História Seja minha arte - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Baekyeol, Chanbaek, Chanyeol, Exo, Romance
Exibições 116
Palavras 1.567
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Geeente desculpa a demora, essa semana foi bem chatinha pra mim, então não para escrever antes o capitulo.
Quero agradecer todos que favoritaram e comentaram a fanfic, estou muito feliz por estarem lendo. =D
Espero que gostem.

Capítulo 3 - Capítulo 03


Baekhyun nem tinha noção do que estava fazendo, ele só agarrou a primeira coisa que viu naquele banheiro, odiava barulhos altos, e o escuro o deixava apavorado, parecia que coisas ruins iam acontecer quando estava sozinho sem luz nenhuma. 

Ele estava completamente pelado e molhado, ele tremia e apertava a cintura do mais velho e escondia o rosto no peito dele, vendo apenas o preto e sentindo a textura da camisa.

Chanyeol estava lá parado com o celular na mão iluminando um pequeno pedaço daquele cômodo, tinha sido tudo muito rápido e ele não sabia o que fazer agora, se abraçava o ser que se agarrava nele, se falava que estava tudo bem, se tirava o outro dali e o vestia ou se continuava desse jeito estátua no meio do banheiro. 

- Baekhyun está tudo bem, foi só um trovão você esta seguro aqui. - ele optou por acalmar o outro e fazer um pequeno carinho nas suas costas, era tudo muito estranho isso, ele não era uma pessoa muito touch com as pessoas. - Esta muito frio, se veste para não se resfriar, por favor. - ele afastava o pequeno com carinho e via os olhos medrosos olhando pra ele e lá no fundo uma vergonha crescendo em velocidade alarmante.

O mais baixo quando foi afastado gentilmente conseguiu olhar para aquele rosto sereno, que apresentava estar um pouco sem graça, e seu próprio rosto foi ganhando um tom escarlate até que sua situação fosse formada na sua cabeça e ele se afastasse cobrindo o peito. 

- Oh meu Deus desculpe, perdão professor Park, que vergonha, meu deus o que eu faço? - Ele ficava totalmente perdido querendo fugir daquela situação constrangedora. Se andasse de frente o outro continuaria vendo seu pênis, se andasse de costas sua bunda que seria observada, ele não tinha nenhuma escolha então resolveu se virar e correr para se cobrir com a toalha. 

- Tudo bem não se preocupe, é normal se assustar, não fique com vergonha. Eu trouxe a sua mochila. - Ele se sentia meio mal pela situação toda e dava a mochila pro mais baixinho - Se vista que eu te levo pra casa, esta chovendo muito forte. Tome! Use o meu celular pra enxergar, espero você lá fora. - Ele deixava o seu celular com o outro e saia do banheiro.

O menor ficava lá parado com o celular na mão e olhando para a porta. Fechava os olhos e respirava profundamente e contava até cinco para se acalmar, logo depois conseguia se trocar e pegava o próprio celular no bolso da mochila e saia do banheiro.

O mais velho estava sentado na cama com uma vela acesa no criado mudo, todo esse ambiente era muito sufocante, luz de velas sempre deixam tudo muito romântico.

- Estou pronto, me desculpe de novo eu me apavorei, eu não queria agarrar você. - Ele tinha que se explicar, não conseguiria ficar calado depois disso tudo, desde o começo da semana esse lugar estava repleto de tensão sexual, mesmo que não houvesse segundas intensões por parte do professor. 

- Já disse que esta tudo bem, olha a chuva está muito forte e seria suicídio sair agora de carro, te levo pra casa, mas teremos que esperar parar um pouco, enquanto isso eu vou ver o que tem pra comer na cozinha, creio que esta com fome. 

Realmente Baek estava com fome, estava desde as 14 horas sobrevivendo com chás, sua barriga só de pensar em comida já doía. 

Nada poderia piorar, e não seria louco de sair naquela chuva só porque estava sem graça de olhar pro mais velho, ele tinha noção das coisas as vezes.

- Estou com fome sim, obrigado por se importar. É... seu celular. - Ele devolvia o telefone e o outro pegava e já ligava a lanterna de novo.

- Fique aqui, qualquer coisa me chama. - ele levantava da cama e descia pela escadinha e o mais novo ficava sozinho.

Byun se sentava na cama e passava a mão na colcha felpuda. Aquele lugar era o sótão da casa e era muito aconchegante, a cama ficava de frente para o banheiro e umas estantes com mais livros, do lado direito era a janela que tinha um pequeno sofá em baixo, e do lado esquerdo da cama era a escada e tinha uma móvel com muitos vasos com plantas e um aparelho de som, tirando o banheiro o chão era de madeira, um tapete grande tomava boa parte de tudo, pegando a cama até o sofá da janela. 

Tudo naquele lugar parecia sair daquelas revistas de ricos que tinham casas fantásticas e alternativas. Se sentia em outro mundo ali dentro, e aquela cama era um sonho, era enorme, ele tinha se apaixonado por ela assim que a viu. Ele se dava um mimo e deitava na mesma todo folgado; seu corpo todo relaxava e seu rosto rosava nos pelinhos da coberta.

Tudo ali tinha um cheiro tão bom, não era igual na parte de baixo que cheirava a tinta e verniz. Adoraria viver em um lugar assim, com alguém especial, seria um sonho maravilhoso. Seus olhos até se fechavam para imaginar dormir e acordar em um quarto assim, estava tão concentrado em seus pensamentos que os minutos se passavam e ele nem percebia. 

- Baekhyun? - o mais velho já tinha subido com um pratinho com biscoitos e estava sentado ao lado do outro que estava deitado com um sorriso bobo nos lábios. - Dormiu? 

O menor abria os olhos assim que ouvia seu nome e se sentava na cama na mesma hora. 

- Não... eu.. eu só estava... esta pensando. - isso não eram modos de se ter na casa dos outros, isso se ali fosse a casa do outro, era tudo tão estranho naquele lugar. - Só.. achei a sua cama confortável, desculpe eu não resisti.

- Você deveria parar de se desculpar por coisas que não são erradas, camas são para se sentar e deitar, logo você poderia deitar nela, eu não tenho essas frescuras então relaxa. Olhe eu trouxe biscoitos, espero que goste é tudo que tem na cozinha. 

Baekhyun pegava o pratinho e eram cookies de chocolate que pareciam deliciosos, ele pegava um e começava a comer. Eram realmente bons e sua barriga estava agradecida, já estava no terceiro quando olhava pro mais velho com um biquinho porque estava com a boca cheia.

- Você quer? - de novo sendo mal educado, não sabia o que estava acontecendo com ele próprio.

- Não obrigado, pode comer a vontade não estou com fome. - Chanyeol não tirava os olhos do outro, ele sempre se interessava pelas pessoas observando elas. 

Baekhyun não tinha nada a ver com ele, sem contar nas idades, ele era 8 anos mais velho e totalmente introspectivo, mas não era cego, o baixinho era bonito e estava agora nesse momento muito adorável comendo os cookies, sua boca parecia muito pequena e ele sempre fazia biquinho pra comer. 

- Se a chuva não passar você pode dormir aqui, se quiser claro, e eu te levo pra faculdade, sei que mora longe daqui. - Ele falava olhando os lábios vermelhinhos do outro e desviava o olhar quando recebia um olhar de volta.

- Acho que não seria apropriado, quer dizer eu.. eu fico o tempo todo sem graça aqui. Não estou falando que a culpa é sua, nada disso, eu só sou meio tímido. - ele falava olhando para o professor e por dentro ele estava gritando. Já se imaginava dormindo ali com aquele homem bonito e amanhã indo juntos pra faculdade, era muita coisa para o pequeno Byun que estava totalmente não a vontade com o dono da casa. 

- Baekhyun por favor esqueça que eu já te vi nu, se liberta dessa vergonha e fique a vontade comigo, eu olho pro seu rosto não para seu corpo quando falo com você. Já disse que não faço meu trabalho pensando de forma sexual nos meus modelos, eu separo muito bem a arte da minha vida pessoal, pintar você é como se eu tivesse pintando um vaso, frutas ou uma paisagem, o corpo humano pra mim só recebe um olhar de desejo quando a situação pede, então não á motivos para ficar assim comigo. Faz de conta que nunca te vi daquele jeito e seja você.

O mais novo sorria e sentava que nem indiozinho na cama, ele sentia confiança as palavras do outro, iria tentar ficar normal ali, porque pelo que dava para ver da janela aquela chuva ia demorar muito para passar. 

Ele comia os cookies e depois ficavam conversando normalmente na cama. Percebeu que recebia atenção 100% quando estava falando e isso era incrível, nenhum cara que ele ficou ligava pra o que ele tinha a dizer. Tiveram uma conversa muito fluida onde tinha interação de ambos os lados.

Mesmo sendo mais velho Park Chanyeol não transmitia sua idade em nada, estava adorando conversar com o pequeno Byun, não tinha que se esforçar para encontrar um assunto porque o menor era muito falante, isso era ótimo pra ele que era meio travado e se sentia muito bem com o outro perto, a muito tempo não se sentia assim e ele gostava da sensação, só não sabia explicá-la, talvez conseguisse reproduzir com algumas pinceladas ou fazendo um desenho, desde sempre se expressava melhor com arte do que com palavras. 


Notas Finais


Bom é isso por hoje, como pedido de desculpas por ter demorado mais de 6 dias para postar o capítulo vou escrever o próximo ainda hoje, kkkk'

Beijos a todos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...