha da puta do TaeHyung quebrando uma garrafa na janela pelo lado de dentro. Empata-foda do caralho.

ー Vamos entrar baby. Podem nos ver aqui. ー MinHyuk falou enquanto desprendia suas pernas de meu corpo.

ー Aish... estávamos indo tão bem. ー resmunguei e ouvi o outro gargalhar.

ー Continuamos outro dia. Prometo para ti. ー soltou um sorriso enlouquecedor, aquele homem acabava com meu psicológico. 

ー Tudo bem. ー abraçei o mesmo e ficamos trocando palavras fofas e beijos carinhosos por alguns momentos antes de entrarmos e irmos procurar nossos amigos.



Encontrei um ChangKyun desesperado gritando pelo meu nome.

ー Escandaloso da porra. ー disse pata mim mesmo, baixinho.



Depois de conversar brevemente com ele sobre a aposta, chamei MinHyuk para ficar comigo e dar privacidade para ele e o rosado.

ー Eles vão ficar? ー o loiro me perguntoi curioso, enquanto andávamos de mãos dadas até a mesa de bebidas.

ー Espero que não, ou não irei ganhar meus quadrinhos. ー ao dizer, senti um tapa no ombro vindo do mais velho e uma risada do mesmo.



Chegando na mesa, bebemos enquanto conversávamos com WonHo e sua gangue do bem. Uma vez ou outra trocávamos um carinho ou um selinho carinhoso.



Passou-se algum tempo e MinHyuk deitou-se em minhas costas, abraçando meu corpo. Percebi depois que o mesmo tinha dormido e estava coçando seu pescoço, provavelmente sua gargantilha estava o incomodando. 

Com cuidado, tirei a mesma de seu corpo e a guardei em meu bolso, fiz uma nota mental de lembrar de devolvê-lo quando o mesmo acordasse.



Passou um tempo e avistei ChangKyun vindo em nossa direção. Com a mão entrelaçada com a de Yoo. Senti um certo ciúmes dele sim, nunca havia andado assim comigo, e nos beijamos primeiro. Que audácia.

O pequeno parecia cansado e se deitou nas costas de L.E enquando KiHyun deu um piti por conta do MinHyuk estar dormindo.




ー Está tudo bem NamJoon. Vamos para casa.



Era a hora da verdadeira luta: levar meu amigo para sua casa. Claramente irei aproveitar e capotar lá mesmo.

Com alguma dificuldade, carreguei ele até o ponto de ônibus e fomos para sua casa.


ー Cara, cadê sua chave? ー perguntei enquanto apalpava o corpo do menor, procurando as chaves para podermos entrar. ー Você é um imprestável, nem pra beber serve, aish.


Depois de um tempo, achei o molho em suas calças e entramos. 


Tentei fazer o máximo de silêncio para não acordar o tio HyunWoo. Subi as escadas puxando o corpo daquele porco lesado enquanto ele resmungava de dor.

ー Cala a boca!


Chegamos ao seu quarto e eu o deitei em sua cama, caindo por cima do mesmo. 

Estava tudo bem, até suas mãos caminharem timidamente pelo meu corpo, adentrando minha camiseta.

ー ChangKyun... agora não, temos que dormir. 

ー Por favor... ー sua voz era suplicante e arrastada, quase tive um orgasmo ouvindo aquele cântico que saia de sua boca.

ー Só um beijo. ー eu iria me arrepender daquilo, mas seu rostinho assentindo era a coisa mais fofa do mundo.

Em questão de segundos eu estava sentado encima de sua ereção enquanto beijava sua boca com urgência e sentia suas mãos apertarem minhas coxas.

ー JooHeon-ssi..  vamos fazer... ー aquilo arrepiou tudinho, meu cu trancou só de imaginar o que ele estava me pedindo.

ー Fazer... o quê? ー minha voz saíra falhava pois ele chupava com força meu pescoço.

ー Eu quero meter em você. ー ao dizer isso, agarrou minhq cintura e puxou meu corpo contra o seu, fazendo minha bunda se chocar contra seu membro coberto. ー Eu preciso disso agora...

Quase me deixei levar, mas lembrei-me de que ele estava provavelmente alterado e saí de cima de si.

ー Não. Faremos isso se você quiser quando esriver sã. Agora iremos dormir. 

Ouvi seu resmungo logo após de virar para o lado da parede e se encolher na cama.

Deitei-me do lado contrário ao seu e pensei bem no que ele tinha me pedido. Precisei de alguns minutos para processar aquilo, só acordei do meu transe quando ouvi aquele ronco chato do viado ao lado.

Amanhã ele nem deve se lembrar disso. Mas existe uma dúvida na minha cabeça...







...quando foi que ele bebeu?




Notas Finais


É isso aí gente, eu n gostei mt desse capítulo ;( me digam o que acharam.
Na minha opinião é mais dificil narrar com o JooHeon do que com o I.M, mas com o tempo eu pego o jeito.

Viram que Chang safadenho??
O que acharam do Min? Um doce né? Juro fazer vcs se apaixonarem por ele, é puro amorsinho 💛.

Esperem pelo próximo capítulo oficial. Tentarei fazer antes do tempo, prometo.

Beijo nenês, se cuidem. 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...